You are on page 1of 41

UNESC - DEPARTAMENTO

DE EDUCAÇÃO FÍSICA
Professora Dra. Bárbara
Regina Alvarez

 AS VIRADAS E SAIDAS DOS
NADOS

NADO CRAWL

Saídas do nado Crawl

As saídas nas competições deverão
ser feitas do bloco de partida, onde o
nadador se posicionará, de acordo
com os comandos do arbitro de
partida.

 Saídas do nado Crawl
1. Posiciona-se de pé atrás do bloco de
partida da raia em que for nadar;

2. Ao sinal do primeiro apito longo, o
nadador deve estar autorizado a tomar
posição sobre o bloco, da forma que lhe
convier, ou seja, poderá ficar em pé; ou
com o tronco flexionado semelhante a
posição de partida;

Poderão se utilizar outras técnicas de saída. com um afastamento entre eles. ou seja. de forma que possa segurar com as mãos entre os pés. ou pronto para a partida (posição da sida de agarre. mantendo as pernas flexionadas e o quadril mais alto possível). convencional e outras. onde os dois pés estarão presos a frente da superfície superior do bloco. . no bloco.

. Assim que todos os nadadores estiverem posicionados. Os nadadores que já haviam se posicionado ao comando anterior deverão permanecer imóvel. 4. o arbitro dará o comando de partida. todos os nadadores deverão se posicionar com pelo menos um dos pés na parte superior e anterior do bloco de partida. imóveis. Ao comando do arbitro de “as suas marcas”. Saídas do nado Crawl 3.

onde entrarem as mãos deverá entrar progressivamente o restante do corpo. A posição ideal de entrada do corpo na água é de forma que.Saídas do nado Crawl 5. .

não haverá saída falsa. para as seguintes competições: Campeonato Brasileiro Absoluto Troféu Brasil de Natação. De acordo com a regra atual de saídas (06/03/98). . saiu antes. será automaticamente desqualificado. desequilibrou e caio na água.6. ou seja. Troféu José Finkel e outras.

. Troféu Mauricio Beckenn. Campeonato Estaduais e outras de acordo com seus regulamentos.7. Terão direito a uma saída falsa as seguintes competições: Campeonato Brasil Infantil de Natação de Inverno.

onde o nadador. Viradas do Crawl  As viradas do nado Crawl são denominadas olímpicas e são realizadas através de uma cambalhota. ao se aproximar da borda. realiza: .

com uma pernada de golfinho executando a cambalhota. . 3. em que um dos braços após a finalização da braçada aguarda a chegada do outro. A união dos seus braços ao longo do seu corpo. para facilitar a cambalhota. 2. Viradas do Crawl 1. A inversão das mãos. Um aumento da velocidade do nado.

executar a impulsão da mesma. para a realização do impulso. realizar o deslize em decúbito lateral. 5. Assim que os pés tocam a borda.4. para ajeitar o corpo. fazer ondulações e retomar o nado. não haverá movimentos de braços. No momento em que os pés estiverem tocando na borda. . os braços estarão prontos a frente. com os braços estendidos a frente. Ficar em decúbito ventral. pressionando as orelhas e as mãos sobrepostas.

.

.

. NADO BORBOLETA Saídas do Nado Borboleta As saídas nas provas de borboleta são feita exatamente iguais as das provas do nado crawl.

que ira sair da borda primeiro. . ao se aproximar da borda para realizar sua virada deverá ajustar um nível de braçada. em relação a outra. O nadador. de forma que toque na mesma com as mãos. devera realizar o toque um pouco mais a baixo. Viradas do Golfinho 1. A mão do braço. simultaneamente e com os braços estendidos.

 Viradas do Golfinho 2. Durante o movimento citado acima paralelamente. . direcionando este braço a borda oposta a da virada. ele deverá retirar rapidamente um dos braços. juntamente com o quadril. numa ação semelhante a uma cotovelada por dentro d água e junto ao corpo. as pernas estarão flexionada se dirigindo a borda. Após o toque.

. logo a seguir. flexionado por sobre a cabeça. em decúbito lateral submerso. O outro braço. Um pouco antes de o braço passar por sobre a cabeça o nadador fará a respiração para. que não havia saído da borda. unir as mãos para realizar o impulso na borda. auxiliando a sua recuperação. deverá realizar uma ligeira ação de pressão a borda. Viradas do Golfinho 3.

até no máximo a distancia de 15m. com as pernas em um ângulo de aproximadamente 90º. 4. Após um impulso o nadador deverá iniciar o trabalho de pernas. os pés estarão tocando na borda. É bom lembrar que no momento em que as mãos juntam-se a frente do corpo. . na mesma profundidade do quadril. semelhante ao da saída.

.

NADO PEITO .

.Saídas do Nado Peito Todo processo inicial da saída. é semelhante as provas de estilo livre. As diferenças estão a partir do deslize realizado logo após a entrada na água. como explicado no desenvolvimento do nado crawl. em uma prova de peito.

.

No momento em que sentir que sua velocidade de deslocamento esta começando a diminuir ele deverá realizar a primeira braçada. ele deverá permanecer com seu corpo bem alinhado. semelhante ao movimento da fase aquática da braçada de golfinho. Após a entrada do nadador na água. Saídas do Nado Peito 1. 2. . com os braços estendidos a frente e as mãos juntas e sobrepostas.

até o momento que sinta que sua velocidade de deslocamento submerso é significativa. . antebraços. braços e cotovelos o mais próximo possível do corpo. criada por esta movimentação. sob o corpo. mantendo as mãos. o nadador ainda submerso. fará a recuperação dos braços. permanecendo com os braços colados ao corpo. minimizando a resistência frontal. 3. A seguir.

deslizando em direção a superfície e iniciando o nado de peito. denomina-se filipina. Saídas do Nado Peito 4. explicado acima. Assim que os braços estenderem a frente do corpo o nadador deverá realizar a pernada. A partir do momento em que as mãos estiverem passadas sobre o rosto. Todo este processo de deslocamento submerso. as pernas iniciaram a preparação para a ação. 5. .

deverá ajustar o ritmo de braçada. O nadador. de forma que toque na mesma com as duas mãos simultaneamente. Viradas do Nado Peito 1. . e com os braços estendidos. ao se aproximar da borda para realizar sua virada.

numa ação semelhante a uma cotovelada. direcionando este braço em direção a borda oposta a da virada. ele deverá retirar rapidamente um dos braços. Viradas do Nado Peito 2. as pernas estarão flexionadas e se dirigindo a borda. Após o toque a borda. Durante o movimento citado acima. . simultaneamente. juntamente com o quadril. por dentro d água e junto ao corpo.

Um pouco antes do braço passar por sobre a cabeça o nadador fará a respiração para a seguir. Viradas do Nado Peito 3. deverá realizar uma ligeira pressão a borda auxiliando a sua recuperação. flexionado sobre a cabeça. O outro braço. . que não havia saído da borda. em decúbito lateral submerso. unir as mãos para realizar o impulso na borda.

É bom lembrar que. A partir daí. 4. no momento em que as mãos unirem-se a frente do corpo. . os pés estarão tocando na borda na mesma profundidade do quadril. com as pernas com uma ângulo de aproximadamente 90º. o nadador realizará a filipina explicada na saída do nado.

.

NADO COSTAS Saídas do Nado Costas As saídas. nas competições deverão ser feitas do bloco de partida onde o nadador se posicionará de acordo com os comandos do arbitro de partida. .

. quando os nadadores deverão tomar posição no bloco de partida. o nadador estará autorizado a entrar na piscina. 3. o arbitro dará um novo apito. Saídas do Nado Costas 1. 2. mantendo seus pés abaixo do nível da água. Posicionar-se de pé atrás do bloco de partida em que for nadar. Ao sinal do primeiro apito longo. Já com os nadadores dentro d água.

Ao sinal de partida. Ao comando do arbitro de “as suas marcas”. imóveis. Assim que todos os nadadores estiverem posicionados. o arbitro dará o comando de partida. 5. . Saídas do Nado Costas 4. todos os nadadores deverão se posicionar. 6. flexionando os braços e o pescoço. o nadador deverá iniciar a extensão do pescoço (como se tentasse olhar para a borda oposta à da saída) e elevação do quadril.

lançando seus braços em direção a cabeça. numa trajetória paralela à água. . sem subir muito. para logo a seguir. e aproximando as mãos para a entrada na água o corpo. durante o vôo. soltar suas mãos do bloco. deverá ficar numa posição semelhante à ponte (da ginástica olímpica).

Durante este deslocamento. deverá entrar progressivamente o restante do corpo. por entrarem as mãos. Saídas do Nado Costas 7. No deslocamento submerso. abaixo da superfície. o nadador devera executar a pernada de golfinho. o corpo deverá atingir uma profundidade em torno de cinqüenta a sessenta centímetros. 8. . até no máximo quinze metros. A posição ideal de entrada do corpo na água é de forma que. com o corpo bem- alinhado.

realiza: . ao se aproximar da borda. Virada do Nado Costas As viradas do nado de costas são semelhantes às viradas olímpicas do nado crawl. e são realizadas. de forma que o nadador.

. 2. logo a seguir. ao fazer esta mudança. realizar o giro. Mudança da posição de dorsal para ventral. para. quando o nadador estiver a uma distancia da borda. enquanto o outro o aguarde junto ao corpo. na posição ventral. onde. para facilitar a cambalhota. ele realize somente um movimento com um dos braços. Um aumento da velocidade do nado. Virada do Nado Costas 1.

os braços estarão prontos a frente. não devendo haver movimentos de braços. tocando na borda (na mesma profundidade do quadril). Virada do Nado Costas 3. 4. executando a cambalhota. para ajeitar o corpo. No momento em que os pés estiverem. com uma pernada de golfinho. . A inversão das mãos. para a realização do impulso.

A pernada de golfinho. executar a impulsão na mesma. com os braços estendidos a frente. realizando o deslize em decúbito dorsal. 6. Virada do Nado Costas 5. até no máximo na distancia de quinze metros submersos (máximo permitido pela regra) . pressionando as orelhas e mãos sobrepostas. Assim que os pés tocam a borda.

.Rio de Janeiro. Escola de Natação. REFERÊNCIA MASSUD. Marcelo Garcia. 1999.