You are on page 1of 12

O Processo de socialização contemporâneo: Implicações para aEducação

Rodrigo Pelegrini Ratier

Elaborado por Isabel Pereira dos Santos


A socialização é um tema bem explorado no campo da sociologia da educação.

Na atualidade o debate sobre suas especificidades parece tímido.

Hipóteses: Uma nova arquitetura do social, marcada pela centralidade da cultura


na construção das subjetividades, opera uma dupla transformação:

1. Potencializa a força socializadora de instituições como a mídia e as religiões

2. Amplia a capacidade reflexiva dos indivíduos

Proposta:

1. Rediscussão do conceito de socialização

3. Análise das implicações dessa nova configuração social para o campo da


educação
Conceito de Socialização

Em sua contribuição fundamental com relação ao


envolvimento entre indivíduo e sociedade, Émile
Durkheim define a socialização como o conjunto de
processos de integração do indivíduo aos grupos
sociais.

Originalmente parte da concepção dual do indivíduo


como um ser individual e um sersocial

Segundo Durkheim a vida em sociedade supõe uma


consciência coletiva, que os enquadra
compulsoriamente na forma de regras e normas.

O indivíduo seria um executor das estruturas de


reprodução e manutenção da ordem social.
Subjetivismo Weberiano faz oposição às concepções de
Durkheim: O social só pode ser apreendido por meio
das ações dos indivíduos.

Impasse das duas posições:

6.De um lado, o social determinando o indivíduo

8.De outro, o indivíduo determinando o social

Caminho do meio: Karl Marx eEngels

Autonomia relativa: Pierre Bordieu propõe o conceitode


habitus e reintroduz a ação humana como construtora
da realidade, ainda que essa ação seja limitada por
determinantes sociais.

Setton: O conceito de habitus “ainda pode dar conta da


especificidade da formação da identidade pessoal e
grupal dos indivíduos na contemporaneidade.”
Socialização contemporânea e educação

A concepção de educação como processo de desenvolvimento é ressaltada por


José Carlos Libâneo . Relembra ainda o sentido etimológico do termo educatio:
“Cuidados que se aplicam aos educandos visando adaptar seu comportamento a
expectativas e exigências de um determinado meio social.“
Também reitera-se a concepção do ato educativo como um processo relacional
indivíduo-sociedade, apontando para a semelhança entre educação e socialização.

Dubet assinala que se segue em curso um progressivo processo de


desinstitucionalização , ocorrendo a perda das instâncias tradicionais (família e escola

O ritmo frenético do avanço tecnológico também põe por terra o paradigma deque
o vetor educativo é unidirecional, sempre dos mais velhos para os mais novos.
O papel da escola nacontemporaneidade

Bordieu alerta para a essência da não neutralidade da transmissão realizada por


Meio do sistemaescolar.

Charlot acentua a dimensão política da educação escolar, afirmando que as idéias,


modelos e normas sociais que a escola inculca na criança reforçam a ideologia
dominante.

Libâneo aponta que uma das principais consequências da introdução de novos


atores...no campo educacional foi a redução da distância entre a educação formal,
não-formal e informal, que no ambiente escolar passaram a se interpenetrar cada
vez está cada vez mais na educação

Em relação ao saber midiático, Gadotti afirma que: “A mídia na educação está cada
vez mais presente, mas não produziu ainda as mudanças necessárias no currículo
escolar, na pedagogia e na metodologia. Houve poucos avanços em termos práticos.”
Perspectiva sobre a especificidade da socialização escolar na contemporaneidade

Citelli: “A escola continuará, para se fazer uso de uma redundância formal, mas
com carga significativa ampliadora, sendo escola, portanto, locus de
sistematização e, sobretudo, produção de saber. A “leitura” dos sistemas de
comunicação, no seu compósito de produção, circulação e, sobretudo, recepção,
deve estar integrada aos fluxos crítico-dialógicos dos demais discursos com os
quais a escola trabalha.”

Refletir, dentro da escola, sobre os saberes oriundos da educação informal e não


formal à luz dos sistemas de percepção, pensamento e ação transmitidos pela
própria escola, as matrizes erudita e popular serão postas em contato.

Vendo-as sob a ótica do reconhecimento mútuo, a escola pode deixar de ser o


lugar de consagração da distinção para tornar-se uma instância socializadora
dedicada ao entendimento mútuo e à redução das desigualdades.
Comunicação: A mediação escolar

Programas específicos de comunicação e educação procuram dar uma nova feição a


esse papel escolar problematizando a influência midiática e analisando seu potencial
socializador com maior complexidade.

O que écomunicação?

Etimologia: Deriva do substantivo latino communicationem, “a ação de tornarcomum

Comunicação:

• Manipulatória
• Participativa
Recepção: As diferentes concepções Intermediários na comunicação: do
estímulo-resposta às mediações
• Teoria da Informação
Que tipo de (re)ação provoca no receptor a
•Recepção passiva mensagem emitida pelos meios de
comunicação?
•Teoria da manipulação
•Teoria da persuaasão • One-step flow of communication
•Teoria crítica • Two-step flow of communication
•Teoria Estuturalista (LouisAlthusser) • Agenda setting

•Teoria do diálogo • Martín-Barbero: Teoria das mediações

•Diálogo entre antagonistas •Guillermo Orozco: Teoria das múltiplas


•Desconfiança no diálogo mediações

•Teoria dos estudos culturais


Recepção, mediação e produção de sentido Charaudeau: A construção dos sentidos se
desdobra em três processos:
Citelli: “a única coisa que a comunicação e a
educação produzem são as representações • Processo de transformação
da linguagem.” • Processo de transação
• Processo da interpretação
Bordieu e Balandier: “as representações são
imagens mentais que constroem uma Duas implicações advindas da
organização do real. reconceitualização de linguagem como
interação social . Quando iluminamos o
Charaudeau: “elas (as representações) receptor:
estão incluídas no real ou mesmo dadas •É que o ato de comunicar passa a ser uma
como se fossem o próprio real.” escolha de sentidos para influenciar o
outro.
Bakhtin: •É que não se pode falar em receptor ideal:
ele existe apenas como alvo imaginado pelo
1.“Não existe conteúdo fora da emissor.
expressão...”
2.A interação verbal constitui assim, a Nesse sentido, os efeitos do discurso são
realidade fundamental da língua.” apenas efeitos supostos. Os efeitos de fato
produzidos no receptor real podem se
afastar dos efeitos supostos.
Mediação escolar: como a escola tem Martinez de Toda cria duas categorias para
trabalhado a comunicação agrupar os programas de educação para os
meios na América Latina:
Jesús Martín-Barbero: “O livro continua e • Metodologia crítica
continuará sendo a chave da primeira • Metodologia Progressista
alfabetização formal,...segunda
alfabetização...hoje conformando o mundo •Nos anos 90 surge uma terceira área de
do audiovisual e da informática.(...) intervenção sociopedagógica: Gestão
...pluralidade de escritas que passa, hoje, a comunicativa , coordenada por Soares.
construção de cidadãos que saibam ler
tanto jornais como noticiários de televisão, Da consolidação desta área surgiu um novo
videogames, videoclipes e hipertextos.” campo do conhecimento, o da
educomunicação, definido como “O
Segundo Soares houveram importantes conjunto das ações inerentes ao
iniciativas de aproximar comunicação e planejamento, implementação e avaliação
educação: de processos, programas e produtos
•Mediações tecnológicas nos espaços destinados a criar e a fortalecer
educativos ecossistemas comunicativos em espaços
•Educação para a comunicação educativos presenciais ou virtuais, assim
•Estudos da recepção com duas vertentes: como melhorar o coeficiente comunicativo
• Culturalista das ações educativas, incluindo as
• Dialética relacionadas ao uso dos recursos da
informação no processo de aprendizagem.”
Considerações Finais

•Percepção da presença de um grau não desprezível de senso crítico e capacidade


questionadora dos jovens analisados.

•Considera o papel central dos meios de comunicação na formação de valores, idéias e


modelos de conduta dos jovens.

•O autor concorda com Soares e Penteado, afirmando que a gestão da comunicação e a


metodologia de comunicação escolar podem ser excelentes ferramentas para mediação
de conflitos, idéia confirmada por este trabalho, que aponta os avanços na comunicação
interpessoal e grupal em sala de aula como uma das principais conquistas do período de
aulas.