You are on page 1of 9

Relação de Euler e

Prisma
Relação de Euler
 O matemático suíço Leonhard Euler (1707-1783) encontrou uma relação entre os vértices,
arestas e faces de qualquer poliedro convexo. Vamos então relembrar algumas definições:

 Poliedro: são sólidos formados pelo encontro de planos;

 Poliedro convexo: um poliedro é dito convexo se suas faces não formam nenhuma “cavidade”.
Exemplo de um poliedro não convexo:

 Esse poliedro apresenta uma “concavidade” que o caracteriza como um poliedro não convexo
 Esse poliedro apresenta uma “concavidade” que o caracteriza como um poliedro não convexo
Esse poliedro apresenta uma
“concavidade” que o  Vértice: é formado pelo encontro de duas retas (arestas);
caracteriza como um
poliedro não convexo

 Arestas: é a reta formada pelo encontro de duas faces;

 Face: é cada região plana do poliedro, delimitada por arestas.


No paralelepípedo a seguir, vamos
identificar o número de faces, arestas e
vértices:
 No paralelogramo, há 6 “lados”
retangulares que representam as faces,
assim como a face rosa já contabilizada.
Os 12 segmentos de reta pretos
representam as arestas, e os 8 pontos
vermelhos representam os vértices.
Vejamos o que acontece com um
prisma de base pentagonal:

O prisma de base pentagonal possui 7 faces, 10 vértices


e 15 arestas. Se você observar bem, nesses dois
exemplos há uma relação entre o número de vértices e
faces e o número de arestas. Vejamos:

Paralelogramo → 8 V e 6 F ←→ 12 A

Prisma de Base Pentagonal → 10 V e 7 F ←→ 15 A

Some os números de vértices e faces e compare-os com


o número de arestas. Você verá que a soma será duas
unidades maior que o número de arestas. Se
generalizarmos essa ideia, teremos:
V+F=A+2
Prisma - Figura Geométrica

 O prisma é um sólido geométrico que faz parte dos estudos de


geometria espacial.
 É caracterizado por ser um poliedro convexo com duas bases
(polígonos iguais) congruentes e paralelas, além das faces planas
laterais (paralelogramos).
Composição do Prisma

Os elementos que compõem o prisma são:


base, altura, arestas, vértices e faces laterais.
Assim, as arestas das bases do prisma são os
lados das bases do polígono, enquanto que
as arestas laterais correspondem aos lados
das faces que não pertencem às bases.
Os vértices do prisma são os pontos de
encontro das arestas e a altura é calculada
pela distância entre os planos das bases.
Ilustração de um prisma e seus elementos
Bases do Prisma

 De acordo com o formato das bases, os primas são classificados em:


Prisma Triangular: base formada por triângulo.
Prisma Quadrangular: base formada por quadrado.
Prisma Pentagonal: base formada por pentágono.
Prisma Hexagonal: base formada por hexágono.
Prisma Heptagonal: base formada por heptágono.
Prisma Octogonal: base formada por octógono.
Fórmulas do Prisma
Áreas do Prisma

 Área Lateral: para calcular a área lateral do prisma, basta somar as áreas
das faces laterais. Num prisma reto, que possui todas as áreas das faces
laterais congruentes, a fórmula da área lateral é:
Al = n . a

 n: número de lados
a: face lateral
 Área Total: para calcular a área total de um prisma, basta somar as áreas
das faces laterais e as áreas das bases:
At = Sl+ 2Sb

 Sl: Soma das áreas das faces laterais


Sb: soma das áreas das bases
Fórmulas do Prisma
Volume do Prisma

 O volume do prisma é calculado pela seguinte fórmula:

V = Ab.h

 Ab: área da base


 h: altura