You are on page 1of 20

UTILIZAÇÃO DA BROMÉLIA TILLANDSIA

USNEOIDES L. PARA AVALIAÇÃO DA
INFLUÊNCIA DO TRECHO SUL DO
RODOANEL NA CONTAMINAÇÃO
ATMOSFÉRICA POR METAIS
Caroline Rodrigues Albuquerque – Ana Maria Graciano Figueiredo
Centro do Reator de Pesquisas – CRPq, IPEN – CNEN/SP

Universidade Nove de Julho – Ciências Biológicas

Início da Bolsa PIBIC: 01/08/2012

São Paulo, dd/mm/2013

7º Semestre em Curso

Órgão(s) financiador(es) da pesquisa:
CNPQ / CNEN

Seminário Anual

TILLANDSIA USNEOIDES

 Popularmente conhecida como barba de bode
 Com ampla distribuição em ambientes tropicais e
subtropicais.
 É uma espécie epífita, da família das bromeliácea
 Busca fixar suas raízes superficiais em troncos de
árvores ou em outros locais, para alcançar sempre o
lugar mais alto onde consiga absorver todos os nutrientes
de que precisa da atmosfera.
 Consequentemente, também acumula poluentes que
estão presentes no ambiente

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

INTRODUÇÃO
 A cidade de São Paulo tem uma população de aproximadamente 19
milhões de habitantes e intensa atividade industrial.
 Frota veicular de aproximadamente 8 milhões de automóveis, que
geram um alto nível de poluição.
 Com a construção do trecho Sul do Rodoanel Mario Covas (SP-21),
espera-se uma diminuição de cerca de 43% da circulação dos veículos
pesados.
 A bromélia Tillandsia usneoides L., vem sendo utilizada como
biomonitor de poluição atmosférica, em virtude das suas características
morfológicas e fisiológicas
 Biomonitores podem ser definidos como organismos, ou conjunto de
organismos, que reagem a perturbações ambientais por meio de
alterações nas suas funções vitais ou composição química.
São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

OBJETIVO
Avaliar as concentrações dos metais potencialmente tóxicos Cu, Ni, Pb e Cd em
amostras de Tillandsia usneoides.L coletadas próximo ao trecho sul do rodoanel
(SP-21) para avaliar o impacto causado por esta rodovia na poluição atmosférica
por metais.

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

Área de estudo
O Rodoanel Mario Covas (SP-21), tem como função o desvio e a distribuição do
tráfego de passagem para o entorno da Região Metropolitana de São Paulo –
RMSP.

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

Área de estudo

 Possibilitará uma redução de 6% na emissão de monóxido de carbono (CO).
 8% na de hidrocarbonetos (HC) na RMSP.
 Em cerca de 10 anos, o Rodoanel absorverá aproximadamente 50% do
tráfego comercial com origem/destino fora da RMSP, retirando das ruas e
avenidas cerca de 120 mil caminhões, 18 mil ônibus rodoviários e mais 585 mil
automóveis (DERSA).

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

PONTOS DE MONITORAMENTO
Foram realizados dois tipos de monitoramento no período de um ano e meio de
estudo:
• Biomonitoramento passivo, amostras de plantas que já existiam no local.
• Biomonitoramento ativo, amostras de plantas transplantadas do ponto controle
para outros pontos.
No Amostragem

Data

1ª (T1)

Abr/2009

4ª (T4)

Mar/2010

7ª (T7)

Fev/2011

 Período das coletas
O estudo compreendeu o período durante
e após a construção da parte oeste e
durante a construção da parte sul da
rodovia SP-21.

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

PONTOS DE MONITORAMENTO
 Ponto de Referência (PR): fragmento florestal preservado em área não urbanizada
próxima à região de construção do lote 5- Embú do trecho sul do Rodoanel, onde a
planta ocorre naturalmente.

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

 Ponto Pista Nova (PN): região onde a espécie também ocorre naturalmente
em algumas árvores próximas ao local onde foram construídas pistas do trecho
sul do Rodoanel. Essa pista foi utilizada durante a construção, para circulação
dos veículos ligados à obra, e depois da inauguração foi desativada.

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

 Ponto “Pista Velha” (PV): ponto que dista cerca de 5 metros do acostamento da
pista da alça de acesso que interliga os trechos Oeste e Sul; tal trecho foi aberto ao
tráfego de veículos em abril/2010.

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

 Ponto Marginal do rio Pinheiros: foram colocadas em arvores mais próximas do
asfalto (PP) e em arvores mais afastadas (PA, cerca de 4 metros).

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

MATERIAIS E MÉTODOS
PROCEDIMENTO ANALÍTICO
 As amostras foram secas a 40 ° C e depois moídas utilizando-se um moinho de
ágata para se obter um pó fino e homogêneo.
 Foi realizada uma digestão ácida em sistema fechado, das amostras em forno de
microondas, utilizando uma mistura de 2 mL de HF-10 mL de HNO3 e 2 mL de H2O2.
Esse procedimento foi realizado no Instituto Oceanográfico no laboratório de
Química Inorgânica Marinha (LAQIMAR-USP).
 Para o controle de qualidade dos resultados
foram utilizados dois materiais de referência
certificados:
 White Cabbage (BCR 679)
 Peach Leaves (NIST SRM 1547)

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

TÉCNICA DE ICP-OES
Utilizada para a determinação da concentração de metais-traço em
diversos tipos de amostras em solução.
O líquido é arrastado até um plasma de argônio, onde os metais são
excitados e emitem suas radiações características. O comprimento de
onda da radiação é usado para identificar o elemento e a intensidade do
pico é usada para determinar a concentração dos mesmos. A faixa de
concentração medida por ICP OES vai geralmente da ordem de ng g-1 a
g g-1.

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

*réplicas = 4

CONTROLE ANALÍTICO DOS RESULTADOS
A qualidade analítica dos resultados para a técnica de ICP OES foi verificada quanto à
exatidão e precisão dos valores experimentais obtidos para os materiais de referência
Peach Leaves (NIST SRM 1547), White Cabbage (BCR 679). Os resultados mostraram
erros relativos inferiores a 20% e coeficientes de variação menores que 10%.
Peach Leaves – NIST SEM 1547 (mg kg-1)
ICP OES
Elemento

Certificado

Experimental*

ER (%)

CV (%)

Cd

0,26 ± 0,03

Não determinado

--

--

Cu

3,7 ± 0,4

3,2 ± 0,1

13

3

Ni

0,69 ± 0,09

0,77 ± 0,08

12

10

Pb

0,87 ± 0,03

0,87 ± 0,02

4

3

White Cabbage – BCR 679 (mg kg-1)
ICP OES

São Paulo, dd/mm/2013

Elemento

Certificado

Experimental*

ER (%)

CV (%)

Cd

1,66 ± 0,07

1,29 ± 0,02

22

2

Cu

2,89 ± 0,12

2,75 ± 0,22

5

8

Ni

27,0 ± 0,8

22,1 ± 0,4

18

2

Pb

Não informado

--

--

--

Seminário Anual

 Houve, em geral, um aumento na concentração dos metais, nos locais estudados,
principalmente na PV, principal pista de acesso ao trecho sul do rodoanel, que foi
aberta no período estudado. Esses metais são considerados traçadores de
contaminação urbana e são associados ao tráfego.
Estudos têm demonstrado, constantemente, a associação de tais elementos à
composição química de combustíveis fósseis e ao desgaste de dispositivos
automotores.
São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

 Nota –se um aumento das concentrações, na Marginal Pinheiros no ponto PP após
a inauguração da parte oeste da rodovia SP-21 (após T4), ao contrário das
expectativas. Uma possível explicação para este fato é que os carros e caminhões
que vêm de parte da rodovia SP-21 ainda cruzam importantes avenidas da cidade de
São Paulo, como a Marginal Pinheiros.
Os resultados mostraram que as concentrações dos metais foram sempre menores
no PR, mostrando o potencial da T. usneoides como bioacumuladora de metais.
São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

CONCLUSÃO
 Os resultados obtidos mostraram que houve um aumento na
concentração de Cd, Cu, Ni e Pb na região do rodoanel, indicando
serem esses elementos originados do tráfego de veículos.
 A partir das informações obtidas nesse estudo, pode-se observar a
eficácia da utilização da bromélia Tillandsia usneoides como
biomonitora para a avaliação da poluição atmosférica por metais.
 Além disso, é importante ressaltar que o biomonitoramento, é uma
alternativa ao monitoramento convencional da qualidade do ar, podendo
delimitar e prever riscos ambientais associados às atividades antrópicas
em regiões com potencial desenvolvimento econômico e poucas
informações em relação à poluição atmosférica.

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

REFERÊNCIAS
Arndt U., Schweiger B. The use of bioindicators for environmental monitoring in tropical and subtropical
countries. In: Ellenberg et al. Biological monitoring. Signals from the environment. Vieweg. Eschborn, 1991, pp.
199-298
Bettinelli M, Perotti M, Spezia S , Baffi C, Beone G.M, Alberici F, Bergonzi S, Bettinelli C, Cantarini P, Mascetti L .
The role of analytical methods for the determination of trace
elements in environmental biomonitors Piacenza, Italy: Microchemical Journal 73, (131–152) , 2002.
Figueiredo, A.M.G., A.M.G. Figueiredo, C.A. Nogueira, M. Saiki, F.M. Milian, M. Domingos. “Assessment of
atmospheric metallic pollution in the metropolitan region of São Paulo, Brazil, employing Tillandsia usneoides L.
as biomonitor”. Environ. Pollut. v.145 (2007) 279-292..
Hoenig.M. Critical discussion of trace element analysis of plant matrices. The science of the total environment,
176, 1995, p 85-91
Skoog,D.A.;West,D.M.; Holler,F.J. Fundamentals of analytical chemistry souders college publishing; 7ed;
1998,577p.
Vianna. A. N, Gonsalves. D, Brandão. F, Barros. .P.R, Filho. A.M.G, Meire.O.R., Torres .M.PJ, Malm.O, Junior.
O.A, Andrade.R.L; Assessment of heavy metals in the particulate matter of two Brazilian metropolitan areas by
using Tillandsia usneoides as atmospheric biomonitor; Environ Sci Pollut Res 2011, 416–427.
Werner, D e Roth, R. Silica metabolism. In:Lauchli,A; Bieleski, R.L. Encyclopedia of plant physiology. New series,
Berlin: Springer Verlag, v15b, p.682-694,1983.

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

ATIVIDADES FUTURAS

Analise de outros metais, potencialmente tóxicos, traçadores de
contaminação urbana como Ba, Mo, Sb, Zn, por outra técnica analítica
(Analise por ativação com nêutrons)
 Outras coletas estão sendo realizadas, para acompanhar o
comportamento desses metais, após a abertura do trecho sul do Rodoanel.

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual

AGRADECIMENTOS

 Instituto de Botânica
 Instituto Oceanográfico
 Dersa
 CNPQ

São Paulo, dd/mm/2013

Seminário Anual