You are on page 1of 10

Não a legalização da pratica do

aborto.
Equipe:
José Ozias Portela
Wesley Dias Souza
Luis Soares Reis
Paulo Adriano Souza
Aborto
• Conceito: o aborto é a interrupção da
gravidez, seja ele espontâneo ou provocado
causando a morte do ovo, embrião ou feto.
• Art. 128.(Código penal brasileiro) Não se pune
o aborto praticado por médico:
-Aborto necessário
( Quando não há outro meio de salvar a vida da
gestante);
-Aborto no caso de gravidez resultante de estupro
-Feto anencefálico (desde decisão do STF pela
ADPF 54, votada em 2012, que descreve a prática como
"parto antecipado" para fim terapêutico.
• ADPF 54, votada em 2012 . Arguição de
Descumprimento de Preceito Fundamental
nº. 54 garantiu, no Brasil, a interrupção
terapêutica da gestação de feto anencéfalo.
• LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002. ...
Art. 2º - A personalidade civil da pessoa
começa do nascimento com vida; mas a lei
põe a salvo, desde a concepção, os direitos do
nascituro.
• A influencia da mídia e a divulgação de dados
falsos sobre a saúde pública.
• Não há muitas internações por aborto no
Brasil. Cerca de 6,2%, abortos naturais.
• Não há como estimar quanto dessa
porcentagem destes casos pode ser creditado
ao aborto ilegal.
• O numero de abortos ilegais em qualquer
estudo não passa de um chute.
• Nada indica que legalização do aborto
diminuirá a quantidade de abortos.
Não há uma epidemia de internações por aborto no
Brasil

O primeiro ponto que deve ser sempre lembrado é que o


aborto espontâneo é muito comum.
Dados do Sistema de Informações Hospitalares do
SUS nos mostram que em 2016 houve cerca de 186 mil
internações pós-aborto para realização de curetagem e
aspiração manual intrauterina.

Levando em conta que tivemos cerca de 3 milhões de


partos neste mesmo ano, o número pode ser considerado
pequeno (6,2%). Portanto, não há qualquer epidemia de
internações por aborto.
número de mortes maternas por
aborto é muito menor do que a
mídia diz
• “4 mulheres morrem diariamente por
complicações do aborto”.
• eclampsia (164)
• hipertensão (162)
• hemorragia pós-parto (127)

As mortes por “falha de tentativa de aborto”,


“outros tipos de aborto” e “aborto não
especificado” somaram 53 no ano de 2015, um
número quase 33 vezes menor.
O aborto legal no Brasil não é
tão seguro quanto pregam
Conclusão
O Brasil só mudará o panorama de mortes
maternas, se houver investimentos pesados em
saúde!
Referencias:
• Wikipédia, a enciclopédia livre.
• Google.com/imagems
• http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituica
• www.ambito-juridico.com.br
• LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 – Lex
• http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituica
• https://biancaleticia71653.jusbrasil.com.br/notici
• Dr. Raphael Câmara (Federação Brasileira de
Ginecologia).