UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO

CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS
CURSO DE AGRONOMIA
NUCLEO DE BIOTECNOLOGIA AGRONOMICA

Avaliação de diferentes condutividades elétricas da solução nutritiva no cultivo de alface (Lactuca sativa L.) hidropônica
Alexandro Cardoso Costa1
Eduardo Ferreira Rodrigues1
Clebson Santos Candido1
1- Introdução Neste experimento observou-se que o aumento da condutividade elétrica só se traduziu
em incremento significativo na matéria fresca da raiz, a partir dos trinta dias após o
A alface (Lactuca sativa L.) é originária da Ásia e por volta do ano 4.500 a.C. já era
transplantio nas bancadas definitivas com a condutividade de 2,0 mS.cm-1, enquanto que o
conhecida no antigo Egito, chegando ao Brasil no século XVI, através dos portugueses. A
acúmulo de matéria seca da raiz apresentou diferenças significativas após quarenta e cinco
hidroponia é uma técnica de produção de plantas na qual o solo é substituído por uma solução
dias após o transplantio conforme mostra as tabelas 01 e 02 respectivamente.
nutritiva composta de água e elementos minerais (FURLANI, 1998). As soluções nutritivas se
Tabela 01: Matéria fresca da raiz (g) após o transplantio em Tabela 02: Matéria seca da raiz (g) após transplantio em bancada
constituem não no único, mas no ponto principal do cultivo hidropônico, uma vez que elas bancada definitiva definitiva
determinam os aspectos qualitativos e quantitativos da produção. Época após o transplantio definitivo Época após o transplantio definitivo
CE CE
Huett (1994), afirma que a condutividade da solução nutritiva não influencia somente a (mS.cm-1) 15 30 45 (mS.cm-1) 15 30 45
absorção de água, mas também a absorção de nutrientes, estando ambas intimamente ligadas. 1,5 10.11867 a 13.18000 b 36.54267 b 1,5 0.39520 a 1.21353 a 2.16733 b
O presente trabalho teve por objetivo Avaliar o efeito de diferentes condutividades
2,0 9.53533 a 16.10333 a 45.20933 a 2,0 0.34987 a 1.13133 a 2.67800 a
elétricas na produção de alface hidropônica cv. Vera nas condições climáticas da ilha de São
CV% 12.00104 12.91765 12.78243 CV% 21.34683 16.27871 17.42054
Luís.
* As médias seguidas pela mesma letra não diferem * As médias seguidas pela mesma letra não diferem
estatisticamente entre si. Foi aplicado o Teste de Tukey ao nível estatisticamente entre si. Foi aplicado o Teste de Tukey ao nível
2- Materiais e Métodos de 5% de probabilidade. de 5% de probabilidade.

O experimento foi conduzido entre maio e junho de 2007, em estufa do núcleo de O acúmulo de matéria fresca e seca da parte aérea foi ligeiramente superior nos
Biotecnologia Agronômica da Universidade Estadual do Maranhão Campus Paulo VI, com primeiros trinta dias após o transplante à condutividade de 1,5 mS.cm-1, sendo ultrapassado
temperatura média no período de 27,8 ºC, precipitação no período de 228 mm e umidade aos quarenta e cinco dias após o transplantio à 2,0 mS.cm-1, conforme as tabelas 03 e 04
relativa do ar média de 85%. respectivamente.
O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado com dois Tabela 03: Matéria fresca da folha(g) após o transplantio em Tabela 04: Matéria seca da folha(g) após o transplantio em
bancada definitiva bancada definitiva
tratamentos e quinze repetições. Os tratamentos correspondem a dois valores de Época após o transplantio definitivo Época após o transplantio definitivo
CE CE
condutividade elétrica da solução nutritiva: CE1= 1,5 e CE2= 2,0 mS.cm-1. Para a comparação (mS.cm-1) 15 30 45 (mS.cm-1) 15 30 45
de médias utilizou-se o teste de Tukey à 5% de probabilidade. 1,5 11.72933 a 35.41667 a 84.42600 b 1,5 0.94540 a 3.11147 a 4.93933 b
O experimento foi realizado em sistema hidropônico, através da técnica NFT (fluxo 2,0 8.64667 b 33.82800 a 122.37330 a 2,0 0.64807 b 3.08733 a 6.53133 a
laminar de nutrientes), com vazão igual a 1,5 L/min por canal. Foram utilizadas sementes CV% 25.34401 18.35574 15.35055 CV% 28.53726 17.67330 14.50267
peletizadas de alface tipo crespa, cultivar vera, colocadas para germinar em bandeja com * As médias seguidas pela mesma letra não diferem * As médias seguidas pela mesma letra não diferem
espuma fenólica que haviam sido previamente tratadas com solução de hipoclorito do sódio a estatisticamente entre si. Foi aplicado o Teste de Tukey ao nível estatisticamente entre si. Foi aplicado o Teste de Tukey ao nível
de 5% de probabilidade. de 5% de probabilidade.
2 % por vinte minutos e em seguida lavadas em água corrente.
A circulação da solução foi obtida mediante recalque com uma bomba de 1/3 cv, ligada Resultados semelhantes foram obtidos por Filgueiras et al. (2002) e Pinto et al. (2004),
a um temporizador, que a mantinha 20 minutos ligada e 10 minutos desligada durante o dia e quando estes observaram uma tendência no aumento dos pesos de matéria fresca e seca da
desligada durante a noite. Para a realização do experimento utilizou-se duas bancadas parte aérea e fresca das raízes das plantas de alface, conforme ocorre um aumento da
hidropônicas, uma para cada condutividade elétrica estudada. condutividade elétrica da solução nutritiva até 2,0 mS.cm-1.
A solução nutritiva de Furlani (1988) foi utilizada como padrão, da qual realizou se O número de folhas mostrou melhores resultados na condutividade de 1,5 mS.cm-1 nos
várias diluições até a obtenção de quantidades ideais de cada nutriente para atingir as primeiros quinze dias, sendo que a análise das amostras subseqüentes não apresentou
diferentes condutividades elétricas. diferenças significativas como mostra a tabela 05.
Após sete dias da germinação as células contendo as mudas foram transplantadas para Tabela 05: Número de folhas após o transplantio em bancada definitiva.
o berçário com condutividade elétrica igual a 1,5 mS.cm-1 e pH 6,0, onde permaneceram por CE Época após o transplantio definitivo
quatorze dias até serem transplantadas nas bancadas definitivas, num espaçamento de 0,3 m x (mS.cm-1) 15 30 45
0,3 m, sendo uma independente da outra, com reservatórios apresentando CEs de 1,5 e 2,0 1,5 9.13333 a 13.93333 a 19.93333 a
mS.cm-1 respectivamente. 2,0 7.40000 b 13.13333 a 19.60000 a
CV% 11.50633 9.33271 10.32078
Foram escolhidos dois perfis centrais de cada bancada dos quais foram realizadas três
coletas aos quinze, trinta e quarenta e cinco dias após o transplante nas bancadas definitivas. * As médias seguidas pela mesma letra não diferem
estatisticamente entre si. Foi aplicado o Teste de Tukey ao nível
As plantas tiveram suas folhas úteis contadas e em seguida as plantas foram cortadas na altura de 5% de probabilidade.
do colo, separadas em parte aérea e raiz, que foram pesadas para determinação da matéria Apesar dos tratamentos em relação ao número de folhas não terem apresentado
fresca e colocadas individualmente em sacos de papel para secar em estufa com circulação de diferenças significativas no final do ciclo, o melhor aspecto visual com folhas maiores e os
ar forçada à 65 ºC por 48 horas, para obtenção da matéria seca. maiores pesos foram obtidos à 2,0 mS.cm-1. O baixo peso das plantas pode ser atribuído às
3- Resultados e Discussão altas temperaturas da região, tendo em vista que a alface é originalmente uma planta de clima
temperado e que sob altas temperaturas e luminosidade o ciclo vegetativo é reduzido,
A alface aumenta de peso lentamente até os 30 dias, quando então, o ganho de peso é resultando num menor desenvolvimento da planta.
acentuado até a colheita. Apesar de absorverem quantidades relativamente pequenas de Segundo Martinez & Silva Filho (1997) o teor máximo de sais suportado pelas plantas
nutrientes quando comparadas com outras culturas, seu ciclo rápido (50 a 70 dias), a torna difere de uma espécie para outra sendo que para alface a condutividade elétrica - CE poderá
mais exigente em nutrientes. ser de até 2,5 mS.cm-1. Tais resultados concordam com os obtidos por Silva et al. (2000) e
Beltrão et al. (1997 apud COSTA et al., 2001) em que aumentos na condutividade elétrica
levaram a diminuição da produção de material seco, bem como da produtividade.

4- Conclusão

Conclui-se portanto que a utilização de 1,5 mS.cm-1 no início do ciclo e 2,0 mS.cm-1 no
final do ciclo é uma forma de reduzir gastos com solução nutritiva sem ter perdas na
produtividade.

Referências
Figura 01: Plantas 15 dias após o Figura 02: Plantas 30 dias após o Figura 03: Plantas 45 dias após o BELTRÃO, J.; TRINDADE, D.; CORREIA, P.J. Lettuce yield response to salinity of. sprinkle
transplantio nas bancadas definitivas em transplantio nas bancadas definitivas em transplantio nas bancadas definitivas em
casa de vegetação. casa de vegetação. casa de vegetação. irrigation water. Acta Horticulturae, v.449, p.623-627, 1997.
FILGUEIRAS , R. C.; TAKAHASHI, H. W.; BENINNI, E. R. Y.; Semina: Ciências Agrárias,
Londrina, v. 23, n. 2, p. 157-164, jul./dez. 2002.
FURLANI, P.R. Instrução para o cultivo de hortaliça de folha pela técnica de hidroponia
- NFT. Campinas: Instituto Agronômico, 1998. 30p. (Documentos IAC, 168).
HUETT, D. O. Growth, nutrient uptake and tipburn severity of hidroponic lettuce in response
to electrical conductivity and K:Ca ratio in solution. Australian Journal of Agricultural
Research, Collingwood, v.45, p.251-267, 1994.
Figura 04: Plantas (à 1,5 e 2,0 mS.cm-1 da Figura 05: Plantas (à 1,5 e 2,0 mS.cm-1 da Figura 06: Plantas (à 2,0 e 1,5 mS.cm-1 da
esquerda p/ direita) coletadas aos quinze esquerda p/ direita) coletadas trinta dias esquerda p/ direita) coletadas quarenta e MARTINEZ, H. E. P.; SILVA FILHO, J. B. Introdução ao cultivo hidropônico de plantas.
dias após o transplantio nas bancadas após o transplantio nas bancadas cinco dias após o transplantio nas
definitivas. definitivas. bancadas definitivas. Viçosa, UFV, 1997, 52p.
SILVA, Ê. F. F.; DUARTE, S. N.; FERREIRA, Y. R. P.; MIRANDA, J. H. Tolerância da
cultura de alface à salinidade. Horticultura Brasileira, Brasília, v.18, p.788-789, junho 2000.
Suplemento.

Related Interests