You are on page 1of 31

« O Castelo de Faria»

de Alexandre Herculano
P 7 – Página 24

«O castelo de Faria» de Alexandre
Herculano – pág. 30

 2. A ação decorrerá no Monte do Franqueira, perto
de Barcelos.

«O castelo de Faria» de Alexandre
Herculano – pág. 30
 2. A ação decorrerá no Monte do Franqueira, perto
de Barcelos.
 2.1.
Elementos da natureza Características
•Árvores ……………………… •«Velhas, fazem sombra»
•Águas ……………………….. •«Som parece uma murmúrio
suave»
•Monte ………………………. •«Formoso, áspero e severo»
•Mar ………………………… •«semelhante a mancha azul
entornada na face da terra»

Os três adjetivos são: silencioso. 30  2. Sensações visuais: «sombreado de velhas árvores»  «alveja ao longe um convento»  sensações auditivas: «silêncio naquela solidão»  «murmurar das águas»  sensação tátil: «bafagem do vento» . aprazível e solitário. O espaço tranquiliza e relaxa quem o visita.2.4.  2.Pág.3.  2.

Sensações visuais: «sombreado de velhas árvores»  «alveja ao longe um convento»  sensações auditivas: «silêncio naquela solidão»  «murmurar das águas»  sensação tátil: «bafagem do vento» . 30 2. Pág.4.

31 3. 3. . O elemento é o Monte do Franqueira. O narrador decidiu descrevê-lo do ponto de vista do observador.1. Pág.

as fragas e os pinhais.2. Daquele local. os rios.31 3. pois ele trata-o como se fosse uma pessoa ilustre.3. A palavra que revela a admiração do narrador é «eminência». os prados. pode observar-se o mar e ainda as povoações. 3. Pág. os soutos. .

. A palavra que revela a admiração do narrador é «eminência».31 3. pois ele trata-o como se fosse uma pessoa ilustre. Pág.3.

Na atualidade. . o monte é silencioso. 4. pois já «se viu regado de sangue». pelo contrário. mas no passado. houve guerras e lutas.

Sensações auditivas: « ouviram gritos». «estridor». «sibilar» e «estrondo de máquinas».4. .1.

A passagem explica que os homens costumam deixar marcas de guerra e conflito por onde habitaram .5.

.

.

com a sua barbacã e fosso.1.» . Pág. Enumeração: «(…)com as suas torres e ameias. 32  6. com os seus postigos e ferrados(…)» Personificação: «(…) campeou [batalhou] aí como dominador dos vales vizinhos.

3. o tempo.2. Pág.  6. Resposta pessoal . 32  6. A expressão é: «(…) mas a febre lenta que costuma devorar os gigantes de mármore e de granito. coou-lhe pelos membros».

preocupando-se mais com as conquistas e com a fama. O narrador critica os dirigentes do reino («os maiores») de não terem preservado o património nacional. 7. . B E C F A D G  7.1.

A condição imposta era a do rei português casar com a princesa castelhana. 8. . uma vez que casou com D.1. Fernando não cumpriu a sua parte no acordo. Não. D. Leonor Teles.8.

A principal consequência histórica foi a continuação do cerco de Lisboa.9. .

Pág. o significado é: « Disposição de tropas em volta de fortaleza. povoação». . 33 10.

Pág. 33 11. A afirmação é verdadeira: «Não sendo o nosso propósito narrar os sucessos deste sítio. volveremos o fio do discurso para o que sucedeu no Minho.» .

f) F. O exército castelhano era sobretudo composto por soldados a pé e a cavalo. . O Alcaide era um dos prisioneiros. e) V. d) V.12. b) F. c) F. As tropas castelhanas matavam e saqueavam à medida que iam avançando. g) V. a) V.

34 13. Pág. A sua preocupação foi proteger o Castelo de Faria. pois pensava que o seu filho o iria entregar aos castelhanos em troca da liberdade do seu pai. .

. Pág. O Alcaide disse ao Adiantado que conseguiria convencer o filho a entregar o castelo.1. 34 13.

b) o grosso da hoste acompanhava o líder castelhano. 34 14. c) o exército castelhano tomaria posse do Castelo. Pág. a) um troço de besteiros. e a ala direita rodeava o muro do castelo pelo lado oposto. homens de armas. . atrás da comitiva da frente.

Pág. . e) os soldados portugueses prepararam-se para lançar setas. d) o povo (mulheres. 34 14. tendo-se refugiado entre os muros do castelo e a barbacã. maL foi avistado o exército inimigo. velho e crianças) abandonou os lares.

 16. Gonçalo Nunes?»). 14. O barulho cessou perante a intervenção do arauto. pois os gritos e o choro sobressaíam no meio dos restantes ruídos. O povo estava cada vez mais assustado. pois Gonçalo Nunes apercebeu-se que o seu pai era prisioneiro dos castelhanos.1. Nuno Gonçalves usou a repetição («Sabes tu. a) .  16.1.  15.

O Alcaide era corajoso. fez referência ao seu dever de vassalagem ao rei e o filho. . recusou-se a entregar o castelo. quando se viu frente ao filho. percebendo a mensagem . Assim. inteligente e fiel. Os castelhanos mataram Nuno Gonçalves e o Gonçalo Nunes fez todos os possíveis para defender o castelo.  17. tal como o pai previra.1. 17. O Alcaide de Faria convenceu os castelhanos de que o seu filho entregaria o castelo em troca da sua vida.

1. O Alcaide era corajoso. inteligente e fiel.17. .

 19. A – popular  B – reais  C .  20. movido pela dor da morte do pai e pelas suas últimas palavras. Gonçalo Nuno venceu os soldados castelhanos.Pág. abandonou o cargo de Alcaide e dedicou-se à vida religiosa. Depois. Resposta pessoal. 35  18.povo .

Pág. . recorrendo frequentemente ao sobrenatural e a ação aparece geralmente situada no tempo e no espaço. Pode explicar a origem de locais e de acontecimentos considerados misteriosos. 35  20. conjuga factos reais e históricos com elementos fantasiosos. A – popular  B – reais  C . fruto da imaginação popular.povo  narrativa pertencente à literatura tradicional de transmissão oral com características semelhantes às do conto tradicional.

Pode explicar a origem de locais e de acontecimentos considerados misteriosos. .  LENDA narrativa pertencente à literatura tradicional de transmissão oral com características semelhantes às do conto tradicional. conjuga factos reais e históricos com elementos fantasiosos. recorrendo frequentemente ao sobrenatural e a ação aparece geralmente situada no tempo e no espaço. fruto da imaginação popular.