You are on page 1of 30

Jogos Tradicionais

Kaline Lígia

Jogos e Brincadeiras tradicionais

• Os jogos e brincadeiras tradicionais estão
desaparecendo. Por que?
• Qual a necessidade de se resgatar os jogos
tradicionais?

• [...] brincando e jogando a criança
estabelece vínculos sociais, ajusta-se
ao grupo e aceita a participação de
outras crianças com os mesmos
direitos.
• Obedece às regras traçadas pelo
grupo, como também propõe suas
modificações.
• Aprende a ganhar, mas também a
perder.
• Na experiência lúdica, a criança,
assim como o adulto, cultiva a
fantasia, vivencia a amizade e a
solidariedade, traços fundamentais
para se desenvolver uma “cultura
solidária” na sociedade brasileira
atual

mudança e universalidade são características desses jogos. Contextualização • Os jogos tradicionais infantis são provenientes de rudimentos de romances. conservação. . Anonimato. tradição. rituais religiosos e místicos abandonados pelo mundo adulto. contos. oralidade.

dos jogos eletrônicos e das transformações das cidades. . cujos espaços têm diminuído ou estão se tornando cada vez mais violentos.• Porém. estão desaparecendo devido à influência da mídia.

p... mistério e liberdade sem limites... Ele não compreende esse universo como uma simples imitação dos adultos. mas uma descoberta”. mas um universo de magia. • Amado (2002. . 11) demonstra que o universo lúdico foi e continua sendo “uma introdução ao mundo. nunca uma lição.

incorporando as criações anônimas de geração para geração. enquanto manifestações da cultura popular. conservação e mudança. possuem as características de anonimato. As brincadeiras tradicionais possuem. expressam a produção espiritual de um povo em uma determinada época histórica.• Segundo Cascudo (1984) e Kishimoto (1999 e 2003). tradicionalidade. transmissão oral. . Ligados ao folclore. a função de perpetuar a cultura infantil e desenvolver a convivência social. são transmitidos pela oralidade e sempre estão em transformação. os jogos tradicionais infantis fazem parte da cultura popular.

. assombrações..• Grande parte das brincadeiras que fazem parte da infância brasileira foram trazidas pelos portugueses (cultura europeia): adivinhas. a amarelinha. bruxas e brinquedos. o pião. cantigas de roda. como a pipa. rainhas. . o bodoque e os jogos de pedrinhas. histórias de príncipes. parlendas.

e ao seu desejo de ostentação e de luxo.• Para Amado (2005). retiram à criança o prazer de descobrir. de inventar. estas brincadeiras estão desaparecendo devido: • “primeiramente.306)”. no entanto. à cedência a modas ditadas pelas classes cultural e economicamente favorecidas. . depois ao consumismo desenfreado de produtos acabados e de fácil aquisição que. de fazer e de partilhar (p.

Bodoque • Como você conhece? • Brinquedo muito conhecido pelos meninos do sertão e dos interiores do país. • Origem portuguesa. • Foi considerado de origem indígena ou pré- colombiana por muito tempo. • O bodoc ou baducca é um pequeno arco confeccionado com madeira “airi”. separado por cordas. • Palavra de origem árabe (bondok). • Conhecido por arcus balista na Roma.foi utilizado como instrumento bélico na Espanha e Portugal até a criação da pólvora e das armas curtas (1948). arbaléte ou baleste na França e por ballesta ou besta na Península Ibérica . onde se coloca projéteis.

funda. • Esse brinquedo é composto de três partes: o gancho ou forquilha (cabo). • Alguns costumes antigos contados por folcloristas- matar um passarinho como estilingue novo e passar o sangue no cabo para não errar. o elástico e a malharadeira. o folclorista Osvaldo R. . Cabral informa que as crianças o chamam de setra ou seta. Em Portugal. os meninos sulistas o designam por chilòida. fisga ou ati. acrescentar o corte de estilete no cabo para marcar quantos passarinhos matou. o estilingue recebe os nomes de elásticos. atiradeira ou baladeira • Em Santa Catarina. Estilingue.

• Introduzido pelos portugueses. laranjeira e jacarandá. Pião ou Pinhão • “é um brinquedo construído com madeira de goiabeira. • Origem na Antiguidade Clássica. era um brinquedo de destreza (strombos na Grécia e turbo para Roma). por onde gira pelo impulso do cordão enrolado na outra extremidade e lançado com destreza pela meninada”. . tendo na ponta um prego – “ferrão” -.

eu não danço • me vestem para dançar • Mas me arrancam a capa • Para me verem brincar • 2. • Sem capa não pode andar. bota-se a capa • Tira-se a capa para andar Quais brincadeiras você conhece com o pião? . • Para andar. até chora • 3 Ele. com capa. canta. não anda. É de madeira e ferro • Carrega tripa por fora • Quando brinca com ele • Pula. Advinhas com o pião • Estando nu.

• O cavalo de pau corresponde à segunda infância. faixa etária entre 3 e 7 anos. Idade Média • Na Idade Média. representado por um rapaz que necessitava de força e agilidade para participar desse jogo. os brinquedos e os jogos. vão sendo associados às idades da vida. . • O pião a pueritia. paulatinamente.

. onde não aparecem crianças.• Brinquedos e jogos considerados de crianças na atualidade. a brincadeira passou a pertencer a determinados públicos. fizeram parte do mundo adulto de antigamente: Camponeses e fidalgos brincando de cabra-cega. Tapeçaria do século XVI Com o tempo. Hoje. vê-se mais meninas brincando do que meninos.

observa-se que a diferença de gênero no lúdico é uma construção cultural e consolida-se na sociedade capitalista.] a boneca não se destinava apenas às meninas. 1981p. mulheres e crianças não compartilham mais dos mesmos jogos e divertimentos e a brincadeira de cabra-cega passou a ser um reduto do sexo feminino. • [. Dentro dos limites da primeira infância. Acompanhando os estudos históricos. Assim.. 49) • Quais as brincadeiras de homem e mulher observadas no estágio? . Os meninos também brincavam com elas. o mesmo vestido. em torno dos anos de 1600. (Ariès. a discriminação moderna entre meninas e meninos era menos nítida: ambos os sexos usavam o mesmo traje. Gênero • Homens..

passou a pertencer somente ao universo infantil. . os jogos e brinquedos antes utilizados em cultos e rituais religiosos como forma de integração da comunidade e de criação de laços. Universo infantil Outro jogo que se tornou do • Ao descobrir a infância universo feminino como uma fase específica da vida.

. • O jogo das cinco pedrinhas era conhecido na Grécia por pentha litha e em Roma por astragulus. • Tanto as moças quanto os rapazes jogavam. • Eram dadas de presentes às crianças com bom desempenho escolar. Jogo das Pedrinhas • O jogo dos ossinhos ou das pedrinhas eram instrumentos divinatórios para as antigas civilizações.

o uso estratégico dele hoje no Brasil é feito nas favelas. • Algumas tradições orientais contam que habitantes de uma cidade conseguiram se comunicar e pedir ajuda por intermédio da pipa. que a utilizou para calcular a distância entre ele e o palácio Wai-Yang que ele pretendia invadir por meio de um túnel. • Trazido para a América no século XVI. . • Inventada pelo general chinês Hau-sim em 206 a. para crianças avisarem aos traficantes sobre a chegada de drogas. • Com o tempo. Pipa ou Papagaio • Brinquedo de origem oriental. C.

por estrela. O poeta Thiago de Mello. quedar: verbo para quem é cortado. demonstra uma linguagem própria utilizada pelas crianças. Palavras que até hoje são encontradas nas bocas das crianças. Você conhece ou sabe de algum outro costume relacionado a esse brinquedo? . • zoeira. curica. no início do século XX. ao vivenciarem essa atividade lúdica. pandorga.e em Portugal. em sua obra Arte e ciência de empinar papagaio. papocar é quando a linha se rompe sozinha. cometa. • quadrado. na região do • Amazonas.bacalhau. aparar é pegar pela rabiola o papagaio de outro menino e descer com ele até sua mão. • Esse brinquedo é conhecido também por arraia. • Imbicar ou embicar designa o movimento de descer verticalmente a pipa de cabeça para baixo. canoa.

usando galhos de goiabeira como chicotes.Escravos • Nas casas-grandes. Eram os “manés-gostosos”. onde se quebrava o brinquedo ou se maltratava além da conta. reproduzindo o sistema cruel e discriminatório através do mundo lúdico. os “leva- pancadas”. meninos brancos brincavam com um ou dois meninos escravos. • A crueldade era exprimida em jogos como o jogo do beliscão. . carro de cavalo. o jogo do pião ou da pipa. • “Os meninos brancos reproduziam nas brincadeiras as relações de dominação da escravidão. que serviam como cavalos de montaria. burros.

nhonho”! – ao que eu retorquia: — “Cala a boca. fustigava-o. punha as mãos no chão. Machado de Assis retrata as relações perversas entre o menino branco e o seu moleque: • Prudêncio. besta”! . quando muito. com uma varinha na mão. era o meu cavalo de todos os dias. um muleque de casa.• Em Memórias Póstumas de Brás Cubas. à guisa de freio. dava-lhe mil voltas a um e outro lado. eu trepava-lhe ao dorso. ou. um “ai. recebia um cordel nos queixos. e ele obedecia – algumas vezes gemendo – mas obedecia sem dizer palavra.

46). desde pequena. A menina escrava. tanto brancas como negras. . onde eram senhoras possuidoras de servas. em seu posto de mando. Escravos • As meninas reproduziam em jogos de faz-de-conta a vida no engenho. as sinhazinhas. em seu papel de servir a senhora branca. de administradora de negras escravas.(p. a compreenderem a trama de relações de dominação da época e funcionava como mecanismo auxiliar para a incorporação dessas relações. • Segundo Kishimoto (1999): • O jogo simbólico auxiliava as meninas. obedecer lhe: e a menina branca.

brincar de pião. José Lins do Rêgo) . Eles nos dirigiam. porque sabiam nadar como peixes. Tudo eles sabiam fazer melhor do que a gente. os negros comandavam. mandavam mesmo em todas as nossas brincadeiras. jogar castanha. andavam a cavalo de todo jeito. • O interessante era que nós. (Menino de engenho. para nós. pois o que prevalecia eram as habilidades do jogador. Quando a regra era invertida • Longe dos adultos. Só não sabiam ler. Mas isto. andávamos atrás do moleque. matavam pássaros de bodoque. também não parecia grande coisa. soltar papagaio. os da Casa-Grande. tomavam banho a todas as horas e não pediam ordem para sair para onde quisessem.

o menino negro era alvo das pancadarias e dos maltratos. Menino-diabo e Menino-Homem • Representações dos meninos do período da escravidão no Brasil. • a segunda quando a criança atingia a puberdade era obrigada a vestir-se e comporta-se como adulto. durante as quais o moleque. • A primeira manifestava-se nas brincadeiras infantis. .

• Cabe destacar que as mães africanas. a cuca. dodói. os mitos e as histórias de sua terra. • Foi pela linguagem oral que a mãe-preta transmitiu para as crianças o conto. bumbum dindinho. as almas penadas. Essas superstições. o boitatá. . tatá. as amas de leite modificaram as canções de ninar de origem portuguesa e. Transmissão oral dos negros • Não se sabe ao certo a influência negra nas brincadeiras devido à miscigenação. A linguagem infantil também foi enternecida pela ação da ama negra. a mula-sem-cabeça. pipi. neném. mimi. o lobisomem. lendas e histórias eram contadas pelas amas negras às crianças choronas e malcriadas das casas grandes e senzalas. as lendas. surgem o saci-pererê. que reduplicou a sílaba tônica dando às palavras um especial encanto: cacá. em vez do papão.

Tinham cunho educacional. . propulsores do arsenal guerreiro. • As meninas não tinham muito tempo livre para o lúdico devido aos afazeres nas tarefas domésticas. • Embora fosse divertimentos. Influência indígena • Desde os séculos XVI e XVII os meninos indígenas brincam de arcos. pesa e abate de animais. flechas. tacapes. essas brincadeiras serviam de preparo para a vida adulta do futuro caçador/provedor. • Imitavam os gestos e atitudes dos pais na caça.

sendo confeccionada com palha de milho e enfeitadas com penas de aves. os curumins constroem imagens que representam situações de seu cotidiano: peixes. • As crianças indígenas divertem em jogos imitando figuras e vozes de animais como: os jogos do jacami. jaguar. Com fios entrelaçados nos dedos das mãos. todos participam de todas as atividades. . inclusive pelos adultos. podendo ser realizada individualmente ou no máximo com duas crianças. arria. peixe pacu. O jogo de peteca era bastante apreciado. Brincadeira só de meninos. a lua. tamanduá - bandeira. • Segundo Kishimoto (1999) o mundo lúdico indígena não difere entre infantil e adulto. do gavião.

provavelmente atender ao dinamismo do mundo globalizado. vídeo game. pode-se pensar que as novas formas do lúdico e das brincadeiras contemporâneas estão.. reatulizados. Em última análise. referendadas e instrumentalizadas pelas experiências objetos antigos que. ampliando o seu universo lúdico e dando novas oportunidades aqueles que começam a descobrir o mundo. computador. o brincar transformou-se ao longo do tempo e os instrumentos é que modificaram para. em essência. configuram uma nova perspectiva do brincar. a portuguesa.e infelizmente!! –não tanto poética e artesanal. Jogos e brincadeiras tradicionais coexistem com novas modalidades de brincar trazidos pela tela da TV. Assim. • As crianças brasileiras receberam influências de diversas culturas lúdicas do mundo. particularmente. . Assim.. mas .

Cadernos da Educação. Elizabeth Lannes. n. jan/dez 2006. 06. . “Jogos e Brincadeiras Tradicionais: um passeio pela história”. São Paulo. Referência • BERNARDES.