Princípios Básicos





Forças que afetam o movimento do navio
Resistências ao movimento
Afundamento (SINKAGE)
Efeito SQUAT
Águas rasas x águas profundas

Forças que afetam o movimento do navio
Controladas
• Propulsores
• Lemes
• Ferros
• Espias
Não controladas
• Vento
• Corrente
• Ondas

Propulsores • 1 eixo x 2 eixos • Hélice de passo fixo x controlado • Thrusters .

Características de 1 eixo • Rotação a direita para máquinas AV • Inverter para máquinas AR • Eixo na linha de centro • Pequena tendência para BE com máquinas AV • Tendência para BB quando com máquinas AR .

Características 2 eixos • Rotações invertidas para anular a “side force” • Eixos fora da linha de centro:momento • Possibilidade do conjugado .

Passo fixo x controlado • Premissa de andar para vante • Projetado para a máxima velocidade • Passo fixo com melhor governo em baixa velocidade e parando • Passo controlado responde mais rápido sem a necessidade de inverter a rotação dos eixos .

Thrusters • Bow é o mais comum • Eficiente no movimento lateral com o navio quase parado • Perde a eficiência com veloc maior (2 nós) • Não substitui o rebocador quando em movimento longitudinal • Não serve para parar o navio em emergência .

Lemes • • • • • • 1 eixo – 1 leme 2 eixos – 1 leme 2 eixos – 2 lemes Lemes independentes Leme com flap Leme tipo “schilling” .

Vento • Vento lateral – maior força e influência nas manobras • Vento longitudinal – proa ou popa • Vento de bochecha ou alheta – força de torção – varia com o trim .

• FAQ importante na avaliação da força – quanto menor maior a força da corrente.Corrente • Varia em função das obras vivas. BP adicional. • Três situações de corrente: 1) Incidindo perpendicular ou ângulo menor que 30% (transversal).efeito 5 vezes maior do que águas profundas. aumento do diâmetro tático e do avanço do navio. 3) Torção – alheta ou bochecha. bem como do tempo para pará-lo. • FAQ de 10% . . Maior impacto 2) Incidindo longitudinal (proa ou popa). Quanto maior o calado maior a força gerada. • Efeitos de menos FAQ – prejuízo no governo. redução da velocidade de giro.

força de torção que. especialmente em navios com pouca carga. • Estão relacionadas com o vento.Ondas • Prejudicam o governo. com danos ao navio e ao cais. as ondas podem produzir. . dependendo da proximidade do berço. • Em condições de tempo extremas. é capaz de provocar choques com velocidade superior à suportável pelas defensas.

Resistências ao movimento • Resistência friccional • Resistência de ondas • Resistências relativas a perturbações nas linhas de corrente devido a forma do casco e seus apêndices • A resistência devido ao fenômeno “wavebreaking” • A resistência do ar e ao vento • A resistência adicional devido a ondas • Efeito de águas rasas nas resistências do navio .

Resistências do navio • Resistência friccional • Resistência de ondas • Resistências relativas a perturbações nas linhas de corrente devido a forma do casco e seus apêndices • A resistência devido ao fenômeno “wavebreaking” • A resistência do ar e ao vento • A resistência adicional devido a ondas • Efeito de águas rasas nas resistências do navio .

Resistências do navio • 1) 2) 3) 4) Quatro principais componentes: Resistência friccional Resistência pelas ondas formadas pelo movimento do navio Resistência devido a forma do casco e seus apêndices (EDDY) Resistência do ar .

• • RFS = f S V1.Resistência friccional • The firctional resistance is proportional to the total wetted surface (obras vivas) and approximately to the square of the speed.83(n) • • f = coefficient of friction • S = total wetted surface • n = index of power according water friction • V = velocity of the ship .

it creates waves. If one of the crestesof the bow wave system coincides with the first crest of the stern wave system. a reinforcement occurs. and this interaction may increase or decrease the magnitude of the resulting waves. we could evaluate the propulsive power expended in creating them. the resulting wake waves are higher. • At low speeds. the waves made by the ship are very small.Resistência pelas ondas formadas pelo movimento do navio • When a ship moves on the surface of the water. and the wave resistance (RW) is increased. and the resistance is almost wholly viscous in character. • The principal waves which make up the wake of a ship are created at the bow and the stern of the ship. • These two wave systems interact with one another. . If we could evaluate the energy flowing away from the ship in the form of waves.

However.Resistência devido a forma do casco e seus apêndices (EDDY) • The turbulent frictional belt around a ship consists of eddies. appendages or other projections. • Variation of pressure and velocity along the lenght. and excludes tangencial skin friction. . the term is usually applied to the resistance due to eddy formation or disturbed streamline flow (hidrodinâmica) caused by abrupt changes of form. so that all forms of frictional resistance are really due to eddy-making.

• As the ship squats. • A ship steaming at 10 knots into a 20 knot wind (thus feeling a 30 knot relative wind) may be expending as much as 20 percent of her power to overcome wind resistance.Resistência do ar • Air resistance is only a minor factor as compared to the water resistance of a ship. her resistance increases abruptly. and can be neglected in most considerations. . • • * Maximum wind resistance occurs when the relative wind is about 30 degrees off the bow. • Wind resistance cannot be overlooked.

Afundamento (Sinkage) .

.

Águas rasas .

Águas rasas x profundas .