CARACTERIZAÇÃO E

TRATAMENTO DE ÁGUAS
RESIDUÁRIAS CONTENDO
POLUENTES PERIGOSOS

Profa. Dra. Dione Mari Morita
Escola Politécnica da Universidade de
São Paulo

DEFINIÇÕES

SUBSTÂNCIA PERIGOSA

 Qualquer substância que quando lançada no
meio ambiente, em qualquer quantidade,
apresente um risco iminente e substancial à
saúde e bem estar público, incluindo, mas
não limitado, à vida aquática e selvagem
(Salas, 1988)

. – induzir mudanças transmissíveis permanentes nas características dos descendentes de seres humanos ou cobaias. cutânea ou oral. tumor ou efeitos neoplásicos no Homem ou em cobaias. – produzir defeitos físicos no embrião em desenvolvimento em seres humanos ou cobaias.SUBSTÂNCIA TÓXICA  Aquela que demonstra potencial de: – induzir câncer. – causar a morte em cobaias ou animais domésticos expostos através das vias respiratória.

devido à exposição através das vias respiratória. Produzir irritação ou sensibilização na pele. colocando em risco sua vida ou causando morte. olhos ou vias respiratórias.  provocar efeito adverso à saúde de uma pessoa normal de qualquer idade ou sexo.  diminuir a atividade mental. reduzir a motivação ou alterar o comportamento humano. por qualquer período de tempo . cutânea e oral. em qualquer quantidade. concentração ou dose.

POLUENTE TÓXICO  Qualquer elemento. que após serem lançados no corpo receptor e expostos à qualquer organismo. causa morte. inalação ou assimilação. diretamente ou indiretamente por ingestão através da cadeia alimentar. composto ou mistura. mutação ou deformações físicas em tal organismo (CERCLA. alterações de comportamento. incluindo os agentes causadores de doenças. câncer. distúrbios orgânicos e reprodutivos. através da ingestão. substância. 1988) .

BIOREFRATABILIDADE  Significativa redução nas taxas de assimilação ou metabolismo de um composto específico em relação às taxas de assimilação dos metabólitos comumente encontrados na natureza. 1986) . quando lançados no meio ambiente ou numa porção deste. tal como a estação de tratamento de águas residuárias (Brower et al..

678 . 1986).ABNT.EFLUENTES DOMÉSTICOS  todo despejo líquido proveniente do uso da água para higiene e necessidades fisiológicas (NBR 9. .

representar risco à segurança e saúde dos operadores. químicas e/ou biológicas. danos ao meio ambiente ou efluentes em desacordo com a legislação vigente. qualitativamente diferentes dos efluentes domésticos e que podem causar danos ou sobrecarga nos sistemas de coleta e tratamento de esgotos. 1998). EFLUENTES NÃO DOMÉSTICOS  São os efluentes oriundos de empreendimentos cujos serviços e/ou processos produtivos. devendo portanto serem objeto de programas específicos (SABESP. geram efluentes com características físicas. .

POLUENTES PRIORITÁRIOS  poluentes priorizados pela United States Environmental Protection Agency (USEPA).  evidência substancial de carcinogenicidade. 1987):  presença nos despejos líquidos e industriais. nos peixes e na água de abastecimento. . selecionados a partir dos seguintes critérios (USEPA. mutagenicidade e/ou teratogenicidade em estudos epidemiológicos ou toxicológicos em seres humanos ou em cobaias. no meio aquático.

e  disponibilidade de métodos analíticos para identificar e quantificar os poluentes em corpos d’água e águas residuárias. toxicidade do poluente ao homem e ao meio aquático. .  características de bio-concentração do poluente.  persistência do poluente no meio ambiente.  produção anual do poluente.

ou na sua prole. 1996) . com conseqüentes alterações nas funções endócrinas (EUROPEAN COMMISION.DESREGULADORES ENDÓCRINOS  substância exógena que causa efeito adverso na saúde do organismo intacto.

FONTES DE POLUENTES PERIGOSOS .

 Couros.METAIS PRIORITÁRIOS E CIANETO:  Galvanoplastias.  Farmacêuticas.  Formulação de corantes e pigmentos. peles e produtos similares.Elementos e compostos inorgânicos.  Lavanderias industriais.Formulação de compostos orgânicos.  Indústrias Químicas . 14 .  Indústrias químicas .  Indústria do petróleo.  Ferro e aço.

 Formulação de pesticidas.  Ferro e aço.  Galvanoplastias. 15 .COMPOSTOS ORGÂNICOS PRIORITÁRIOS:  Indústria química .  Produtos mecânicos.  Indústria do petróleo.Compostos orgânicos.  Lavanderias industriais e  Indústria da madeira.  Farmacêuticas.  Plásticos.

16 .  Tintas e vernizes.  Componentes elétricos e eletrônicos.  Indústria química .compostos orgânicos.  Plásticos.elementos e compostos inorgânicos.POLUENTES NÃO PRIORITÁRIOS:  Indústria química .

POLUENTES PRIORITÁRIOS MAIS FREQUENTES EM EFLUENTES INDUSTRIAIS .

 Tolueno.  Cloreto de metileno.  Níquel e seus compostos.1.  Chumbo e seus compostos. 18 .1-Tricloroetano.  Tricloroetileno.  Benzeno.  Cianeto.  Etil benzeno. Cromo e seus compostos.  1.  Fenol.  Tetracloroetileno.

 Ftalato butil de benzila e  Acroleína.  Prata e seus compostos.  Arsênio e seus compostos.  2. Clorofórmio.4-dimetil fenol.  Naftaleno.  Ftalato de bis-2-etil hexila. 19 .

POLUENTES NÃO PRIORITÁRIOS MAIS FREQUENTES EM EFLUENTES INDUSTRIAIS: .

 Metil etil cetona. 21 .  Acetona.  Metil isobutil cetona. Xileno.  Difenilamina.  Anilina e  Acetato de etila.  Acetofenona.  Cresóis.

EFEITOS DOS POLUENTES PERIGOSOS NO SISTEMA DE COLETA E TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS .

 Explosividade.  Inflamabilidade. 23 .  Vapores tóxicos.  Incrustração.EFEITOS NO SISTEMA DE COLETA:  Corrosão.

Pleasant. tolueno.1. K.D. Paul. 1.E.Casos documentados de problemas de saúde em operadores devido a volatilização de poluentes perigosos no sistema público de esgotos. solvente orgânico náusea 24 . Hexano náusea Mt. M. E. clorofórmio. POLUENTES EFEITOS Baltimore. irritação na pele Pennsauken.Y.N. N. tolueno.J. Benzeno. M.N.T. Benzeno.1-tricloroetano morte N. Solventes cefaléia Tampa. dispnéia. T. náusea outros solventes Gloucester County. fenol lacrimejamento St. Compostos náusea orgânicos e metais Passaic Valley.J. Louisville.J. N. Composto volátil dispnéia.L. F.

EFEITOS NA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO:  Volatilização. danos aos operadores e à população que vive ao redor da estação. 25 . causando danos à vida aquática e ao Homem.  Efluente final apresentando toxicidade e portanto.  Geração de lodo com características perigosas.  Inibição dos processos biológicos de tratamento.

PRINCIPAIS POLUENTES VOLATILIZADOS NAS ETES .

 tricloroetileno.  etil benzeno.1-tricloroetano.  xileno.  clorofórmio.1.  benzeno e  1.  tetracloroetileno.2-dicloroetano . 1.  cloreto de metileno.  tolueno.

PRINCIPAIS POLUENTES ADSORVIDOS NO LODO DE ETES .

 cloreto de metileno  níquel e formaldeído .  ftalato de bis-2-etil hexila. Fenol.  cianeto.  álcool metílico.  xileno.  tolueno.  cromo.

POLUENTES COMUMENTE PRESENTES NOS EFLUENTES DE ETES .

. Acetona.  Cromo.  Cloreto de metileno.  Xileno.  Metil isobutil cetona.  Metanol.  Formaldeído.  Fenol.  Níquel.  Furfural.