You are on page 1of 32

Correlação de resultados

simulados e medidos em par de


hastes

Pedro Henrique Cavalcanti

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Estágio 1- Par de Hastes de
aterramento com porta discreta

Figura 1-Par de hastes de aterramento cobreadas conectadas por porta discreta

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Perdas de Retorno/Ressonância (s11)

Figura 2-Perdas de retorno de hastes de aterramento cobreadas conectadas por porta discreta

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Carta de Smith- Casamento de
impedâncias

Figura 3- Carta de Smith-Par de hastes de aterramento cobreadas conectadas por porta discreta

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
O primeiro estágio simulado consistiu em duas hastes de aterramento cobreadas
conectadas em paralelo, funcionanando como um linha de transmissão aberta. O sinal
de excitação utlizado foi uma porta discreta, fazendo uma das hastes como fase e a
outra como referência. Devido à utilização desse tipo de porta, as perdas de retorno
apresentaram valores baixos, com boa inserção de sinal, atingindo valores abaixo de -
20 dB. Pela carta de smith percebe-se um bom casamento de impedâncias, com valor
real próximo a 50Ω e parte reativa próxima de zero. Esses valores devem-se não só à
configuração de porta, mas também à continuidade e alta permissividade e
permeabilidade do material das hastes, nas quais o sinal foi inserido. A frequência de
melhor ressonância foi de 480 MHz.

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Medidas realizadas TDR- Garra jacaré

Figuras 4 e 5 – Medidas DTF conectadas por garra jacaré

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Equipamentos a serem ajustados

Figuras 6, 7 e 8 e 9 – Sistemas de equipamentos a serem ajustados

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Estágio 2- Par de Hastes de
aterramento + Conector N

Figura 10-Par de hastes de aterramento cobreadas com conector N

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Perdas de Retorno/Ressonância (s11)

Figura 11-Par de hastes de aterramento cobreadas com conector N

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Carta de Smith- Casamento de
Impedâncias

Figura 12- Carta de Smith-Par de hastes de aterramento cobreadas com conector N

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
• O segundo estágio simulado consistiu em duas hastes de aterramento cobreadas
conectadas em paralelo, funcionanando como um linha de transmissão em aberto.
Nesse caso, o sinal de excitação utlizado foi uma porta discreta, porém inserida
em um conector tipo N painel fêmea, de modo a reproduzir com mais fidelidade a
configuração real de medidas a serem realizadas. Devido à utilização desse tipo de
porta, as perdas de retorno apresentaram valores relativamente baixos, com
inserção de sinal razoável, atingindo valores próxima a -20 dB. Pela carta de smith
percebe-se um casamento de impedâncias razoável, com valor real relativamente
próximo a 50Ω e parte reativa baixa. Esses valores, em comparativo com os
simulados sem o conector tipo N, devem-se às perdas decorrentes do mesmo, já
que o sinal não é inserido diretamente nas hastes e é acometido de perdas
eletromagnéticas. A frequência de melhor ressonância foi de 345 MHz.

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Medidas a serem realizadas

• CAT- O modo CAT normalmente é usado para testar todo um sistema de


transmissão. Esse processo às vezes é chamado de varredura de linha.
• O Modo CAT é semelhante ao modo NA (Network Analyzer)
• As medições da distância do modo CAT para falha (DTF) geralmente são
usadas para localizar problemas ou falhas, em um comprimento de cabo
ou linha de transmissão que é também chamado de DUT (Device Under
Test)

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Terceiro estágio- Haste de âncora+ Haste de
aterramento +Conector N

Figura 13- Haste de âncora e hastes de aterramento cobreada com conector N

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Perdas de Retorno/Ressonância (s11)

Figura 14- Perdas de retorno-Haste de âncora e hastes de aterramento cobreada com conector N

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Carta de Smith- Casamento de
impedâncias

Figura 15- Carta de Smith-Haste de âncora e hastes de aterramento cobreada com conector N

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
• O terceiro estágio simulado consistiu em uma haste de âncora funcionando como
fase conectada em paralelo à uma haste cobreada, esta última funcionanando
como referência. Novamente o sistema comporta-se como uma linha de
transmissão em aberto. Mais uma vez, o sinal de excitação utlizado foi uma porta
discreta inserida em um conector tipo N painel fêmea, de modo a reproduzir com
mais fidelidade a configuração real de medidas a serem realizadas. Além da
influência da utilização desse tipo de porta na inserção do sinal, a utilização de
uma linha de transmissão com diâmetro irregular, as perdas de retorno
apresentaram valores ainda mais baixos, com inserção de sinal média, atingindo
valores próxima a -15 dB. Pela carta de smith percebe-se um casamento de
impedâncias não satisfatório, com valor real próximo a 40Ω e parte reativa
próxima aos 13 Ω. Percebe-se aqui a necesidade de algum tipo de casador de
impedâncias, visto que a inserção do sinal é prejudicada devido à configuração do
sistema. A frequência de melhor ressonância foi de 342 MHz.

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Quarto estágio- Aperfeiçoamento
do estágio 2

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Vistas

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Perdas de Retorno/Ressonância
(s11)

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
• Em decorrência da grande variação de comportamento do sistema pela adição do
conector, fez-se necessária a atualização da simulação do estágio 2, a fim de
reproduzir da maneira mais fiel possível o sistema completo que será
implementado nas medidas de bancada, incluindo o fio utilizado, os olhais nas
extremidades do mesmo, os parafusos e porcas, entre outros. O SPAN de
frequências utilizado foi padronizado de 2 MHz a 6 GHz, de modo a evitar
qualquer diferenciação entre os resultados simulados. A frequência de melhor
ressonância foi de 499 MHz.

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Conclusão
• O sistema de par de hastes cobreadas apresenta frequência
natural de ressonância com poucas reflexões
• A adição do conector N apresenta inserção eficiente de sinal
• A garra-jacaré inviabiliza as medidas de DTF
• O sistema com Haste de âncora e conector N requer ajustes
para diminuição das perdas de retorno
• A concepção de um sistema o mais inerte possível à variações
de campo faz-se necessária

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Influência das condições
climáticas da China na
confiabilidade de aterramento
em sistemas de potência

Pedro Henrique Cavalcanti


www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Conteúdo
• Estudos de eletrodos aterramento
• Comparativos de resultados entre Polônia e
província de Jiangxi no sul da China
• Testes de corrosão em campo de hastes de
aterramento feitas de materiais diferentes
• Análise dos resultados ​após remoção do solo
em intervalos de 2 anos (após 2,4 e 6 anos)

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
• Na China em 2009 observou-se corrosões em
sistemas de aterramento de subestação de
110 kV e linha de transmissão de 220 kV após
um período de serviço relativamente curto (7
a 10 anos)
• O exemplos de corrosão de eletrodos de terra
na China foram analisados ​e comparados com
os resultados do teste de campo na Polônia

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Subestação e Torre de transmissão

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
• A previsão do tempo de vida útil de qualquer
tipo sistemas aterrados é difícil e geralmente
não é considerado como fator de projeto
• O papel dos aspectos de corrosão no projeto
de sistemas de aterramento têm crescido com
o objetivo de assegurar seus parâmetros
estáveis ​em tempo de serviço esperado

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Hastes corroídas

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
• Os testes de indicaram rápido
desenvolvimento de corrosão de eletrodos de
terra galvanizados de aço e zinco enterrado no
solo
• A taxa de corrosão dos eletrodos de
aterramento é muito mais rápida na Província
de Jiangxi do que na Polônia

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
• Condição climática favorável à corrosão no sul
da China
• Alta umidade de solo resultante da alta taxa
de precipitação anual
• variações de temperatura no intervalo de 8 a
30 ° C

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Informações climatológicas em
Ganzhou, China

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Conclusão
• As condições climáticas na China estão
diretamente ligadas ao grau de corrosão dos
sistemas de aterramento
• Os eletrodos de aterramento de aço
revestidos em cobre apresentaram melhores
resultados do testes de com os de
revestimentos de zinco feitos com diferentes
tecnologias na Polônia

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas
Obrigado pela atenção

www.ufpe.br/laboratoriomicroondas