You are on page 1of 17

PROCEDIMENTOS

ESPECIALIZADOS DE
ENFERMAGEM

Prof° Vanessa Martins


PRESSÃO INTRACRANIANA (PIC)
O crânio é definido como um sistema
fechado ,heterogêneo e dependente de
fenômenos respiratórios e circulatórios .

A cavidade craniana contém o cérebro,


que pesa aproximadamente 1400 g, 75 mL de
sangue e 75 mL de líquido cefalorraquidiano (LCR).
Estas quantidades mantêm-se relativamente
constantes. Logo, em indivíduos saudáveis, o
volume de sangue, LCR e do cérebro não
aumentam nem diminuem.
ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SNC
Telencéfalo- O telencéfalo
compreende os dois hemisférios
cerebrais,
direito e esquerdo,
e uma pequena linha mediana
situada na porção anterior do
ventr�culo.

Diencéfalo -região central do


cérebro recoberta pelos dois
hemisférios cerebrais, cortada
pelo terceiro ventrículo
cerebral, que contém o tálamo
e o hipotálamo.
O tronco encefálico, formado pelo
mesencéfalo, pela ponte e pela
medula oblonga, conecta o cérebro
à medula espinal, além de coordenar
e entregar as informações que
chegam ao encéfalo.
Controla a atividade de diversas
partes do corpo.
O mesencéfalo recebe e coordena
informações referentes
ao estado de contrações dos músculos
e à postura,
responsável por certos reflexos.
A ponte é constituída
principalmente
por fibras nervosas mielinizadas que
ligam
o córtex cerebral ao cerebelo.
O bulbo está implicado na
manutenção das
funções involuntárias, tais como a
respiração.

O cerebelo ajuda a manter o


equilíbrio e a postura.
PRESSÃO INTRACRANIANA (PIC)
Dentro do crânio temos um conteúdo normal sólido (o
cérebro) e um conteúdo líquido (o líquido cefalorraquidiano
dos ventrículos e o sangue dentro das artérias e veias). O
aumento do volume de qualquer parte do conteúdo do
crânio, eleva a pressão dentro da cabeça, comprime o
cérebro e o tronco cerebral (centro da vida), dificultando a
circulação no sistema nervoso, causando isquemia
(deficiência de oxigênio por falta de circulação).
PRESSÃO INTRACRANIANA (PIC)
A pressão Intracraniana é resultante da presença de 3 componentes
dentro da caixa craniana:

Líquido Parenquimatoso: Constituído pelas estruturas encefálicas

Líquido liquórico : Constituído pelo líquido cefalorraquidiano (LCR) das cavidades


ventriculares e espaço subaracnóide

Líquido Vascular: Caracterizante pelo sangue circulante.

A pressão intracraniana (PIC), medida em mmHg, é descrita como a pressão


que o crânio exerce sobre o tecido cerebral, líquido cefalorraquidiano e sobre o
sangue circulante no cérebro. O organismo consegue manter os valores da PIC
dentro dos parâmetros normais através de mecanismos de auto regulação.
PRESSÃO INTRACRANIANA (PIC)

A monitorização da (PIC) visa estabelecer os níveis de pressão e também


orienta e racionaliza o emprego das medidas terapêuticas, além de avaliar sua
eficácia ao longo do tratamento. O grande objetivo é despistar precocemente
a Hipertensão Intracraniana(HIC).
CAUSAS DE HIC
• Hidrocefalia ( excesso de LCR presente na cavidade no SNC)
• Obstrução na ventilação;
• Convulsões;
• Edema Cerebral;
• Acumulação de sangue no crânio devido a hemorragia intracraniana;
• Qualquer tipo de meningite;
• Tumor Intracraniano;
• Acidente Vascular Encefálico;
• Cirurgias Intracranianas;
SINAIS E SINTOMAS DE HIC

• Mais frequentes:
• Cefaléia;
• Náuseas;
• Alterações mentais ( déficit de memória, desorientação, apatia, depressão.
• Alterações de personalidade;
• Alterações dos nervos cranianos;
• Crises convulsivas;
• Alterações de nível de consciencia;
• (agitação, sonolência, coma);
SINAIS E SINTOMAS DE HIC

• Triade de Cushing ( HAS, bradicardia, e alterações do padrão respiratório)

• Alterações do padrão respiratório hiperventilação,

• Alterações pupilares( anisocoria, midríase, e alteração de fotorreação)


HIPERTENSÃO INTRACRANIANA
A elevação da HIC é caracterizada pela elevação da PIC .
Os valores de referência para o tratamento da HIC devem ser
acompanhados pelo monitoramento da PIC com valores de:

PIC <10 mmhg Valor Normal

PIC entre 11 e 20 mmhg Levemente Elevada

PIC entre 21 e 40 mmhg Moderadamente Elevada

PIC > 41 mmhg Gravemente Elevada


O diagnostico pode ser feito mediante:

• Levantamento de dados do histórico do paciente;

• Exame físico geral e neurológico;

• Tomografia computorizada;

• Ressonância magnética;

• Doppler transcraniano;

• Exame de fundo de olho.


CUIDADOS DE ENFERMAGEM PARA
PACIENTES COM HIPERTENSÃO
INTRACRANIANA E SUA MONITORIZAÇÃO
• Monitorar o quadro neurológico;
• Monitorar a pressão intracraniana e checar seu sistema, garantindo a
precisão da leitura;
• Anotar o aspecto e o volume do liquido cefalorraquidiano;
• Manter a permeabilidade do cateter inserido no ventrículo;
• Anotar em prontuário do paciente as medidas de PIC;
• Manter o paciente com a cabeça elevada a 30º;
• Manter o alinhamento da cabeça do paciente com o resto do corpo,
evitando a flexão do pescoço e a rotação da cabeça;
• Avaliar presença ou ausência de movimentos involuntários, como
convulsões espasmos, decorticação e descerebração;
• Avaliar a presença ou ausência de reflexos;
• Avaliar parâmetros hemodinâmicos e anota-los no
prontuário do paciente;
• Evitar manobras que possam alterar a pressão
intratorácica, causando interferência na pressão
intracraniana, reflexo de vomito, reflexo de tosse, reflexo do
quadril;
• Monitorar ventilação mecânica, se for o caso;
• Manter vias aéreas permeável;
• Avaliar nível de sedação utilizando escala preconizada
pela instituição de saúde (escala de Ramsay);
• Acompanhar resultados de exames laboratoriais e de
imagem;
• Trocar diariamente o curativo da inserção do cateter de monitorização;

• Avaliar o paciente quanto ao risco de desenvolver úlcera por pressão;

• Utilizar procedimentos para ingestão alimentar e hídrica;

• Controlar rigorosamente eliminações vesicointestinal;

• Manter o paciente e familiares orientados quanto aos procedimentos que


estão sendo realizados.
• Além da mensuração da pressão intracraniana, a equipe de enfermagem
é responsável pela manutenção do paciente de forma integral, garantindo
avaliações vitais constantes e realização de procedimentos que permitem
sua recuperação e a elevação de sua qualidade de vida.

• Somente com a ampliação de conhecimentos teórico-científicos e práticos


os profissionais de enfermagem conseguirão desempenhar suas atividades
de modo correto, sem ocasionar atos de negligencia, imprudência ou
imperícia.