You are on page 1of 12

A Doutrina da Salvação

como Ulrico Zuínglio e João Calvino. protestando contra vários pontos da doutrina da Igreja Católica Romana. Martinho Lutero fixou as 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg.A Reforma Protestante  Em 31 de outubro de 1517. foram os defensores dos princípios da Reforma. .  A Igreja Católica Romana convocou o Concílio de Trento (1545-1563).  Outros teólogos.  A doutrina da salvação foi um dos pontos centrais das divergências. além dos anabatistas. que resultou no início da Contrarreforma ou Reforma Católica.

 O mérito podia ser obtido por outros.  A salvação se iniciava no batismo (lavagem de pecados) e dependia dos demais sacramentos: eucaristia. confissão.A soteriologia católica  Para a Igreja Romana. . “mérito” era a palavra chave. além das indulgências. a Igreja é a instituição salvadora.  Para eles. esmolas e práti- cas devocionais. penitência. só por ela a salvação é apresentada aos homens. peregrinações. como oração e jejum. A salvação seria conquistada pela fé e por boas obras. A igreja era a depositária do “tesouro dos méritos”.

se não tem a Igreja por Mãe”.  Os reformadores se opuseram a todo o sistema penitencial e idólatra católico. a recom- pensa que se recebia por ter alcançado mérito diante de Deus. pela sua fé e obediência.  Eles ensinavam ainda que “A Virgem Maria cooperou livremente. na salvação dos homens”.A soteriologia católica  O ensino católico afirma que “A Igreja é a Mãe de todos os crentes.  A salvação era considerada. . cooperando com a Sua graça. assim. Ninguém pode ter a Deus por Pai.

A soteriologia da Reforma  A doutrina da salvação defendida pelos refor- madores magisteriais (Lutero. ou a razão natural não pode ser a base da doutrina cristã. Zuínglio e Calvi- no) é resumida nos 5 “solas”:  SOLA SCRIPTURA: A Bíblia é a única fonte de revelação divina escrita.  A tradição da igreja. e é o padrão pelo qual todo comportamento cristão deve ser avaliado. . que ensina tudo o que é necessário para nossa salvação. o magistério eclesiástico.

19)a “Esalvação. entre os homens.  O Cristo que salva é aquele que é revelado nas Escrituras: histórico.19. eDeus e os homens. humano. rei. obra esta: e uma de Que mediadora só luzMediador veio ao Cristo entre (Atmundo. 23.5) si só. Jo 3. os homens amaramCristo mais Jesus. Mt 22. e exclui todos que resistem à graça de Deus (1 Tm 2. suas obrasporeram 2. profeta. . em nenhum outro há salvação. sacerdote.12) mediador entre Deus e os homens. 4. eterno. porque debaixo  do céu nenhum O evangelho outro nome é inclusivo há. divino.12).5.37). dadoInclui e exclusivo. 12.37. todos que emrecebem que devamos a Jesusser salvos” Cristo como(Atúnico 4.” de alcançar (Jo 3.más.A soteriologia da Reforma  SOLO CHRISTUS: A salvação é realizada unica- “Porque “Emente há um a condenação pela sóé Deus. homem” as trevas do que(1aTmluz.  O porque homemasé incapaz.3.

6).8-9.  A graça é o favor divino que o homem não “Porque merece. em qualquer sentido. e isto não vem bondade. dom de Deus. em sua por meio soberania e da fé. sois salvos.9)  O homem estende a mão vazia para receber. Rm 11. Não vem das obras. Não tem nada a oferecer em troca de sua salvação. a obra sobrenatural do Espírito Santo é que leva o homem a Cristo. . para que ninguém se glorie.” (Ef 2. édar-lhe. uma obra humana (Ef 2.A soteriologia da Reforma  SOLA GRATIA: A salvação é unicamente pela graça.8.pela masgraça que. a salvação não é. de quer Deus vós.

temos paz(Rm com 1. sob a Sua autoridade. somente por causa de Cristo. somente por intermédio da fé.por nosso SENHOR Jesus Cristo.A soteriologia da Reforma  SOLA FIDE: a justificação é somente pela graça. . a retidão de Cristo é imputada ao homem como o único meio possível de satisfazer a perfeita justiça de Deus (Rm 5.17).1) Deus. e para Sua glória somente.24).  SOLI DEO GLORIA: Devemos viver a vida inteira perante a face de Deus. 3.” (Rm 5.  A grande descoberta de Martinho Lutero nas Escrituras “SENDO poisfoijustificados que “o justo viverá pela pela fé” fé.1.

tudo vem da Graça e a salvação é efetivamente realizada por Deus. criam que Deus determina tudo o que aconte- ce. . bem e mal. não na Igreja enquanto instituição humana. Melânchthon foi sinergista.  Lutero.  Os reformadores radicais. Calvino e Zuínglio eram monergistas. ela reside. como os anabatistas (Baltasar Hubmaier) criam na salvação ofereci- da a todos. mas inteira e unicamente em Cristo.A soteriologia da Reforma  Para os reformadores. e na graça preveniente (a graça resistível de Deus que chama. convence e capacita o pecador a vir a Cristo).

mediante a fé em Cristo. . mas enfatizavam também que a fé genuína e sincera sempre se reverte em vida de retidão. Os anabatistas insistiam na necessidade da fé pessoal antes do batismo.  Os reformadores criam na salvação unicamente pela graça. Calvino e Zuínglio continuaram a práti- ca do batismo de crianças.A soteriologia da Reforma  Lutero.

atribuo à graça o início. pela sua graça. sem esta graça emocionante e preventiva. p. mas até mesmo o estabelece”. 1. de tal forma que. a consentir. nem resistir a qualquer tentação do mal. vol. não pode conceber. mesmo já estando regenerado. p. (vol.” Armínio (As Obras de Armínio. . sem a sua influência. influência que não apenas não remove o livre consentimento do livre-arbítrio. 454).A soteriologia de Armínio  “Desta maneira. a continuidade e a consumação de todo o bem. 232). um homem.  “O autor da graça decidiu não obrigar os homens. 3. nem fazer bem algum. por uma mansa e gentil persuasão. mas influenciá-los. que coopera com o homem.

 Os reformadores pregaram o retorno às Escrituras e à simplicidade do evangelho. defendendo seus postulados e combatendo os mesmos desvios da fé apostólica.Conclusão  A Reforma Protestante restaurou a centralidade da Salvação em Cristo.  Nós somos herdeiros da Reforma Protestante. mostrando que o homem tem completa dependência da graça divina alcançada pela fé. Soli Deo Gloria! .