Tubulações e acessórios

HENRIQUE

TUBOS – CONDUTOS FECHADOS, DESTINADOS
PRINCIPAMENTE AO TRANSPORTE DE FLUIDOS E
GASES

TUBULAÇÕES- CONJUNTO DE TUBOS E
SEUS ACESSÓRIOS

Aqueduto
Aquedutos Romanos

O atravessamento de vales importantes era feito sobre estruturas em arcaria. através de tubos metálicos.Introdução Nos aquedutos mais antigos o escoamento era geralmente em superfície livre. Nos aquedutos modernos o escoamento é feito sob pressão. e eram edificados em alvenaria. apresentando sempre uma inclinação mínima para que a água pudesse correr. Os aquedutos modernos são geralmente subterrâneos. .

.

fazendo com que o adequado dimensionamento desse sistema de tubulações adquira grande importância. • Uma indústria petroquímica de médio porte possui entre 3.000 toneladas de tubulações de aço-carbono instaladas.Plantas Industriais • Nas plantas industriais grande quantidade de complexas redes de tubulações servem para transferir e processar fluídos em diversas condições de pressão e temperatura.000 e 15. .

APLICAÇÕES • • • • • Distribuição de vapor para força e/ou para aquecimento Distribuição de água potável ou de processos industriais Distribuição de óleos combustíveis ou lubrificantes Distribuição de ar comprimido Distribuição de gases e/ou líquidos industriais .

Classificação das tubulações Tubulações de processo Tubulações dentro de instalações industriais Tubulações de utilidades Tubulações de instrumentação Tubulações de drenagem CLASSIFICAÇÃO DAS TUBULAÇÕES Tubulações fora de instalações industriais Tubulações de transporte Tubulações de distribuição .

Unidade de Processo .

como o Alasca. .Transporte através de oleodutos em áreas inóspitas.

Outras regiões Regiões com elevadas variações de temperatura e pressão .

Rede de dutos submarinos .

Complexo sistemas de sucção e descarga. ? .

Perdas por Vazamentos .

desde que a empresa reviu os procedimentos de instalação de gaxetas nas válvulas. praticamente eliminou as perdas por vazamentos nas linhas de geração e transmissão de vapor de alta pressão – estimada em mais de 2.000 toneladas por ano com vazamentos. .Emissões fugitivas •Na Braskem.

Tipos de materiais dos tubos A escolha do material empregado nos tubos está diretamente relacionada ao projeto e às características das variáveis do processo como: Pressão. as cargas mecânicas. viscosidade e outros. Os fatores que também influenciam na escolha dos materiais dos tubos são a segurança. temperatura. . vazão. a corrosão e os custos.

SISTEMA DE BY-PASS Modificação de projeto .

dados sobre projeto e cálculo de espessuras e de flexibilidade. e tensões admissíveis. tem na norma ASME serie B31 um conjunto de procedimentos que orientam quanto a requisitos para os materiais empregados. •Essa norma abrange várias classes de Tubulações pressurizadas. meios de ligação de conexões. . cálculo de componentes especiais. seleção e limitações dos materiais. pressurizadas e/ou aquecidas. dentro e fora de instalações industriais.Projeto •O projeto e construção de linhas de tubulações industriais.

5%. o aço-liga e o aço inoxidável. que pode variar de 0. . A percentagem de carbono. de esgoto etc.15 a 0.maior será a dureza e também maior a dificuldade de soldagem do aço. Os tubos mais usados são os de materiais ferrosos como o aço carbono. determina o grau de dureza do aço.Os tubos de ferro fundido são restritos às instalações de utilidade como de água.Materiais ferrosos O aço-carbono é uma liga de ferro de carbono. Quanto maior a percentagem de carbono na liga.

.

Curva de gomo

Trecho de linha em “Y” e Curva de gomo A 45º .

.

Outras desvantagens são a baixa resistência a fluidos e à corrosão quando exposto a ambiente úmido. Em temperaturas abaixo de -30°C. está sujeito a deformações lentas.Restrições Mas o aço-carbono também apresenta algumas restrições. . Quando é necessária a utilização de tubulações nessas situações. acima de 500°C. o projeto estabelece a utilização de aços-ligas ou inoxidáveis. E. ele se torna quebradiço.

3MPa =125Kgf/cm² Acidente Causa não confirmada: Fratura frágil no corpo do flange A fratura frágil é aquela que ocorre de maneira catastrófica sem que haja tempo suficiente para a liberação de energia de deformação plástica.Acidente em Shangai fev 2009 Explosão. dióxido de carbono e outros . gás sulfídrico.Pode ser causada por fatores internos como a presença de inclusões não metálicas fragilizantes dentro do material – ou externos – como agentes ambientais fragilizantes como hidrogênio. durante a execução de TESTE PNEUMÁTICO.6MPa = 159Kgf/cm² Falha: 12. Pressão do Teste: 15.

Estruturas afetadas .

Ocorrência da falha .

A planta estava sendo submetida a teste para entrar em operação .

níquel.Metais ferrosos Os aços-ligas e os inoxidáveis podem conter cromo.Outra modalidade de defesa contra esses agentes é a utilização de tubos galvanizados. . molibdênio ou titânio. desde que os projetistas assim o determinem.dificultando a ação dos agentes que atacam o aço.

Existe atrito com as paredes do tubo.Os fluidos O fluido em um tubo sofre forças de atrito. a viscosidade diminui com o aumento da temperatura. . Nos líquidos. e com o próprio fluido. convertendo parte da energia cinética em calor. A viscosidade é uma medida da resistência de movimento do fluido. As forças de atrito que impedem as diferentes camadas do fluido de escorregar entre si são chamadas de viscosidade. Podemos medir a viscosidade de um fluido medindo as forças de arraste entre duas placas. Obs. enquanto que nos gases a viscosidade aumenta com o aumento da temperatura.

Processos de Fabricação Há quatro grupos de Processos Industriais de fabricação de tubos subdivididos em dois segmentos. .

como os de alumínio. chumbo e plástico. O material em estado pastoso é pressionado por êmbolo através de um furo de uma matriz e por fora do mandril. até que a forma e a espessura desejada sejam obtidas.Por esse processo são fabricados tubos de ferro fundido. cobre. É um processo de pouca aplicação.SEM COSTURA • Fundição • Forjamento • Extrusão O tubo é fabricado em um molde no qual o material é despejado em estado líquido. . concretos etc. borrachas. de barro.Por extrusão fabricam-se tubos de pequenos diâmetros. em que um lingote de aço aquecido ao rubro é martelado contra um mandril central.

ao mesmo tempo que um mandril abre um furo.O lingote. é prensado fortemente. que consiste em passar um lingote de aço aquecido a 1200°C num laminador. .• Laminação É o processo de fabricação mais importante dos tubos sem costura. transformando-o em tubo. ao passar entre os rolos do laminador.

a partir de chapas calandradas. pelo fato de terem um custo mais baixo.COM COSTURA Os tubos com costura são fabricados pelos processos de soldagem.devido á facilidade do processo de soldagem. . Esses tipos de tubos. apesar de possuírem menor resistência que os sem costura são de uso mais freqüente.

CALANDRA

Entidades normalizadoras
Os métodos e o processo de fabricação de tubos, assim
como os materiais empregados, as dimensões a serem
observadas e as possíveis aplicações estão
normalizados por entidades como as seguintes:
ASA - American Standard Association
ANSI - American National Steel Institute
MSS - Manufacture Standartization Society
ASME - American Society Mechanical of Engenier
DIN - Dentsh Industrie Normen
ASTM - American Society for Testing Material
ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas
API - American Petroleum Institute
ISA - Instrumentation Standard of American

Normas
• Os principais objetivos das normas elaboradas por
essas entidades são:
1. Orientar os executores dos projetos mediante a criação de especificação
e serviços adequados;
2. Trabalhar pela criação de métodos e padrões de fabricação.

3. Delimitar as responsabilidades e fixar tolerâncias
de fabricação.
4. Estabelecer materiais e especificações de
aplicações de determinadas matérias na
fabricação de tubos e seus acessórios.

Normas • As normas ASTM são as mais utilizadas em relação aos materiais empregados na fabricação de tubos embora as normas DIN e as normas ABNT também apresentem especificações a esse respeito. .

analisando esse dois exemplos: • ASTM A-161 gr. • ASTM B-247 .Significados Vamos entender o que significa cada elemento que aparece na especificação de uma norma.

Aço (aço-carbono baixo ou alto. ligas.Significa tubos de aço-carbono molibdênio sem costura para emprego em refinarias.Significa tubo de alumínio forjado em matriz. aço forjado. acetato de celulose e outros). 161 . 247 . . D .Cerâmica ou fibrocimento. latão.D 161 . C .ASTM A.B. A . 247 GR American Society Testing of Material. A ou gr.C. alumínio.Cobre. B Essa anotação que aparece em seguida ao número caracteriza pequenas variações nas aplicações para um mesmo material. aço-liga. gr. níquel e outros.Material plástico (PVC. inox ou outros ) B .

Dimensões de tubos • De acordo com a Norma ANSI B. todo tubo de aço. . sendo usado somente como indicação.36. qualquer que seja seu processo de fabricação. Esse diâmetro nominal não tem dimensões físicas assinaladas no tubo.10. é designado por um número denominado diâmetro nominal.

di Sch de .

aliada ao tipo de material empregado na fabricação.• Na especificação dos tubos. é muito importante que a sua espessura seja indicada porque essa indicação. permite que o profissional calcule a dimensão adequada para resistir às cargas mecânicas previstas em projeto. .

10. 100. 120. 40. segundo a Norma ANSI B. 30.5. A série é apresentada pelos seguintes números: Sch . 80. 20. 140 e 160. que é abreviado por Sch. 10.• A espessura dos tubos.36. 60. . é estabelecida em séries denominadas Schedule.

Tabela de tubos de aço carbono segundo a norma ANSI B.36.10 .

19 para tubos de aços. • As designações Std. 120 e 160 são os números de série (schedule number) dessa mesma norma. 10S. 40. As designações 5S. 30. 100. .Observação. As designações 10. 40S e 80S são da norma ANSI B. 20S. 20.36. 80. 36. XS e XXS correspondem às espessuras denominadas standard. extraforte e duplo extraforte da norma ANSI B. 60.10.

.

.

.

Revestimento com manta termo-contrátil .

.

.

.

.

Navio lançador .

.

.

.

Posicionador .

• Extremidade biselada É freqüentemente usada em uniões com solda de topo. permite uniões com bolsas. .Extremidades dos tubos • Extremidade lisa Ou simplesmente esquadrejada. flanges sobrepostos ou de encaixe e de bolsa.

sendo raramente utilizada em processo.Não são recomendadas para temperaturas elevadas. esgoto e alguns produtos corrosivos. . Extremidade com bolsas É restrita a condutos de água. nos sch de 80 a 160 rosca em NPT ou rosca de gás BS. é limitada até o diâmetro nominal de 4”.Extremidade rosqueada É muito usada em tubos galvanizados de ferro forjado e de aço.

O tipo de isolamento.No caso das tubulações.) O número da unidade de processo. gás etc. A abreviatura do tipo de fluido que circula na linha (água.máquinas e instrumentos. vasos. elas são identificadas por siglas que englobam: O diâmetro nominal da linha. vapor. que geralmente é fornecido em polegadas. A especificação da linha quanto aos materiais de sua composição. se houver.tanques.• Identificação das tubulações no projeto Todos os projetos industriais adotam um sistema de identificação para todas as tubulações. . O número da linha.

nominal da linha • Tipo de fluido • Número da linha e da área • Especificação do material .Exemplo: 6” – A . 320 – B • Diâm.

Dentre as várias letras utilizadas e os fluidos que elas indicam.cáustico w . Essa letra pode vir sozinha ou acompanhada de outra.água salgada H . destacamos alguns exemplos: • • • • • C – combustível G – gases V – vapor O – óleo SW .ácido N .Tipo de fluido • A letra indicativa dos fluidos é estabelecida pela empresa executora dos projetos.água Ai – ar de instrumentos HW – água quente . para melhor definição do tipo de fluido.

.

Por exemplo: N° 243 indica área 2 N°043 indica linha (tubulação). o primeiro ou os primeiros algarismos indicam a Área em que a tubulação se encontra. .E os últimos indicam o número de ordem da linha.Número da linha Nesse número.

A norma NB-59 rev.C . .set.Representação gráfica dos tubos nos desenhos de tubulações Nos desenhos de tubulações.99 da Petrobras estabelece duas formas de representação dos tubos de processo. os tubos devem ser representados de modo específico como determinam suas respectivas normas. que variam em função do diâmetro desses tubos.

• Para tubos de diâm < que 12“ Vista de topo ou lateral Vista frontal .

Para tubos de diâm > 12" Vista de topo ou lateral Vista frontal .

Conteúdo do desenho .

Coordenadas .

.

.

.

Representação de um Trecho de linha a 45° em posição vertical Representação de um Trecho de linha a 45° em posição horizontal .

Exemplo de um isométrico rigorosamente cotado .

.

.

.

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE DESENHO E PLANTAS

Projeto em PDMS

Acessórios de Tubulações

São peças utilizadas nas tubulações de modo a permitir mudanças de direção,
de nível, derivações, redução ou ampliação do diâmetro da tubulação.

Os materiais das conexões são os mesmos utilizados na fabricação dos tubos. E
as normas que regulam a fabricação desses acessórios são as seguintes:

set.B 15.9.Normas especificas • • • • Para dimensões e especificações: Norma ANSI B 3. B 16.C . A-126 Para especificação de materiais: Norma ASTM P.99 NORMAS PETROBRÁS: • N – 0076 Materiais de tubulação para instalações de refino e transporte • • • • • N – 0105 N – 0108 N . PB.0115 N .0462 Espaçamento entre tubos Suspiros e drenos para tubulações e equipamentos Montagem de tubulações metálicas Peças de inserção entre flanges Fabricação e montagem de dutos submarinos .31.197. A105. B 16. A. PB 15.11.0120 N .5 Para fabricação: Norma ASTM A-232.PB 157 Para símbolos gráficos p/ desenho de tubulação: Norma N-59 rev. B 10.

CRUZETAS E Y Para derivações ao mudar de direção tubulação LUVAS. FLANGES Para fazer a ligação entre tubos ou entre tubos e acessórios VÁLVULAS Para controlar e interromper o fluxo de uma tubulação. NIPLES E UNIÕES Para ligar tubos entre si ou com algum outro acessório.Tipos de conexões e aplicações CURVAS E JOELHOS Para mudança de direção. o diâmetro da tubulação. da TÊS. . TAMPÕES. BUJÕES E FLANGES CEGOS Para fechamento de extremidades de tubos e equipamentos REDUÇÕES Para mudar. seja para maior ou menor.

.

. com o procedimento adotado para unir tubos entre si.Todos esses acessórios são fabricados de acordo com o tipo de ligação empregada. ou tubos com algum acessório ou algum equipamento. ou seja.

3000 e 6000. Vejamos como é feita essa representação em diferentes vistas e. . Ferro fundido.105 a 181.1 e Norma API 6A. • As dimensões das roscas das curvas e joelhos são normatizados pela Norma API B. como especificado na Norma ASTM-A197. 300.2. • Nos desenhos de tubulação. com variações de diâmetro de 1/4 a 4". nas classes de pressão de 125. como determina a Norma ASTM A. latão ou aço-carbono forjado. um exemplo de como ela é aplicada em desenhos de tubulação. a representação gráfica das curvas e joelhos rosqueados é feita de acordo com a simbologia do sistema ASA. depois.Observação!! Os materiais usados na fabricação de curvas e joelhos rosqueados são os seguintes: • Aço maleável. 2000. 150.

5. sendo fabricados com diâmetro de 1" a 24" em ferro e em aço fundido devem obedecer às determinações da Norma ABNT P. que normalizam esses acessórios em dimensões pressões e temperaturas de trabalho.PB-15 e da Norma 16.Representação gráfica de curvas e Asjoelhos curvas e joelhos flangeados são acessórios bem mais raros do que os de outros tipos. .

A representação gráfica desse tipo de acessório. . para emprego em desenhos de tubulações.Os materiais empregados nos joelhos e curvas para solda de encaixe são normalizados pela Norma ASTM A. inox e aço-carbono forjado). é a mesma empregada para os joelhos rosqueados.105 e A-181 (referente a aços liga.

Os comprimentos dos NIPLES variam entre 50 a 150mm . A-234. no caso do aço carbono. aço liga e aço inox forjado. E os materiais com que ele são fabricados são normalizados pela Norma ASTM. 180°.9 identifica esse tipo de acessório.16.A Norma ANSI B.As Curvas e joelhos para solda de topo são empregados em tubulações acima de 2" e fabricadas em aço-carbono. sendo de 30° 45°.

Redução Excêntrica .

FLANGES • Os flanges são acessórios destinados a fixar tubos entre si ou tubos com válvulas ou. Compressores. ainda. com bocais de equipamentos como: • • • • Bombas. Permutadores. Eles possibilitam maior facilidade de desmontagem que os demais tipos de ligações. . Torres e outros.

Tipos de flanges Flange de Pescoço É o mais usado em tubulações industriais. Por isso. Ele é ligado ao tubo por uma solda de topo. Flange integral Esse tipo de flange é antigo bastante resistente e restrito ao tubo de ferro fundido. sendo bastante resistente.esse tipo de flange é de custo maior que os demais. Os tubos devem ter as extremidades biseladas para permitir a soldagem. .

São bastante empregados em tubulações Para água e ar comprimido. Flange sobreposto É aplicado em serviço de baixas pressões e temperaturas. Tem custo baixo.Tipos de flanges Flange rosqueado É aplicado principalmente em tubos de materiais não soldáveis. . sendo de fácil montagem e alimento. tais como ferro fundido e Alguns aços ligas não-soldáveis.

para que possa haver a fixação do flange cego. .Tipos de flanges Flange cego É o flange que tem a finalidade de fechar extremidades de tubos. É necessário que haja na extremidade do tubo um flange qualquer.

Representação dos símbolos gráficos de flanges Sobreposto Rosqueado ou solda de encaixe Virola Pescoço .

Flange com placa de orifício Esse tipo de flange pode ser sobreposto de pescoço ou ainda.são utilizadas em linha de processo de 2" a 12" de diâmetro. As placas de orifício são colocadas entre dois flanges apropriados. barato e mais utilizado em planta de Processo. . Fazer medição com placas de orifício é o meio mais sensível. denominados flanges de orifício. Rosqueado que sofre adaptações para permitir a colocação de uma placa de orifício. de modo a tornar possível a medição de vazão.

.

galvanizado a fogo. classe 150#.Exemplos de especificação técnica • Flange de pescoço de aço carbono forjado: ASTM A105. galvanizado a fogo.5-FR. • Flange sobreposto de aço carbono forjado: ASTM A181 / Gr. face com acabamento com ranhuras concêntricas conforme MSS-SP-6. face com acabamento com ranhuras espirais conforme MSS-SP-6. dimensões conforme ANSI B16. face com acabamento com ranhuras espirais conforme MSS-SP-6. dimensões conforme ANSI B16. . dimensões conforme ANSI B16. classe 300#. • Flange solto de aço carbono usinado: ASTM A36.5. classe 150#. dimensões conforme ANSI B16. II. classe 150#.5-FR.5-FP. • Flange roscado de aço carbono usinado: ASTM A36.

.

merecem um maior cuidado na sua especificação.Válvulas As válvulas são dispositivos que permitem controlar ou interromper o fluxo em uma tubulação. .sendo um dos acessórios mais importantes. seleção localização.

as condições de trabalho. os testes de aceitação para refinarias de alguns tipos de válvulas devem obedecer às determinações da Norma ABNT EB-141 Norma P-PB-37 e Norma ANSI -B-16.10. os materiais de controle.Válvulas A inspeção e os testes de válvulas são normatizados pela Norma API-598. Já as dimensões. .

.

MACHO são principalmente utilizadas para estabelecer ou interromper o fluxo. . Sua função essencial é bloquear líquidos por excelência. mas não são ligadas As tubulações da bomba como válvulas de bloqueio. O bloqueio do líquido é feito lentamente. Nas instalações de bombeamento são utilizadas em serviços auxiliares. que podem causar dados desastrosos. nas tubulações de processo elas são Classificadas em três grandes grupos. Sua construção permite fácil manutenção e instalação. 2. só podendo funcionar completamente abertas ou fechadas. controlar e interromper a descarga de fluidos nas tubulações. a saber: VÁLVULAS DE BLOQUEIO 1.Classificação Considerando a finalidade das válvulas. evita os efeitos de uma paralisação repentina.ESFERA é adequada para aplicação com vapor. assim. líquidos e gases. 3.GAVETA é um dispositivo destinado a estabelecer.

Válvulas Gaveta .

para serviço de regulagem em linhas de água. em princípio. ar e outros gases. basicamente. GLOBO As válvulas de globo são usadas. óleo. bem como para vapor. Empregam-se também algumas vezes para fechamento estanque em linhas de vapor e de gases.Válvulas VÁLVULAS DE REGULAGEM . a precisão da regulagem será tanto maior quanto mais agudo for o ângulo do vértice do tampão e maior o seu comprimento. . São válvulas usadas para regulagem fina de líquidos e gases. AGULHA O tampão nessas válvulas é substituído por uma peça cônica. permitindo um controle de precisão do fluxo. líquidos em geral (não muito corrosivos). em diâmetros até 2”. a agulha.

tanto para líquidos como para gases.Válvulas CONTROLE Válvula de controle” é um nome genérico para designar uma grande variedade de válvulas usadas em combinação com instrumentos automáticos. para controlar a vazão ou a pressão de um fluido. A válvula tem sempre um atuador (pneumático. BORBOLETA As válvulas de borboleta são empregadas principalmente para tubulações de grandes diâmetro. . e comandado à distância por esses instrumentos. bem como para serviços corrosivos. Algumas válvulas de borboleta podem causar turbilhonamento e cavitação quando em posição ligeiramente aberta. inclusive para líquidos sujos ou contendo sólidos em suspensão. e que por sua vez é comandado por um instrumento que está medindo a grandeza que se deseja controlar. elétrico etc. baixas pressões e temperaturas moderadas.) que comanda diretamente a peça de fechamento da válvula. hidráulico.

ou que exijam total segurança contra vazamentos.borracha. ou perigosos de um modo geral bem como para fluidos muito voláteis. plásticos.). por exemplo). ou de metais com revestimentos contra a corrosão (ebonite.Válvulas DIAFRAGMA São válvulas sem engaxetamento desenvolvidas especialmente para bloqueio e regulagem de fluidos corrosivos. tóxicos. As válvulas de diafragma são quase sempre válvulas pequenas (até6”). porcelana etc. . Freqüentemente com o corpo de materiais nãometálicos (materiais plásticos. vidro.

Válvulas Globo .

Controle e Controle c/ atuador .Válvulas Borboleta.

VÁLVULA DE RETENÇÃO .Válvulas Que Permitem O Fluxo Em Um Só Sentido.

.Tipos Principais VÁLVULA DE RETENÇÃO DE PORTINHOLA Seu fechamento é feito por uma portinhola articulada. devido á tendência a vibrar fortemente. feito por meio de um tampão cuja haste desliza em uma guia interna. por isso é pouco usada em linhas acima de 6” VÁLVULA DE RETENÇÃO ESFERA É semelhante a tipo “plug”.Essas válvulas não devem ser usadas em tubulações sujeitas a frequentes inversões de fluxo.Apresenta fechamento mais rápido e é muito boa para fluidos de alta viscosidade. VÁLVULA DE RETENÇÃO TIPO PLUG O fechamento da válvula é semelhante ao da válvula globo.Porém é fabricada para diâmetros de até 2”.Causa elevadas perdas de cargas. havendo porém uma esfera em lugar do tampão e da haste.

Utilizada em linhas de saída de Caldeiras. VÁLVULA DE RETENÇÃO E FECHAMENTO Semelhante à válvula globo. VÁLVULA DE RETENÇÃO DISCO DE RUPTURA . funciona como válvula de retenção tipo “PLUG” e na posição fechada. como válvula de bloqueio. Na posição aberta. com tampão capaz de deslizar sobre a haste.VÁLVULA DE RETENÇÃO “ de pé” Tipo especial usado para manter a escorva nas linhas de sucção de bombas.

com parafuso de regulagem. retenção e controle. abrindo-se automaticamente quando esta pressão ultrapassa um determinado valor para o qual a válvula foi ajustada. pois são instaladas com o objetivo de proteger os equipamentos da unidade de sobrepressões.Válvulas Que Controlam A Pressão De Montante Controlam a pressão a montante.Regula-se a tenção da mola.Elas tem tratamento diferenciado em relação às válvulas de bloqueio. de maneira que se tenha a pressão de abertura da válvula desejada. O tampão é mantido fechado contra a sede pela ação de uma mola. Tipos: •Válvula de Segurança e Alívio •Válvulas de Excesso de Vazão •Válvulas de Contrapressão .

Sempre que por qualquer razão. a pressão a jusante seja superior a montante. Tipos: •Válvula Redutiva de Pressão •Válvulas Reguladora de Pressão •Válvulas Quebra-vácuo(ventosas) . caracterizando assim o estado passivo da válvula fechada. a válvula fecha totalmente funcionando como uma válvula de retenção que impede a inversão de escoamento.Válvulas Que Controlam Pressão De Jusante A utilização de válvulas redutoras/reguladoras tem por objetivo a uniformização e controle da pressão.

.

.

.

.

.

.

.

rupturas de tubos. como uma forma de garantir a eficiência e segurança de um sistema. descargas excessivas. situações que devem ser previstas e analisadas durante um projeto. incêndios e etc. .Em um processo operacional há muitas causas possíveis de sobrepressão.

.

.

. As juntas podem ser: flangeadas ou com ponta para solda .JUNTAS DE EXPANSÃO FILTROS E PURGADORES Juntas de expansão É o elemento de ligação existente em todas as tubulações submetidas a esforços de compressão e cisalhamento.

CASOS EM QUE SE JUSTIFICA O EMPREGO DE JUNTAS DE EXPANSÃO:       Quando o espaço disponível for insuficiente para se ter um traçado da tubulação com flexibilidade. VAPOR DE BAIXA PRESSÃO. Em serviços de baixa responsabilidade (CONDENSADO. Em tubulações de diâmetro grande (ACIMA DE 20”) ou de material caro. em relação ao traçado não retilíneo da tubulação.) Quando a junta representar uma alternativa mais econômica. ou ligadas a equipamentos que não possam sofrer esforços transmitidos pela tubulação. onde haja interesse econômico de se ter um trajeto mais curto. Em tubulações sujeitas a vibrações de grande amplitude. ÁGUA QUENTE ETC. Em tubulações que por exigência de serviço precisam ter trajetos retilíneos. .

.

Filtros provisórios São peças de utilização temporária. normalmente na entrada de equipamentos muito sensíveis a corpos volumétricos. . . normalmente próximos aos bocais de entrada dos equipamentos.Filtros para tubulações • São aparelhos separadores destinados a reter poeiras. sólidos em suspensão e corpos estranhos.Filtros permanentes São aparelhos instalados nas tubulações. alguns tipos de purgadores e outros. que se intercalam nas tubulações. em corrente de líquidos ou de gases. Existem duas classes de filtros: . de modo definitivo.

VAPO R + CONDENSADO ? .• PURGADORES DE VAPOR: São dispositivos automáticos que separam e eliminam o condensado das linhas de vapor e dos aparelhos de aquecimento.

estufas etc. .refervedores.• CASOS TÍPICOS DE EMPREGO Eliminação de condensado das tubulações de vapor (drenagem de tubulações de vapor). serpentinas de aquecimento.). Reter vapor nos aparelhos de aquecimento a vapor (aquecedores.

• PRINCIPAIS TIPOS DE PURGADORES A VAPOR PURGADORES MECÂNICOS (Agem por diferença de densidade) PURGADORES TERMOSTÁTICOS (Agem por diferença de temperatura) PURGADORES ESPECIAIS .

PURGADOR DE EXPANSÃO METÁLICA .

válvulas de controle e válvulas redutoras de pressão Próximo à entrada de qualquer máquina a vapor. válvulas de retenção. (quanto mais baixa for a pressão de vapor mais numerosos deverão ser os purgadores) Imediatamente antes de todas as válvulas de bloqueio.•     PONTOS DE DRENAGEM DAS TUBULAÇÕES DE VAPOR Todos os pontos baixos e todos os pontos de aumento de elevação Nos trechos de tubulação em nível. .

.

.

.

.

SUPORTES .

.

FIM .