You are on page 1of 70

SELEÇÃO E APLICAÇÃO DE MOTORES ELÉTRICOS

1 2 3 4 5 6 7 8 9
POTÊNCIA NOMINAL DO MOTOR CONJUGADO RESISTENTE DA CARGA CONJUGADO RESISTENTE MÉDIO DA CARGA CURVA DE CONJUGADO X ROTAÇÃO CONJUGADO MÉDIO DO MOTOR TEMPO DE ROTOR BLOQUEADO TEMPO DE ACELERAÇÃO RESUMO APLICAÇÕES
Motor

WEG - Transformando Energia em Soluções

CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO
POTÊNCIA NOMINAL DO MOTOR ( Pn )

Quando se deseja escolher o motor para uma carga deve-se conhecer: ² ² Conjugado requerido pela carga; Rotação da carga sob condições nominais.

ACOPLAMENTO DIRETO:

Pn = 2.πn.Cn .
onde: Pn n Cn Potência nominal [W] Rotação [rps] Conjugado nominal [Nm]
Seleção 1-3

WEG - Transformando Energia em Soluções

CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO
ACOPLAMENTO COM REDUÇÃO DE VELOCIDADE:

O Conjugado e a inércia devem ser referidos ao eixo do motor:

Cn = R. Ccn
J ce = J c .R 2
 nc  R =  n
onde: η nc n Ccn Cn
ac

P P = c n η ac

Cn n Jce R

Ccn nc Jc
Carga

-

Rendimento do acoplamento; Rotação da carga; Rotação do motor; Conjugado nominal da carga; Conjugado de carga referido ao eixo do motor.
Seleção 2-3

WEG - Transformando Energia em Soluções

Transformando Energia em Soluções Seleção 3-3 . em ( % ) 100 87 .99 96 .CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO VALORES DE RENDIMENTO DE ALGUNS TIPOS DE ACOPLAMENTO: Tipo de acoplamento Direto Embreagem Eletromagnética Polia com correia plana Polia com correia em V Engrenagem Roda dentada (correia ) Cardã Acoplamento Hidráulico Faixa de Rend.100 100 WEG .98 95 .98 97 .98 25 .99 97 .

A carga pode ser classificada em 5 grupos: 1 2 3 CONJUGADO CONSTANTE CONJUGADO LINEAR CONJUGADO PARABÓLICO 4 5 CONJUGADO HIPERBÓLICO CONJUGADOS NÃO DEFINIDOS WEG .Constante que depende da carga.CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO CONJUGADO RESISTENTE DA CARGA ( Cc) C c = C 0 + k c .Transformando Energia em Soluções Seleção 1-1 . 2). nc x Depende do tipo de carga. 1. onde: Co . kc .Parâmetro que depende da carga (-1. x .Conjugado da carga para rotação zero. 0.

Exemplos: Compressores a pistão.Constante que depende da carga.Conjugado resistente constante. Talhas. britadores. Transportadores contínuos WEG .Transformando Energia em Soluções Grupos 1-1 . Pc . bombas a pistão.CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO CONJUGADO CONSTANTE ( X = 0 ) Cc = ( C0 + k c ) Pc = Cc × nc Pc = ( C0 + k c ) × nc Cc . kc .Potência de carga proporcional n. guindastes.

kc .Conjugado resistente proporcional n.Constante que depende da carga.CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO CONJUGADO LINEAR ( X = 1 ) Cc = C0 + (k c × nc ) 1 Pc = Cc × nc Pc = (C0 × nc ) + (k c × nc ) Cc . Exemplos: Calandra com atrito viscoso (para calandrar papel) WEG .Potência de carga proporcional n².Transformando Energia em Soluções Grupos 1-1 2 . Pc .

Ventiladores. Pc . kc .Conjugado resistente proporcional n². WEG .Potência de carga proporcional n³.CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO CONJUGADO PARABÓLICO ( X = 2 ) Cc = C0 + (k c × nc ) 2 Pc = Cc × nc Pc = (C0 × nc ) + (k c × nc ) Cc . Exemplos: Bombas centrífugas. Misturadores centrífugos.Constante que depende da carga.Transformando Energia em Soluções Grupos 1-1 3 .

Transformando Energia em Soluções Grupos 1-1 . Pc .Constante que depende da carga. WEG . pano.Potência de carga constante. fio. kc . etc.CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO CONJUGADO HIPERBÓLICO ( X = -1 ) kc Cc = nc Pc = Cc × nc Pc = k c Cc . Descascador de toras. Exemplos: Bobinadeira de papel.Conjugado resistente inversamente proporcional n.

CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO CONJUGADOS NÃO DEFINIDOS ² Não podemos determinar uma equação de maneira precisa.Transformando Energia em Soluções Grupos 1-1 . pelo máximo valor de torque absorvido WEG . ² Na prática. ² Determinação do conjugado através de técnicas de integração gráfica. analisa-se como conjugado constante.

dn (n2 − n1 ) n1 Seleção 1-3 n2 n2 Ccméd WEG .CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO CONJUGADO RESISTENTE MÉDIO DA CARGA Graficamente: B1 = B2 Ccméd Analiticamente: 1 = .dn n2 − n1 n1 ( Co + k c .Transformando Energia em Soluções . ∫ Cc .n x ) =∫ .

Transformando Energia em Soluções Seleção 2-3 .CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO Resolvendo a integral: Ccméd x  n2   = C0 +  k c ×  x + 1   Para cada tipo de carga temos: Conjugado Constante ( x = 0 ) Ccméd = C0 + k c Conjugado Linear ( x = 1 ) 1  Ccméd = C0 +  × k c × n2  2  WEG .

Transformando Energia em Soluções Seleção 3-3 .Ccméd nm Crméd = R.Ccméd WEG .CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO Conjugado Parabólico ( x = 2 ) 1  Ccméd = C0 +  × k c × n2  2 3  Conjugado Hiperbólico ( x = -1 ) Ccméd = n  kc × ln 2  n  n2 − n1  1 Conjugado resistente médio deverá ser referido a rotação do motor Crméd = nc .

CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO CURVA DE CONJUGADO X ROTAÇÃO DO MOTOR s Cmáx Conjugado Cp Cn Cmín Rotação nn ns Os valores de Cmáx. Cmín e Cp são especificados pela norma NBR 7094 WEG .Transformando Energia em Soluções Seleção 1-1 .

81   [ Nm ] Cmméd = 0.C n .81 [ Nm ] Seleção 1-1 WEG .Transformando Energia em Soluções .  C + C n  n  .9.Cn . Cp Cn .45.9.CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO CONJUGADO MÉDIO DO MOTOR ² Categorias N e H: Cmméd ² Categoria D:  Cp Cmáx = 0.6.

CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO TEMPO DE ROTOR BLOQUEADO ² Depende do projeto do motor.Transformando Energia em Soluções Seleção 1-4 . ² Para partidas com tensão reduzida. ² É encontrado nos catálogos ou nas folhas de dados. tensão reduzida. tempo de rotor bloqueado com tensão nominal. corrigir o tempo de rotor bloqueado: t rb U  = tb .  n  U   r 2 [s] Onde: trb tb Un Ur - tempo de rotor bloqueado com tensão reduzida. WEG . tensão nominal.

Transformando Energia em Soluções Seleção 2-4 .CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO TEMPERATURA LIMITE DE ROTOR BLOQUEADO Classe Térmica B F H Tmáx (°C) NEMA MG1.53 175 200 225 IEC 79.12.7 185 210 235 ∆ Tmáx (K) 80 105 125 WEG .

CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO

TEMPO DE ROTOR BLOQUEADO EM RELAÇÃO A CLASSE DO ISOLANTE

É o tempo necessário para que o enrolamento da máquina, quando percorrido pela sua corrente de partida, atinja a sua temperatura limite.

t rb
Onde: k Tmáx ∆ Tmotor Ip/In J1 Tamb

Tmáx − Tamb − ∆Tmotor = k
5,525 . 10-4 . [ (Ip/In) . J1 ]2; Temperatura máxima da classe; Elevação de temperatura; Relação de corrente de partida; Densidade de corrente nominal do motor; Temperatura ambiente.
Seleção 3-4

WEG - Transformando Energia em Soluções

CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO
Exemplos: 1) Classe “F” em relação a classe “B”: “B”
trb(F) = 1,3846 .trb(B)

trb (F ) trb (B )

210 − 40 − 80 90 k = = = 1,3846 185 − 40 − 80 65 k 235 − 40 − 80 115 k = = = 1,7692 185 − 40 − 80 65 k 235 − 40 − 80 115 k = = = 1,2778 210 − 40 − 80 90 k
Seleção 4-4

2) Classe “H” em relação a classe “B”: “B”
trb(H) = 1,7692 .trb(B)

trb (H) trb (B )

3) Classe “H” em relação a classe “F”: “F”
trb(H) = 1,2778 .trb(F)

trb (H) trb (F )

WEG - Transformando Energia em Soluções

CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO
TEMPO DE ACELERAÇÃO:

É dado pela seguinte equação:

 Jm + Jce   ta = 2 π . n .  C   mméd − Crméd 
onde: n Jm Jce Cmméd Crméd Se Se

[s]

Rotação em [ rps ]; Momento de inércia do motor [ Kgm² ]; Momento de inércia da carga referido ao eixo do motor [ Kgm² ]; Conjugado motor médio em [ Nm ]; Conjugado resistente médio em [ Nm ]. ta ta < 0,8. trb > 0,8. trb Motor aciona a carga Problemas de proteção
Seleção 1-1

Condição:

WEG - Transformando Energia em Soluções

² Conjugado resistente médio da carga ( Crméd ). ² Inércia total ( Jm + Jce ). Comparar: ² Tempo de rotor bloqueado ( trb ). ² Conjugado médio do motor escolhido ( Cmméd ). ² Tempo de aceleração ( ta ).Transformando Energia em Soluções Seleção 1-4 .CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO RESUMO Calcular: ² Potência nominal do motor ( Pn ). WEG .

CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO Curva: Conjugado X Rotação CONSTANTE LINEAR PARABÓLICO HIPERBÓLICO Exemplos de Aplicação • Compressores à pistão.. • Britadores. • Bombas à pistão. • • • • • Bobinadeira de fios. • Tornos. • Bombas de vácuo.. Bombas cent. Compressor cent. Ventiladores. • Transportadores contínuos.. ln  n  nc − n1  1 WEG .Transformando Energia em Soluções Seleção 2-4 . N H • Calandras. • Descascador de toras. • Talhas. Misturadores cent. panos e papel. Categoria do motor N H N H Corrente Contínua Conjugado de Carga médio (Ccméd ) Ccn C0 + Ccn 2 2C0 + Ccn 3 Ccn × nc  nc  .

81)  n   n  CP  Cmméd = 0.π.m) n = Rotação (rps) t = Tempo (s) Seleção 3-4 Tempo de Aceleração Unidades WEG .81)   n  Jm + Jce   t a = 2.n ×  C   mméd −Crméd  J = Momento de Inércia (kg.45 ×   C + C  × Cn (×9.m²) C = Conjugado (N.60 ×   C  × Cn (×9.Transformando Energia em Soluções .Ccméd  CP Cmáx  Cmméd = 0.CARACTERÍSTICAS DE ACELERAÇÃO Momento de inércia da carga referio ao eixo Jce n  = Jc ×  c  n n  R= c n 2 Relação de Transmissão Conjugado resistente médio N/H Conjugado do motor médio D Crméd = R.

2. 2. 3. Proteção térmica (sondas). 3. Temperatura ( < 40 1. Atmosfera. 1. Altitude ( < 1000 m ). Frequência. WEG . 5. Características construtivas Características da carga 1. Forma construtiva.ESPECIFICAÇÃO DE MOTORES ELÉTRICOS PARA UMA CORRETA APLICAÇÃO É NECESSÁRIO CONHECER: Características do ambiente Características da rede de alimentação 1. 4. 7. 2. Classe de isolamento. ºC ). Tipo de acoplamento ( direto. Tipo de carga. Sentido de rotação. 5. 6. Método de partida. Curva de conjugado da carga. Inércia da carga. Potência e polaridade. 3. polias ). 3. Regime da carga. Tensão.Transformando Energia em Soluções Seleção 4-4 . Esforços radiais e axiais. 4. Sistema de refrigeração. 2.

APLICAÇÕES 1 2 3 BOMBAS E VENTILADORES COMPRESSORES TALHAS WEG .Transformando Energia em Soluções Seleção 1-1 .

VENTILADORES E BOMBAS 1 2 3 4 5 6 7 8 CARACTERÍSTICAS DETERMINAÇÃO DA VELOCIDADE DO MOTOR DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DA CARGA DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DO MOTOR DETERMINAÇÃO DO CONJUGADO MÉDIO DO MOTOR DETERMINAÇÃO DO CONJUGADO MÉDIO DA CARGA CÁLCULO DO TEMPO DE ACELERAÇÃO EXEMPLO WEG .Transformando Energia em Soluções Aplicação 1-1 .

Esforços radiais e/ou axiais. Esforços radiais e/ou axiais. ² Pressão total (P) [N/m²]. Curva do conjugado x rotação. Dados do acoplamento. ² Rotação (nc) [rps]. Massa específica do fluido (ρ ) [kg/m³]. ² ² ² ² Momento de inércia (Jc) [kgm²]. CARACTERÍSTICAS DAS BOMBAS ² ² ² ² ² Vazão (Q) [m³/s]. WEG . ² ² ² ² Momento de inércia (Jc) [kgm²]. Altura manométrica (h) [m]. Dados do acoplamento. Curva do conjugado x rotação. Pressão total (P) [N/m²].VENTILADORES E BOMBAS CARACTERÍSTICAS DOS VENTILADORES ² Vazão (Q) [m³/s].Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 . Rotação (nc) [rps].

determinamos a rotação do motor: n n= c R n R nc Carga WEG .Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 . e o fator de redução do acoplamento.ESPECIFICAÇÃO DETERMINAÇÃO DA VELOCIDADE DO MOTOR ² A rotação da carga é determinada pelo cliente. ² Fator de redução será: R= nc rotação da carga = n rotação do motor Conhecendo-se a rotação da carga.

2 π.ESPECIFICAÇÃO DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DA CARGA Conhecendo-se conjugado e rotação nominais da carga. Potência nominal [kW].C cn onde: nc Ccn Pc Rotação nominal da carga [rps]. pode-se calcular a potência requerida pela carga: Pc = 10 −3. Conjugado nominal da carga [Nm].Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 .n c . Para bombas e ventiladores segue: Para talhas segue: WEG .

Vazão [m³/s]. Rendimento da carga.Q Pc = ηc onde: p Q ηc Pc Pressão Total [N/m²].Transformando Energia em Soluções Cargas 2-3 . Potência nominal [kW].VENTILADORES E BOMBAS DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DA CARGA Conhecendo-se a vazão e a pressão total da bomba ou do ventilador. também pode-se calcular a potência requerida pela bomba ou ventilador: 10 −3.p. WEG .

também pode-se calcular a potência requerida: 10 −3. WEG .g. Altura manométrica [m].Q.VENTILADORES E BOMBAS DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DA CARGA Conhecendo-se a vazão e a altura manométrica da bomba. Potência nominal [kW]. Aceleração da gravidade [m/s²].Transformando Energia em Soluções Cargas 3-3 . ρ.h Pb = η b onde: Q ρ h g ηb Pb - Vazão [m³/s]. Rendimento da bomba. Massa específica do fluido [kg/m³].

Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 . Potência nominal do motor [kW]. Pn R η ac Pc Carga WEG . Rendimento do acoplamento.ESPECIFICAÇÃO DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DO MOTOR Pn = onde: Pc η ac Pn - Pc ηac Potência nominal da carga [kW].

Cmáx / Cn . Cn .Conjugado de partida pelo nominal (dado de catálogo).81)  n   n Categoria D onde: C  Cmméd = 0.81) C   n Cp / Cn .Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 . coseguimos obter: Categoria N / H Cmméd  CP Cmáx  = 0.ESPECIFICAÇÃO DETERMINAÇÃO DO CONJUGADO MÉDIO DO MOTOR ( Cmméd): Após determinação da potência e polaridade do motor. WEG .Conjugado máximo pelo nominal (dado de catálogo).60 ×  P  × Cn (×9.Conjugado nominal [Kgfm] (dado de catálogo).45 ×   C + C  × Cn (× 9.

C0 + Ccn = 3 Curva de Conjugado Parabólico WEG .R Ccmed 2.Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 .VENTILADORES E BOMBAS DETERMINAÇÃO DO CONJUGADO MÉDIO DA CARGA (Crméd): Depende do tipo de carga. Para o caso de bombas e ventiladores. temos: Crméd = Ccméd .

 C − Crméd   mméd  Se Se onde: ta ta < 0.ESPECIFICAÇÃO CÁLCULO DO TEMPO DE ACELERAÇÃO  Jm + Jce   ta = 2 π . Momento de inércia do motor [Kgm²]. trb - [s] Motor aciona a carga Problemas de proteção n Jm Jce Cmméd Crméd Rotação em [rps]. Conjugado motor médio em [Nm].8.Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 . trb > 0. n .8. WEG . Momento de inércia da carga referido ao eixo do motor [Kgm² ]. Conjugado resistente médio em [Nm].

VENTILADORES E BOMBAS EXEMPLO: Deseja-se saber que motor deve ser acoplado a um ventilador que possui as características a seguir: ² nc = 1780 rpm. ² Ccn (A) = 320 Nm. ² Ccn (B) = 270 Nm. Dimensionar um motor para a condição (A) e outro para a condição (B). ² Jc = 20 kgm².Transformando Energia em Soluções Cargas 1-6 . WEG . ² Acoplamento direto.

C cn Pc = 10 −3.320 Pc = 59 .n c .7.7 rps).VENTILADORES E BOMBAS SOLUÇÃO: Condição (A) 1) Determinação da velocidade do motor: n= nc 1780 = = 1780 rpm R 1 n= 1780 = 29 .Transformando Energia em Soluções Cargas 2-6 .29 . 2) Determinação da potência nominal da carga: Sabendo-se que o Ccn (A) = 320 Nm.2 π.7rps 60 Portanto o motor WEG será de IV PÓLOS.2 π. e nc= 1780 rpm (29. temos: Pc = 10 −3.7kW WEG .

Transformando Energia em Soluções [s] Cargas 3-6 . devemos calcular o tempo de aceleração. Portanto. observamos que a potência normalizada.  Jm + Jce   ta = 2 π . n . temos que a potência nominal do motor será: Pn = Pc 59. o motor escolhido será: 75 kW .7 = = 59 .  C   mméd − Crméd  WEG .VENTILADORES E BOMBAS 3) Determinação da potência nominal do motor Conhecendo-se a potência nominal da carga.IV PÓLOS IMPORTANTE: Para termos certeza de que este motor acionará a carga.7kW ηac 1 Com o auxílio do Catálogo. imediatamente superior é de 75kW.

2 + 3.45 ×   C + C  × Cn (× 9.2 ) × 41.81)  n   n Do catálogo. determinar o seu conjugado médio (Cmméd ): Cmméd  CP Cmáx  = 0. temos: Cp / Cn = 3.45 × ( 3.2 kgfm Cmméd = 0.IV pólos.2 Cmáx / Cn = 3.81 Cmméd = 1. para o motor de 75kW .Transformando Energia em Soluções Cargas 4-6 .2 Cn = 41.164 Nm WEG .2 × 9. conseguimos com o auxílio do catálogo.VENTILADORES E BOMBAS 4) Determinação do conjugado do motor médio: Com a definição do motor.

temos: Ccn (A) = 320 Nm Co = 0. Para bombas e ventiladores. para o caso (A).C 0 + Ccn 3 C0 = 32. então: Crméd = Ccméd . sabemos que o conjugado é parabólico.10 x Ccn (A) = 0.Transformando Energia em Soluções Cargas 5-6 .R Do gráfico.1 = 128 Nm WEG .VENTILADORES E BOMBAS 5) Determinação do conjugado resistente médio: O conjugado resistente médio depende do tipo de carga.0 + 320 = 128 Nm 3 Crméd = 128 .32.0 Nm Ccmed = 2.10 x 320 Ccmed = 2.

para o motor de 75kW .  C   mméd − Crméd  [s] Do catálogo.15478 kgm².VENTILADORES E BOMBAS 6) Determinação do tempo de aceleração:  Jm + Jce   ta = 2 π .81 [s] 1.12 = 20 kgm 2  1. n .8.IV pólos. 29.R 2 Jce = 20 .   = 3. trb = 11 s O momento de inércia da carga referido ao eixo do motor é: Jce = Jc . trb < 8.Transformando Energia em Soluções .15478 + 20  t a = 2 π .7 .8 .164 − 128   Como ta ta < 0.8 s ta < 0. 11 Motor aciona a carga Aplicação Cargas 6-6 WEG . temos: Jm = 1.

COMPRESSORES 1 2 3 4 5 6 7 8 CARACTERÍSTICAS DETERMINAÇÃO DA VELOCIDADE DO MOTOR DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DA CARGA DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DO MOTOR DETERMINAÇÃO DO CONJUGADO MÉDIO DO MOTOR DETERMINAÇÃO DO CONJUGADO MÉDIO DA CARGA CÁLCULO DO TEMPO DE ACELERAÇÃO EXEMPLO WEG .Transformando Energia em Soluções Aplicação 1-1 .

COMPRESSORES CARACTERÍSTICAS DOS COMPRESSORES ² Momento de inércia (Jc) [kgm²]. ² Esforços radiais e/ou axiais. WEG . ² Conjugado nominal (Cn) [Nm]. ² Conjugado de partida (Cp) [Nm]. ² Rotação nominal (nc) [rps].Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 . ² Dados do acoplamento.

temos: Crméd = Ccméd .Ccn Curva de Conjugado Parabólico WEG .15 .R Ccmed = 1.Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 .COMPRESSORES DETERMINAÇÃO DO CONJUGADO MÉDIO DA CARGA (Crméd): Depende do tipo de carga. Para o caso de compressores.

COMPRESSORES EXEMPLO: Deseja-se saber que motor deve ser empregado para acionar um compressor a parafuso com as seguintes características: ² nc = 1125 rpm. ² Jc = 2.65. WEG . ² Conjugado nominal Ccn = 24 Nm. ² Conjugado de partida Cp = 37 Nm. ² Rendimento do acoplamento η ac = 97%.Transformando Energia em Soluções Cargas 1-8 . ² Redução do acoplamento R = 0.5 kgm².

C cn Pc = 10 −3.18 .82 kW WEG . 2) Determinação da potência nominal da carga: Sabendo-se que o Ccn = 24 Nm.65 n= 1730 = 28 .COMPRESSORES SOLUÇÃO: 1) Determinação da velocidade do motor: n= nc 1125 = = 1730 rpm R 0.Transformando Energia em Soluções Cargas 2-8 .2 π.n c .75 .24 Pc = 2.2 π. e nc= 1125 rpm (18. temos: Pc = 10 −3.75 rps).8rps 60 Portanto o motor WEG será de IV PÓLOS.

o motor escolhido será: 3 kW . devemos calcular o tempo de aceleração. temos que a potência nominal do motor será: Pn = Pc 2. observamos que a potência normalizada.  Jm + Jce   ta = 2 π . imediatamente superior é de 3 kW.97 Com o auxílio do Catálogo.Transformando Energia em Soluções [s] Cargas 3-8 .COMPRESSORES 3) Determinação da potência nominal do motor Conhecendo-se a potência nominal da carga.  C   mméd − Crméd  WEG .IV PÓLOS IMPORTANTE: Para termos certeza de que este motor acionará a carga.82 = = 2. n . Portanto.91kW ηac 0.

5 + 2.45 ×   C + C  × Cn (× 9.COMPRESSORES 4) Determinação do conjugado do motor médio: Com a definição do motor. para o motor de 3kW .8 ) × 1.69 × 9.54 Nm WEG .8 Cn = 1.IV pólos.69 kgfm Cmméd = 0.Transformando Energia em Soluções Cargas 4-8 .81 Cmméd = 39 . conseguimos com o auxílio do catálogo. temos: Cp / Cn = 2.45 × ( 2. determinar o seu conjugado médio (Cmméd ): Cmméd  CP Cmáx  = 0.5 Cmáx / Cn = 2.81)  n   n Do catálogo.

então: Crméd = Ccméd .Ccn Ccmed = 1.COMPRESSORES 5) Determinação do conjugado resistente médio: O conjugado resistente médio depende do tipo de carga.94 Nm WEG .24 = 27.Transformando Energia em Soluções Cargas 5-8 . sabemos que o conjugado é constante.65 .27 .6 Nm Crméd = 0.15.R Sabendo-se que: Ccn = 24 Nm Ccmed = 1.15 . Para compressores a parafuso.6 = 17 .

54 − 17 .96 [s] 39 . para o motor de 3kW .  C   mméd − Crméd  [s] Do catálogo.COMPRESSORES 6) Determinação do tempo de aceleração:  Jm + Jce   ta = 2 π .5. 6 Problemas de proteção Cargas 6-8 WEG . n .IV pólos.06  t a = 2 π .94   Como ta ta < 0.Transformando Energia em Soluções .00918 kgm².   = 8.65 )2 = 1.8 .R 2 Jce = 2. 28 . temos: Jm = 0.06 kgm 2  0.8 .8. trb < 4.8 s ta < 0.00918 + 1.(0. trb = 6 s O momento de inércia da carga referido ao eixo do motor é: Jce = Jc .

Transformando Energia em Soluções .62 − 17 . trb < 5.   = 5.14 [s] 55 .8.9 Cmáx / Cn = 3.06  t a = 2 π .8 .00995 + 1.8 . 28 .6 s ta < 0. 7 Motor aciona a carga Cargas 7-8 WEG .1 trb = 7s Jm = 0.7kW .00995 kgm²  0.94   Como ta ta < 0. temos duas opções: 1ª Opção: Escolher um motor de maior potência: Adotando-se o motor imediatamente superior ao anterior.COMPRESSORES Para que a condição seja atendida e o motor esteja corretamente dimensionado. ou seja: 3. temos: Cn = 2.IV pólos.10 kgfm Cp / Cn = 2.

6 trb(F) = 8.IV PÓLOS WEG .7 kW .3846 .Transformando Energia em Soluções Aplicação Cargas 8-8 .8.8 .65 s ta < 0.31 segundos Como ta ta < 0. trb < 6.3846 . 8.31 Problemas de proteção Conclusão: O motor empregado para acionar o compressor deverá ser o da Opção 1.trb(B) trb(F) = 1. ou seja: 3.COMPRESSORES 2ª Opção: Trocar a classe de isolamento do motor. de “B” para “F”: trb(F) = 1.

Transformando Energia em Soluções .TALHAS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 CARACTERÍSTICAS DETERMINAÇÃO DA VELOCIDADE DO MOTOR DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DA CARGA DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DO MOTOR DETERMINAÇÃO DO CONJUGADO MÉDIO DO MOTOR DETERMINAÇÃO DO CONJUGADO MÉDIO DA CARGA CÁLCULO DO TEMPO DE ACELERAÇÃO REGIME DE TRABALHO E CORRENTE EQUIVALENTE EXEMPLO Aplicação 1-1 WEG .

Redutor ² Carga a ser levantada (m) [kg]. η ac ² Velocidade de içamento da carga (Vc) [m/s]. WEG .Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 . ² Rendimento total do sistema (η ). ² Classe de operação de acordo com a Norma NBR 9974 ou. ² Momento de inércia do acoplamento e redutor (Jac ) [kgm²]. número máximo de manobras por hora e o valor percentual da duração operacional do ciclo (%ED).TALHAS CARACTERÍSTICAS DAS TALHAS Cc Motor R η t Dc Vc m g ² Fator de Redução (R). ² Diâmetro do tambor ou polia (Dc) [m].

TALHAS DETERMINAÇÃO DA VELOCIDADE DO MOTOR Conhecendo-se a velocidade de içamento da carga (Vc) e o diâmentro do tambor (Dc).Dc Conhecendo-se a rotação da carga. nc = Vc π. determina-se a velocidade do tambor (nc) em rps.Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 . e o fator de redução do acoplamento. determinamos a rotação do motor: n= nc R WEG .

WEG . Velocidade de levantamento [m/s].g. a potência requerida pela talha em kW é dada por: Pc = 10 −3.Transformando Energia em Soluções Cargas 2-3 .TALHAS DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA NOMINAL DA CARGA Conhecendo-se a carga a ser levantada e a velocidade de levantamento. Potência nominal [kW]. Aceleração da gravidade [m/s²]. Rendimento total da talha. onde: m g Vc ηt Pc - m.Vc ηt Massa a ser levantada [kg].

Mancais de Deslizamento Rolamento 0.96 0. Tambor para cabo. Pinhão de corrente com rodas cabrestantes.94 0.: O rendimento total da talha é dado pelo produto dos rendimentos isolados.95 0.96 0.98 0. Polias de cabo.96 0.TALHAS RENDIMENTOS ISOLADOS DOS MECANISMOS DAS TALHAS Tipo de acoplamento Polias de corrente. Par de rodas frontais ou cônicas (graxa).96 0. Rodas de corrente para correntes de polias.94 0.97 0. Par de rodas frontais ou cônicas (óleo). WEG .96 0.98 Obs.Transformando Energia em Soluções Cargas 3-3 .93 0.96 0.95 0.

R Ccmed = Ccn Ccn m.TALHAS DETERMINAÇÃO DO CONJUGADO MÉDIO DA CARGA (Crméd): Depende do tipo de carga. Para o caso de talhas. sem polia móvel.Dc = 2 Obs.: A expressão acima para calculo do Ccn é válida em acionamento direto.Transformando Energia em Soluções Cargas 1-1 . temos: Crméd = Ccméd . WEG .g.

: No ciclo da talha. WEG .TALHAS REGIME DE TRABALHO Obs.Transformando Energia em Soluções Cargas 1-3 . o motor opera duas vezes.

de acordo com a norma NBR 9974: Classe 1 Dm 1 Cm 1 Bm 1 Am 2m 3m 4m 5m Regime Intermitente Periódico ED% 15 20 25 30 40 50 60 60 Manobras / h 90 120 150 180 240 300 360 360 Cargas 2-3 WEG .TALHAS REGIME DE TRABALHO Relação de regimes básicos para talhas.Transformando Energia em Soluções .

² Se (Ieq / In)² ≤ 1.Motor poderá ser utilizado no regime especificado.25 . WEG .Transformando Energia em Soluções Cargas 3-3 .TALHAS CORRENTE EQUIVALENTE Para um regime intermitente.Utilizar motor classe F.t a + t n 2 I   Ieq    = n I  t  n  tf + r 3  Ieq  I  n   ∆t  <  classe   ∆t   n 2 2     ² Se (Ieq / In)² ≤ 1.0 . ² Se (Ieq / In)² ≤ 1.Utilizar motor classe H.56 . analisamos a aplicação em termos de corrente equivalente:  Ip    .

WEG . ² Redução R = 0.03 kgm².041. ² Inércia do redutor referida à velocidade do motor Jr = 0.96. ² Diâmetro da polia Dc = 0.0002 kgm². ² Inércia do acoplamento referida a velocidade do motor Jac = 0.0001 kgm².Transformando Energia em Soluções Cargas 1-9 . ² Inércia da polia referida a sua própria velocidade Jp = 0.20% ED).TALHAS EXEMPLO: Deseja-se saber que motor deve ser empregado para acionar uma talha com as seguintes características: ² Massa a ser levantada m = 400 kg. ² Velocidade de levantamento Vc = 0. ² Rendimento total do sistema η t = 0.22 m. ² Classe de operação 1Cm (120 man / h . ² Aceleração da gravidade g = 9.8 m/s.81 m/s².

TALHAS SOLUÇÃO: 1) Determinação da velocidade do motor: nc = n= Vc π .96.8 m/s e η t = 0.81 .698rpm nc 1.g.9.8 = 1.3.0. 400 . 2) Determinação da potência nominal da carga: Sabendo-se que o m = 400 kg.Transformando Energia em Soluções .8 = 3.3rps R 0.0.Vc η t Pc = 10 −3.041 Portanto o motor WEG será de IV PÓLOS.60 = 1. m. Vc= 0.16rps π.16 = = 28 .Dc nc = 0. temos: Pc =1 0 − 3 .22 n = 28.96 Cargas 2-9 WEG .27 kW 0.

IV PÓLOS IMPORTANTE: Para termos certeza de que este motor acionará a carga.  C   mméd − Crméd  WEG . temos que a potência nominal do motor será: Pn = Pc 3. n .TALHAS 3) Determinação da potência nominal do motor Conhecendo-se a potência nominal da carga.7 kW .27 = = 3. devemos calcular o tempo de aceleração e a corrente equivalente:  Jm + Jce   ta = 2 π .Transformando Energia em Soluções [s]  Ip    .t a + t n 2 I   Ieq    = n I  t  n  tf + r 3 Cargas 3-9 2 . o motor escolhido será: 3.27 kW ηac 1 Portanto.

10 kgfm Cmméd = 0.10 × 9.81)  n   n Do catálogo.1 Cn = 2.1) × 2. temos: Cp / Cn = 2.9 + 3. determinar o seu conjugado médio (Cmméd ): Cmméd  CP Cmáx  = 0.Transformando Energia em Soluções Cargas 4-9 .TALHAS 4) Determinação do conjugado do motor médio: Com a definição do motor. conseguimos com o auxílio do catálogo. para o motor de 3.45 ×   C + C  × Cn (× 9.9 Cmáx / Cn = 3.45 × ( 2.62 Nm WEG .81 Cmméd = 55 .IV pólos.7 kW .

16 Ccmed = Ccn = 448 . Para talhas.7 = 18 .R Sabendo-se que: Ccmed = Ccn Ccn = Pc 10 −3.TALHAS 5) Determinação do conjugado resistente médio: O conjugado resistente médio depende do tipo de carga.7Nm Crméd = 0.2 π.27 10 −3.448 .2 π.n c Ccn = 3.041 . então: Crméd = Ccméd .1.4Nm WEG .Transformando Energia em Soluções Cargas 5-9 . sabemos que o conjugado é constante.

00845 kgm 2 WEG .Transformando Energia em Soluções Cargas 6-9 .11)2 = 4.n c    = m.  2.( 0.0002 kgm 2 Jce = 0.(raio )2 = 400 .84 kgm 2   2 Je = Jc .( 0.0001 + 0.0081 kgm 2 Jpe = Jp .R 2 = 4.TALHAS 6) Determinação da inércia total de carga referida ao eixo do motor: Jce = Je + Jpe + Jre + Jac O momento de inércia da carga referido ao eixo do motor é:  Vc Jc = m.0000504 + 0.0081 + 0.041 )2 = 5.( 0.84 .0001 kgm 2 Jac = 0.R 2 = 0.041 )2 = 0.04 .10 −5 kgm 2 Jre = 0.π.03 .0002 = 0.

para o motor de 3. WEG .  C   mméd − Crméd  [s] Do catálogo.TALHAS 7) Determinação do tempo de aceleração:  Jm + Jce   ta = 2 π .IV pólos. n .   = 0.7 kW .00995 + 0.62 − 18 . devemos calcular a corrente equivalente para termos certeza que o motor esta corretamente dimensionado.Transformando Energia em Soluções Cargas 7-9 .8.4   Como ta < 0.8 .00995 kgm².00845  t a = 2 π . 28 . temos: Jm = 0. trb = 7 s  0. 7 ta < 5.09 [s] 55 .8 .6 s IMPORTANTE: Em função do regime de trabalho da talha. trb ta < 0.

T = 0.20 . o motor opera duas vezes.t a + t n 2 I   Ieq    = n I  t  n  tf + r 3 WEG .TALHAS 8) Cálculo da corrente equivalente do motor: Dado que a classe de operação da talha é 1Cm (120 man/h .20% de ED).09 = 2.91s  Ip    . Então.Transformando Energia em Soluções Cargas 8-9 2 .20% ED t f = (%ED ). o ciclo do motor é: 240 part / h .8.T = 0.15 = 3s t r = 0. temos: No ciclo da talha.15 = 12 s T= 3600 = 15 s 240 t n = t f − t a = 3 − 0.8.

TALHAS 8) Cálculo da corrente equivalente do motor:  Ip    .IV pólos .16  =  12  3+ 3 Como (Ieq / In)² ≤ 1.09 + 2.6 tf = 3s ta = 0.91 = 1.t a + t n 2 I  Ieq     = n I  t  n  tf + r 3  Ieq  I  n 2 2 Sabendo que: Ip / In = 7.7 kW . WEG .25 classe F.Transformando Energia em Soluções Aplicação Cargas Motor 9-9 .09s tr = 12s tn = 2. .91s  ( 7.0.Utilizar motor O motor será de 3.Isolamento classe F.6 ) 2 .