You are on page 1of 35

3.

OS PATRIARCAS:

O Início de uma
História de Fé
(Gn 12-50)
3.1. ABRAÃO:
• Aliança de Deus com
uma Família = modelo
de fé
• O CONTEXTO em que
viveu Abraão foi : + ou
– 1750 a.C.
• Quando Abraão foi
chamado por Deus a
uma missão (Gn 12-25)
estava com 75 anos!
• A VOCAÇÃO de Abraão
foi um chamado de
Deus (ver Gn 12, 1-3) para
realizar um projeto:
• sair de sua terra
(Ur, na Caldéia =
atual Iraque)
• ir para onde
Deus quer;
• ser “PAI de um
povo numeroso!”
= promessa de
Deus
MIGRAÇÕES DOS
POVOS SEMITAS NO
SÉCULO XIV a.E.C.

ABRAÃO é tão importante para a fé


judaica, que tornou-se o
“pai do povo”

( ABI =pai +ARAM = povo).


3.2. ABRAÃO

RECOMEÇA
uma história
de Bênção
1.º Projeto:

• Abraão (75 anos! = 50


anos) e Sara (estéril) estão
velhos (“é possível?”)
obs.: na época, o
calendário possuía apenas
8 meses
• solução de Abraão:
escolher Eleazar, um
escravo como
descendente
• A Fé entra em tensão com
a realidade (18,11X 15,2).
2.º Projeto:

• escolher o Filho
da escrava Agar
(Ismael) como
descendente
• mas o filho deveria
ser de... Sara! (Gn
17, 1)
• Abraão já estava
com 90 anos (60
anos)!
3.º Projeto:

• os 3 mensageiros de
Deus (18, 1-15)
visitam Abraão;
• E ... a promessa de
Deus se cumpre!
(21, 1-8)
• Abraão já estava com
100 (=67) anos!
A Prova de fogo!
(22, 1-18)

• Deus pede a Abraão Isaac em


sacrifício!
• resposta de Abraão –
obediência X Adão e Eva –
desobediência
• porém, Deus proíbe o sacrifício
de vidas humanas!
• Abraão representa o começo
de um povo “abençoado”
• momento culminante:
Encarnação do Verbo de Deus
(Jo 1, 14)
ISAAC/REBECA:
(Gn 25, 19 – 28, 9)
• continua a história de
Bênção/Aliança/Fidelidade;
• “Re-edição da história de
Abraão” (comparar Gn 12, 10-20;
20, 1-18 e 26, 1-11);
• Renovação das Promessas de
Deus (26, 24-25)
JACÓ+ Lia + Raquel
+ Bala + Zelfa
(Gn 27, 1 - 50,13)

• Deus escolhe quem


Ele quer! (27, 5-29);
• Ele é o Senhor da
Vida!
• Jacó + Raquel. Lia.
Bala. Zelfa
(escravas) =
12 filhos! =
Prosperidade
(35, 23-26)
JOSÉ DO EGITO
(Gn 37,1 – 50, 26)

• inveja entre os filhos de


Jacó
• escravidão de José (no
Egito)
• Reabilitação = José se
torna o curador do Egito
• Reconciliação com os
irmãos
• Através de José, Deus
salva uma família
inteira! (45, 1 - 8 )
3.3. O NOME DO POVO DE DEUS RETRATA SUA
HISTÓRIA
• Povo da Bíblia – nomes diferentes:
hebreu, Israel, judeu, etc; = “Povo de
Deus” (pertença);
• Israel: origem do nome : Gn 35, 10; 32,
28 – 29; 46, 5) = “filhos de Israel”;
• Sará = lutar + el = “Deus”
Jacó

• = Israel = “Deus lutará” = ( Gn 32,


28s);
• Luta pela conquista da bênção (Gn
32, 25 – 30) = “luta com Deus”;
• Levou 800 anos para se constituir
como Povo unido (de 1800
a.E.C./Abraão até 1000 a.E.C./ Davi);
• Grupos diferentes formaram um só
povo.
História do
Povo da Bíblia
• inicia-se há 3.500 anos
(“pré-história”);
• Tradição oral – escrita
rara – tabuinhas de
Argila (Mesopotâmia) +
papiro (Egito Antigo);
• aramaico – língua
antiga constituída no
tempo da Monarquia
(1000 a.E.C – 587 a.E.C.)
• língua hebraica = só
surgirá no séc. V
a.E.C.
(após o Exílio da Babilônia;
597 – 538 a.E.C.);
Questão: os patriarcas existiram
historicamente?
• Temos apenas as informações bíblicas
a respeito deles, mas eles se situam
nas origens do Povo da Bíblia.São
venerados pelos judeus, cristãos e
muçulmanos.
• Era dos Patriarcas = sem meios para
registrar a história, a não ser na
MEMÓRIA (tradição oral).
Só no ano 1000 a.E.C. é que
Salomão, organizando o culto em
Jerusalém, no Templo, é que
começará a escrever os
documentos bíblicos, como por
exemplo: Código de leis ligado ao
Templo, relatos das origens do
povo (patriarcas), etc.
Surge, então, a chamada
“TRADIÇÃO JAVISTA”.
• Exílio da Babilônia (597 – 538
a.E.C.) = sacerdotes exilados e
escribas começarão a produzir,
escrever, revisar e organizar os
textos Bíblicos.
• Haverá uma preocupação maior
com as ORIGENS do Povo de
Deus, com o intuito de suscitar a
Fé dos exilados.
• Será feita uma reconstituição da
história a partir da Fé num Deus
único (UNO).
• Significado do Exílio (587 – 538
a.E.C.) = crise de fé = destruição do
Templo e da cidade de Jerusalém
pela Babilônia.
• Origens da Humanidade = atribuída a
um casal = (Gn 1, 1 – 2, 4a) = intenção
mais teológica que histórica =Temos
a mesma origem: Deus
• Histórias de povos diferentes com
diferentes origens em lugares
diferentes AMALGAMADAS numa
só história.
• Intenção = unidade do povo
= unidade na diversidade.
• Israelitas = descendentes de Sem
(Gn 11, 10 – 32) = SEMITAS
Abraão
• SEMITA/ ARAMEU = patriarca do
Povo hebreu;
• deu origem aos povos mais
próximos a Israel;
• ismaelitas (árabes/nabateus) =
“filhos de Ismael, filho de Agar
(egípcia), conf. Gn 16;
• madianitas (beduínos) = Madiã,
filho de Cetuca (Gn 25, 1 – 2);
Outros povos:

• o autor atribui sua origem aos


descendentes de Abraão:
= Esaú = Edom = edomitas = neto
de Abraão;
= Lot = Moab = moabitas =
sobrinho de Abraão;
NOÉ

Deus renova seu ato criador, dá


origem a uma nova humanidade
(conf. 9, 1; 10, 1 -32):
• Jefé (Asia Menor e Europa)
• Cam (África)
• Sem (Povos do Oriente)
ABRAÃO
SEM TARÉ NACOR
ARÃ
ISAAC
ABRAÃO Jacó = 12
Isaac filhos +Dina
Madiã
Ismael Esaú = seus
descendentes
JACÓ
(Israel)

12 FILHOS/TRIBOS:
(Gn 29, 31 – 30, 24;
35,16 – 21)
RUBEN, SIMEÃO, LEVI, JUDÁ, DÃ,
NEFTALI, GAD, ASER, ISSACAR,
ZABULON, DINA (filha),
JOSÉ e
BENJAMIN
PERÍODO DOS PATRIARCAS

• 1800 a.E.C. – 1000 a.E.C.


• período muito longo;
• extensão geográfica ocupada pelos
patriarcas e descendentes → grande
demais!
• não se trata de uma GENEALOGIA
FAMILIAR, mas de uma tentativa de
buscar a UNIDADE entre os povos
diferentes com os judeus;
Gn 10, 32
Origem de diversos grupos de
povos diferentes.
- números: 3, 6 ou 12 =
numero de filhos de uma
genealogia;
- 12 tribos = filhos de Jacó
(Israel):
Abraão → Isaac → Jacó:

• “parentes” = há mais laços


de FÉ do que de
parentesco sanguíneo;
• relação excepcional com
Deus → forte experiência
de Fé;
ABRAÃO
• Ligado ao Santuário de
Siquém (Gn 12, 6 – 7) e de Betel
(Gn 12, 8) e de Mambré, junto à
Bersabeia
(Gn 13, 14 – 18);
ISAAC
• Ligado ao Santuário de
Bersabeia (Gn 26, 23 – 25)
JACÓ
• Liga-se ao Santuário de Betel
(Gn 28, 10 – 22)
• Santuários = Deus
“aparece”, assume uma
relação de posse (Aliança) e
ali o patriarca erige um
altar (Deus de Abraão, Deus de
Isaac, Deus de Jacó).
• Patriarcas = pais da Fé do
Povo de Israel.
• As tradições sobre os patriarcas não
nos permitem fazer uma exposição
histórica sobre eles na forma
biográfica;
• Função dos escritos: colocá-los como
PRECURSORES DA FÉ do povo;
• Detalhe: as “promessas” de Deus = a
delimitação territorial só foi atingida
na época de Davi (700 anos depois,
aproximadamente);
• Ver Gn 12, 2.7; 13, 14 – 17; 15, 18
• Tradições patriarcais: indicam
estágios iniciais de uma ocupação da
terra por grupos de arameus isolados,
• Que se unem gradativamente, em meio a
LUTAS (=“sara”, em hebraico, de onde:)
• Israel= “Deus lutará!” - Luta de Jacó
com Deus perto do rio Jaboc (ver Gn
32, 23 – 33);
• Informação histórica extra-bíblica: estela de
Merneptá (1224 aEC)
• “Credo Histórico”: meio pelo qual o povo de Israel
narra sua história – une FÉ e VIDA (ver Js 24, 2 –
13; Sl 105; 106; 135; 136);
• Contexto: louvor a Deus por sua
presença no meio do povo;
• Cada israelita em cada época e situação
diferente assumiu essa experiência como se
fosse sua e se identificou com ela;
• Falar da fé = falar da vida – une-se
passado, presente e futuro no Credo
israelita;