You are on page 1of 24

TÊMPERA E REVENIDO

Aluna: Rafaela dos Santos Silva


Prof: Celso Alves
Metalurgia Física dos Aços

2017.2
INTRODUÇÃO
 Têmpera:
 Aumenta consideravelmente a dureza e resistência.
 É utilizada para componentes de máquinas, matrizes, aços
ferramenta.

 Revenido:
 Recupera propriedades de ductilidade e resistência ao
impacto.
 Costumam ser utilizado em aços estruturais para
construção mecânica.
TÊMPERA
Roda de trem
TÊMPERA

Eixo sem fim

Cilindro de gás
TÊMPERA

 Além da têmpera direta, existem:


 Têmpera em meio variável

 Têmpera seletiva

 Têmpera em vapor

 Têmpera interrompida
TÊMPERA

Microestrutura martensítica de um aço eutetóide obtida após


tratamento de têmpera.
TÊMPERA

Influência de diferentes microestruturas e do teor de carbono na


dureza de aços ao carbono.
TÊMPERA - RESFRIAMENTO

 Apesar do resfriamento rápido aumentar a


dureza e resistência, o mesmo provoca tensões
internas que podem ser:
 Térmicas = devido ao gradiente de temperatura entre
a superfície e o centro da peça.

 Estruturais = devido o aumento de volume após a


transformação de fase de austenita para martensita.
TÊMPERA - RESFRIAMENTO
 Recomenda-se que haja agitação do meio líquido de forma a
reduzir as camadas de vapor e bolhas.

Resfriamento de engrenagem
em meio líquido sem agitação.
TÊMPERA - RESFRIAMENTO
 Comparação de uma peça resfriada em água com outra de
mesmo material resfriada em óleo.
TEMPERABILIDADE

 Temperabilidade é a profundidade de penetração


a têmpera.
 Permite medir martensita em profundidade.

 Essa propriedade é definida pela variação de


dureza desde a superfície até o centro da peça.
ENSAIO JOMINY
ENSAIO JOMINY
ENSAIO JOMINY
REVENIDO
 A microestrutura que geralmente combina melhor as
propriedades de resistência e tenacidade é a martensita
revenida.

Micrografia de um aço
eutetóide contendo
martensita revenida a
temperatura de 150°C.
Aumento 500X.
REVENIDO
REVENIDO

 1° Estágio, até 250°C


 Ocorre precipitação de carboneto de ferro do tipo ε (Fe2-3C) e perda
parcial da tetragonalidade da martensita.

 2° Estágio, entre 200°C e 300°C


 Ocorre decomposição da austenita retida em ferrita e cementita.

 3° Estágio, entre 250°C e 350°C


 Ocorre substituição do carboneto ε pela cementita. A martensita
perde tetragonalidade.

 4° Estágio, acima de 350°C


 A cementita engrossa e esferoidiza. Ocorre recristalização da
ferrita.
REVENIDO

Micrografia de um aço AISI H10


Mod após têmpera e revenido.
REVENIDO

Gráfico de comparação de
durezas entre perlita fina,
martensita e martensita
revenida.
FRAGILIDADE DE REVENIDO
 Diversos aços, principalmente aços liga de baixo teor
em liga, adquirem fragilidade quando são aquecidos
(ou resfriados lentamente) na faixa de 375°C a 575°C.

 Aços com elevados teores de Mn, Ni e Cr também são


suscetíveis a esse problema.

 Aços ao carbono comuns com Mn<0,3% não


apresentam esse problema.
FRAGILIDADE DE REVENIDO
 A fragilidade de revenido só é revelada no ensaio de
resistência ao choque.

Curva de impacto de um aço 4140 temperado por 1 hora seguido de revenido.


CORES DO REVENIDO
 Se uma peça de aço lixada, polida ou esmerilhada for
aquecida na presença de ar, forma-se na superfície uma
película muito fina de óxido, que decompõe a luz de modo a
dar certa coloração à peça.

Cores do Temperatura
Revenido (°C)

Amarelo-claro 220
Amarelo-ouro 240
Pardo-avermelhado 260
Roxo 280
Azul 300
Azul claro 320
CONCLUSÃO
 O tratamento de têmpera confere alta dureza,
resistência à tração e ao desgaste. Porém ductilidade
e resistência ao impacto são prejudicadas.

 O revenimento, apesar de diminuir a dureza e


resistência, confere aumento de ductilidade e
resistência ao impacto.
REFERÊNCIAS
 CHIAVERINI, Vicente. Aços e Ferros Fundidos. São Paulo: ABM,
7ª Ed, 2008.

 COLPAERT, Hubertus. Metalografia dos Produtos Siderúrgicos


Comuns. São Paulo: Villares Metals, 4ª Ed, 2008.

 Notas de Aula:

Professora Najda Valéria Vasconcellos de Ávila

 Notas de Aula:

Professor Sandro Rosa Corrêa