You are on page 1of 31

A EUROPA E O MUNDO NO

LIMIAR DO SÉCULO XX
2ª AULA - SUMÁRIO

• Hegemonia da influência europeia.


• Imperialismo e colonialismo.
• A Conferência de Berlim, o Mapa Cor-
de-Rosa e o Ultimato Inglês.
A SUPERIORIDADE ECONÓMICA
EUROPEIA
 Principais países
industrializados a nível
mundial: Inglaterra, França e
Alemanha.
 A Europa produzia metade da
produção industrial mundial.
 A Europa controlava o
comércio a nível mundial, era
responsável por 62% das
trocas internacionais,
detinha 83% da frota
mercantil e aqui se situavam
os portos mais importantes.
O PESO DA EUROPA NO MUNDO - 1880

In Rumos da História 9, Caderno de Actividades do Aluno, Aníbal Barreira e Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA
A SUPERIORIDADE
ECONÓMICO/FINANCEIRA EUROPEIA
 Os grandes Bancos
eram europeus.
 80% dos capitais
investidos a nível
mundial eram
provenientes da
Europa.
 A Europa explorava e
controlava económica
e financeiramente as
suas colónias
africanas e asiáticas.
In Rumos da História 9, Aníbal Barreira e Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA
REVISTA DOIS MUNDOS (1896)
“(…) são cinco ou seis países que detêm a maior
parte da riqueza do Mundo (…) (Grã-Bretanha,
França, Alemanha, Holanda, Bélgica). O seu
grande negócio consiste em investir vultuosos
capitais noutros países, retirando daí enormes
benefícios. Eles são senhores de terras
longínquas, donde lhes vêm os lucros sem
precisarem de lá por os pés; (…) Fazem cultivar
em seu proveito territórios imensos, por
legiões de negros, de chineses e até mesmo de
brancos (…), possuem minas e fábricas de que
recebem os dividendos sem jamais as terem
visto com os seus próprios olhos; numa palavra:
enriquecem com o trabalho dos outros.”
INTERESSES COLONIAIS
“A política colonial é filha da política
industrial. Para os estados ricos, onde os
capitais abundam e se acumulam
rapidamente, onde as manufacturas
estão em vias de constante crescimento,
a exportação é um factor essencial da
prosperidade pública.
As colónias são, para os países ricos, um
lugar vantajoso para o investimento de
capitais.”
Julles Ferry, Discours (1885)
A SUPERIORIDADE DEMOGRÁFICA
EUROPEIA
 A Europa era o continente populoso onde vivia
cerca de ¼ da população mundial. ( De 1800 a
1914 a população mundial duplicou. Em 1800 a
população europeia representava 20% da
população mundial e em 1914 27,3%.)
 Era onde se situavam os maiores centros
urbanos.
 Foi, durante muito tempo, fornecedora de
milhões de emigrantes que ocuparam outros
continentes. (África, América,Ásia e Oceânia)
A SUPERIORIDADE CIENTÍFICA E
CULTURAL EUROPEIA
 Até 1914 todos os prémios científicos
Nobel foram atribuídos a europeus.
 As mais importantes universidades,
academias literárias e de artes, museus
e bibliotecas situavam-se em solo
europeu.
 A Europa exportava a moda e os seus
estilos de vida.
 A Europa exportava as suas línguas e
culturas.
EXPLORAÇÃO ECONÓMICA
EXPORTAÇÃO DE MODELOS

“ Os missionários fazem… de povos selvagens… pessoas


alegres, trabalhadoras, civilizadas.”

In Flama, ANO VI, Nº 85, 21 DE OUTUBRO DE 1949, pág. 12


A SUPERIORIDADE POLÍTICA
EUROPEIA
 A Europa controlava politicamente vastas áreas
doutros continentes através do imperialismo e
do colonialismo.

 Imperialismo - Sistema político em que nações mais


poderosas dominam vastos territórios mesmo se
politicamente independentes.

 Colonialismo - Forma de domínio económico,


político, social, cultural e até religioso, exercido
por um país mais poderoso sobre populações
autóctones que vivem separadas geograficamente
desse país com o intuito essencial de fazer a sua
exploração económica.
O MUNDO CERCA DE 1850

In Rumos da História 9, Aníbal Barreira e Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA


MOTIVOS DA INTENSIFICAÇÃO DO
COLONIALISMO E IMPERIALISMO NO SÉC. XIX

 De ordem económica: necessidade de matérias-


primas ( ferro, algodão, petróleo), de mão-de-
obra barata, de expandir mercados para
colocação dos produtos provindos da 2ª
revolução industrial.
 De ordem política e estratégica: cada potência
desejava-se afirmar como mais poderosa do
ponto de vista político e militar.
 De ordem cultural: desejo de levar a religião, a
cultura, a língua, a ordem aos indígenas.
ÁFRICA
O CONTINENTE MAIS COBIÇADO
Continente extenso, pouco
conhecido, muito rico em matérias-
primas habitado por povos
considerados inferiores e não
civilizados que podiam fornecer mão-
de-obra barata.
Vários países europeus enviam
exploradores que viajam para o
interior do continente.
EXPLORAÇAO DE ÁFRICA (1850-1885)

In JORNAL DE VIAGENS E In JORNAL DE VIAGENS E


AVENTURAS DE TERRA E MAR, AVENTURAS DE TERRA E
Nº 34, 2º VOLUME, 18 DE JANEIRO DE MAR, Nº 37, 2º VOLUME, 8 DE
FEVEREIRO DE 1880, pág. 116
1880, pág. 84

 David Livingstone (1813-


1873) explorou o interior
do continente africano
In Rumos da História 9, Aníbal Barreira e Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA
HENRIQUE STANLEY E PIERRE DE BRAZZA
 Jornalista e explorador
inglês que, financiado por
um jornal americano,
explorou o interior do
continente africano entre
1871 e 1889.
In JORNAL DE VIAGENS E AVENTURAS
DE TERRA E MAR,
Nº 44, 2º VOLUME, 28 DE MARÇO DE
1880, pág. 204

 Explorador francês cujas


explorações em África
deram origem à colónia
francesa do Congo.
In Rumos da História 9, Aníbal Barreira e
Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA
) HERMENEGILDO CAPELO (1841-1917)
E ROBERTO IVENS (1850-1898
 Oficiais da Marinha
que exploraram o
interior do
continente africano
em várias viagens.
 Uniram Angola a
Moçambique por
terra, numa viagem
que teve a duração
de catorze meses.

In Rumos da História 9, Aníbal barreira e Mendes Moreira, ASA EDITORES


SERPA PINTO (1846-1900)
 Oficial do exército,
explorou o interior
do continente
africano.

In JORNAL DE VIAGENS E AVENTURAS DE TERRA E MAR, Nº 5, 1879, In JORNAL DE VIAGENS E AVENTURAS DE TERRA E MAR, Nº 30, 2º
pág. 49 VOLUME, 21 DE DEZEMBRO DE 1879, pág. 36
SERPA PINTO EM EXPEDIÇÃO
CONFERÊNCIA DE 16 DE JUNHO DE 1879, LISBOA

In JORNAL DE VIAGENS E AVENTURAS DE TERRA E MAR, Nº 16, In JORNAL DE VIAGENS E AVENTURAS DE TERRA E MAR, Nº 7, 13 DE
14 DE SETEMBRO DE 1879, pág. 181 JULHO DE 1879, pág. 81
FINALIDADES DAS VIAGENS DE EXPLORAÇÃO
AO CONTINENTE AFRICANO

GEOGRÁFICO/
POLÍTICA ECONÓMICA
CIENTÍFICA
RACISMO
 Defende a
superioridade de
certas “raças”
relativamente a
“outras” o que
legitima o domínio
ou mesmo a
supressão das
raças
consideradas
inferiores.
In Rumos da História 9, Aníbal Barreira e Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA
NEGROS

In JORNAL DE VIAGENS E AVENTURAS DE TERRA E MAR, Nº 7, 13 DE JULHO DE 1879, In JORNAL DE VIAGENS E AVENTURAS DE TERRA E MAR, Nº 9, 27 DE JULHO DE 1879, pág. 97
pág. 84

“É preciso dizer abertamente que as raças


superiores têm um direito para com as raças
inferiores porque têm o dever de as civilizar.”
Julles Ferry, Discours (1885)
CONFERÊNCIA DE BERLIM
A PARTILHA DE ÁFRICA (1884-1885)

 Realizada em Berlim por proposta do


chanceler alemão Bismark.
 Procurou-se regularizar a partilha de
África entre as várias potências
europeias.
 Definiu-se as condições de posse desses
territórios e substituiu-se o direito de
ocupação histórico pelo direito de
ocupação efetiva.
DELIMITAÇÃO DA FRONTEIRA
FRANCO-ALEMÃ NO CONGO (1913)
INGLESES, FRANCESES, ALEMÃES E
RUSSOS COBIÇAM A ÁSIA

In Rumos da História 9, Caderno de Actividades do Aluno, Aníbal Barreira e In Páginas da História 9, Aníbal Barreira e Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA
Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA
A FRANÇA COLONIZADORA E
TROPAS INGLESAS NA ÍNDIA

In Rumos da História 9, Aníbal Barreira e Mendes Moreira, In Rumos da História 9, Caderno de Actividades do Aluno,
EDIÇÕES ASA Aníbal Barreira e Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA
MAPA COR-DE-ROSA - 1886
 Pretensão
portuguesa,
manifestada em 1886,
no chamado mapa cor-
de-rosa, de unir
Angola a Moçambique.
 Chocava com a
pretensão inglesa de
unir o Cairo, no Egito,
ao Cabo, na África do
Sul

In Rumos da História 9, Aníbal Barreira e Mendes Moreira, EDIÇÕES ASA


A QUESTÃO DO ULTIMATO INGLÊS
1890

 Última ordem em que Inglaterra impõe a


Portugal a retirada imediata dos
territórios situados entre Angola e
Moçambique.
 Portugal, muito dependente
economicamente de Inglaterra, cedeu de
imediato o que provocou ondas de
descontentamento e protesto.
OS IMPÉRIOS EUROPEUS NO
INÍCIO DO SÉCULO XX
Império Inglês  Inglaterra e França
(1/4 do planeta) detinham c. de 80%
 África, Índia, dos territórios
Austrália, Canadá, coloniais
ilhas do Pacífico  Existiam ainda os
impérios alemão,
holandês, belga,
Império Francês português, espanhol
 África do Norte e
Central, Indochina e
ilhas do Pacífico
OS IMPÉRIOS COLONIAIS C. 1910

In Rumos da História 9, Aníbal Barreira e Mendes Moreira, EDIÇÕS ASA


BIBLIOGRAFIA
Crisanto, Natércia; Simões, Isabel; Mendes, J. Amado,
Olhar a História 9, Porto Editora
Barreira, Aníbal; Moreira, Mendes, Rumos da História 9,
Edições Asa
Barreira, Aníbal; Moreira, Mendes, Sinais da História 9,
Edições Asa
AUTORIA
ANABELA MATIAS DE MAGALHÃES