You are on page 1of 18

COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO

DE PROGRAMAS E POLÍTICAS DE SAÚDE


CODEPPS
ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE DA MULHER

O PRÉ – NATAL DA GESTANTE DE BAIXO


RISCO

Novembro/2006
OBJETIVOS DO PRÉ-NATAL:

- Acolher a mulher desde o início


- Promoção de saúde
- Prevenção ou detecção precoce de afecções
- Melhor qualidade de vida e Cidadania plena
Diagnóstico de Gravidez e Seguimento
Pré-Natal

ATRASO MENSTRUAL
C/EXPOSIÇÃO A RISCO
DE GESTAÇÃO

RESULTADO
RESULTADO
POSITIVO
NEGATIVO

SOLICITAR EXAMES DE ROTINA


REPETIR TESTE DE URINA
PRÉ-NATAL
APÓS 15 DIAS de atraso
ACONSELHAMENTO PRÉ-EXAMES
C/ 1ª URINA DA MANHÃ
(OFERECIMENTO OBRIGATÓRIO)

BAIXO RISCO RESULTADO


Inserção no SISPRENATAL NEGATIVO
REPETIR VDRL, ANTI HIV E
UROCULTURA COM 28 SEMANAS

PERSISTINDO AMENORRÉIA
INTERCALAR CONSULTA
APÓS 37ª até 41 sem A(O) ENFERMEIRA(O)
MÉDICA COM CONSULTA
CONSULTA MÉDICA E DE ENFER DEVERÁ SOLICITAR
DE ENFERMAGEM
MAGEM SEMANAL BHCG NO SANGUE
ATÉ 27ª SEMANA

RESULTADO
28ª -36ªsem - CONSULTA NEGATIVO
MÉDICA E CONSULTA DE UMA VISITA DOMICILIAR
ENFERMAGEM QUINZENAL DA(O) ENFERMEIRA(O)
INTERCALADAS OU A CADA
3 SEMANAS
PERSISTINDO AMENORRÉIA
AGENDAR CONSULTA MÉDICA
E ORIENTAR QUANTO AO
PLANEJAMENTO FAMILIAR
RESULTADO NEGATIVO APÓS BHCG

DESEJO DE
CONTRACEPÇÃO DESEJO DE ENGRAVIDAR

SIM NÃO

AGENDAR
CONSULTA
MÉDICA
GRUPO DE ORIENTAR
PLANEJAMENTO PREVENÇÃO
FAMILIAR DST/AIDS
Atenção baseada em evidências:

“ Uso consciente, criterioso e explícito das melhores evidências atuais


para tomar decisões sobre o atendimento a pacientes individuais”

Apoio às gestantes:
“A melhor assistência não será efetiva se não estiver disponível para
aqueles que necessitam dela”
exemplos: adolescentes, imigrantes, vulnerabilidade social = adiam
assistência(sentem-se pouco à vontade)= dificuldade de comunicação,
impossível seguir recomendações, reações dos provedores de saúde

- PRIORIZAR EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO


- PERMITIR CONTROLE DA MULHER = CARTÃO DE P.N.
PREENCHIDO ADEQUADAMENTE
- CRIAR VÍNCULO:MESMO PROVEDOR OU EQUIPE PEQUENA
Agendamento de consultas:

Agendar consultas de todo o pré-natal


na 1ª consulta:
- mensal até 27ª semana
- a cada 3 semanas entre 28ª a 36ª semanas
“ Não dar alta com 36 semanas”
“NÃO EXISTE ALTA DO PRÉ-NATAL”
- semanal entre 37ª e 41ª semanas
- a partir de 41ª semana, encaminhar para a
maternidade de referência para avaliação e agendar
retorno à UBS em 1 semana
-programar retorno puerperal
EXAMES DE ROTINA
 Hemograma Completo
 Protoparasitológico
 Urina I, Urocultura no 1º, 2º e 3º Trimestre
 Glicemia de jejum no 1°trimestre e após 20 semanas
 Sorologia para Toxoplasmose (IgG e IgM)
 Sorologia para HIV 1º e 3º Trimestre
 Sorologia de Hepatite B (HbsAg e AntiHBc)
 Sorologia para Rubéola (IgG e IgM)
 Sorologia para Lues (VDRL) 1º e 3º Trimestre
 Tipagem sanguínea (ABO) com fator Rh (no caso
de Rh negativo: Coombs indireto – se negativo repeti-lo
a cada 4 ou 8 semanas)

PREENCHER TODOS OS DADOS NO CARTÃO DE PRÉ-NATAL


E NO PRONTUÁRIO DA PACIENTE
- Colpocitologia oncótica conforme rotina
ginecológica
- Ultra-som obstétrico:
1º preferencialmente ao redor da 12ªsemana e 2°
de controle, se possível
VACINAÇÃO
Dupla Adulto (DT) :
atualizar calendário - 3 doses:
1ª dose :1ª consulta
2ª dose: após 60 dias
3ª dose: após 120 dias
Grupos de gestante
-Dividir em 1º, 2°e 3º trimestres
temas relacionados com o trimestre
-Promover discussões em grupo, participativas:
podem ser veículos para mudança de atitude

Efeitos dos grupos:


-aumenta autoconfiança
-aumenta aceitação e adesão aos tratamentos
-diminui uso de analgésicos
-promovem maior satisfação com o parto

Prescrição pelo enfermeiro ( segundo M.S. – 2.000):


Ácido fólico 5 mg – 1 cp ao dia até a 14ª semana
Sulfato ferroso - 40 mg de Fe elementar(REMUME)
1ª Consulta de pré- natal
(Informações deverão constar na Ficha Obstétrica)
IDENTIFICAR VULNERABILIDADES E RISCOS

Identificação:idade(<16 e > 35 anos), naturalidade, ocupação, escolaridade, situação


conjugal, quesito raça-cor
Anamnese: antecedentes familiares(D.M., Hipertensão arterial, gemelaridade, ca de
mama, malformações)
Pessoais( doenças, a. menstruais, a.sexuais, a.obstétricos e gestação atual= DUM,
DPP, I.G. em semanas)
Exame Físico: Geral
Pressão arterial (na posição sentada)
Altura
Peso ( em média 1,5 Kg/mês)
Membros Inferiores
Exame Físico Especial: Mamas, OGE, OGI,Altura uterina( 20 sem.
Na cicatriz umbel., 24 a 36 semanas cresce 4 cm/ mês), Apresentação fetal, BCF
Consultas de retorno: estimular presença de acompanhante, reavaliar riscos,
atenção às queixas, orientar sintomas comuns,preparo para o parto,etc
Exame Físico: peso, PA, edema, AU, apres. fetal, BCF
QUEIXAS MAIS FREQÜENTES NA GESTAÇÃO NORMAL:
 Náuseas, Vômitos e Tonturas
CONDUTAS:
 Náuseas leves e sialorréia:
 Orientar a gestante para: dieta fracionada (seis refeições leves ao
dia) preferir alimentos secos; evitar frituras, gorduras e alimentos com
cheiros fortes; ingerir líquidos nos intervalos entre as refeições.
Ingerir alimentos sólidos leves antes de levantar-se, pela manhã; leite
frio; caminhar após refeições; cabeceira elevada ao deitar-se.
Evitar café puro, doces e frituras; eliminar álcool e fumo.
 Náuseas Intensas

 Vômitos Intensos

 Seguir orientações anteriores;


Caso não haja melhora solicitar avaliação médica
Avaliar perda de peso.

Cólicas, Flatulência e Obstipação Intestinal


 Certificar-se de que não sejam contrações uterinas;
 Em caso de cólicas, eventualmente prescrever Hioscina 1cp, via oral,
até 2 vezes ao dia;
 Se a gestante apresentar flacidez abdominal, sugerir o uso de cinta;
Hemorróidas
Dieta rica em fibras, banhos de assento,
 higiene anal com
sabonete neutro, papel higiênico macio e
neutro ou algodão
 Flatulência e Obstipação Intestinal
• Orientar dieta rica em resíduos: frutas ricas em fibras,
verduras, mamão, ameixas e cereais integrais (ex: Farelo de
trigo);
• Recomendar que aumente a ingestão de líquidos e evite
alimentos de alta fermentação, tais como repolho, couve, ovo,
feijão, leite e açúcar;
• Recomendar caminhadas leves (se não for contra-indicado)

 Pirose (azia)

 Orientar a gestante para:

 Dieta fracionada, evitando frituras; ingerir água gelada;

 Evitar café, chá preto, mates, doces; álcool e fumo.


Sangramento gengival : higiene bucal com escova macia após as refeições e
fazer massagens gengivais. Solicitar avaliação odontológica.

Varizes de MMII:Evitar ficar sentada ou em pé por muito tempo; repousar com as


pernas elevadas; meias-calças elásticas de compressão
suave ou média.

Cãibras:Massagens e calor locais, leve flexão do pé e evitar exercícios em excesso.

Edema: quando fisiológico ( pé e tornozelos), apenas evitar o excesso de sal na


dieta.

 Lombalgia: correção postural, calor local, sapatos de salto baixo

 Falta de ar e “batedeira” no peito:


Avaliação física e emocional da gestante. Repouso em DLE.
Em caso de dúvida, solicitar avaliação cardiológica.
 Fraquezas e desmaios

 Orientar a gestante para que não faça mudanças bruscas


de posição e evite a inatividade, aglomerações, ambientes fechados
e jejum prolongado.
 Explicar à gestante para sentar-se com a cabeça abaixada ou
deitar-se em decúbito lateral, respirando profunda e
pausadamente.

 Mastalgia

 Investigar com exame das mamas.Se normal, recomendar uso de


sutiã com boa sustentação.

 Cefaléia e Enxaqueca
Sempre medir PA. Se afastada hipertensão, trazer à tona
tensão emocional.
 Cloasma
Evitar exposição direta do rosto ao sol.
 Corrimento Vaginal
 Explicar que um aumento de fluxo vaginal é comum na gestação;
 Realizar o exame especular, avaliar se o corrimento tem cor amarelada,
esverdeada ou com odor fétido e questionar se apresenta prurido;
 Identificada uma das situações acima, solicitar avaliação médica.
Na presença de corrimento branco com grumos e pruridos (sugestivo
de candidiase) , seguir fluxograma de tratamento sindrômico.

 Queixas Urinárias
 Explicar que, geralmente, o aumento do número de micções é comum na
gestação;
 Solicitar avaliação médica, caso exista dor ao urinar ou hematúria
acompanhada ou não de febre.

Atividade sexual: não há restrição


COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO
DE PROGRAMAS E POLÍTICAS DE SAÚDE
CODEPPS
ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE DA MULHER

O PRÉ – NATAL DA GESTANTE DE BAIXO RISCO