You are on page 1of 34

Contrato de Leitura

Raúl Manuel Santos Inácio
n.º 19
6º C

Título Original

Die Schönsten Märchen von
Hans Christian Andersen

OS MELHORES CONTOS DE
ANDERSEN

Tradução:
Paula de Carvalho

Lda.Título: Os Melhores Contos de Andersen “O rei vai nu” Autor: Hans Christian Andersen Adaptado por: Arnica Esterl Ilustrador: Anastassija Archipowa Editora: Evareste Editora. .

Dinamarca Profissão: Foi Escritor . Dinamarca Data de falecimento: 4 de Agosto de 1875. condado de Fiónia. em Copenhaga. Dados biobibliográficos do autor Nome do autor: Hans Christian Andersen Data de nascimento: 2 de Abril de 1805 Local de nascimento: Ondense.

Algumas obras do autor: O abeto de Natal A princesa e a ervilha O soldadinho de chumbo Os sapatinhos vermelhos O patinho feio O improvisador (1835) Nada como um menestrel (1837) .

Personagens Principais: Rei e Tecelões Personagens Secundárias: Ministro.Género literário da obra: Conto Identificação do tema: A vaidade. a imodéstia e falta de sinceridade (falsidade) humanas. Menino e Povo Local onde se desenrola a acção: Palácio e ruas do reino . Conselheiro Séquito.

Resumo .

Há muitos anos atrás vivia um rei que gostava tanto de roupas que gastava todo o seu dinheiro só para andar bem vestido. .

.. Assim se dizia dele: -O rei está no seu roupeiro!. . Tinha um casaco para cada hora do dia… Como dos outros soberanos se dizia: -O Rei está reunido em conselho!.O Rei não se preocupava com o governo do reino e apenas gostava de sair para exibir as suas roupas novas...

chegaram dois impostores que se faziam passar por tecelões. Diziam que não só as cores eram invulgares como os tecidos se tornavam invisíveis para as pessoas incompetentes e estúpidas. Espalharam a notícia de que conseguiam fabricar os mais belos tecidos e as mais belas roupas. à cidade do reino onde vivia. .Um dia.

na minha corte. O rei pensou:”Isso é que são roupas valiosas!” Se eu pudesse dispor de trajes assim. . poderia. distinguir os inteligentes dos estúpidos! Contactou com os dois falsos tecelões e adiantou- -lhes uma boa quantia de dinheiro para lhe fazerem um fato.

os falsos tecelões fingiam trabalhar. mas o certo é que o tear estava vazio.Sentados em duas cadeiras diante de um tear. E assim iam enchendo os seus bolsos enquanto fingiam trabalhar no tear vazio. exigiram as mais finas sedas de países distantes e o melhor fio de ouro. Sem hesitar. .

.

pensou o Rei … Chegou a hora de saber como vai o meu traje! .Algum tempo depois.

inquietava-o a ideia de que quem fosse incompetente ou pouco inteligente não poderia ver o traje. O rei não duvidava da sua competência para o cargo mas preferia mandar primeiro outra pessoa para ver o estado em que estava o fato.Porém. ordenou ao seu velho e honrado ministro que fosse visitar os dois falsos tecelões para ver como estava o suas novas vestes. Assim. .

. pensou: . de olhos arregalados para o tear vazio. O velho ministro.Quando o ministro chegou à sala onde estavam os dois falsos tecelões que fingiam que trabalhavam nos teares vazios e estes lhe perguntaram: -O desenho não é lindo? As cores não são fantásticas?..

Deus do Céu! Será que sou estúpido? Não é possível! Não posso dizer que não vejo o tecido! Ninguém pode saber disto! .

que delicado! É muito bonito! .Então disse… Oh.

Como nada via o conselheiro pensou …... Eu parvo não sou!.Depois o rei mandou o conselheiro ver o fato e aconteceu o mesmo que tinha acontecido com o ministro. Será que não sou indicado para o cargo? Ninguém pode saber disto! .

.. Conselheiro ?. Não é uma peça maravilhosa....Os falsários perguntaram. .. O conselheiro respondeu. É realmente maravilhosa!. Sr.

Tanto o ministro como o conselheiro disseram ao Rei que as novas vestes eram maravilhosas. . acompanhado do ministro. do conselheiro e séquito foi visitar os impostores que teciam sem fio …. Então o Rei quis ir ver o seu novo traje. Assim.

V. Majestade quer ter a bondade de se aproximar ?… Que padrão e que cores!…Não é magnífica? .

Mas… o que é isto? Não Vejo nada! Serei estúpido? Serei incompetente como governante? Isso seria uma terrível decepção! .

Esplêndido! Os meus a parabéns .

.. Oh! É extraordinário!.O séquito olhou e nada viu mas exclamou …. . Aconselharam o Rei a estrear as novas veste no cortejo que se iria realizar em breve e desfilaria por toda a cidade.

Perante a satisfação de toda a corte o Rei condecorou os falsários com o título de “honráveis tecelões reais” .

Na véspera do cortejo os falsários fingiram costurar toda a noite.. ..

Por fim correu a notícia: O fato está pronto! .

O Alteza imperial Lá fora o que bem que vos pálio esperara. fica! vos! . os falsário ofereceram-se para vestir o Rei.Chegado o dia do cortejo.

.

Na rua o povo via o cortejo passar e exclamava Que fato impressionante! Que cauda maravilhosa! Assenta-lhe que nem uma luva! .

Ninguém via nada. Mas…… Ninguém queria deixar perceber que não via coisa alguma e admitir que não tinha capacidade para desempenhar o seu ofício ou que era muito estúpido Até que do meio da multidão soou a voz da Inocência… .

O Rei vai nu! … .