You are on page 1of 11

Técnica Diagonalização de

Cantor
Para provar que um conjunto
não é enumerável

1] r1 1 4 3 2 1 5 …. r2 0 5 4 4 0 0 …. …. …. r4 1 3 7 9 2 7 …. r6 2 5 0 2 9 9 …. …. …. Exemplo Números Reais entre 0 e 1 = [0. r5 1 2 3 7 3 9 …. …. …. r7 0 7 3 8 0 1 …. …. r3 3 5 6 2 4 6 …. …. .

0 4 4 4 0 0 …. 2 5 0 2 9 8 …. 3 5 5 2 4 6 …. 1 3 7 6 2 7 …. rk ??? . …. 0 7 3 8 0 1 ….Exemplo Números Reais entre 0 e 1 = [0. …. …. …. …. …. …. 1 2 3 7 2 9 ….1] 0 4 3 2 1 5 ….

…. r6 2 5 0 2 9 9 …. Exemplo Números Reais entre 0 e 1 = [0. r4 1 3 7 9 2 7 …. r3 3 5 6 2 4 6 …. r7 0 7 3 8 0 1 …. …. …. ….1] r1 1 4 3 2 1 5 …. r5 1 2 3 7 3 9 …. …. …. …. rk ??? 0 4 5 6 2 8 . …. r2 0 5 4 4 0 0 ….

Teorema • Seja A um conjunto • P(A) = conjunto das partes de A • Então não existe bijeção f: A -> P(A) cardinalidade de P(A) > cardinalidade de A Exercicio: Mostrar que existe uma função injetora f : A  P(A) .

} a4 A P(A) a11 não pertence a f(a11) O = a4 não pertence a f(a4) = {a1.a7..a3. a7. a8} a3 {a1..} .. a3..Prova : suponhamos por absurdo que exista bijeção de A em P(A) O a11 {a1.a2} a1 A a2 {a1. a3. a5. a7.….a5.

a3. a5. a7. a3.} a4 X A P(A) X = { x ϵ A | x  f(x) } f(α) = X .…. a7. a8} a11 α {a1.Prova O a1 {a1. a2} A a2 a3 {a1.

Logo α ϵ X Absurdo ! . como X = { x ϵ A | x  f(x) } então α  f(α). Mas f(α) = X.Prova • Duas possibilidades : α ϵ X ou α X – Se α ϵ X. Logo α  X Absurdo ! – Se α  X. como X = { x ϵ A | x  f(x) } então α ϵ f(α). Mas f(α) = X.

P(P(N)) ….Hipótese do Contínuo • Cardinalidade dos naturais 0=(Aleph zero) • Cardinalidade de P(N) =1 (Aleph 1) N … P(N) …. dos números reais)1 = (???) . P(P…(P(N) …) aleph-0 aleph-1 aleph-2 aleph-n 0 1 2 n Cardinalidade de R (conj.

teoria dos conjuntos e Lógica.Hipótese do Contínuo • Problema em aberto – (ainda sem solução) • Um dos problemas mais intrigantes da matemática. . topologia. • A tentativa de se provar a Hipótese do Contínuo deu origem a muitos resultados importantes de análise matemática. • Primeiro dos 23 problemas propostos por David Hilbert no 2nd International Congress of Mathematicians em Paris em 1900.

5.Cardinalidades finitas e infinitas {1}{5} {1.50} 1 2 3 N P(N) P(P(N)) Z Q P(P(P(N))) Pares Impares Hipótese do Contínuo: Problema em aberto !! 0 1 2 3 .7} {2} R ?? {21.2} {2.