You are on page 1of 8

A INFLUÊNCIA DOS PSICOFÁRMACOS NA

AUTO-REGULAÇÃO

Penha Serra
Auto-regulação
Capacidade que o corpo tem de
manter-se num equilíbrio dinâmico
dentro de determinados limites.

Acontece desde o nível químico até


o nível sistêmico e envolve vários
processos vitais.

É regulado principalmente pelo


Sistema Nervoso e pelo Sistema
Endócrino.

Rupturas neste equilíbrio dinâmico


provém de estímulos internos e
externos e podem causar transtornos
e/ou doenças.
Penha Serra
Transtornos mentais e Psicofármacos
 Transtornos mentais são entidades complexas
que envolvem disfunção na neurotransmissão,
susceptibilidade genética, aspectos da
personalidade e contexto sócio-familiar.

 Os atuais psicofármacos atuam ativando ou


inibindo determinados sistemas de
neurotransmissores.

 Podem funcionar como neuroprotetores.

 Podem facilitar o processo de auto-regulação,


desde que utilizados segundo critérios
estabelecidos e considerando um diagnóstico
integral.
Penha Serra
Psicofármacos
 São substâncias que agem no SNC ativando
ou inibindo um ou mais sistemas de
neurotransmissores a nível do próprio
neurotransmissor, de suas enzimas e
especialmente de seus receptores.

 Os psicofármacos atuais agem


principalmente sobre a serotonina,
noradrenalina, dopamina, histamina,
acetilcolina, glutamato e GABA.

 São recursos que podem facilitar a auto-


regulação em casos de transtornos de:
ansiedade , humor, personalidade,
esquizofrenia, dores crônicas, etc.

Penha Serra
Mecanismo de Ação

 Antidepressivos - todos os antidepressivos eficazes reforçam a ação sináptica de uma


ou mais das três monoaminas: dopamina, noradrenalina e serotonina.

 Ansiolíticos: ação GABAérgica.

 Antipsicóticos - Típicos: bloqueio (antagonistas) dos receptores D2, mas


especificamente na via mesolímbica; bloqueio dos receptores colinérgicos
muscarínicos; bloqueio indesejável dos receptores de histamina e adrenérgicos.
Atípicos: antagonistas da dopamina e serotonina.

 Estabilizadores do humor - evidências recentes sugerem que o lítio estimula o


crescimento e a regeneração de neurônios, efeitos provavelmente relacionados a sua
ação terapêutica. Anticonvulsivantes: atenuam a atividade da proteinoquinase C e
outros passos na via de transdução de sinais, levando a adaptação neuronal e
alterações na expressão gênica; diminuição da liberação de glutamato.

Penha Serra
Sintomas x áreas cerebrais x neurotransmissores

sintomas áreas cerebrais envolvidas neurotransmissor

humor depressivo diminuição do processamento de déficits de noradrenalina, serotonina e


informações na amígdala e córtex pré- dopamina
frontal

apatia alteração do processamento no córtex pré- déficits de noradrenalina e dopamina


frontal, hipotálamo e núcleo accumbens

alteração do sono processamento ineficiente em córtex pré- déficits de noradrenalina, serotonina e


frontal, hipotálamo, tálamo e dopamina
prosencéfalo

fadiga redução do processamento em córtex pré- déficits de noradrenalina, serotonina e


frontal, estriado, cerebelo, núcleo dopamina
accumbens e espinhais descendentes

sono e apetite hipofunção hipotalâmica déficits de serotonina

idéias de morte menor atividade em amígdala e córtex pré- déficits de serotonina


frontal

idéias de culpa e menos valia redução de processamento de informações déficits de serotonina


em amígdala e córtex pré-frontal

alterações cognitivas hipoatividade no córtex pré-frontal déficits de noradrenalina e dopamina


Penha Serra
A titulação precisa dos
medicamentos, tanto na
introdução, quanto na sua
retirada (desmame), pode
ajudar a diminuir os possíveis
efeitos colaterais dos
psicofármacos (tais como:
bloqueio dos mecanismos de
recompensa e riscos
cardiometabólicos)

Penha Serra
Conclusão

 O futuro da psicofarmacologia enfrenta o desafio do


entendimento mais profundo da anatomia e fisiologia do
SNC, bem como dos processos psicopatológicos.

 A partir de técnicas moleculares, do uso de marcadores


genéticos e das técnicas de imagem, espera-se que sejam
desenvolvidas novas moléculas terapêuticas com alta
afinidade pelo receptor alvo e maior especificidade para
regular as alterações subjacentes aos transtornos
psiquiátricos.

Penha Serra