Lição 5

3°Trimestre 2017

Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Lomba Grande
OBJETIVOS ESPECIFICOS
1.Compreender quem é o Espírito Santo;
2. Mostrar a divindade do Espírito Santo à luz
da Bíblia;
3. Apresentar os atributos da divindade;
4. Analisar a personalidade do Espírito Santo.
As Escrituras Sagradas revelam a identidade do Espírito
Santo, sua deidade absoluta e sua personalidade, sua
consubstancialidade com o Pai e o Filho como Terceira
Pessoa da Trindade e suas obras no contexto histórico-
salvífico. Todos esses dados da revelação só foram
definidos depois do Concílio de Niceia. A formulação da
doutrina pneumatologica aconteceu tardiamente na
história da Igreja, na segunda metade do século IV. A
presente lição pretende explicar e mostrar como tudo
isso aconteceu a partir da Bíblia.
O antigo testamento manifestou claramente o Pai e, obscuramente, o Filho. O
novo manifestou o Filho e, obscuramente indicou a divindade do Espírito Santo.
2 – O Esquecimento. Há abundância de detalhes na Bíblia sobre a identidade do
Espírito Santo no que diz respeito à sua personalidade e divindade, bem como ao
seu relacionamento com o Pai e o Filho.
O Espírito Santo tem nomes divinos, atributos divinos lhe são aplicados, Ele
é eterno, onipresente, onipotente e onisciente (Hb. 9.14; Sl. 139.7-10; Lc.
1.35; I Co. 2.10,11), obras divinas lhe são atribuídas tais como criação,
regeneração e ressurreição (Gn. 1.2; Jó. 33.4; Jo. 3.5-8; Rm. 8.11). Há quem
defenda que o Espírito Santo não passa de uma força ou influência, algo
contrário à revelação das Escrituras, onde vemos que Ele tem
personalidade: pensa (Rm. 8.27); tem vontade (I Co. 12.11), sentimento (Ef.
4.30); revela (II Pe. 1.21); ensina (Jo. 14.26); clama (Gl. 4.6); intercede (Rm.
8.26); fala (Ap. 2.7); ordena (At. 16.6,7); testifica (Jo. 15.26), entristece (Ef.
4.30), contra ele nao se pode mentir (At. 5.3) e blasfemar (Mt. 12.31,32).
Além de Espírito Santo, Ele é chamado de Espírito de Cristo (Rm. 8.9),
Consolador (Jo. 14.6), Espírito da Promessa (Ez. 36.7; Jl. 2.28), Espírito da
graça (Hb. 10.29; Zc. 12.10), Espírito de vida (Rm. 8.2; Ap. 11.11) e Espírito
de adoção (Rm. 8.15).
Quem Foi Atanásio?
1. Atanásio nasceu na cidade de Alexandria, em algum momento dos anos de 290.
A cidade era culturalmente vital para o Império Romano, sendo, ao mesmo
tempo, uma importante referência na área educacional e um celeiro para grande
parte do Oriente.
2. Atanásio aprendeu sua teologia e habilidades pastorais de Alexandre como
diácono e, eventualmente, serviu como seu secretário. Ele seguiu o bispo
durante a ascensão da luta contra o Arianismo.
3. Alexandre morreu e então Atanásio foi eleito para o bispado de Alexandria em
9 de maio de 328
4. Em cinco ocasiões Atanásio foi banido da cidade de Alexandria. Ele, no
entanto, manteve-se firme em seu compromisso com a divindade do Filho. Sua
obra mais famosa é hoje “Sobre a Encarnação do Verbo” - um livro mais sobre
a divindade do Filho antes dele assumir a feição humana do que sobre a
encarnação propriamente dita.
5. O legado de Atanásio, então, baseia-se quase inteiramente em seus esforços
heróicos para defender a divindade do Filho (e, por extensão, do Espírito)
contra aqueles cujas reflexões teológicas achavam que isto era absurdo. Para
Atanásio, o problema não era mero raciocínio abstrato, mas a leitura simples
das escrituras
“Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita e vós? Ico 3.16

Por que encheu satanás o teu coração, para que mentisses ao Espirito Santo, e
retivesses parte do preço da herdade?[...] Não mentiste aos homens mas a Deus.
At. 5.3,4
O Relacionamento do Espírito Santo com o Pai
revela a sua divindade e a sua
consubstancialidade com eles. Isso está claro
nas construções tripartidas do NT

Mt 28.19 – ICo 12.4,6 – 2Co 13.13 – Ef 4.4,6 – IPd 1.2
O termo grego para “Consolador” aqui é parácleto, que significa “ ajudador, Advogado e é
aplicado ao Senhor Jesus. 1Jo 2.1
Onde aparece na bíblia o PAI, o Filho JESUS e o ESPÍRITO SANTO (construções
tripartidas), isso nos mostra claramente a divindade e consubstancialidade do ESPÍRITO
SANTO com o PAI, o Filho JESUS.
1. - Na bênção apostólica "A graça do Senhor JESUS CRISTO, e o amor de DEUS, e a
comunhão do ESPÍRITO SANTO seja com vós todos" (2 Co 13.13).

2. - No louvor "E clamavam uns para com os outros, dizendo:
SANTO [DEUS], SANTO [JESUS], SANTO [ESPÍRITO SANTO] é o Senhor dos
Exércitos: toda a terra está cheia da sua glória" (Is 6.3).

3. No batismo "Portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e
do Filho, e do ESPÍRITO SANTO..." (Mt 28.19).
4. Nos dons "Ora há diversidade de dons, mas o ESPÍRITO é o mesmo. E há diversidade
de ministérios, mas o Senhor [JESUS] é o mesmo. E há diversidade de operações, mas é
o mesmo DEUS que opera tudo em todos" (1 Co 12.4-6).
5. Na unidade da fé "Há um só... ESPÍRITO... um só Senhor [JESUS]... um só DEUS e
Pai de todos..." (Ef 4.4,6).
6. No testemunho "Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e
o ESPÍRITO SANTO; e estes três são um" (1 Jo 5.7).
7. Na Eleição Eleitos segundo a presciência de DEUS Pai, em santificação do ESPÍRITO,
para a obediência e aspersão do sangue de JESUS CRISTO: Graça e paz vos sejam
multiplicadas.1 Pedro 1:2
II – A DIVINDADE DO ESPIRITO SANTO
• Obras Divinas. A divindade do Espírito Santo é vista não apenas na
declaração direta das escrituras, nem somente pelo relacionamento dEle
com o Pai eo Filho, mas também nas obras de Deus.

1. O ESPÍRITO SANTO é o Criador do Universo e dos seres humanos junto
com o PAI e o Filho JESUS (Jó 26.13; 33.4; Sl 104.30).
2. O ESPÍRITO SANTO gerou JESUS como homem (Mt 1.20; Lc 1.35) e o
ressuscitou dentre os mortos (1 Pe 3.18); e ressuscitará os fiéis (Rm 8.11).
3. O ESPÍRITO SANTO também é Senhor da Igreja, intituindo bispos (At
20.28); participante do novo nascimento (Jo 3.5,6); também é doador da
vida (Ez 37.14), Ele regenera o pecador (Tt 3.5) e distribui os dons
espirituais como quer (1 Co 12.7-11).
Assim, o Credo Niceno-Constantinopolitano declara para confirmar a bíblia:
"E no ESPÍRITO SANTO, o Senhor e Vivificador, o que procede do Pai e
do Filho, o que juntamente com o Pai e o Filho é adorado e glorificado, o
que falou por meio dos profetas".
2Co 3.17 – Rm 8.2 – Jo 15.26 – Fp 3.3 – 2Pd 1.21
Credo Niceno-Constantinopolitano
O Credo niceno-constantinopolitano, ou Símbolo niceno-
constantinopolitano, é uma declaração de fé cristã aceita pela Igreja
Católica, Igreja Ortodoxa, Igrejas ortodoxas orientais, Igreja Anglicana e
pela maioria das denominações protestantes.
O nome "niceno-constantinopolitano" indica uma suposta relação com
o Primeiro Concílio de Niceia 325 d.C.), no qual foi adoptado um credo
semelhante (o Credo Niceno), e com o Primeiro Concílio de
Constantinopla (381 d.C.), o qual teria revisto o texto de 325.
Na Igreja Católica Romana, o Credo de Niceia faz parte da profissão de fé
exigida daqueles que realizam funções importantes na Igreja.
Alguns cristãos protestantes consideram o Credo niceno-constantinopolitano
útil e em certa medida autoritário, mas dão a prioridade à obrigação de
interpretar individualmente as Escrituras no seio da comunidade cristã.
Outros grupos, por exemplo a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos
Dias e as Testemunhas de Jeová, rejeitam explicitamente algumas das
afirmações contidas no credo.
CREMOS NA DEIDADE DE ESPÍRITO SANTO
ATRIBUTOS COMUNICÁVEIS
1. O ESPÍRITO SANTO é santo. "Santo" não como que tendo recebido esta santidade
externamente, mas como consequência direta de sua natureza santa. ELE mesmo é
santo. Ele nos santifica (Rm 15.16; 1 Co 6.11).

2. O Fruto do ESPÍRITO e suas 9 qualidades é um atributo do ESPÍRITO SANTO que
nos comunica suas virtudes. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade,
benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Gálatas 5:22.

3. Os dons do ESPÌRITO SANTO são também seus atributos que nos capacita a fazer a
obra a de DEUS, reúne multidões para ouvir o evangelho e confirma nossa pregação como
advinda de DEUS. João 16:8 - 1 Coríntios 12:7-11 - Atos 19:19 - Atos 3:11 - Marcos
16:20
DEUS é uno e, ao mesmo tempo, triúno (Gn 1.1,26; 3.22; 11.7; Dt 6.4; 1 Jo 5.7 . O
Pai, o Filho e o ESPÍRITO são três divinas e distintas Pessoas.

São verdades bíblicas que transcendem a razão humana e as aceitamos alegremente
pela fé. A fé em DEUS deve preceder a doutrina (I Tm 4.6).
Se a unidade composta do homem — ESPÍRITO, alma e corpo — continua como
um fato inexplicável para a ciência e para os homens mais sábios e santos, quanto
mais a triunidade do Pai, do Filho e do ESPÍRITO SANTO! As três divinas Pessoas
da Trindade são co-eternas e iguais entre si. Mas, em suas operações concernentes à
criação e à redenção, DEUS, o Pai, planejou a criação de tudo (Ef 3.9); DEUS, o
Filho, executou o plano, criando (Jo 1.3; Cl 1.16; Hb 1.2; 11.3); e DEUS, o
ESPÍRITO SANTO, vivificou, ordenou, pôs tudo, todo o universo, em ação: desde a
partícula infinitesimal e invisível até ao super-macroscópico objeto existente (Jó
33.4; Jo 6.63; Gl 6.8; Sm 33.6; Tt 3.5). Ou seja, o Pai domina, o Filho realiza, e o
ESPÍRITO SANTO vivifica, preserva e sustenta.Na redenção da humanidade, o Pai
planejou a salvação, no céu; o Filho consumou-a, na terra; e o ESPÍRITO SANTO
realiza e aplica essa tão grande salvação à pessoa humana. (Jo 1.18). (I Co 2.12-16).
stiça (Mt 3.16,17).
1Co 2.10,11 Rm 15.30

Rm 8.27 Ef 4.30

At 16.7
1Co 12.11
IV. PERSONALIDADE DO ESPÍRITO SANTO

2. Reações do Espírito Santo. Outra prova da personalidade do Espírito Santo é
que Ele reage a certos atos praticados pelo ser humano. Pedro obedeceu ao
Espírito Santo (At 10.19,21); Ananias mentiu ao Espírito Santo (At 5.3); Estêvão
disse que os judeus sempre resistiram ao Espírito Santo (At 7.51); o apóstolo
Paulo nos recomenda não entristecer o Espírito Santo (Ef 4.30); os fariseus
blasfemaram contra o Espírito Santo (Mt 12.29-31); os cristãos são batizados em
nome do Espírito Santo (Mt 28.19).

1. O ESPÍRITO SANTO É QUEM DETÉM O ANTICRISTO 2 Tessalonicenses
2:3-8
2. O ESPÍRITO SANTO reage quando é confrontado -
3. BLASFÊMIA CONTRA O ESPÍRITO SANTOE a todo aquele que proferir
uma palavra contra o Filho do homem, isso lhe será perdoado; mas ao que
blasfemar contra o ESPÍRITO SANTO, não lhe será perdoado. Lucas
12.10Blasfêmia é atribuir a Satanás o que o ESPÍRITO SANTO fazA Blasfêmia
geralmente é o desejo de "eliminar DEUS do próprio coração"Quando alguém
blasfema nem sente mais que DEUS existe - nunca mais entra numa igreja. Se
torna inimigo de DEUS.
Blasfêmia - (Strong Português) - βλασφημεω - blasphemeo