You are on page 1of 17

ACIDENTE

VASCULA
R
CEREBRA
L
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
O AVC ocorre quando a circulação cerebral é interrompida por
coágulos sanguíneos ou hemorragias, causando após algum
tempo a necrose da área do cérebro suprida pelo vaso obstruído.

SINAIS E SINTOMAS TÍPICOS DO AVC


Cefaléia, vômitos
Depressão do nível de consciência
Paresia, plegia de um ou mais segmentos e/ou facial
Alteração da marcha, incoordenação, queda da própria altura
Crise convulsiva
Perda da visão ou parte do campo visual
Afasia sensitiva, motora ou mista
Disartria, vertigem, diplopia, disfagia
COMPARAÇÃO DOS ACIDENTES VASCULARES
CEREBRAIS NOS
HEMISFÉRIOS ESQUERDO E DIREITO

ESQUERDO DIREITO
Paralisia no lado direito do
 Paralisia no lado
corpo esquerdo do corpo
Defeitos no campo visual
 Defeitos no campo visual
direito esquerdo
Afasia (expressiva,
 Déficits de percepção
receptiva ou global) espacial
Capacidade intelectual
 Distratibilidade aumenta
alterada  Comportamento
Comportamento lento, impulsivo e julgamento
cauteloso. deficiente
 Falta de consciência dos
déficits.
Sutura
sagital

Pele (cútis)

Crânio

Dura-máter Vilosidade aracnóide


Meninges

Aracnóide Seio venoso (dural)

Pia-máter
Tecido cerebral

Substância
cinzenta

Substância
branca
ACIDENTE
ACIDENTE VASCULAR
VASCULAR CEREBRAL
CEREBRAL --
AVC
AVC
AVC ISQUÊMICO (AVCI): oclusão parcial ou total de um
vaso sanguíneo cerebral que irriga determinada região
encefálica, resultante de trombose cerebral ou embolia:
• TROMBOSE: formação de um coágulo sanguíneo na luz
do vaso.
• EMBOLIA CEREBRAL: quando um coágulo ou outro
material é carregado até o cérebro pela corrente sanguínea
sendo proveniente de outra parte do corpo (fonte mais
comum é o coração).
As alterações patológicas da metade esquerda do coração e as
infecções pulmonares são os principais locais de origem dos êmbolos.
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
AVC HEMORRÁGICO (AVCH): ocorre devido a ruptura de um vaso
sanguíneo com consequente sangramento para a superfície de
encéfalo (hemorragia subaracnóide), ou para dentro do parênquima
encefálico (hemorragia parenquimatosa).
Hemorragia extradural
Geralmente ela sucede a uma fratura de crânio com uma laceração da
artéria
Hemorragia Subaracnóide
Cefaléia intensa, com ou sem perda da consciência, geralmente sem sinais
focais, rigidez de nuca, com ou sem febre.
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
FATORES DE RISCO:
RISCO
HIPERTENSÃO
AITS
CARDIOPATIA
COLESTEROL ELEVADO
DIABETES MELLITUS
OBESIDADE
ESTENOSE CAROTIDEA
POLICITEMIA
FUMO
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
Risco de Lesão devido às deficiências neurológicas.
Mobilidade Física Prejudicada devida às deficiências motoras.
Processos Mentais Alterados, devidos à lesão cerebral.
Comunicação verbal prejudicada devidos à lesão cerebral.
Deficiência dos autocuidados (tomar banho, vestir-se, ir ao
banheiro) devida à hemiparesia/paralisia.
Nutrição alterada: Menor do que as exigências corporais,
devida ao distúrbio da auto-alimentação, mastigação, deglutição
Diurese alterada devido à deficiência motora/sensitiva.
Processo familiar alterada devido à doença catastrófica,
seqüelas cognitivas, comportamentais do AVC e por
apresentar-se como um problema para a família.
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC

CUIDADOS DE SUPORTE E TRATAMENTO DAS MANIFESTAÇÕES


Clínicas
Garantir a patência de vias aéreas e oxigenação adequada, incluindo
entubação orotraqueal, suporte ventilatório ou oxigenoterapia nos casos de
depressão respiratória.
A maioria dos pacientes com infarto cerebral não deve receber tratamento para
hipertensão arterial. OBS: os bloqueadores de canal de cálcio por via SL não
devem ser usados no AVC I ou H, pela rápida absorção e queda brusca da PA.
Tratar hipo e hiperglicemia
Aspirar rotineiramente as vias aéreas.
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
NEUROLÓGICAS
Edema cerebral:
Elevar a cabeceira a 30º
Hiperventilação (visando manter PCO2 entre 25-30 mmHg)
Entubação orotraqueal nos casos de depressão do nível de consciência e/ou
respiratória
Não usar anticonvulsivante de rotina. Em caso de convulsão, iniciar difenilhidantoína
COMPLICAÇÕES MAIS COMUNS
Neurológicas
Hipertensão intracraniana
Edema cerebral: pode ser assintomático, se manifestar como piora do nível de
consciência, agravamento dos sinais focais ou sinais de herniação.
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
Hidrocefalia:piora do nível de consciência
Transformação em infarto hemorrágico: geralmente assintomática
Convulsões

Clínicas
Broncoaspiração, hipoventilação, hipoxemia, pneumonia, infecção urinária,
desidratação, desnutrição, arritmia cardíaca, IAM, trombose venosa
profunda, embolia pulmonar, úlceras de decúbito e rigidez articular.
As causas mais comuns de morte prevenível após AVC são as infecções
pulmonares (broncoaspiração) e urinárias, embolia pulmonar e as
complicações cardiovasculares.
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
ESCALA DE CINCINATI:
A - Paresia Facial: peça ao paciente que mostre os dentes ou sorria.
Normal: ambos os lados da face movem-se
simetricamente.
Anormal: um lado da face não se move tão bem quanto o outro.
B- Fraqueza do Membro Superior/Fraqueza Motora: o paciente deve fechar os olhos e
manter os MMSS estendidos.
Normal: ambos os braço se elevam simetricamente ou não se movem.
Anormal: um dos braços se eleva e outro cai.
C- Fala: pedir para que o paciente fale.
Normal: o paciente usa as palavras corretamente.
Anormal: o paciente apresenta dificuldade em falar, usa palavras de forma
inapropriada ou é incapaz de falar.
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
HEMORRAGIA SUBARACNÓIDEA (HSA)
A HSA ou meníngea espontânea é o sangramento que ocorre no espaço subaracóideo
situado entre as membranas aracnóide e pia-máter que envolvem o encéfalo e a medula
espinhal. Este espaço contém líquor e os vasos que vão irrigar o parênquima nervoso.

ETIOLOGIA
Ruptura de aneurisma intracraniano (70%)
Hipertensão arterial / aterosclerose
MAV (malformações arteriovenosas – 4 a 5 %)
Discrasias sanguíneas
Neoplasias
Drogas (cocaína e anticoagulantes)
Indeterminadas (7 a 10%)
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
Sinais e Sintomas
Cefaléia súbita e de forte intensidade. Em 50% acompanhada de perda
momentânea da consciência. Freqüentemente é também acompanhada de
hipertensão arterial.
Náuseas e vômitos
Déficit neurológico (motor e/ou fala)
Paralisia de nervos cranianos
Lombalgia e cervicalgia
Hemorragia ocular (devido ao aumento da PIC)
Alteração persistente do nível de consciência
Crise convulsiva
Vertigens, tontura e fadiga
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
Aspirar freqüentemente naso e orofaringe
Manter o paciente em posição lateral de segurança em caso de vômitos
Colocar a cânula orofaríngea se o paciente estiver inconsciente e dificuldade
respiratória
Administrar oxigênio úmido de acordo com a necessidade do paciente
Preparar material e testar para intubação endotraqueal
Instalar ventilador mecânico em caso de ventilação inadequada ou parada respiratória
Colocar o colar cervical (se história de queda)
Avaliar a freqüência e ritmo respiratórios em pacientes comatosos ou com grandes
lesões cerebrais
Obter acesso venoso
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL -
AVC
Verificar constantemente os sinais vitais
Monitorizar o ritmo cardíaco
Estar alerta: pois um AVC é uma experiência terrível para o paciente
principalmente quando este apresenta dificuldade em comunicar-se
Passar para o paciente que você está entendendo toda sua ansiedade
e seu medo
Transportar o paciente com conforto e segurança
Manter diálogo amistoso com o paciente explicando todos os
procedimentos a serem realizados.
Preservar a visão – proteger a córnea
Preparar material para sondagem nasogástrica
Repouso no leito
Manter pele limpa e isenta de pressão