You are on page 1of 16

ESTUDO DE CASO

:
DOENÇA DE CROHN

Acadêmica: Bruna Avena
Camilotto
Identificação e história social da
paciente
Dor abdominal FID

História clínica¹

DATA DA INTERNAÇÃO: 02/03/2017

1.Episódio anterior de diarreia (23/02)
2.Náusea, êmese (4 vezes), tontura, constipação,
flatulência
3.Desde o dia 24/02 sem evacuar
4.Dieta V.O. laxativa/rica em fibras
História clínica²

CISTO OVARIANO

mulo de líquido. São formados quando a ovulação não ocorre de forma adequad
História clínica³

TROMBOCITOSE

Descobriu há 2 anos → cirurgia ortognática

Aumento persistente da contagem plaquetária
Critério OMS (2008): plaquetas > 450.000/mm³

Tratamento AAS e ácido fólico
História clínica⁴

DOENÇA DE CROHN

mulo de líquido. São formados quando a ovulação não ocorre de forma adequad
Exames laboratoriais
História familiar
Anamnese clínico-nutricional

 Nega etilismo, tabagismo e uso de drogas
 Caminha na praia por 4 km todos os dias da
semana
 Refere bom sono
 Faz acompanhamento nutricional no
ambulatório de Doenças inflamatórias da
UNIVALI
 Dificuldade de fazer as refeições nos horários
normais (emprego)
Diagnóstico nutricional


Diagnóstico clínico e suspeitas


Interação droga x droga x nutriente¹

 ÁCIDO ACETILSALICÍLICO
uso com agentes antiplaquetários, agentes trombolíticos,
anticoagulantes orais de baixo peso molecular pode aumentar
o risco de sangramento
O uso de ácido acetilsalicílico com ácido fólico pode acarretar
deficiência de ácido fólico, o que pode levar a anemia
macrocítica. O uso crônico de ácido acetilsalicílico em doses de
3-4 vezes/ dia pode acarretar anemia ferropriva.
Frutas secas contendo vitamina C deslocam o medicamento
dos sítios de ligação, acarretando aumento da excreção
urinária de ácido acetilsalicílico. Deve-se evitar o uso
concomitante com alho, angélica chinesa, artemísia, castanha-
da-índia, chá verde, gengibre, ginseng, gingko, prímula, trevo-
vermelho e unha-de-gato, pois estes possuem atividade
antiplaquetária. O consumo intenso de álcool pode aumentar
os riscos de sangramento (RANG, 2001; GOLDMAN, 2008)
Interação droga x droga x nutriente²


Interação droga x droga x nutriente³

 A mesalazina é um anti-inflamatório que atua no intestino
tratando e prevenindo as recidivas das doenças inflamatórias
intestinais. O exato mecanismo de ação de mesalazina ainda
não está totalmente estabelecido, mas sabe-se que exerce
ação local reduzindo a inflamação e inibindo uma enzima (a
ciclooxigenase) responsável pela liberação de prostaglandinas
pela mucosa do intestino grosso (cólon). O ingrediente ativo
mesalazina – é revestido por uma cobertura especial que só
permite sua liberação quando ele alcança o intestino grosso,
fazendo com que a substância ativa se distribua
adequadamente ao longo de todo o cólon. O início da redução
dos sintomas da doença é esperado entre 3 e 21 dias após o
começo do tratamento.
Doença de Crohn: - Manutenção da remissão: dose de
2.400mg.
Cálculo das necessidades
energéticas
Conduta dietoterápica

Objetivo: promover a cicatrização dos locais com ulceração,
reparar os estados de desnutrição, melhorar a ingestão de
alimentos, repor as perdas de nutrientes ocasionadas pelo
hipercatabolismo, reduzir as complicações causadas pela má
absorção intestinal, restabelecer as funções do sistema
digestório, estimular o sistema imunológico e minimizar os
efeitos colaterais dos fármacos em uso com os nutrientes.