You are on page 1of 16

As Funções Sintácticas

que andam de boca em boca


•Simples
•Composto

sujeito •Indeterminado
•Subentendido
•Inexistente

Fundamentais
Verbal
predicado
Nominal
Complemento Directo
Predicativo do complemento directo
Complemento Indirecto
Complementos do Agente da passiva
verbo de tempo
de lugar
de modo
Complemento circunstancial
de causa
de fim
Complementares Etc.
Aposto
Complementos do Complemento Determinativo
nome
Atributo
Vocativo

Predicativo do
Sujeito
Sujeito designa o ser ou o
Tipos de sujeito objecto sobre o qual se
afirma ou nega alguma coisa.

 Simples: “Nunca o Silvestre tinha tido uma pega com ninguém”.


“Dois homens (…) partiram logo dali”.

 Composto: As desgraças e a cólera do povo pediam todos os dia termos


novos.

 Subentendido: “Procurou inoque.”


 (subentende-se o filho do Gomes)

 Indeterminado: “Cultive-se o inócuo”.


 (não se sabe quem)

 Inexistente: Assim aconteceu


Tipos de predicado
É constituído por um verbo de
significação definida, isto é, que só
por si pode constituir predicado. O
predicado é composto pelo verbo e
pelos complementos directo ou
indirecto (se houver)
 Predicado Verbal
Exemplos:
 “…O filho do Gomes não dormiu…”.

 “A vida, de facto, emendara o dicionário”.

 “O meu pagnon chamou-me inoque, mãe”.


Complemento directo
 É a palavra ou palavras que designam o objecto sobre o
qual recai directamente a acção significada pelo verbo.

O quê?
“Quando o rainha deu um tiro de caçadeira, num dia de
arraial…”.

O quê?

“… inoque significou, como é de ver, vadio e bêbedo.

Quem?

“…Bernardino procurou o juiz…”.


Predicativo do complemento directo

 Alguns verbos pedem , além do complemento directo, uma


palavra ou expressão equivalente que, completando a sua
significação, qualifica aquele complemento.

 Tornaram inoque a palavra perfeita

 Consideravam inoque um insulto nefando.

Achar, chamar, considerar, nomear, declarar, denominar, tornar, …


Complemento indirecto

 É a palavra ou expressão que designa a pessoa ou coisa


sobre a qual indirectamente recai a acção expressa pelo
verbo.
A quem?

“… moveu um processo ao guarda-livros…”.


A quem?

“… o taberneiro atirou-lhe o verbo da maldição…”.


A quê?
Deram um novo significado à palavra.
É constituído por um verbo
copulativo ou de significação
indefinida e por um nome (um
pronome ou um adjectivo ou um
advérbio), que se refere ao
 Predicado Nominal sujeito.

 “A moca grossa de ferro (…) era agora uma arma terrível”.

 “…que eu não sou mulher…”.

Verbos copulativos ou de significação indefinida


Ser, estar, aparecer, continuar, ficar, parecer, permanecer, etc
Predicativo do sujeito

 É a função sintáctica desempenhada pela palavra ou


expressão que se junta aos verbos copulativos ou de
significação indefinida.

 “Noque era “inócuo”.

 “…qualquer palavra (…) era um pendão desfraldado no


pau alto do ódio.”
Complemento circunstancial
(designa uma circunstância ocasional da acção do verbo)

 de modo : O homem chamou-lhe, correctamente, pessoa incapaz…


 de lugar: “…Paulino entrara em casa com a bebedeira…”
 de fim: “… As razões serem curtas para o seu furor.”
 de tempo: “…nessa noite, o filho do Gomes não dormiu…”
 de companhia: Vive com a família.
 de meio: a palavra não viajou de comboio
 de causa: “… moveu um processo ao guarda-livros
pela injúria de inócuo”.
Atributo
 É o adjectivo que se junta imediatamente ao nome
para o qualificar.

 “…Longos meses, a palavra maldita andou por lá…”

 Inócuo era uma maravilha para a última defesa da


racionalidade humana.
Aposto

 É o nome (ou expressão equivalente) que se junta a


outro nome para lhe acrescentar alguma
informação.
Exemplo:

O rapaz, o filho do Gomes, ficou irritado


Agente da passiva

 É o complemento que indica o responsável pela


prática da acção na forma passiva das frases.
 O nome que designa o agente vem, geralmente,
regido da preposição por.

Exemplos:
 O Silvestre foi insultado pelo Ramos.

 Os unguentos foram vendidos por um sujeito de gabardina


Complemento determinativo

 É o complemento introduzido pela preposição de,


que acrescenta alguma indicação ao nome que o
precede.

 “Quando o rainha deu um tiro de caçadeira, num


dia de arraial, ao homem da amante…”
Vocativo

 É o complemento que designa o nome da pessoa,


animal ou coisa personificada, a quem nos
dirigimos.

 “O meu pagnon chamou-me inoque, mãe.”

 “Coisas ruins, meu filho.”