You are on page 1of 9

O Brasil na Segunda Guerra

A trajetória do Brasil durante o período da Segunda Guerra mundial.
Ataques a navios brasileiros em 1942
• O Brasil passou a participar do conflito a partir de 1942. Na época, o presidente da
República era Getúlio Vargas.
• A princípio, a posição brasileira era de neutralidade, até que nazistas, sem
nenhuma declaração formal de guerra, empreenderam uma campanha submarina
no Atlântico, na qual atacaram, de 15 a 17 de agosto de 1942, cinco navios
brasileiros (Baependi, Itajiba, Araraquara, Aníbal Benévolo e Araras).
• Este ataque obrigou o governo brasileiro a abandonar a neutralidade que vinha
mantendo. Durante a II Reunião de Consulta dos Chanceleres Americanos,
realizada no Rio de Janeiro, em janeiro de 1942, foi anunciado o rompimento das
relações diplomáticas e comerciais do Brasil com a Alemanha, a Itália e o Japão.
Situação do Brasil após os ataques
• Após o ataques houve uma intensa pressão popular para a entrada do Brasil na
guerra, e no dia 22 de agosto Getúlio Vargas decide entrar em acordo com o
presidente americano Roosevelt para a participação do país na Guerra, e o Getúlio
Vargas passa a apoiar os Aliados
A criação da F.E.B
• A ideia de se criar uma força militar para participar do conflito surgiu em fevereiro
de 1943, no encontro dos presidentes dos Estados Unidos e do Brasil, Franklin
Roosevelt e Getúlio Vargas, na cidade de Natal, capital do Rio Grande do Norte.
Na ocasião, Getúlio argumentou que o envio de tropas dependeria exclusivamente
do reaparelhamento bélico das Forças Armadas Brasileiras.
• No início de março, Vargas aprovou proposta do ministro da Guerra,
general Eurico Dutra, sugerindo a criação da força expedicionária, mas
condicionando-a ao recebimento do material bélico necessário inclusive para as
tropas que garantiriam a defesa do território brasileiro. A proposta concretizou-se
em 9 de agosto.
O Termo Pracinha
• Diminutivo de praça, que é soldado, praça é um militar que pertence à categoria
inferior da hierarquia militar. Normalmente, incluem-se na categoria das praças, os
militares com as graduações de soldado e de cabo
• Esse termo foi utilizado no período da Segunda Guerra para se referir aos soldados
veteranos do Exército Brasileiro que foram enviados para integrar as forças aliadas
contra o nazismo e fascismo na Segunda Guerra Mundial.
Distintivo da F.E.B
• A F.EB adotou como
lema "A cobra está
fumando", em resposta
àqueles que consideravam
ser mais fácil uma cobra
fumar do que o Brasil
entrar na guerra.

Cobra desenhada pelo Walt Disney Distintivo real da F.E.B
em 1946
O Brasil na Itália
• O primeiro grupo de militares brasileiros chegou à Itália em julho de 1944. O
Brasil ajudou os norte-americanos na libertação da Itália, que, na época, ainda
estava parcialmente nas mãos do exército alemão. Nosso país enviou cerca de 25
mil homens da Força Expedicionária Brasileira (FEB), e 42 pilotos e 400 homens
de apoio da Força Aérea Brasileira (FAB).
• Os pracinhas conseguiriam vitórias importantes contra os alemães, tomando
cidades e regiões estratégicas que estavam no poder destes, como o Monte Castelo,
Turim, Montese, entre outras. Mais de 14 mil militares nazistas se renderam aos
brasileiros. A ação dos pracinhas não foi fácil por vários motivos. O primeiro,
porque o treinamento recebido no Brasil e nos Estados Unidos não era muito
próximo à realidade da guerra que encontraram. Os soldados não estavam
habituados ao clima frio dos montes Apeninos, que atravessam a Itália e nem
acostumados a lutar em local montanhoso.
Conclusão
• Com o fim da Segunda Guerra Mundial em 1945, a FEB foi desfeita em 1946.