You are on page 1of 55

ARRITMIAS BLOQUEIO DE CONDUÇÃO

‡ BAV de 2º Grau: - Nem toda corrente passa p/ o Ventrículo - 2 Tipos: BAV2ºG Mobitz I (Wenckebach) BAV 2ºG Mobitz II ‡ Wenckebach: (Dentro do Nodo AV) - Retardo é Variável/Progressivo - Benigno - Cada vez maior até ñ conduzir

ARRITMIAS BLOQUEIO DE CONDUÇÃO
‡ BAV 2º Grau Mobitz II: - Abaixo do Nodo AV (Feixe de His) - PR regular Fenômeno de Tudo ou Nada - Batimento ñ conduzido, s/ aumento progressivo do int. PR - Geralm/ Patológico ± Tto: Marcapaso - Pode evoluir p/ BAVT

ARRITMIAS BLOQUEIO DE CONDUÇÃO

ARRITMIAS BLOQUEIO DE CONDUÇÃO
‡ BAV de 3º Grau (BAVT): - Nada passa p/ o Ventrículo - Pode ocorrer no nodo AV ou abaixo dele - Ocorre Dissociação AV - Desencadeia Escapes Ventriculares (Freq + lenta ± Bradicardia)

RESUMINDO
‡ BAV 1ºG: PR > 0,20 segundos ‡ BAV 2ºG: - Mobitz I (Wenckebach): - oprogres. PR - Ñ conduz - Mobitz II: Tudo ou Nada (Patológico) - BAV 3ºG: Dissociação AV

ARRITMIAS BLOQUEIO DE CONDUÇÃO
‡ Bloqueio de Ramo do Feixe de His (Ramo Esquerdo ou Direito)

ARRITMIAS BLOQUEIO DE CONDUÇÃO
‡ Bloqueio do Ramo Direito (Dça ou não) - Atraso no Ramo direito VD despol. após VE - o tempo despol. Ventr(QRS+largo>0,12seg) - Desp de VD Aparece (Aparece Onda R´) (Desp. VD ñ aparecia pois VE predominava) - QRS muda em V1 e V2 (VD) ± Surge R´ - Surge S profundas em DI, AVL, V5 e V6 - Ocorre Depressão de ST / Inversão T

ARRITMIAS BLOQUEIO DE CONDUÇÃO
‡ Bloqueio de Ramo Esquerdo: - Despol Esquerda Atrasada - Ocorre Alargamento do QRS (> 0,12 seg) - Onda R larga e elevada a Esq(DI,AVL,V5,V6) - Pode ocorrer Desvio Eixo + p/ Esquerda - Geralmente patológico - Depressão ST / Inversão T

ARRITMIAS BLOQUEIO DE CONDUÇÃO
‡ Hemibloqueios: Bloq de Fascículos(Ant/Pos) ‡ VE

ARRITMIAS BLOQUEIO DE CONDUÇÃO
‡ Hemibloqueio: 2 Tipos (Despol. Muda) - Anterior Esquerdo: - Eixo vai p/ Esq (+ comum) - R+/S- Deriv Lat - QRS não alarga - Posterior Esquerdo: - Eixo vai p/ Direita - R+ em parede inf - S - Deriv Lateral

MARCAPASSOS
‡ ‡ ‡ Origem: Década de 50 Componentes: Cabo-Eletrodo-Gerador Avanços: - Assincrônicos (VOO) - Sincrônicos VVI (Demanda) - Pode ser atrial, ventricular ou seqüencial - Evolução dos geradores: - microcircuitos (oprogramabilidade qconsumo) - baterias de lítio (odurabilidade) - fechamento hermético (maior segurança) - multiprogramabilidade (diversidade de recursos) - Telemetria - sensores biológicos (alteração de freqüência) - Evolução cabos-eletrodos: - menor calibre/maior flexibilidade, resistência. Função Básica: - Sensibilidade: reconhece despolarização cardíaca atrial (onda P) ou ventricular (QRS) - Captura: capacidade de provocar despolarização do tecido cardíaco por meio de um estímulo elétrico artificial.

‡

MARCAPASSOS - INDICAÇÕES
‡ Indicações: (C I: franca, C II: discutível, C III: s/ indicação) - BAVT: Classe I - Permanente (3º Grau) - > de 15 dias - Congênito com QRS largo - Causado por Chagas Classe II - Pós CCardíaca c/ QRS estreito - Congênito com QRS estreito - BAV 2º G: Classe I: - Permanente c/ sintomas - Mobitz II c/ QRS largo - Com FA ou Flutter c/ bradicardia Classe II: - Mobitz II Assintomático Classe III - BAV2º Mobitz I Assintomático

MARCAPASSOS - INDICAÇÕES
‡ BAV 1ºGrau: - Classe I: Nenhuma - Classe II: Irreverssível c/ sintoma - Classe III: Assintomático Bloqueios Intraventriculares (B. de Ramo/Hemibloqueios): - Classe I: - Bloqueio de Ramo alternante c/ sintoma - Classe II: - Bloqueio Intraventricular s/ sintoma - Bloqueio de Ramo alternante s/ sintoma - Classe III - Bloqueio uni ou bifascicular s/ sintoma Dça do Nó Sinusal: - Classe I: - C/ sintoma - Síndrome Bradi-Taqui - Classe II: - C/ sintomas mal definidos - Bradi-Taqui assintomática - Classe III: - Assintomáticos

‡

‡

MARCAPASSOS - INDICAÇÕES
‡ Síndromes Neuromediadas: - Classe I: - Síncopes por assistolia >3s pós estimulação carotídea - Síncope neurocardiogênica s/ reversão com drogas - Classe II: - Assitolia >3s por estimulação carotídea s/ sintoma - Síncope neurocardiog. c/ reversão parcial c/ drogas - Classe III - Assistolia < 3s assintomática - Síncope neurocardiog. responsiva a tto farmacológico - Síncopes situacionais (micção, tosse, deglutição, mergulho) ‡ Indicações Especiais: - Classe I: - Nenhuma - Classe II: - Cardiomiopatia hipertróf. obstrut. sintomáticos - QT longo c/ tto farmacológico contra-indicado - ICC III-IV refratários ao tto c/ BRE e/ou PR prolongado - BAV 1º grau c/ sintomatologia limitante

MARCAPASSOS MODOS DE ESTIMULAÇÃO
‡ ‡ Objetivos: Tentar manter fisiologia (sincronia atrio-ventr.) Código de Identificação (3 Letras, mas pode haver 5) - 1º Letra: Câmara estimulada: A(átrio), V(vent), D(átrio/vent) O (nenhuma) - 2º Letra: Câmara sentida (pelo aparelho): A(átrio), V(vent), D(átrio/vent) O (nenhuma) - 3º Letra: Comportamento do marca-passo em função da atividade cardíaca - Inibição da atividade do marca-passo pela onda P ou QRS: letra I; - Evento sentido no átrio ou ventrículo deflagra estímulo artificial: letra T; - Ocorrendo os dois comportamentos utiliza-se D (I e T); - e O indica a ausência de modo de resposta; - 4º Letra: descreve duas características diferentes: - grau de programabilidade por telemetria: - O quando o marcapasso não é programável; - P para indicar capacidade de programar freqüência de estimulação e/ou energia do estímulo; - M indica capacidade de programação de vários parâmetros; - C significa que, além desta última, é possível programar ou receber informações sobre vários outros parâmetros e assim manter comunicação completa com o dispositivo; e - modulação da freqüência cardíaca: representada pela letra R, que identifica a atuação de um sensor específico capaz de proporcionar modificações da freqüência do estímulo; - 5º Letra: identifica mecanismos antitaquicardia. O identifica mecanismo inativado ou inexistente; P determina a presença de mecanismo por estimulação programada ("overdrive"); S determina a capacidade de deflagrar um choque sincronizado ou não; e D indica a disponibilidade de ambos.

MARCAPASSOS MODOS DE ESTIMULAÇÃO
‡ Exemplos: - VOO,C: Estimulação ventricular assíncrona, ou seja, não considera a presença de atividade própria do paciente; o marcapasso estimula o ventrículo em sua freqüência básica. - VVI,C: Estimulação ventricular que se inibe por atividade ventricular espontânea (sentida). - VVI,R : Difere do modo VVI,C por apresentar resposta em freqüência determinada por algum estímulo orgânico a um sensor preestabelecido do marcapasso. - AAI,R : Estimulação atrial; inibido por atividade atrial sentida; Resposta em freqüência determinada por sensor. - VDD,C : Estimulação ventricular sincronizada com atividade atrial sentida, desde que esta seja superior à freqüência básica. Inibido por atividade ventricular. Não há estímulo atrial. - DDD,C : Estimulação atrioventricular, com sensibilidade em ambas as câmaras. Inibição dos canais atrial e ventricular por atividade ventricular ou atrial sentida e ativação do canal ventricular por atividade atrial sentida.

MARCAPASSOS MODOS DE ESTIMULAÇÃO
‡ ESCOLHA DO MODO DE ESTIMULAÇÃO - Optar, sempre que possível, pelo modo que melhor reproduza as condições fisiológicas do coração. - Preservar o sincronismo atrioventricular é importante - A instabilidade/arritmia atrial ("flutter" e fibrilação atrial) inviabiliza a estimulação DDD, sendo assim uma opção para a estimulação unicameral VVI Indicações de implante de Marca-Passo: - BAV adquirido em adulto - Bloqueios bi e trifasciculares - Arritmias na fase aguda do IAM - Disfunção do nó sinusal - Marcapassos automáticos anti-taquicardia - Prevenção de Taquiarritmias - Síndrome do Seio Carotídeo - Síncope autonômica - Cardiomiopatia Hipertrófica - Miocardiopatia Dilatada - Pós transplante cardíaco

‡

ARRITMIAS PRÉPRÉ-EXCITAÇÃO
‡ Corrente ApV vai + rápida que o habitual ‡ Vias Acessórias / + em Homens ‡ Pode ser patológico (Associado a Prolapso MI / Dça Congênita) ‡ Duas principais: - Wolff-Parkinson-White (WPW) - Lown-Ganong-Levine (LGL)

ARRITMIAS PRÉPRÉ-EXCITAÇÃO
‡ Wolff-Parkinson-White: - Via acessória = Feixe de Kent - Pode se localizar: Esquerda (AEpVE) Direita (ADpVD) - ECG: - q int PR (< 0,12 segundos) - QRS alargado (ativação prematura de parte do Ventrículo) - Onda Delta (Ñ vê em todas Deriv.)

ARRITMIAS PRÉPRÉ-EXCITAÇÃO
‡ Lown-Ganong-Levine: ‡ Via acessória = Feixe de James (Fica intra nodal ± dentro da via normal) ‡ Ñ tem Alargamento/Onda Delta ‡ Única alteração ECG: PR curto (<0,12s)

ARRITMIAS PRÉPRÉ-EXCITAÇÃO
‡ Pré-excitação associada a outras arritmias ‡ + no WPW (50 a 70% dos pacientes) ‡ Arritmias + comuns: - Taqui Supra Paroxística - Fibrilação Atrial

ARRITMIAS PRÉPRÉ-EXCITAÇÃO
‡ Taqui supra paroxística no WPW: - Ocorre por Reentrada - 2 tipos: a) Corrente do Nodo AV reentrar pelo Feixe de Kent (TSParoxística c/ QRS estreito) b) Corrente vai pelo Feixe de Kent reentrando no sentido contrário pela Via do Nodo AV (TSParoxística c/ QRS alargado)

ARRITMIAS PRÉPRÉ-EXCITAÇÃO
‡ Fibrilação Atrial na WPW: - Pode ser Devastador - Feixe de Kent pode conduzir todo estímulo atrial - Freq. Card. Pode chegar a 300/m - Choque / F. Ventricular

ELETROCARDIOGRAMA 4º PARTE
INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO

INFARTO
‡ Devido a oclusão de coronária ‡ Diagnóstico: Clínica / Enzimas/ ECG ‡ Limitações do ECG: - Situações podem mascaram alterações de ST e visualização de onda Q. Ex: Wolf-Parkinson-White, BR Esquerdo, e outros: BR Direito (Quando for IAM Inf)

INFARTO
‡ Onda T: - Agudização seguida de Inversão Simétrica - Significa Isquemia, e ñ infarto - Isquemia prolongada - Inversão de T dura anos. - Inversão de T:- Achado inespecífico - B. de Ramo/Hipertrofia VE - Pseudonormalização (T invertida p normal)

INFARTO
‡ Segmento ST: - Supra ST = Lesão Miocárdica (Definitiva na Maioria dos Casos) - Regridem em algumas horas - Supra Persistente pode ser Aneurisma Ventr. - Supra ST pode ser Repolar. Precoce (S/ concavidade p/ cima / Fusão é perceptível)

INFARTO
‡ Onda Q: - Morte Celular/Lesão Irreverssível - Diagnóstico Definitivo de IAM - Surge: horas/dias - Dura Toda Vida - Área Morta / Ñ Passa Corrente - Alteraç. Recíprocas: - R elevada (Depende da distância do IAM)- DepressãoST