You are on page 1of 17

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL

Aula 3

Clara Brum
Ética da Advocacia

Da atividade advocatícia
O exercício da advocacia decorre de um contrato de mandato, um
vínculo que confere poderes para que um profissional,
devidamente habilitado na OAB, possa praticar atos ou
administrar interesses em nome de seu constituinte, reforçada
pelo art. 103 do CPC, segundo o qual a parte será representada
em juízo, por advogado regularmente inscrito na OAB (art. 3º e 5°
do EOAB).
Ética da Advocacia

O parágrafo 1º, do art. 5º do EOAB, estabelece uma exceção


quando permite a atividade advocatícia sem procuração, em caso
de urgência (ver art. 104, § 1°, do novo CPC). Neste caso, o
prazo para apresentar o instrumento é de quinze dias,
prorrogável por igual período.

Observa-se que a declaração de urgência feita pelo advogado é


dotada de presunção legal de veracidade.
Ética da Advocacia

Vamos conhecer os deveres do advogado na


relação com seu cliente?
Ética da Advocacia

Princípio da informação: art. 9º CED


Princípio da lealdade: art. 10 CED
Princípio da independência: art. 11 e 24, CED
Dever de prestação de contas: art. 12 do CED
A extinção do mandato: art. 13 e 18 do CED
Princípio da cautela: art. 14 CED
Os princípios da fidelidade e diligência: art. 15 CED
A conduta ilibada e sigilo profissional: art. 21 e 22
CED
Ética da Advocacia

Advogado X Preposto: art. 25, CED.


Conflito de interesses: art. 19 do CED e art. 355, CP
Dever da defesa criminal: art. 23. CED
Ética da Advocacia

Da Renúncia, da Revogação e do Substabelecimento


do mandato

• Renúncia – art. 5º, § 3° do EOAB c/c art. 6° RGOAB.


• Revogação (Cliente)
• Substabelecimento com ou sem reservas de poderes
– art. 26, CED.
Ética da Advocacia

O que podemos entender por Advocacia Pública?

Art. 1°, prov. 114 - A advocacia pública é exercida por advogado


inscrito na OAB, que ocupe cargo ou emprego público ou de direção
de órgão jurídico público, em atividade de representação judicial, de
consultoria ou de orientação judicial e defesa dos necessitados ( c/c
Art. 3° § 1º, EOAB).
Ética da Advocacia

Quais são os cargos da advocacia pública? Art. 2° Prov. 114;

Inscrição na OAB (art. 3º do Prov. 114): o advogado público deve


ter inscrição principal perante o Conselho Seccional da OAB em cujo
território tenha lotação.

Exame de ordem: (art. 4° do Prov. 114) A aprovação em concurso


público para cargos da advocacia pública não exime a aprovação
em exame de ordem.

Art. 7º, Prov. 114 - A aposentadoria do advogado público faz cessar


o impedimento de que trata o art. 30, I, do EOAB.
Ética da Advocacia

Independência técnica:
Atuam com independência técnica e observância dos princípios
constitucionais da Administração Pública - Art. 5º, Prov. 114.

Art. 9º e 10, RGOAB:


“Os integrantes da advocacia pública são elegíveis e podem integrar
qualquer órgão da OAB”.

“Sujeitam-se ao regime do EOAB, RGOAB, CED, inclusive quanto às


sanções disciplinares”.
Ética da Advocacia

CÓDIGO DE ÉTICA (Novidade)


CAPÍTULO II - DA ADVOCACIA PÚBLICA

Art. 8º As disposições deste Código obrigam igualmente os órgãos


de advocacia pública, e advogados públicos, incluindo aqueles que
ocupem posição de chefia e direção jurídica.

§ 1º O advogado público exercerá suas funções com independência


técnica, contribuindo para a solução ou redução de litigiosidade,
sempre que possível.
Ética da Advocacia

CÓDIGO DE ÉTICA (Novidade)


CAPÍTULO II - DA ADVOCACIA PÚBLICA

Art. 8º (...)
§ 2º O advogado público, inclusive o que exerce cargo de chefia ou
direção jurídica, observará nas relações com os colegas,
autoridades, servidores e o público em geral, o dever de
urbanidade, tratando a todos com respeito e consideração, ao
mesmo tempo em que preservará suas prerrogativas e o direito de
receber igual tratamento das pessoas com as quais se relacione.
Ética da Advocacia

Dos Advogados Estrangeiros: Prov. 91/2000 e Prov. 129/2008

O estrangeiro profissional em direito, exceto de nacionalidade


portuguesa, regularmente admitido em seu país a exercer a
advocacia, somente poderá prestar tais serviços no Brasil após
autorizado pela Ordem dos Advogados do Brasil na qualidade de
consultor em direito estrangeiro do seu pais de origem (art. 1º do
Prov. 91).
Ética da Advocacia

Art. 1º. § 2º do prov. 91. As sociedades de consultores e os


consultores em direito estrangeiro não poderão aceitar procuração,
ainda quando restrita ao poder de substabelecer a outro advogado.

Advogado ou Sociedade de advogados estrangeira = consultoria


Ética da Advocacia

Provimento 129 – Advogado português

O advogado de nacionalidade portuguesa, em situação regular na Ordem


dos Advogados Portugueses, pode inscrever-se no quadro da Ordem dos
Advogados do Brasil ( art. 1º do prov. 129).

Seguem a regra do EOAB e firmam o mesmo compromisso perante o


Conselho competente.
Referências:
BRASIL. Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do
Brasil. Lei 8.906, de 4 de julho de 1994. Coleção Saraiva de Legislação.
20 ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL. Código de Ética e Disciplina


da OAB. 2015.

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL. Regulamento Geral do


Estatuto da Advocacia e da OAB. 13 de fevereiro de 1995. Coleção
Saraiva de Legislação. 20 ed. São Paulo: Saraiva, 2014.
Como é ser um Filósofo?

Clara Maria Cavalcante Brum de Oliveira


Possui graduação em Comunicação Social - Faculdades
Integradas Hélio Alonso (1990), graduação em Filosofia pela
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2000), graduação em
Direito pela Universidade Estácio de Sá (2005) e mestrado em
Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1998).
Atualmente é professora assistente da Universidade Estácio de
Sá. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética,
atuando principalmente nos seguintes temas: metodologia,
filosofia da ciência, filosofia, filosofia política e filosofia do direito.
Lattes: http://lattes.cnpq.br/2000062113086870