You are on page 1of 22

A importância das trocas comerciais Norte-Sul

Introdução:
Com este trabalho pretendemos dar a conhecer mais
profundamente a importância das trocas comerciais Norte-Sul. À
medida que vamos avançando com o trabalho iremos explorar diversos
conceitos, medidas, causas e consequências relacionadas com esta
temática.
Definição de Terceiro Mundo:
A expressão “Terceiro Mundo” surgiu na época da Guerra Fria e
designa os países que não estavam nem do lado dos EUA nem do lado
da URSS, os chamados “não-alinhados”.
Do Terceiro Mundo fazem parte os países que possuem
economia subdesenvolvida ou em desenvolvimento, geralmente países
localizados na América Latina, África e Ásia. A expressão foi criada a
partir da observação em que se constatou que existia uma enorme
disparidade política, económica e social entre o norte e o sul.
Norte-Sul
Os países do Norte (azul) são
caracterizados pelo elevado Produto Interno
Bruto (PIB) e pelas condições históricas de
poder e acúmulo de riquezas. São
representados, em geral, pelos Estados
Unidos, União Europeia e Japão.
Os países do Sul (vermelho)
apresentam as maiores taxas de pobreza,
violência e problemas socias do planeta. A sua
situação de dependência económica deve-se
aos processos de colonização impostos pelas
nações consideradas desenvolvidas. Entre os
países do sul, existem aqueles países
chamados “emergentes” ou em
desenvolvimento, são os BRICS (Brasil, Rússia,
Índia, China e África do Sul), os Tigres
Asiáticos e o México.
A evolução dos países do Terceiro Mundo no comércio
mundial
Após a II Guerra Mundial assistiu-se a um aumento das trocas
internacionais aumentando também o peso dos países do Terceiro
Mundo nessas trocas.
Neste contexto estes países tiveram algum crescimento
económico e desenvolvimento, o que se traduziu na melhoria da
qualidade de vida da população de alguns destes países. No entanto,
entre 1953 e 1973 a participação do Terceiro Mundo no comércio
mundial começou a diminuir, aumentando ainda mais a dependência
económica destes países.
As causas desta dependência económica são:
Os choques petrolíferos provocaram um aumento do valor da
exportação mas a descida de preço na década de 80 levou a uma
substituição destes produtos por produtos manufaturados dos NPI;
O aumento da dependência económica do Terceiro Mundo face à
instabilidade dos preços dos produtos brutos (agrícolas, minerais,
energéticos);
A deterioração dos termos de troca;
As causas desta dependência económica são:
O aumento do défice da balança comercial;
O repartimento dos lucros das ETN, que enviam para as suas
sedes (localizadas nos países industrializados) os ganhos resultantes da
exploração de mão-de-obra barata e dos baixos custos de produção nos
países em desenvolvimento;
O aumento da dívida externa, provocada por empréstimos que
têm como objetivo atenuar o défice comercial e financiar o processo de
desenvolvimento.
A Balança Comercial
O funcionamento dos mercados mundiais nos últimos 50 anos
conduziu ao desequilíbrio da balança comercial. Nos países em
desenvolvimento o valor das importações tornou-se superior aos das
exportações e a balança comercial é negativa, pois entram mais
produtos do que aqueles que saem.
Divisão Internacional do Trabalho
No final do século XV as trocas comerciais assentavam na
circulação e na distribuição de mercadorias entre metrópoles e
colónias. Os vários países do mundo passaram a desenvolver funções
diferenciadas, uma vez que cada uma se especializou em fornecer
produtos manufaturados, matérias-primas, metais preciosos, etc.
Os diferentes papéis assumidos pelos países inauguraram a
divisão internacional do trabalho, inicialmente caracterizada pela
exportação de manufaturas pelas metrópoles e pela produção de
matérias-primas pelas colónias.
A primeira DIT corresponde ao final do século XV e ao longo do
século XVI, no qual o capitalismo estava em fase inicial, chamada de
capitalismo comercial. Era caraterizado pela produção manual a partir
da extração de matérias-primas como minérios e metais preciosos.

A segunda DIT ocorre a partir do século XVII, com a Primeira e a


Segunda Revolução Industrial. As colónias e os países subdesenvolvidos
passaram a fornecer produtos agrícolas, assim como vários tipos de
minerais e especiarias.
Finalmente, a terceira DIT ou “Nova DIT” surge no século XX, com
a Terceira Revolução Industrial e a consolidação do capitalismo
financeiro, que permitiu a expansão das grandes multinacionais pelo
mundo. Nesse período, os países subdesenvolvidos iniciam seus
processos tardios de industrialização.
Tal acontecimento foi possível graças à abertura do mercado
financeiro nestes países e pela instalação de empresas multinacionais,
oriundas dos países desenvolvidos.
Causas da deterioração dos termos de troca:
Estrutura das exportações: Devido ao seu grau de
especialização, os PED exportam produtos brutos a baixo valor, cujos
preços são muito inferiores aos dos produtos manufaturados que
importam;
O aumento da oferta de produtos brutos: dominam as
exportações dos PED e inundam verdadeiramente os mercados,
fazendo baixar os preços nos mercados internacionais;
A diminuição da procura dos produtos exportados pelos PED:
com a inovação tecnológica;
A substituição de algumas matérias-primas por produtos
sintéticos;
As restrições no acesso aos mercados dos países do Norte: as
medidas restritivas impostas pelos países desenvolvidos sobre a
importação e o consumo de certos produtos oriundos dos PED
reduzem a capacidade competitiva dos países do Sul;
Causas e consequências do endividamento do Terceiro
Mundo:
Causas:
Subida das taxas de juro: o que se traduz num agravamento dos
encargos com a dívida, tendo alguns países de recorrer a novos
empréstimos;

Valorização do dólar: como a maioria dos empréstimos é feita


em dólares, a subida do dólar provoca um agravamento da dívida;
Redução do preço dos produtos primários e manufaturados:
com a consequente deterioração dos termos de troca dos PED e
diminuição das receitas das exportações;

Políticas Internas: baseadas na exportação de matérias-primas


valorizadas no mercado internacional de forma cíclica.
Consequências a nível:
Económico: com a diminuição do investimento e da capacidade
de importação;

Social: com o aumento da pobreza e da exclusão social, bem


como da degradação do nível de vida das populações.
Medidas tomadas para combater o endividamento do
Terceiro Mundo:
A atribuição aos países devedores de créditos com condições de
pagamento mais adequadas – esta medida foi defendida pelos EUA,
argumentando que a transferência de fundos do Norte para o Sul era a
única forma de assegurar o desenvolvimento;
O reescalonamento da divida – foram renegociados novos prazos
de pagamento;
A aplicação de programas de ajustamento estrutural (PAE) – que
consistiram num conjunto de medidas impostas pelo FMI aos países
endividados na tentativa de melhorar o desempenho económico, mas
traduziu-se no agravamento das condições de vida das populações;

O perdão parcial da dívida – os países e os organismos


internacionais doadores aceitaram perdoar parte da divida externa.
O comércio justo:
Para os defensores do Comércio Justo, o modelo atual de
comércio internacional prejudica os pequenos produtores dos países
em desenvolvimento.
O circuito dos “produtos justos” organiza-se em três momentos e
definem a distribuição dos lucros.
Em primeiro lugar, estão os pequenos produtores dos países do
Sul. Estes reúnem-se em cooperativas, que encaminham os produtos
para os intermediários.
Depois, os produtos são encaminhados para as organizações
importadoras, que servem como intermediários: recebem os produtos
das cooperativas, financiam o seu transporte e distribuem os mesmos
pelas associações nos países do Norte.
Finalmente, já nas mãos das associações, os produtos são
disponibilizados aos consumidores através das Lojas do Mundo.
O preço final é definido com base neste circuito, sendo que se
procura uma distribuição do lucro baseado numa lógica de equidade:
33% dos lucros revertem para o produtor, 33% para o intermediário e
33% na venda final.
Conclusão:
Com este trabalho concluímos que, apesar dos avanços económicos,
industriais e sociais ocorridos em todo o mundo, continuam a existir
várias discrepâncias entre os países Norte-Sul, isto é, há uma grande
dependência dos países em desenvolvimento face aos países
desenvolvidos.
Trabalho realizado por:
Ana Pinto nº2 12ºH
Beatriz Matos nº3 12ºH
Henrique Barros nº11 12ºH
Rita Araújo nº 21 12ºH
Vanessa Morais nº24 12ºH