You are on page 1of 33

HISTÓRIAS

POR: PROF. UESLEI GRUNGE

O Antigo Regime – “o estado sou eu”

“Antigo Regime foi o estilo de governo que marcou a Europa na
Idade Moderna. Na esfera política, era caracterizado pelo
absolutismo, ou seja, o poder ficava todo concentrado nas mãos do
rei. No campo econômico, vigorava o mercantilismo, marcado pelo
intervencionismo estatal, com vistas ao acúmulo de metais
preciosos”.

leis. . Nobreza: sem força para se impor aceitava a dominação real. impostos e favorecimento do comercio. ANTIGO REGIME Formação:  Enfraquecimento do poder da nobreza. Apoio da burguesia: interesses na centralização politica para unificação de moedas. em parte cooptada por meio da formação de cortes (nobres sustentados pelo Estado). momento para o fortalecimento dos Reis.

Hobbes: o homem que é “lobo do homem” precisa de um contrato social. TEORIAS Maquiavel: Meios mais adequados de conquistar e se manter no poder. Jacques Bossuet: Rei como representante de Deus na terra e que não devia satisfações. .

ABSOLUTISTAS  França “Com Luís XIV (1643-1715). no governo de Elizabeth I. ele passou a viver em clima de luxo exacerbado no Palácio de Versalhes. Inglaterra (parlamentarista) “na Inglaterra o auge seria atingido entre 1558 e 1603. o absolutismo chegou ao auge na França. . A economia ficou a cargo do ministro Colbert. Conhecido como o Rei Sol. ela conseguiu manter o Parlamento sob relativo controle e promoveu grande expansão da economia”. Hábil administradora. um burguês que levou ao extremo a política mercantilista”. fora de Paris.

Colônias e o pacto-colonial. Balança comercial favorável. protecionismo.Mercantilismo Metalismo. .

mapas e instrumentos de navegação.EXPANSÃO MARÍTIMA E COLONIZAÇÃO DA AMÉRICA “Impulsionadas pelo mercantilismo. geografia favorável e tecnologias apropriadas como navios. Grandes viagens séc. Busca de rota alternativa ao mediterrâneo. Espanha e Portugal: Estado centralizado. . Mundialização da economia. XV e XVI. as grandes navegações resultaram numa importante revolução comercial e na formação de vastos impérios coloniais”.

.

que. não de povoamento. . a princípio. a expedição de Pedro Álvares Cabral aportou no Brasil. União Ibérica (1580-1640). Os portugueses estabeleceram diversos pontos de comércio nos locais em que paravam. assim. criando.Expansão  Em 1500. só tinha objetivos de exploração. seu império marítimo- comercial.

Colonização Após a chegada de Colombo. o que resultou em um vigoroso fluxo de riquezas para a Europa. as potências ultramarinas começaram a se instalar na América e exploraram intensamente os nativos e quase a totalidade das terras durante cerca de três séculos. .

.

.

que estourou em 1642 e resultou na substituição da monarquia por uma república temporária (Oliver Cromwell). e a Revolução Gloriosa. A queda do antigo regime – As revoluções políticas Inglaterra: As revoluções inglesas do século XVII foram duas: a Revolução Puritana. que pôs fim ao absolutismo. . consolidando a supremacia do Parlamento sobre a autoridade real. que abriram alas para a instalação do capitalismo no século seguinte. na essência. Ambas foram. revoluções burguesas. de 1688.

Seus pensadores negavam as doutrinas absolutistas e mercantilistas e apoiavam valores liberais. . liberdade e propriedade privada. logo existo) Universo com leis próprias > Newton Locke > liberalismo: contrato monarca/súditos. representando a visão de mundo da burguesia. Racionalismo > Descartes “penso. Iluminismo  O Iluminismo foi a corrente de pensamento dominante na Europa do século XVIII e defendeu o predomínio da razão sobre a fé. tanto na política quanto na economia.

laissez passer. le monde va de lui même” (“Deixe fazer. o liberalismo econômico. Adam Smith (1776): Ele condenava o mercantilismo. via o trabalho como única fonte de riqueza e pregava a livre concorrência e a não intervenção do Estado na economia. incluída no Index Librorum Prohibitorum do catolicismo em 1759. Iluminismo – Séc. governo pelo povo para o povo. Voltaire – Critico do absolutismo. fundamentando. XVIII. assim. Limitações do poder do rei a partir da criação de um parlamento. . deixe passar. Enciclopédia . o mundo vai por si mesmo”). o século das luzes  Montesquieu – Três poderes. absolutismo esclarecido. da nobreza e do clero. Liberalismo econômico – Os fisiocratas: Jacques Turgot e François Quesnay > “Laissez faire. Rousseau – Estado democrático e republicano.Denis Diderot e Jean le Rond d’Alembert. o contrato social e o desejo da maioria.

Despotismo esclarecido Seu objetivo era preservar as monarquias absolutistas europeias por meio de reformas que beneficiassem os burgueses. . o marquês de Pombal. de Portugal. Frederico II. Catarina II. Algumas das medidas adotadas por esses governantes foram a limitação do poder da Igreja Católica e a redução dos privilégios da aristocracia e do clero. da Áustria. e José II. da Prússia. da Rússia.

Veja como eles tentaram resolver o problema. cobrava impostos e incentivava a economia. era dado aos donatários. dividir o território brasileiro em 15 faixas de terra – as capitanias hereditárias (veja o mapa acima). XVI: Repleto de riquezas. especiarias e metais preciosos.Em 1548. O direito de administrá-las. repassando grande parte dos rendimentos à Coroa.  O donatário aplicava a Justiça e podia doar sesmarias (fazendas) e cobrar impostos relativos à agricultura e à exploração dos rios. em 1534. . com capital em Salvador. o Brasil era um desafio administrativo para os portugueses. Portugal resolveu impor-se para assumir o controle efetivo da administração criando o Governo-Geral. Enquanto isso no Brasil Séc. Governo-Geral . mas extenso e distante. nobres ou burgueses que se comprometiam a arcar com os gastos. Capitanias Hereditárias: o rei dom João III decidiu. A Coroa tributava a exploração de pau-brasil. com o fracasso das capitanias e o aumento das investidas estrangeiras na colônia. O governador-geral coordenava a defesa. vitalício e hereditário.

.

Pacto colonial. A produção de açúcar foi a principal atividade econômica do Brasil durante os séculos XVI e XVII. Monoculturas. sendo ultrapassada no século XVIII pela mineração. segundo o qual os brasileiros só podiam comercializar produtos com os portugueses. Açúcar: O sistema instalado foi o de plantation. cujas características eram: Latifúndio. AS VEIAS ABERTAS DO BRASIL No período em que governou o Brasil. Pau-Brasil. concentração de renda nas mãos dos senhores de engenho. Mão-de-obra escrava. de modo que esses compravam barato. . Produção para o mercado externo. vendiam caro e ainda tinham exclusividade na exportação das mercadorias do Brasil a outras nações. Portugal pôs em prática uma rentável política econômica com a finalidade de transferir as riquezas da colônia para seus cofres.

das mais variadas origens. a Espanha passou a controlar o Brasil e proibiu a Holanda de comercializar o açúcar brasileiro – ainda que os holandeses tivessem um acordo anterior com os portugueses. rumaram para lá em busca de riquezas. abundantes jazidas de ouro foram descobertas na região hoje ocupada por Minas Gerais. quando Portugal esteve submetido ao domínio espanhol. A decadência da atividade se deu por volta de 1800. a Holanda tomou posse das regiões nordestinas produtoras do açúcar.Durante a União Ibérica (1580-1640). O esgotamento das jazidas empobreceu e esvaziou as zonas de extração. pois o Sudeste passou a comprar gado do Sul e escravos do Nordeste. HOLANDESES NO BRASIL . Para garantir seus investimentos no Brasil. A mineração favoreceu o surgimento de núcleos urbanos e o aumento da população. . AS VEIAS ABERTAS DO BRASIL Mineração: Em 1693. A notícia se espalhou e milhares de pessoas. Também levou a uma integração do mercado interno.

.

. da capitania de São Vicente. dizemos que as entradas eram as campanhas oficiais financiadas pelo governo e as bandeiras resultavam da iniciativa de particulares.Interiorização As ações dos bandeirantes e dos jesuítas foram responsáveis diretas pelo processo que desconcentrou a população da colônia da faixa litorânea: Entre os séculos XVII e XVIII. Essas expedições de desbravamento do interior do Brasil ficaram conhecidas como entradas e bandeiras. principalmente. De maneira geral. partindo. exploradores paulistas penetraram nos sertões brasileiros e estenderam como nunca os limites da colônia.

.

Para aprisioná-los. Negros: Estima-se que. alimentos. tenham chegado ao Brasil 4 milhões de negros trazidos do continente africano. entre 1550 e 1850. Trabalho compulsório Por quase quatro séculos. a queima de plantações. vendidos. Moçambique e Benin. inicialmente os portugueses promoviam invasões às aldeias. cavalos e munições. milhões de indígenas e negros foram sequestrados. Costa do Marfim. comunidades autossufi cientes formadas por escravos fugidos. os atentados a feitores e a senhores e até mesmo a morte de recém-nascidos e o suicídio. Resistencia: Algumas práticas adotadas pelos negros na luta contra a escravidão eram a fuga. Congo. Angola. castigados e obrigados a trabalhar de graça para fazer girar a economia brasileira. . Mais tarde passaram a incentivar a luta entre tribos rivais para depois negociar com os vencedores a troca dos derrotados por panos. especialmente da Guiné. Mas a mais expressiva forma de resistência foi a organização dos quilombos.

.

restrita a produtos primários. o Brasil finalmente obteve a sua soberania política — mas ela não veio acompanhada da independência econômica nem de grandes transformações na estrutura social. no início de 1808. favorecendo os interesses da elite local. oFamilia Real 1808: Assim que chegou à colônia. Era dos ingleses que comprávamos quase tudo e era a eles que vendíamos a maioria de nossa produção. . agora da Inglaterra. após um longo processo. Apesar da soberania política. o monarca decretou a abertura dos portos às nações amigas. Independência política oEm 1822. Ele promoveu a independência mantendo a monarquia e o caráter agrário. oA independência do Brasil representou o triunfo do conservadorismo de José Bonifácio. o Brasil ficou praticamente livre do pacto colonial. latifundiário. Com a possibilidade de comercializar com outros países que não a metrópole. o Brasil continuou economicamente dependente. escravocrata e exportador da economia.

.

o país seria administrado provisoriamente pelas regências. Diante da ameaça de novas revoltas.1º Reinado: Pedro I Desde que recebeu a coroa. como dom Pedro IV. mas não por muito tempo:  CRISE ECONÔMICA Durante o Primeiro Reinado. Pedro. algodão. Até que o herdeiro do trono brasileiro adquirisse a maioridade. nenhum dos principais produtos de exportação do país (açúcar. dom Pedro I tentou concentrar o poder do país em suas mãos. então com 5 anos. fumo) passava por um bom momento. Voltou para a Europa e foi coroado rei de Portugal. Isso resultava em baixa capacidade de importação e falta de recursos para saldar os compromissos externos do país. Conseguiu. dom Pedro I abdicou em 7 de abril do trono brasileiro em nome do filho. .

A entrada de negros africanos no país. que reformou a Constituição de 1824. Regresso conservador: REGÊNCIA UNA DE FEIJÓ. entretanto. ao substituir a Regência Trina pela Regência Una. e aproximou o regime político em vigor do sistema republicano. Regências Trina provisória: Entre suas medidas destacaram-se a reintegração do último ministério deposto por dom Pedro I e a suspensão temporária do poder Moderador. Ele descentralizou o poder. Outra iniciativa adotada pela Regência Trina Provisória foi a proibição do tráfico de escravos. Trina Permanente: A outra foi o Ato Adicional de 1834. ao extinguir o Conselho de Estado e instituir as Assembleias Legislativas Provinciais. formada por apenas um governante. eleito pelo voto censitário para um mandato de quatro anos. continuou ocorrendo em grande escala. REGÊNCIA UNA DE ARAÚJO LIMA .

Era o fim do período regencial e o começo do Segundo Reinado. aos 14 anos. . Pedro II Com o objetivo de tentar retomar o poder. e. em julho de 1840. dom Pedro II foi declarado maior de idade. O Golpe da Maioridade beneficiou os progressistas. os progressistas deram início a uma campanha pela antecipação da posse de dom Pedro II. A causa ganhou as ruas. que foram escolhidos pelo jovem imperador para compor seu ministério.

segundo e terceiro estado: Revolução burguesa 1789 Código civil – Napoleão Queda da bastilha Declaração dos direitos do homem e do cidadão (nem todos recebiam os direitos) .Revolução francesa Primeiro.

mercado. produção Imperialismo .Revolução Industrial e capitalismo Capitalismo como modo de produção: trabalho assalariado.