You are on page 1of 30

RECURSOS HÍDRICOS

IMPACTO DO LANÇAMENTO DE EFLUENTES NO CORPO


RECEPTOR
A introdução de matéria
orgânica em um corpo
d'agua resulta,
indiretamente, no consumo
de oxigênio dissolvido.
ao degradarem a matéria orgânica.
Tal fato se deve aos
processos de estabilização
da matéria orgânica
realizados pelas bactérias
decompositoras, as quais
utilizam o oxigênio
disponível no meio líquido
para a sua respiração.
RECURSOS HÍDRICOS
IMPACTO DO LANÇAMENTO DE EFLUENTES NO CORPO
RECEPTOR

Sob este aspecto, águas poluídas


são aquelas que apresentam
baixa concentração de oxigênio
dissolvido (devido ao seu
consumo na decomposição de
compostos orgânicos).
Águas limpas apresentam
concentrações de oxigênio
dissolvido elevadas, chegando até
a um pouco abaixo da
concentração de saturação.
RECURSOS HÍDRICOS
IMPACTO DO LANÇAMENTO DE EFLUENTES NO CORPO
RECEPTOR
O oxigênio é indispensável também para todos os seres
vivos em ambiente aquático, especialmente os peixes, onde
a maioria das espécies não resiste a concentrações de
oxigênio dissolvido na água inferiores a 4,0 mg/L. É,
portanto, um parâmetro de extrema relevância na legislação
de classificação das águas naturais, bem como na
composição de índices de qualidade de águas (IQAs).

ODmín = 4,0 mg/L


RECURSOS HÍDRICOS
IMPACTO DO LANÇAMENTO DE EFLUENTES NO CORPO
RECEPTOR

Após o lançamento dos esgotos, o curso d’água poderá se


recuperar por mecanismos puramente naturais, constituindo o
fenômeno da autodepuração. É de grande importância o
conhecimento do fenômeno de autodepuração e da sua
quantificação, tendo em vista os seguintes objetivos:
- Utilizar a capacidade de assimilação dos rios;
- Impedir o lançamento de despejos acima do que possa suportar
o corpo d'água.

CONAMA - Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de


efluentes.
- RESOLUÇÃO Nº 430/ 2011.
- RESOLUÇÃO Nº 357/ 2005.
- RESOLUÇÃO Nº 20 DO CONAMA.
RECURSOS HÍDRICOS
IMPACTO DO LANÇAMENTO DE EFLUENTES NO CORPO
RECEPTOR

No ponto em que os esgotos serão misturados com o corpo


d´água, são calculadas as seguintes concentrações:

• Concentração de OD (oxigênio dissolvido) - é o elemento


principal no metabolismo dos microrganismos aeróbios que
habitam as águas naturais ou os reatores para tratamento
biológico de esgotos. A concentração de oxigênio dissolvido
é também o parâmetro fundamental nos modelos de
autodepuração natural das águas.
RECURSOS HÍDRICOS
IMPACTO DO LANÇAMENTO DE EFLUENTES NO CORPO
RECEPTOR

• Concentração de DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio):


A quantidade de oxigênio dissolvido na água necessária para a
decomposição da matéria orgânica. É usado para estimar a carga
orgânica dos efluentes e dos recursos hídricos, e com esses
valores é possível calcular qual a necessidade de aeração
(oxigenação) para degradar essa matéria orgânica nas Estações
de Tratamento de Esgoto (ETE’s).
RECURSOS HÍDRICOS
IMPACTO DO LANÇAMENTO DE EFLUENTES NO CORPO
RECEPTOR

Para a determinação da concentração de


oxigênio dissolvido em águas são
disponíveis:
o método eletrométrico (NBR 9251) -
oxímetros ou medidores de OD - a sonda
do eletrodo possui uma membrana que
adsorve seletivamente o oxigênio, tendo
por base o seu raio de difusão molecular;
RECURSOS HÍDRICOS
IMPACTO DO LANÇAMENTO DE EFLUENTES NO CORPO
RECEPTOR

Para a determinação da concentração de oxigênio


dissolvido em águas são disponíveis:

o método químico - O
método químico utilizado é o
conhecido método de
Winkler modificado pela
ázida de sódio.
RECURSOS HÍDRICOS
AUTODEPURAÇÃO

A autodepuração é um processo natural, no qual cargas


poluidoras, de origem orgânica, lançadas em um corpo
d’água são neutralizadas. De acordo com Sperling (1996), a
autodepuração pode ser entendida como um fenômeno de
sucessão ecológica, em que o restabelecimento do equilíbrio
no meio aquático, ou seja, a busca pelo estágio inicial
encontrado antes do lançamento de efluentes, é realizada
por mecanismos essencialmente naturais.

No processo de autodepuração, há um balanço entre as


fontes de consumo e de produção de oxigênio.
RECURSOS HÍDRICOS
AUTODEPURAÇÃO

FONTES DE CONSUMO DE OXIGÊNIO NA ÁGUA.

• A decomposição da matéria orgânica por microorganismos


aeróbios corresponde a um dos mais importantes processos
integrantes do fenômeno da autodepuração. Esse processo é
responsável pelo decréscimo nas concentrações de oxigênio
dissolvido na água devido à respiração dos microorganismos, que
por sua vez decompõem a matéria orgânica. É uma forma de
transformar poluentes em compostos menos indesejáveis ao meio
ambiente;
RECURSOS HÍDRICOS
AUTODEPURAÇÃO

FONTES DE CONSUMO DE OXIGÊNIO NA ÁGUA.

• A nitrificação - é o processo pelo qual bactérias autotróficas


(Nitrosomonas e Nitrobacter), utilizam o oxigênio dissolvido para
transformar formas nitrogenadas de matéria orgânica em nitritos
(NO2-) e nitratos (NO3) O consumo de oxigênio por estas reações
é denominado demanda nitrogenada ou demanda de segundo
estágio, por ocorrer numa fase posterior a das reações de
oxidação da matéria orgânica carbonácea;
• A demanda bentônica - A matéria orgânica decantada também
pode consumir oxigênio dissolvido, e nesse caso, essa demanda.
RECURSOS HÍDRICOS
QUALIDADE DAS ÁGUAS

O processo ocorre da seguinte forma: inicialmente os


microorganismos utilizam o oxigênio dissolvido (OD) para
transformar o carbono em CO2 e depois para transformar os
compostos nitrogenados em nitratos (NO3-) e nitritos (NO2-).

Essas transformações são essenciais na determinação da


DBO, que se divide em demanda carbonácea (presença de
CO2) e demanda nitrogenada (nitratos e nitritos).
RECURSOS HÍDRICOS
COMO FUNCIONA O PROCESSO DE AUTODEPURAÇÃO?

Primeiro é preciso compreender as fontes de oxigênio nas


águas (PRODUÇÃO).

- O oxigênio se dissolve nas águas naturais proveniente da


atmosfera, devido à diferença de pressão parcial. Essa taxa
depende das características hidráulicas e é proporcional à
velocidade.
- Fotossíntese de algas. Ocorre em maior extensão em águas
poluídas ou, mais propriamente, em águas eutrofizadas. A
contribuição fotossintética de oxigênio só é expressiva após
grande parte da atividade bacteriana na decomposição de
matéria orgânica ter ocorrido.
RECURSOS HÍDRICOS
RECURSOS HÍDRICOS
MECANISMOS DE AUTODEPURAÇÃO

• O processo de autodepuração se desenvolve ao longo do


tempo e da direção longitudinal do curso d’água. Os estágios
de sucessão ecológica presentes nesse processo são
fisicamente identificados por trechos esses trechos como
zonas de autodepuração e os divide em:

• Zona de águas limpas - localizada em região à montante do


lançamento do efluente (caso não exista poluição anterior) e
também após a zona de recuperação. Essa região é
caracterizada pela elevada concentração de oxigênio
dissolvido e vida aquática superior;
RECURSOS HÍDRICOS
MECANISMOS DE AUTODEPURAÇÃO

• Zonas de autodepuração :

• Zona de degradação - localizada à jusante do ponto de


lançamento, sendo caracterizada por uma diminuição inicial
na concentração de oxigênio dissolvido e presença de
organismos mais resistentes;

• Zona de decomposição ativa - região onde a concentração


de oxigênio dissolvido atinge o valor mínimo e a vida
aquática é predominada por bactérias e fungos
(anaeróbicos);
RECURSOS HÍDRICOS
MECANISMOS DE AUTODEPURAÇÃO

• Zonas de autodepuração :

• Zona de recuperação - região onde se inicia a etapa de


restabelecimento do equilíbrio anterior à poluição, com
presença de vida aquática superior.
RECURSOS HÍDRICOS
MECANISMOS DE AUTODEPURAÇÃO

• Os pesquisadores Streeter e Phelps desenvolveram um modelo


em 1925, que propiciou grande impulso para o entendimento do
fenômeno de autodepuração em águas receptoras de cargas
poluentes.
Esse modelo considera, no balanço do oxigênio, apenas dois
processos: o consumo de oxigênio, pela oxidação da matéria
orgânica durante a respiração, e a produção de oxigênio, pela
reaeração atmosférica. Além disso, o modelo adota as seguintes
simplificações:
• Sistema unidimensional;
• Regime permanente com vazão e seção constante;
• Lançamento do efluente pontual e constante.
RECURSOS HÍDRICOS

Cc - concentração crítica
Cr -concentração de OD a montante
Co – concentração de OD na mistura
RECURSOS HÍDRICOS
Qualidade das águas Após o lançamento vai havendo
um decréscimo de oxigênio
dissolvido devido ao consumo do
oxigênio devido a DBO até chegar
um ponto mínimo. Ao mesmo
templo sempre existe a aeração
que vai fornecendo oxigênio à
água. No começo o consumo de
oxigênio é maior que o
fornecimento de oxigênio pela
aeração e o oxigênio dissolvido
vai diminuindo até um limite
crítico, que é chamado de déficit
crítico de oxigênio. Depois,
começa a prevalecer o oxigênio
fornecido pela aeração e o rio vai
se recompondo de oxigênio até
chegar ao estado inicial. Tudo isto
é o que chamamos autodepuração
dos cursos de água.
RECURSOS HÍDRICOS
AUTODEPURAÇÃO

A taxa de reintrodução de oxigênio dissolvido em águas


naturais através da superfície, depende das características
hidráulicas e é proporcional à velocidade.
RECURSOS HÍDRICOS
QUALIDADE DAS ÁGUAS

Fotossíntese de algas.

Este fenômeno ocorre em maior


extensão em águas poluídas
ou, mais propriamente, em
águas eutrofizadas, ou seja,
aquelas em que a
decomposição dos compostos
orgânicos lançados levou à
liberação de sais minerais no
meio, especialmente os de
nitrogênio e fósforo que são
utilizados como nutrientes pelas
algas.
RECURSOS HÍDRICOS
QUALIDADE DAS ÁGUAS

Esta fonte não é muito significativa nos trechos iniciais de


rios à jusante de fortes lançamentos de esgotos. A turbidez e
a cor elevadas dificultam a penetração dos raios solares e
apenas poucas espécies resistentes às condições severas de
poluição conseguem sobreviver. A contribuição fotossintética
de oxigênio só é expressiva após grande parte da atividade
bacteriana na decomposição de matéria orgânica ter
ocorrido, bem como após terem se desenvolvido também os
protozoários que, além de decompositores, consomem
bactérias clarificando as águas e permitindo a penetração de
luz.
RECURSOS HÍDRICOS
QUALIDADE DAS ÁGUAS

Este efeito pode “mascarar” a avaliação do grau de poluição


de uma água, quando se toma por base apenas a
concentração de OD. Sob este aspecto, águas poluídas são
aquelas que apresentam baixa concentração de OD (devido
ao seu consumo na decomposição de compostos orgânicos),
enquanto que as águas limpas apresentam concentrações de
oxigênio dissolvido elevadas, chegando até a um pouco
abaixo da concentração de saturação. No entanto, uma água
eutrofizada pode apresentar concentrações de oxigênio bem
superiores a 10 mg/L, mesmo em temperaturas superiores a
20°C, caracterizando uma situação de supersaturação. Isto
ocorre principalmente em lagos de baixa velocidade, onde
chegam a se formar crostas verdes de algas à superfície.
RECURSOS HÍDRICOS
Qualidade das águas

A principal fonte de matéria orgânica nas águas naturais é,


sem dúvida, a descarga de esgotos sanitários. No Brasil, a
grande maioria dos municípios não possui sistema de
tratamento de esgotos.
Em um esgoto predominantemente doméstico, 75% dos
sólidos em suspensão e 40% dos sólidos dissolvidos são de
natureza orgânica. Estes compostos são constituídos
principalmente de carbono, hidrogênio e oxigênio, além de
outros elementos como nitrogênio, fósforo, enxofre, ferro, etc.
Os principais grupos de substâncias orgânicas encontradas
nos esgotos são carboidratos (25 a 50%), proteínas (40 a
60%) e óleos e graxas (10%)
RECURSOS HÍDRICOS
Qualidade das águas

Há duas categorias possíveis de fontes de poluição:


- Pontual
- Difusa

O lançamento pontual de esgotos em cursos de água afetam


a qualidade dos mesmos, dai a necessidade de se prever o
que vai acontecer e as medidas que a serem tomadas.

O Banco Mundial em 1998 estabeleceu dois objetivos:


- Estabelecer prioridades para reduzir as demandas
existentes de esgotos sanitários;
- Prever os impactos para as novas descargas.
RECURSOS HÍDRICOS
Qualidade das águas
As variáveis mais importantes usadas no balanço de oxigênio são:
- Reaeração
- Oxidação de carbonáceos (DBO)
- Oxidação do nitrogênio
- Fotossíntese
- Respiração
- Demanda de oxigênio pelo sedimento
- Oxigenação devido a presença de barramentos no curso de água
Autodepuração Natural
Cálculo de La:

QRio  DBO Rio  QEsgoto  DBO Esgoto


La 
QRio  QEsgoto
QRio: Vazão do rio imediatamente à montante do
lançamento dos
esgotos.
DBORio: DBO total de 1o. estágio das águas do rio,
imediatamente à
montante da mistura com os esgotos.
QEsgoto: Vazão de esgotos.
DBOEsgoto: DBO total de 1o. estágio dos esgotos.
Autodepuração Natural
Cálculo de Da:
Da  ODSAT  ODMIST
Da: deficit inicial de oxigênio dissolvido nas águas do rio.
ODSAT: concentração de oxigênio dissolvido de saturação
ODMIST:concentração de oxigênio dissolvido nas águas do rio,
imediatamente após a mistura com os esgotos.
QRio  OD Rio  QEsgoto  OD Esgoto
ODMIST 
QRio  QEsgoto
QRio: vazão do rio imediatamente à montante do lançamento dos
esgotos.
ODRio: concentração de oxigênio dissolvido nas águas do rio,
imediatamente à montante da mistura com os esgotos.
QEsgoto: vazão de esgotos.
ODEsgoto: concentração de oxigênio dissolvido nos esgotos.