You are on page 1of 94

Disciplina

LAZER E
EDUCAÇÃO

Prof. José Andrade


zeobreiro@yahoo.com.br
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Pontos da aula de hoje:


- Pequeno bate-papo

- Apresentação da disciplina e
do Plano de Ensino;

- Introdução à disciplina:
atividade + vídeo e discussão
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Objetivos da disciplina:

- Compreender os fundamentos
básicos dos estudos do lazer;

- Discutir o processo de
constituição histórica do lazer
e dos tempos livres;
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Objetivos da disciplina:

- Analisar as perspectivas de
atuação e formação
profissional no campo do lazer;

- Refletir sobre a diversidade


cultural do lazer.
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Ementa da disciplina:

- Estudos e relações sobre Lazer,


Educação e Educação Física;

- Concepções, significados e
apropriações do Lazer;

- Formação e atuação profissional


Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Ementa da disciplina:

- História do Lazer e dos tempos


livres;

- Lazer e sociedade de
consumo, mercado e indústria
cultural;
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Conteúdo Programático

UNIDADE 1 (2 aulas)
INTRODUÇÃO

1.1 Objetivos/Trabalhos/Avaliações
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Conteúdo Programático

UNIDADE 2 (16 aulas)


FUNDAMENTOS BÁSICOS

2.1 Lazer e Recreação;


2.2 Tempo e Atitude;
2.3 Conteúdos culturais do Lazer;
2.4 Atividade e passividade no Lazer;
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Conteúdo Programático

UNIDADE 2 (16 aulas)


FUNDAMENTOS BÁSICOS

2.6 Lazer e Educação;


2.7 Atitudes patológicas no Lazer.
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Conteúdo Programático

UNIDADE 3 (10 aulas)


HISTÓRIA DO LAZER E DOS
TEMPOS LIVRES

3.1 Antiguidade Clássica/ Período


Medieval;
3.2 Época Moderna/ Época
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Conteúdo Programático

UNIDADE 4 (10 aulas)


FORMAÇÃO E ATUAÇÃO
PROFISSIONAL EM LAZER

4.1 Perspectivas na formação e no


mercado profissional;
4.2 As abordagens funcionalistas do
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Conteúdo Programático

UNIDADE 4 (10 aulas)


FORMAÇÃO E ATUAÇÃO
PROFISSIONAL EM LAZER

4.3 Lazer como uma mercadoria e


como um direito social;
4.4 Lazer e Indústria Cultural.
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Conteúdo Programático

UNIDADE 5 (6 aulas)
LAZER E CULTURA
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Conteúdo Programático

UNIDADE 6 (8 aulas)
PROJETOS SOCIAIS

6.1 Planejamento,
desenvolvimento e avaliação
de projetos no campo do Lazer.
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Conteúdo Programático

UNIDADE 7 (8 aulas)
AVALIAÇÕES DIVERSAS
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Conteúdo Programático

UNIDADE 8 (15 aulas)


PRÁTICA DE ENSINO
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Avaliações da Disciplina

Avaliação I:
* trabalhos escritos, peso 20
Avaliação II:
* participação, peso 10
Avaliação III:
* trabalhos práticos, peso 10
Avaliação IV:
* prova formal, peso 60
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Bibliografia básica:

1. GOMES, Christianne Luce. Dicionário


crítico do Lazer. Belo Horizonte:
Autêntica, 2004.

1. MARCELLINO, Nelson Carvalho.


Estudos do Lazer: uma introdução.
Campinas, SP: Autores Associados,
2002.
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Bibliografia básica:

3. MELO, Vitor Andrade de.; ALVES


JÚNIOR, Edmundo de Drummond.
Introdução ao Lazer. Barueri, SP:
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Bibliografia complementar:

1. BRUHNS, Heloísa Turini. Introdução


aos estudos do Lazer. Campinas, SP:
Editora da Unicamp, 1997.
2. DUMAZEDIER, Joffre. Sociologia
empírica do lazer. São Paulo, SP:
Perspectiva, 1974.
3. MARCELLINO, Nelson Carvalho.
Lazer e Educação. 9ª Edição.
Campinas, SP: Papirus, 2002.
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Bibliografia complementar:

4. MELO, Victor Andrade de. A animação


cultural: conceitos e propostas.
Campinas, SP: Papirus, 2002.
5. WERNECK, Christianne Luce Gomes.;
ISAYAMA, Hélder Ferreira. Lazer,
recreação e Educação Física. Belo
Horizonte, MG: Autêntica, 2003.
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Introdução à disciplina:
atividade

O QUE É LAZER PARA VOCÊ?

QUAL A RELAÇÃO QUE VOCÊ


ACREDITA EXISTIR ENTRE
LAZER E EDUCAÇÃO?
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Vídeo Documentário

“Ócios do Ofício”
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Aula 2
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Renato Requixa

“(...) ocupação não obrigatória, de livre


escolha do indivíduo que a vive, e cujos
valores propiciam condições de
recuperação psicossomática e de
desenvolvimento pessoal e social” (p. 35,
1980)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Ethel Bauzer Medeiros

“(...) é o espaço de tempo não


comprometido do qual podemos dispor
livremente, porque já cumprimos nossas
obrigações de trabalho e de vida” (p.3,
1971).
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Luiz Octávio de Lima Camargo

“As atividades de lazer são, pois,


desinteressadas, liberatórias, escolha
pessoal, na busca de algum prazer” (p.
32, 1986)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Luiz Octávio de Lima Camargo

Propriedades do Lazer – Escolha Pessoal


“Seria uma ousadia afirmar que alguma
ação humana é executada por livre
escolha do indivíduo. Os determinismos
culturais, sociais, políticos e econômicos
pesam sobre todas as atividades do
cotidiano, inclusive sobre o lazer” (p. 10,
1986)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Luiz Octávio de Lima Camargo

Propriedades do Lazer – Escolha Pessoal

“A resposta é que há um grau maior de


liberdade nas escolhas dentro do lazer,
maior que nas escolhas que se faz no
trabalho, no ritual familiar, na vida sócio-
religiosa e sócio-política”. (p. 10, 1986)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Luiz Octávio de Lima Camargo

Propriedades do Lazer - Gratuidade

“Diz-se que o lazer é gratuito,


desinteressado. Aqui também há nuanças.
Toda ação obedece algum interesse, claro
ou disfarçado” (p. 11, 1986)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Joffre Dumazedier (1976)

"o lazer é um conjunto de ocupações às quais o


indivíduo pode entregar-se de livre vontade, seja
para repousar, seja para divertir-se, recrear-se e
entreter-se, ou ainda, para desenvolver sua
informação ou formação desinteressada, sua
participação social voluntária ou sua
livre capacidade criadora após livrar-se ou
desembaraçar-se das obrigações profissionais,
familiares e sociais."
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Nelson Marcellino de Carvalho

“(...) prefiro entender o lazer como a


cultura – compreendida no seu sentido
mais amplo – vivenciada (praticada ou
fruída) no ‘tempo disponível’. O
importante, como traço definidor, é o
caráter ‘desinteressado’ dessa vivência”.
(p.31, 1987)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Nelson Marcellino de Carvalho

“Não se busca, fundamentalmente, outra


recompensa além da satisfação
provocada pela situação. A
‘disponibilidade de tempo’ significa
possibilidade de opção pela atividade
prática ou contemplativa”. (p. 31, 1987)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Victor Andrade de Melo

* As atividades de lazer são atividades


culturais, em seu sentido mais amplo,
englobando os diversos interesses
humanos, suas linguagens e
manifestações; (p. 32, 2003)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Victor Andrade de Melo

* As atividades de lazer podem ser


efetuadas no tempo livre das obrigações
profissionais, domésticas, religiosas e
das necessidades físicas; (p. 32, 2003)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Victor Andrade de Melo

* As atividades de lazer são buscadas


tendo em vista o prazer que possibilitam,
embora nem sempre isso ocorra e
embora o prazer não deva ser
compreendido como exclusividades de
tais atividades; (p. 32, 2003)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Christianne Gomes

“O lazer é uma dimensão da cultura


caracterizada pela vivência lúdica de
manifestações culturais (tais como festas,
os jogos, as brincadeiras, as artes e até
mesmo o ócio) no tempo /espaço
conquistado pelos sujeitos e grupos
sociais” (2008)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Heloísa Turini Bruhns

“O lazer, como expressão da cultura,


pode constituir-se num elemento de
conformismo ou resistência à ordem
social estabelecida, não lhe cabendo um
tratamento simplista de moda passageira,
tempo de alienação ou consumo fácil”. (p.
33, 1997)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Heloísa Turini Bruhns

“Enquanto tempo liberado das obrigações


sociais, pode se constituir num espaço de
emergência de valores e concepções,
permitindo a ‘sobrevivência’ dos valores
humanos do homem’”. (p. 33, 1997)
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Fernando Mascarenhas

“Podemos constatar que o debate sobre o


lazer tem sido balizado, tradicionalmente,
pelos aspectos tempo ou atitude. Em que
pese a referência a atenção dedicada a
um ou outro aspecto, tal dualismo parece
ser paradigmático”. (2002).
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Fernando Mascarenhas

“Quando da abordagem em que se


privilegia o aspecto temporal, o lazer
tende a ser explicado a partir das
informações resultantes da observação
empírica dos comportamentos
objetivamente empreendidos no tempo
livre”. (2002).
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Fernando Mascarenhas

“Por outro lado, o enfoque ligado ao aspecto


atitude valoriza a interpretação dos sentidos que
as pessoas atribuem e que orientam sua ação na
experiência vivida no lazer. Entretanto, o que de
fato determina tal polaridade – isto é, o dualismo
tempos versus atitude – são as duas diferentes
visões de mundo que têm predominado na
pesquisa sobre o lazer, ou seja, uma visão
realista objetivista e outra idealista-subjetivista”.
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Lazer e Recreação
Victor Melo
* Experiências pioneiras no desenvolvimento de
atividades recreativas nas décadas iniciais do
século XX;

* Porto Alegre (Frederico Gaelzer) e São Paulo


(Nicanor Miranda) – Praças de Esporte e Centros
de Recreio;

* Rio de Janeiro com o Serviço de Recreação


Operária;
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Lazer e Recreação
Victor Melo

* Lazer e Recreação eram termos com


significados semelhantes, onde Victor afirma
existir uma falsa dicotomia;

* Isso se modifica a partir da institucionalização


acadêmica do campo de estudos ligados ao lazer
surgem nas universidades;

* Lazer = fenômeno social; Recreação =


Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Lazer e Recreação
Victor Melo

* A preocupação dos pioneiros era a de


minimizar os problemas desencadeados pela
modernidade, possibilitando a intervenção
nas áreas da saúde e higiene do espaço
urbano;

* Eram críticos as mazelas sociais, mas não


em relação as injustiças sociais que as
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Educação Física e o Lazer


Heloísa Turini Bruhns

* Educação Física área articuladora dos


conteúdos como jogo, esporte, dança,
ginásticas e lutas;

“Modelo” de competição;
“Modelo” educacional;
“Modelo” de lazer ;
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

Educação Física e o Lazer


Heloísa Turini Bruhns

Relação Educação Fisica e Educação


formal e não-formal;

Diferenças entre lúdicos:


* Paedia (jogo - Callois) – Improvisação
livre ou fantasias sem controle;
* Ludus – com regras;
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
* Fenômeno social;
* Senso comum da sociedade em
Geral;
* Demanda social;
* Constituiu-se enquanto campo
acadêmico científico.
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
* Relaciona-se com outras esferas
sociais da vida;
* Se organiza de modo distinto, a
partir das configurações socio-
econômicas;
* Lazer sempre existiu ou é um fe-
nômeno da sociedade industrial?
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Conceito de Cultura:
* Será apenas atividades artísticas?
* Será apenas a cultura erudita?
* E a cultura popular?
* Qual seria a melhor?
Curso de
Disciplina Lazer e Educação Educação Física

O que é lazer?
Conceito de Cultura:

* Conjunto de representações,
normas e valores;
* É mais amplo do que apenas
manifestações, apesar de
corresponder a uma parte
fundamental;
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Questões centrais da aula

Qual a relação que se estabelece entre o


mundo do trabalho, o “tempo livre” e o
lazer?

O que é Trabalho?

Qual a implicação desses conhecimentos


teóricos tratados aqui na atuação prática da
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Questões centrais da aula

O que é Trabalho?

Definição Ontológica

Definição Histórica
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Questões centrais da aula

O que é Trabalho? Definição Ontológica

É o processo de intercâmbio humano com a


natureza para contemplar as necessidades
humanas. Por isso é considerada por Marx
como a atividade vital dos seres humanos.
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Questões centrais da aula

O que é Trabalho? Definição Histórica


Como as diferentes sociedades organizam o
trabalho?

Esse processo de intercâmbio com a


natureza é organizado de modo diferente a
partir de como a sociedade organiza o
trabalho em determinado momento histórico
do desenvolvimento humano.
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Questões centrais da aula

E no modo de produção capitalista, como o


trabalho é organizado?

* Separação dos produtores dos meios de


produção;
* Trabalho assalariado: venda da força de
trabalho;
* Trabalho alienado, quer dizer, o trabalhador
não tem controle sobre o produto do
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Questões centrais da aula

E no modo de produção capitalista, como o


trabalho é organizado?

* Divisão hierárquica do trabalho;


* Trabalho e implicação na formação
humana;
* O homem produz a mercadoria e a
mercadoria produz o homem;
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Questões centrais da aula

E no modo de produção capitalista, como o


trabalho é organizado?

Trabalho abstrato produtor de valores de


troca;

Trabalho concreto produtor de valores de


uso;
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Questões centrais da aula

E no modo de produção capitalista, como o


trabalho é organizado?

Padrões clássicos de organização do


trabalho capitalista

Taylor – Taylorismo
Ford – Fordismo
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Padrões clássicos de organização do


trabalho capitalista

Taylor – Taylorismo

* Linha de produção;
* Controle dos tempos e dos movimentos;
* Grande importância a e supervisão;
* Ênfase na tarefa;
* Administração científica das empresas
• Racionalização do trabalho
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Padrões clássicos de organização do


trabalho capitalista

Ford – Fordismo

* Intensificação e aprofundamento do
controle do trabalho e do tempo de não
trabalho;
* Uso intensivo de inovações tecnológicas
que aperfeiçoaram a linha de montagem;
* Produção em massa, consumo de massa;
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Padrões clássicos de organização do trabalho


capitalista

Ford – Fordismo

* Alto nível de exploração do trabalho;


* Pouco preocupado com direitos trabalhistas;
* Descompensãção entre a produtividade da
produção de bens e a falta de capacidade de
consumo dos trabalhadores;
* Famoso caso do Ford T
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Padrões clássicos de organização do trabalho


capitalista

Toyoda – Toyotismo

* Novos padrões na organização do trabalho;


* Formas mais flexíveis na produção;
* Flexibilidade nos processos de trabalho;
* Produção segmentada, terceirização e
subcontratação;
* Inovações tecnológicas e organizacionais;
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES

Padrões clássicos de organização do trabalho


capitalista

Toyoda – Toyotismo

* Desemprego estrutural e reestruturação


produtiva;
* Produção segmentada, consumo
segmentado;
* Produz apenas para a demanda, e não para
estocagem;
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES
Essas formas de organização do trabalho no
Capitalismo é a submissão do trabalho
concreto produtor de valores de uso pelo
trabalho abstrato produtor de valores de troca;

Valoriza o capital em detrimento das


necessidades humanas

Desumaniza a atividade essencial dos seres


humanos;
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES
Por conta das mazelas do trabalho abstrato,
alguns autores recusam a possibilidade de
transformação do mundo do trabalho e passa
a deslocar a centralidade do trabalho em
direção ao lazer e ao ócio;

Gorz, em Adeus ao proletariado, passa a


considerar o tempo de trabalho como
acessório e as atividades autonômas passam a
ser preponderantes na vida social;

Se o trabalho é a doença, o lazer é o remédio?


LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES
A recusa radical do trabalho;

Caso do moto-taxista;

Trabalho sempre é heterônomo?

Se o trabalho é irremediável, só resta a luta


pelo tempo liberado – Funcionalismo;

Dumazedier/ Parker
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES
Visão Telescópia e Microscópica;

Qual a interrelação entre o mundo do trabalho


e o Lazer?

Relação jornada de trabalho e mundo do lazer;

As múltiplas relações existentes entre Lazer e


Consumo, principalmente numa economia
onde o trabalho é flexível e os serviços é um
dos ramos econômicos mais lucrativos
atualmente;
LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES
Visão Telescópica e Microscópica;

A seleção e apropriação dos conteúdos


culturais presentes no lazer para as diferentes
faixas da população;

A ruptura com a monocultura no lazer, ou seja,


a falta de acesso a diversificadas opções de
lazer;

Lazer e consumo; Lazer e Indústria cultural;


LAZER E TRABALHO E OS
MÚLTIPLOS OLHARES
Como o capital tem um forte sentido de
desperdício e de exclusão, é a própria
"centralidade do trabalho abstrato que produz a
não-centralidade do trabalho, presente na massa
dos excluídos do trabalho vivo", que, uma vez
(des)socializados e (des)individualizados pela
expulsão do trabalho, "procuram
desesperadamente encontrar formas de
individuação e de socialização nas esferas
isoladas do não-trabalho (atividade de formação,
de benevolência e de serviços)". (Tosei,
1995:210)
LAZER E EDUCAÇÃO
Abordagens funcionalistas do Lazer

Qual valor se atribui ao lazer?

Romântica – marcada pela ênfase nos valores


da sociedade tradicional e pela nostalgia do
passado.

“Lazer, palavra feliz! Livre como um pássaro que


pousa onde lhe apraz e canta quando quer!”
LAZER E EDUCAÇÃO
Abordagens funcionalistas do Lazer

Moralista – análise que vê ambiguidades no


lazer com uma preocupação de manter a
tranquilidade, os bons costumes, a ordem e a
segurança.

“Lazeres convenientes desenvolvem, lazeres


perigosos podem desintegrar”
LAZER E EDUCAÇÃO
Abordagens funcionalistas do Lazer

Compensatória – nessa ótica, o lazer


compensaria a insatisfação e a alienação do
trabalho. Trabalho em oposição ao Lazer

“O lazer seria, antes de tudo, para restaurar a


dignidade do homem, na maioria das vezes
reduzido a subproduto mecanizado, gasto por
uma produção inumana”
LAZER E EDUCAÇÃO
Abordagens funcionalistas do Lazer

Utilitarista – redução do Lazer à função de


recuperação da força de trabalho, ou sua
instrumentalização de desenvolvimento.

Resultados psicológicos e as consequências


econômicas, em termos de retorno para as
empresas.
LAZER E EDUCAÇÃO
Abordagens funcionalistas do Lazer

“Em todas essas abordagens – romântica,


moralista, compensatória ou utilitarista – pode-se
depreender uma visão funcionalista do lazer,
altamente conservadora, que busca a paz social,
a manutenção da ordem, instrumentalizando o
lazer como fator de ajuda a suportar a disciplina e
as imposições obrigatórias da vida social, pela
ocupação do tempo livre em atividades
equilibradas, socialmente aceitas e moralmente
corretas” (Marcellino, p.38, 2004)
LAZER E EDUCAÇÃO
Abordagens funcionalistas do Lazer

“Ethel observa a descoberta do lazer


pelos que detém alguma parcela de
responsabilidade no bem estar público
como poderoso recurso de ajustamento
dos homens” (Marcellino, p.38, 2004)
LAZER E EDUCAÇÃO
Lazer e Anti-lazer

“Contrapõe-se a essa visão do lazer


como instrumento de dominação, aquela
que o entende como um fenômeno
gerado historicamente e do qual
emergem valores questionadores da
sociedade como um todo, e sobre o qual
são exercidas influências da estrutura
social vigente” (Marcellino, p.40, 2004)
LAZER E EDUCAÇÃO
Lazer e Anti-lazer

“Considero fundamental a busca do


prazer no lazer, o que não impede sua
caracterização como um dos canais de
atuação, no plano cultural, tendo
objetivos não meramente reformistas,
mas que signifiquem mudanças radicais
no plano social” (Marcellino, p.40, 2004)
LAZER E EDUCAÇÃO
Distinção entre Educação Escolar e
Processos Educativos;

Autores que negam a escola, assim


como outros que negam o trabalho. O
lazer compensa tudo;

O lazer como campo de atuação


pedagógica;
LAZER E EDUCAÇÃO
O duplo aspecto educativo do Lazer;

Educação como objeto e veículo de


educação;

Educação para o Lazer;

Educação pelo Lazer


LAZER E EDUCAÇÃO
Duas constatações:

* O Lazer é um veículo privilegiado de


educação;

* Para a prática positiva das atividades de


lazer é necessário o aprendizado, o estímulo,
a iniciação, que possibilitem a passagem de
níveis mais elaborados, complexos, com o
enriquecimento do espírito critico, na prática
ou na observação
LAZER E EDUCAÇÃO
O Lazer como veículo de educação

Considerar tanto o relaxamento e o prazer


(objetivos consumatórios), quanto contribuir
com a compreensão da realidade e o
aguçamento das sensibilidades (objetivos
instrumentais);

Os diferentes acessos às atividades culturais

As diferentes educações envolvidas na


educação escolar e na educação pelo lazer;
LAZER E EDUCAÇÃO
O Lazer como veículo de educação

Considerar tanto o relaxamento e o prazer


(objetivos consumatórios), quanto contribuir
com a compreensão da realidade e o
aguçamento das sensibilidades (objetivos
instrumentais);

Os diferentes acessos às atividades culturais

As diferentes educações envolvidas na


educação escolar e na educação pelo lazer
(meios de comunicação, industrias do lazer);
LAZER E EDUCAÇÃO
O Lazer como objeto de educação

Requixa afirma a necessidade de se


aprender a arte de viver equilibradamente
entre o trabalho e o lazer;

Demonstrar a importância do lazer.


Marcellino não nega a escola como
instituição que deve estar também voltada
para a educar para o lazer;
LAZER E EDUCAÇÃO
O Lazer como objeto de educação

Educação para o lazer funcionalista:


considerar o tempo livre efetivamente livre,
atribuir desempenho, necessidade de lazer
na perspectiva mercadológica/consumo;

Educadores ou adestradores?

Educação integral e Educação continuada


pelo e para o Lazer
LAZER E EDUCAÇÃO
Educador e o Lazer

No que se refere ao animador cultural,


educador, animador sociocultural, quais
seriam suas atribuições e funções dentro da
execução de uma ação, programa ou política
de lazer?

A relação entre ser educador e mercador de


serviços;
LAZER E EDUCAÇÃO
Educador e o Lazer

Elaboração de programações que reduza


tendências ditadas por interesses externos ao
próprio lazer;

Permitir que a educação para o lazer e pelo


lazer venham imbuídos de ideologias
dominantes, como a folclorização da cultura
popular e a valorização de uma pretensa cultura
erudita;
LAZER E EDUCAÇÃO
Educador e o Lazer

Monocultura ou diversidade das culturas?


Para Dumazedier (1980):

Lazer como um conjunto de atividades para


contemplar as necessidades do “corpo” e do
“espírito”;
Lazeres físicos, práticos, intelectuais,
artísticos, sociais e turísticos;
LAZER E EDUCAÇÃO
Educador e o Lazer

Para Marcellino, o educador ligada a


pedagogia da animação deve estar
sintetizada na competência técnica e a opção
política;

Ver o Lazer não a partir da noção


“salvadora” ou funcionalista, mas como um
dos canais possíveis de atuação para buscar
transformações;
LAZER E EDUCAÇÃO
Educador e o Lazer
Como o educador se coloca nas contradições
que permeiam o tempo e o espaço do lazer;

Algumas problematizações em torno dos


espaços públicos e privados

Documentário Hiato – Shopping Centers;


Rolezinhos- Shopping Centers;
#Ocupe Estelita – Movimento político cultural
LAZER E EDUCAÇÃO
Espaços e Equipamentos de Lazer

Os espaços são determinados para


determinados tipos de
comportamentos;

O espaço para o lazer é o espaço


urbano;

Como o espaço reage nas emoções e


relações humanas;
LAZER E EDUCAÇÃO
Espaços e Equipamentos de Lazer

Espaços para a produção sempre


foram mais valorizados do que
aqueles voltados para o lazer;

Espaços para a moradia, percursos,


do trabalho, da escola....

Espaços da memória individual e


coletiva;
LAZER E EDUCAÇÃO
Espaços e Equipamentos de Lazer

O espaço, o tempo e a tecnologia:


possibilidades novas de interação;

Equipamentos não-específicos e
específicos para o lazer;

Espaços e interesses culturais do


lazer nos espaços: sociais, físicos,
manuais, artísticos e turísticos;