Meiose

Definição:
 A meiose é a divisão celular que irá

formar os gametas nos ovários e testículos.
 Ela produzirá complemento haplóide

(N). No final da meiose, cada uma das quatro células reprodutivas deverá ter um cromossoma de cada par de autossomas e um dos cromossomas sexuais

Quando se fala em Meiose temos que lembrar das células sexuais, ou nos gametas: Espermatozóides e Óvulos.

Espermatogêneses:
1. Espermatozóide 2. espermátide 3. espermatócito

secundário 4. célula de Sertoli 5. espermatogônia 6. lâmina basal 7. fibroblasto 8. células intersticiais do testículo (células de Leydig) 9. espermatócito primário 10.célula em divisão 11.vaso sangüíneo

Ovogêneses

 As células

germinativ as, dão origem a um ovócito e3 corpúsculo s polares.

Fases da Meiose.

Intérfase:
 A interfase na

meiose também é uma etapa de intensa atividade metabólica com síntese de proteínas e

Prófase I.

Do grego: (leptos = fino): nesse estágio, os filamentos de cromatina, já duplicados, iniciam sua espiralização.

Prófase I.
 Do grego: (zygos

= par): prosseguindo na condensação, cada cromossomo se move e se coloca lado a lado com seu homólogo. O emparelhamento se chama sinapse e cada par de

Prófase I.
 (paquis =

espesso): pareados e mais condensados, os cromossomos evidenciam suas duas cromátides. Assim, o par terá quatro cromátides lado a lado (tétrade).

Prófase I
 As cromátides

vizinhas podem trocar fragmentos, o que se chama permutação ou crossing-over. A imagem em "X", que se observa no microscópio, é o QUIASMA.

Prófase I.
 A terminalização

dos quiasmas, isto é, seu deslizamento para as extremidades dos cromossomos e sua completa separação. O nucléolo e a carioteca desaparece ,

Prófase I.
 Pareamento dos

cromossomos homólogos. Ocorrendo a permutação ou crossing-over, que é uma importante fonte de variabilidade genética nas populações.

Metáfase I.
 Com grau

máximo de condensação ou espiralização, maior que na mitose, os cromossomos estão emparelhados

Anáfase I.

Os cromossomos homólogos se separam e se dirigem para pólos opostos (disjunção). Não há bipartição dos centrômeros, e as cromátides irmãs permanecem

Telófase I.
Os cromossomo s se desespiraliz am, a carioteca se refaz e o citoplasma se divide, formando 2 células-

Entre o final da divisão I e o início da divisão II, pode ocorrer um pequeno intervalo, a intercinese, no qual não há duplicação do DNA.

Segunda Divisão Meiótica (Divisão II ) Os eventos desta etapa são idênticos aos de uma Mitose, uma vez que duas células haplóides, resultantes da divisão I, irão originar quatro células haplóides no final.

Prófase II.

 A carioteca se

fragmenta, os cromossomos iniciam sua espiralização e se ligam às fibras do fuso, que se dirigem para ambos os pólos.

Metáfase II.
 Nesta fase os

cromossomos estão bem condensados ou espiralizados, localizados no plano equatorial da

Anáfase II.
 Ocorre

bipartição dos centrômeros e as cromátides irmãs se separam, tracionadas pelas fibras do fuso para pólos opostos

Telófase II.
 Nesta última

etapa ocorre a reorganização do núcleo, desespiralizaç ão dos cromossomos e a divisão do citoplasma (citocinese)

Telófase II – final.
 Observe

que foram formadas quatro células (N = 2) com a metade da ploidia da célula inicial.

Esquema Completo da Meiose.

Vamos estudar galera!!!!!