You are on page 1of 14

EQUILÍBRIO DE UM

PONTO MATERIAL

Jons J. Berzelius (1779 - 1848)


Força resultante
• Muitas vezes um corpo é submetido à
ação simultânea de duas ou mais
forças, isto é, ao mesmo tempo atua
sobre ele um sistema de forças. Uma
força única que possa produzir em um
corpo o mesmo efeito que um sistema
de forças a ele aplicado chama-se
resultante do sistema.
• Suponha, por exemplo, que três
rapazes empurram um carro e
que cada um exerce uma força de
30N. Como as três forças atuam
no mesmo sentido, uma força
única, de 90N, produziria o
mesmo efeito que as três atuando
juntas. Nós dizemos que essa
força única é a resultante das três
forças.
Equilíbrio de um corpo
• Quando for nula a ação de um sistema de
forças que atua sobre um corpo, diz-se
que o corpo está em equilíbrio. Determinar
as condições que mantêm um corpo em
equilíbrio é um problema que pode ser
bastante complexo. Pense na torre de
uma igreja ou em uma ponte. Cada
pequeno volume de matéria que os
constitui deve permanecer em equilíbrio.
• Um caso simples de equilíbrio diz
respeito ao ponto material. A
condição para que um ponto
material esteja em equilíbrio é
que a soma de todas as forças a
ele aplicadas seja igual a zero.
• Não havendo força aplicada sobre o
ponto material, resulta que a força
total é zero. Se, em vez disso, atuam
duas forças, elas devem
contrabalançar-se para que possa
haver equilíbrio.
Outro caso em que duas forças se
contrabalançam é o da competição chamada
cabo-de-guerra, em que duas equipes
exercem iguais trações em extremos opostos
de uma corda. Podemos aí considerar como
ponto material o ponto médio da corda.
• Ao aplicar a condição de equilíbrio, devemos ter
certeza de estar incluindo todas as forças que agem
sobre o corpo. Por exemplo: se tivermos um corpo
apoiado sobre uma mesa, apesar de seu peso, ela
não afunda, permanece parado. Isto significa que ao
corpo está aplicada uma força igual e contrária a seu
peso. Essa força que se chama força normal, é devida
à elasticidade da mesa.
Corpo rígido
• As forças que atuam um corpo rígido são
externas e internas. As forças externas
representam a ação de outros corpos e
são responsáveis pelo seu movimento ou
asseguram a sua permanência em
repouso. As forças internas mantêm
unidas os pontos materiais que formam o
corpo.
• Se o corpo for constituído por diversas
partes, as forças que as mantêm unidas
são também forças internas. Neste
capítulo apenas se consideram as forças
exteriores.
• Cada força tende a deslocar o corpo na
direção da sua aplicação e tende
também a rodá-lo em torno de um
qualquer eixo que não intercepte nem
seja paralelo à sua linha de ação.
• Assim, se as forças externas que atuam um
corpo rígido não forem anuladas são
capazes de comunicar ao corpo um
movimento de translação, de rotação ou
ambos.
• O efeito de uma força exterior sobre um
corpo rígido não se altera se a força se
deslocar ao longo da sua reta suporte,
assim, duas forças com igual intensidade,
igual sentido e a mesma linha de ação, são
equivalentes.