You are on page 1of 76

O Que é o SAP™ R/3

 SAP (Systems, Applications and Products in DataProcessing )

 Software ERP de Gestão Integrada.

 Principal Benefício:
 Integração de Processos de negócios ,
administrativos e financeiros

 Ambientes SAP:
 Desenvolvimento;
 Qualidade;
 Produção.
O SAP™ R/3 – exemplo de módulos

Alguns módulos SD FI
Sales & Financial

Áreas de Négicios
Distribution Accounting
MM CO
Materials
Mgmt. Controlling

 SD  FI
PP
Production FI-AA

 MM  CO
Planning
SAP Assets
Accounting

 PM  FI-AA
QM
Quality
Manage-
ment
R/3 PS
Project
System
PM WF
Plant Main- Workflow
tenance

 HR  PS HR
Human
Resources
IS
Industry
Solutions

 WF
MÓDULO
FI - Contabilidade
Financeira
Benefícios FI

 Contabilidade
 Contabilidade Geral;
 Contas a Pagar;

 Contas a Receber;

 Fechamento.

 Tesouraria
 Administração de caixa;
 Fluxo de Caixa;

 Conciliação Bancária.
Elementos Organizacionais FI

 Companhia
 Representa uma Entidade Legal, pagadora de Impostos e
onde são representados os Eventos Financeiros das Transações
de Negócio;
 Transações Comerciais;

 Nível de Relatórios Externos ou de Livros Fiscais.

 Plano de Contas
 É o conjunto de contas Contábeis utilizadas para a contabilização
das transações de negócios realizadas dentro de uma empresa.
Cada empresa possui apenas um Plano de Contas, e um Plano de
Contas pode ser atribuído a várias empresas.
Elementos Organizacionais FI

Plano de Contas = BR01


4 Empresas:
C001 = Empresa X
Plano de Contas
C002 = Holdco
C003 = JVCO
C004 = Telecom
C001 C002 C003 C004

Empresas
Moedas no SAP™ R/3 FI

 Moeda das Empresas: REAL.

 Moeda de Transação: Qualquer uma, desde que contida na


tabela de conversão de moedas.

 Moeda Forte: US DÓLAR.

 Moeda de Indexação: UFIR


Princ. Processos - Lanç. Contábeis FI

Este sub-processo tem como objetivo efetuar a contabilização de


todas as movimentações ocorridas nos diversos processos e sub-
processos do sistema, assim como proceder contabilizações
diretas e proceder os lançamentos contábeis originados de outros
sistemas externos ao SAP R/3.
Princ. Processos - Lanç. Contábeis FI
SIM
Lançamento vem de Geração de Arq. Execução de
Interf. Externa ? Batch-Input Arq. Batch-Input

NÃO
O SAP R/3 automaticamente
Lançamento vem
SIM realiza o lançamento de acordo
de outro Módulo com a parametrização das tabelas de
SAP R/3? contabilização automática

Utilizar Programa de Lanç.


Manual do SAP R/3
NÃO
Utilizar Programa de Lançamentos
Lançamento Manual com Docum. Contábeis
Modelo do SAP Efetuados

Realizar Utilizar Programa de


Lançamento Lançamento Manual com
Manualmente Modelo de Classif. Contábil

Executar a Contabilização
através de Rotina de
Documento Períodico

Criar Doc. Lançar Doc.


Pré-Editado Pré-Editado
Princ. Processos - Contas a Pagar FI

Pedidos de Reem-
bolsos, Recolhimento
de Impostos

Aprovação dos
Pedidos de Reem- Impressão de
bolsos cheque

Executar
Recebimento Agendamento
Proposta de Pagar
de faturas dos pagamentos
pagamentos
(MM)

Envio de arquivo
Fluxo de Caixa para banco
(TR)

Fluxo de Caixa Contabilidade


(TR)
Banco
Princ. Processos - Contas a Receber FI

A Interface cria
as partidas a
Receber
Importação do Carteira de
movimento do Faturas em Aberto
ARBOR Atualizada
ARBOR
via Interface A Interface efetua
os pagamentos e
compensa as faturas
em aberto

Atualiza a
SD Entra com
Carteira Nagocia o Pa-
Intercon. Pagamento e
de Faturas em gamento com as
compensa as
Aberto Teles
faturas no SAP
Contabi- Tesoura- Cad.
Cria Faturas a lidade ria Clientes
Receber e Notas Efetua Compen-
de Crédito Di- sação das
retamente no FI Faturas no SAP
Princ. Processos - Fechamento Contábil FI

 O encerramento do exercício é dividido em duas fases:


 No início do novo ano fiscal, o usuário deve abrir novos
períodos de lançamento;
 Depois disso, o usuário deve preparar o balanço patrimonial e
o cálculo de lucros e perdas, documentar as operações através
da escrituração de contas, transportar os saldos para o novo
período e encerrar o período fiscal.
Princ. Processos - Tesouraria FI

Fluxo de Caixa

n
Diário
n
Consolidado
n
Orçamentário
n Curto e Longo Prazo

Tesouraria Contratação
de Câmbio

Captação/Aplicações
de Recursos
Bancos
MÓDULO
CO - Controladoria
Benefícios CO

 Instrumento de Controle Organizacional;


 Criação de centros de lucros e centros de custos;
 Criação de classes de custos e grupos;
 Alocação de Custos e Receitas Realizadas (Actual
Cost/Revenue Allocation);
 Fechamento de Período (Period and Closing);
 Planejamento de Custos e Receitas (Cost and Profit
Planning).
Estrutura Organizacional CO

Empresa

COMPANY Área de
CODE Controle

Hierarquia de Hierarquia de
Centros de Lucro Centros de Custo

Board CEO CFO COO Legal HR


Busin Cons. Whol. CORP
Elementos - Centros de Custo CO

 Estrutura Dapartamental de uma Empresa.


 Nível inferior da estrutura organizacional onde se quer
coletar e analisar Custos/Performance.
 Permite Análise de Despesas, comparando Real X Planejado.
 Alocação Interdepartamental de Custos.
 Cada Centro de Custo é ligado à Área de Controle e ao
Centro de Lucro.
 Centros de Custo são estruturados em Grupos Hierárquicos
Funcionais / Organizacionais.
Elementos - Centros de Custo CO

20
Dep.Financeiro

201 202 204


Dir. Financeira Controladoria Tesouraria

20201 20401
20101
Dir. Financeira Ger.de Control. Ger.de Tesour.

10103 20202
Audit. Interna Ger.De Contab.

20203
Ger. Plan.Corp.

20204
Ger.De Faturam.
Elementos - Centros de Lucro CO

 Unidade Organizacional que permite controlar, apurar e analisar


resultados de uma área de responsabilidade dentro da Empresa.
 Um Centro de Lucro pode ser definido com base em regiões,
divisões, produtos, etc.
 Ao atribuir aos Centros de Lucro itens do balanço tais como
 Ativo Imobilizado, Contas a Pagar, Contas a Receber e Estoques,
é possível analisar índices como Retorno de Investimentos, Capital
de Giro e Fluxo de Caixa.
 Comporta dados planejados e realizados com destaques das
variações.
 Suporta a criação de hierarquias para Gerenciamento Operacional.
Elementos - Centros de Lucro CO

LLD
Gr. Porte
Venda Direta

LLDNLD LLDILD LLDVAS


Longa Dist. Nac. Longa Dist.Intern. Serv.Valor Adic.

LLDNLD100 LLDILD100 LLDVAS0100


LDN-Disque 23 LDI-Lig Recebidas SVA-0800
Venda Direta (Venda Direta) (Venda Direta)

LLDNLD200 LLDILD200 LLDVAS0200


LDN-Conexão Dir. LDI-Lig Feitas/D23 SVA-Vd.Conferênc.
(Venda Direta) (Venda Direta) (Venda Direta)

LLDILD300
LDI-Lig Feitas/Con
Direta (Vd. Direta)
Elementos - Classes de Custo CO

 Primárias:
 Consistem em itens de custo ou de receita contidos no Plano de Contas como
contas do razão. Na criação de uma Classe de Custo Primária ou classe de
receita, ela necessariamente deve estar listada como conta do razão no Plano de
Contas. Caso ela tenha sido criada em CO, quando ocorrer um lançamento de
despesa em FI automaticamente ela será passada como um custo para o CO, e
alocada em uma Classe de Custo Primária.

 Secundárias:
 São criadas e atualizadas exclusivamente em CO. Diferentemente das Classes de
Custo Primárias, as Classes de Custo Secundárias não precisam estar listadas
como conta do razão no Plano de Contas. Elas servem para ilustrar fluxos de
valores internos como, por exemplo, execução dos ciclos de rateio e outras
transações de apropriação
Elementos - Grupo de Contas CO

 É usado para processar, simultaneamente, Contas do Razão


através de uma transação, seja para análises de relatórios ou
em atividades que consolidem mais de uma Conta do Razão.

 Utilizado principalmente nos relatórios de Centros de Lucro,


em que o saldo de uma determinada Conta do Razão é o que
menos importa, e sim o saldo do grupo a que esta conta
pertence (Ponto de vista de análise gerencial).
Elementos - Ordens Internas CO

 Usadas para planejar, coletar custos de trabalhos internos e


tarefas.
 Podem ser categorizadas para:
 Monitorar desembolsos dentro da área de contabilidade de
custos, ex. Gastos com propaganda, feiras, eventos, etc.
 Controlar itens que podem ser capitalizados, ex. Ativo Fixo em
construção ou reparos de Ativo Imobilizado.

 Podem ser criados Grupos de Ordem para efeito de liquidação


ou planejamento.
 Bloqueia lançamentos contábeis (Opcional), caso atinja valor
orçado.
Elementos - Índices Estatísticos CO

 É usado como base para alocações internas, como distribuição e


rateio;
 Ele pode ser de dois tipos:
 Valores fixos: transportados do período atual para os períodos
subseqüentes;
 Valores totais: transportados apenas para o período atual.
 Exemplos de Índices Estatísticos:
 m2, nº de funcionários, utilização da capacidade
Principais Processos - Alocações CO

 Sempre que ocorre um lançamento de custo, despesa ou receita dentro do SAP,


é feita uma alocação dentro de um objeto de custo (Ct.de Custo, Ct.de Lucro,
Projeto ou Ordem), que deverá ser informado no momento da transação.
 Depois do lançamento, é possível realizar acertos no CO referentes aos objetos
de custos receptores, transferindo assim a despesa do objeto de custo
receptor indicado no lançamento inicial para outro(s) objetos de custos.
 Podem ser:
 Diretas: quando se referem a um Centro de Lucro específico;

 Indiretas: quando são alocações corporativas, ou seja, não são destinadas


a um único Centro de Lucro, mas sim à empresa como um todo. Podem,
no entanto, serem repassadas a vários Centros de Lucro, no
encerramento do período.
Principais Processos - Distribuição e CO
Rateio
 Distribuição: Quando da criação dos Ciclos de Distribuição, são definidos:
 os critérios de Distribuição (Índ. Estat., Percentagens fixas, etc.);
 os Objetos de Custos Emissores e Receptores;
 as Classes de Custo Primárias envolvidas.

Criado o ciclo, ele pode ser executado a qualquer momento durante o mês, não sendo
necessário esperar pelo fechamento mensal.

 Rateio: Quando da criação dos Ciclos de Rateio, são definidos:


 os critérios de Rateio (Índ. Estat., Percentagens fixas, etc.);
 os Objetos de Custos Emissores e Receptores;
 as Classes de Custo Secundárias envolvidas.

Criado o ciclo, ele pode ser executado a qualquer momento durante o mês, não sendo
necessário esperar pelo fechamento mensal
Principais Processos - Relatórios CO

 Rel. de Dados Mestre: São relatórios que informam os dados cadastrados para
uma determinada estrutura, como por exemplo a codificação, o responsável e a validade.
 Partidas Individuais: São relatórios que informam os lançamentos ocorridos para uma
dada estrutura, lançamento a lançamento. Dando-se um duplo-clique em uma linha deste
relatório, ou seja, fazendo-se um drilldown, pode-se chegar ao documento que originou o
lançamento.
 Gerenciais: São relatórios que permitem, de forma sumarizada, fazer uma análise mais
gerencial dos lançamentos, informando os valores período a período e com o detalhamento
desejado pelo usuário (por centro de custo, por centro de lucro, por classe de custo ou
qualquer outra quebra desejada).
 Exibição de Documentos: São relatórios que informam os documentos contábeis
gerados quando da ocorrência de um lançamento qualquer. Dando-se um duplo-clique em
uma linha deste relatório, ou seja, fazendo-se um drilldown, pode-se chegar ao documento
que originou o lançamento.
MÓDULO
PS - Sistema de
Projetos
Benefícios PS

 Hierarquia Organizada;
 Administração de Orçamento;
 Administração de Prazos.
Ciclo de Vida do Projeto PS

Estruturação Estruturação Orçamento Execução Fechamento


Fase
Concepção Estrutura Dados Reais Liquidação
Status (1) (2) (3) (4) (5)

Definição do
Projeto

Orçamento

Estrutura
do Projeto

Datas,
Custos...
Ciclo de Vida do Projeto PS

Surgimento de Novas Necessidades

Projeto

 Por que criar um Projeto?


Para tornar o controle físico e financeiro possível

 O que é preciso para tornar esse controle possível?


 Dados;
 Processos e procedimentos.
Montagem da Estrutura PS
 A Estrutura é formada por WBS´s (Work breakdown Structure), ou seja,
Elementos PEP´s (Plano estruturado de projeto).
 Devido a necessidade de um maior nível de detalhe no controle de Projetos,
surgiu o 6º nível que está dividido em:

 TB - Technical Budget;
 IE - Empresa Engineering; 0 1º Nível
 EC - External Consultant.
0.T 0.S
2º Nível
…..

0.S.05 ….. 3º Nível

0.S.05.12 4º Nível

0.S.05.12.RJ 0.S.05.12.SP 5º Nível

0.S.05.12.RJ.TB 0.S.05.12.RJ.IE 0.S.05.12.RJ.EC 0.S.05.12.RJ.RI ….. 6º Nível


Orçamento PS

 A Estrutura é consolidada nos níveis superiores

 Há controle de disponibilidade orçamentária que verifica os custos lançados


em Projetos através das:

 Requisições de compras ……
 Pedidos de compras
 Lançamentos financeiros 0.S.05.12
$50.000

0.S.05.12.SP dd 0.S.05.12.RJ ……
$50.000

0.S.05.12.RJ.TB 0.S.05.12.RJ.IE 0.S.05.12.RJ.EC ……


$20.000 $10.000 $20.000
Execução Dados Reais PS

 Através de procedimentos os dados são inseridos nos Projetos. Por


exemplo: Datas, Marcos de Progresso Físico e Orçamento de Projeto.
Com isso é permitida a análise entre o Planejado e o Realizado.

0.S.05.12

0.S.05.12.RJ 0.S.05.12.SP

0.S.05.12.RJ.TB 0.S.05.12.RJ.EC …….


$20.000 $20.000
$13.000 $12.350

Project Control:
Datas, Marcos, Responsáveis, Centros e Atualizações
Liquidação PS

PS FI FI-AA

WBS (PEP) Obras em Andamento Contas do Ativo

R$10 R$53 R$128 R$128


R$15 R$32
Ao final da obra

R$13
R$43
R$15 R$53
MÓDULO
MM - Administração
de Materiais/Compras
Benefícios MM

 Automatizar todo o processo de Compras;


 Histórico de Fornecedores;
 Inventário;
 Cadastros Centralizados de Fornecedores, Materiais
e Serviços.
Elementos - Organização de Compras MM

 Responsável pelo Suprimento de um ou mais Centros (Plantas);


 Responsável por negociar Preços e Condições de Entrega com os
Fornecedores;

 É associada a uma Companhia na qual é efetuada a


Contabilidade Legal (Estoque de Custo);

 Pode estar relacionada com uma ou mais empresas ou plantas


conforme a necessidade do negócio.
Elementos - Centro (Planta) MM

 Unidade Organizacional utilizada para subdividir uma empresa de


acordo com os aspectos de Produção, Aquisição, Armazanagem ou
Planejamento de Materiais;
 Devido à legislação brasileira, toda filial necessariamente deve ser
um Centro no R/3;
 Pode Ser:
 Um Centro Corporativo;
 Uma unidade produtiva ou parte da mesma;
 Um armazém ou Centro de Distribuição.

 Os Dados de gestão de Estoques (Mestre de Materiais) estão no


nível do Centro;
 Está ligado a uma Companhia;
 Pode ser sub-dividido em Depósitos.
Elementos - Filial MM

 Entidade utilizada para fins legais no R/3;


 Armazena o CNPJ da Filial para efeitos de emissão de Notas
Fiscais e Livros Fiscais.
Elementos Organizacionais MM

BR01

0001 0002 0003 0004 0005 0006 0007 0008 0009 0010

RJ01 RJ02 RJ03 RJ04 RJ05 SP02 RS01 CE01 BA01 MA01

BR01

0011 0012 0013 0014 0015 0016 0017 0018 0019 0020

PA01 SC01 PE01 SP01 AL01 PB01 PR01 MS01 SE01 MG01

Organização de Compras
Filial
Centro (Planta)
Principais Processos - Compras MM

 Este processo contempla a Compra de Materiais e Serviços para suportar


todas as atividades da Empresa.

 Inclui a Compra de Materiais e Serviços de apoio e para uso direto na


Operação, Procedimentos de Cotação, Monitoramento de Contratos com
Fornecedores, Recebimento de Materiais e Serviços e a Disposição destes
Materiais.

 Inclui o Estabelecimento e a Manutenção de uma Estratégia de busca de


Fornecedores, assim como, a Avaliação, Manutenção da Qualificação e
Certificação destes.
Principais Processos - Compras MM
N N
Solic. De Escolha Entrada da
Contrato* Cotação do Fornec. Fatura

Necessidade S S
de compra
Criação Liberação para
N
do Pedido Pagamento
Contrato de
Serviço
Elab. da Criação da Aprovação
Requisição S Solicitação do pedido Pagamento

Realização Atualização
Aprovação da do Serviço da Cotação Serviço
Requisição
Comparação Tarefa realizada no
S
de Preços N SAP que precisa de
aprovação
Entrega
Entrada da do Mat. Tarefa realizada no
Folha de Reg. SAP que não precisa
de Serviços de aprovação
Entrada da
Mercadoria
Tarefa
Aprovação realizada fora
da Folha do SAP

* Contrato previamente criado e aprovado no SAP


MÓDULO
WF - Workflow
Benefícios WF

 Integração e Automatização de processos pré-existentes.


 Integração dos processos de negócio utilizando uma ferramenta
incorporada ao sistema de gestão da Empresa.
 Possibilita a Ligação entre tarefas e seus executores de um ponto de
vista organizacional. Esta integração possibilita ao Workflow definir
qual o executor correto para uma determinada tarefa.

 Permite a automação e coordenação de processos frequentemente


executados.
 Garantir o monitoramento de processos (controle da eficiência),
melhoria nos controles de tempo e orçamento e maior agilidade nos
processos
Elementos - Doc´s Pré-editados WF

 Documentos criados pelo usuário mas ainda não reconhecidos


pelo sistema, uma vez que ainda não foram aprovados (Exemplos
de utilização na Empresa: reembolsos, pagamentos de despesas,
etc.)

 Podem ser gravados com erro, ou até mesmo, incompletos.


Princ. Processos - Doc.Pré-editados WF
Tarefa realizada pelo Outlook
Tarefa realizada pelo Aprovador
Tarefa realizada pelo Usuário

Criação do
Doc. Pré-editado Notificação da
Alteração do Aprovação
Doc. Pré-editado

Aprovador recebe no
Inbox uma mensagem para
aprovação de Doc. e a Aprovador Aprova Documento
executa diretamente a transação? Aprovado
do Outlook. S
Princ. Processos - Controle de Budget WF

 OPEX
 O Controle de Disponibilidade é feito “on-line” nas transações de MM/FI/CO
que consomem o budget (Exemplos : requisições de compras, faturas,
realocação de custos, folha de pagamento, etc)

 Mensagens de advertência/erro visualizadas pelo operador (on-line)

 Envio de mensagem quando o orçamento anual atingir 75 e 90%, além do


controle do orçamento mensal;

 Periodicidade de verificação do orçamento: diária;

 Exibição de relatório com detalhamento do consumo na mensagem


enviada.
Princ. Processos - Controle de Budget WF

 CAPEX

 O Controle de Disponibilidade on-line não bloqueia a entrada da transação.

 Mensagens de advertência para orçamentos excedidos.

 Envio de mensagem quando o orçamento atingir 50 e 90%

 Periodicidade de verificação do orçamento: a confirmar

 Exibição de relatório na mensagem enviada


MÓDULO
RH - Recursos
Humanos
Projeto SIGA RH

Sistema Empresa de Gestão


Avançada
 O projeto SIGA objetiva implantar os processos corporativos
de Recursos Humanos, de acordo com a legislação vigente e
fornecer informações necessárias para a tomada de decisões
gerenciais.
 Facilitar o desenvolvimento das pessoas.
 Disponibilizar informações para os indivíduos e seus gestores.
 Descentralizar a gestão das pessoas.
 Oferecer uma solução integrada de negócios:
 Integração interna inerente ao SAP;
 Integração entre Folha de Pagamento, Sistema Fiscal.
Principais Processos RH

 Recrutamento e seleção, Gerência Organizacional;


 Administração de Pessoal (Interface Folha);
 Remuneração, Salários, Cargos, Despesas Pessoal;
 Benefícios, Treinamentos Específicos ;
 Gerenciamento de Tempos;
 Auto-Serviço;*
 Folha, Avaliação;*
 Workflow.*

* Para o futuro
Princ. Processos - Recrutamento RH
Da existência da vaga a contratação de um candidato
Candidatos

PRECISA-SE
WANTED
xxxxx
xxxx ...

Vaga Anúncio

Qualificações / Requerimentos
Comparação de Perfil

Contratação
Especificações Ideais/Atuais
Princ. Processos - Adm. De Pessoal RH

EMPREGADO

Admissão/Contratação

Endereço Família
Alterações de Dados

Aumento Salarial Filhos

EMPREGO Horário Contratual


de Trabalho
Early
Normal
Night

Novo Horário Contratual


de Trabalho

Alteração no
Processar Alteração de Dados do Emprego Contrato
Nova escala de Remuneração
Princ. Processos - Remuneração RH

Alterações no plano Avaliação de Pessoal


e orçamento

Comparações
Comparações Políticas de
com
com o
o Mercado
mercado Remuneração Impactos na política
de adm. salarial

Alterar dados Adm. Pedidos de


do Empregado Revisão Salarial
Aprovação de
Comunicação Aumentos Salariais
para o gestor
Princ. Processos - Desenv. De Pessoal RH
Desenvolvimento de Pessoal e Qualificação Profissional

Qualificações / Requerimentos
Comparação de Perfil

GERENTE

Analista
Especificações Ideais/Atuais

Precisa de
Treinamento?

GERENTE Treinamento
Princ. Processos - Gerenc. Da Estrutura RH
Organizacional

Definir posições para cargos


Estabelecer e
Manter
Cargo:
Estrutura Gerente
Organizacional Determinar e
monitorar
abertura
Posição: de posições
Analisar e Posição: Gerente de Pessoal
Gerente de Compras
Avaliar Posição:
Cargos Gerente de Vendas
Princ. Processos - Treinamento RH

Planejar e
Avaliar Avaliar Cursos Divulgação dos Controle de
Desenvolver Curso/Turma
Necessidades Existentes Programas Inscrições
Programas

CURSO

Monitorar Avaliar
Documentar Reembolsar Monitorar
Cursos e Retorno do
resultados Rustos Custos
Avaliar Instrutor Treinamento
Princ. Processos - Gerenciamento De RH
Tempo *

 Implantação de Banco de Horas on-line para cada funcionário;


 Possibilitar aos gestores melhores ferramentas para supervisão e
controle da freqüência de seus funcionários;
 Assegurar a adoção dos mesmos critérios de coleta de tempo e
de avaliação em toda a Organização.

* Projeto em Andamento
Princ. Processos - Gerenciamento De RH
Tempo
Função Características
 Registro diário dos horários de entrada e saída
 Registro diário  Totalização imediata das horas trabalhadas por dia
de horas  Quadro de acompanhamento do preenchimento
trabalhadas  Work-flow de aprovações (ausências, horas-extras, licenças, etc)
 Work-flow de integração com a Folha
 Parametrização dos planos de horário de trabalho mensal específicos da
 Plano de horário
Intelig (horário flexível, período parcial, turnos rotativos, etc)
de trabalho
mensal
 Registro e dedução dos “desvios” na rotina do plano de horário de
trabalho (Ex: férias, horas extras, licenças, etc).
 Registro das ausências (Ex: doença, licença maternidade, etc) e tipos
de presença quando os funcionários estão fora do seu centro de trabalho
Ausências /
(Ex: treinamento, reunião externa, etc)
Presenças
 Parametrização de um contingente de ausências (faltas, férias, etc) e
presenças (seminários, viagem a negócios, etc) para os funcionários.
 Registro das horas extras e envio para aprovação gerencial via Workflow
Horas Extras  Pagamento das horas extras em folha, via interface, ou lançamento das
mesmas em um “banco de horas”
Princ. Processos - Gerenciamento De RH
Tempo
Função Características
 Lançamento de disponibilidades (plantão)
 Disponibilidade  Parametrização dos vários tipos de plantão para os quadros temporais
definidos.
 Registro das substituições de tempo de trabalho. (Ex: substituição de
empregado, posição, turno, etc);
 Substituições  Parametrização dos diversos tipos de substituições e definição dos
motivos pelos quais haverá algum tipo de compensação (remuneração)
por conta de alguma substituição.
 Solicitação de férias
 Férias  Aprovação do pedido de féria via Workflow
 Envio do período de férias aprovado para RH, via Workflow
 Banco de horas - individual
 Quadro de acompanhamento do time-sheet de todos os funcionários por
departamento
 Substituições  Síntese de saldo de horas;
 Histórico de presenças/ausências por empregado;
 Resultados de avaliação de horas acumuladas: saldos horas / rubricas
salariais
MÓDULO
PM - Manutenção
Elementos organizacionais PM

 Dados Técnicos
 Local de Instalação;
 Conjuntos;
 Listas de Material;
 Rede de Objetos Técnicos;
 Listas de Tarefas e Manutenção de Objetos Técnicos;
 Listas de Tarefas;
 Planos de Manutenção preventiva;
 Processamento da Ordem;
 Notas PM;
 Ordens PM;
 PMIS - Sistema de Informação de Manutenção;
 CRP - Centros de Trabalho e Capacidade;
 PM - Centros de Trabalho e Manutenção.
Princ. Processos - Processo de PM
Manutenção
Programação

Notificação de Reserva de Requisição de


Manutenção Ordem PM Material Compra
Contratos

Ativos Compras
Ordem de
Compra
Funções
Almoxari-
Manutenção fado
Recebimento de
Materiais

Apropriação de Saída de
Custos da Material para a
Ordem Gerenciamento de
Ordem PM Inventário
MÓDULO
AM - Imobilizado
Definição FI-AA

 Propriedade com valor material e vida útil estimada


maior que 1 ano
 Um ativo é depreciado durante sua vida útil
 A Vida útil pode ser determinada com base:
 História de ativos comprados no passado
 Regulamentação Fiscal
Benefícios FI-AA

 Monitorar aonde se encontra o imobilizado;


 Contabilização para diferentes tipos de atividades
relacionadas aos imobilizados:
 Aquisição de um Imobilizado;
 Transferência de Imobilizado;
 Baixa de Imobilizado.
 Calcular a depreciação para contabilização, com
propósito financeiro e fiscal.
Elementos - Classes de Imobilizados FI-AA

 5 anos:
 Automóveis
 Hardware e software

 10 anos:
 Maioria dos móveis e maquinária.
Estrutura Organizacional FI-AA

Mandante 012

Plano de Contas Plano de Avaliação

Ind. Farmacêutica Ind. Alimentícia Suiça Alemanha

Empresa Empresa Empresa Empresa


0001 0003 0002 0040
Plano de Avaliação FI-AA

Reg. Mestre de Imob. XXXX


Informação Descritiva e
Dados dependentes do tempo

PLANO DE AVALIAÇÃO
Área Avaliação01
Depreciação Contábil

Área Avaliação 02
Depreciação Fiscal

Área Avaliação 20
Deprec. Contabilidade de
Custos
Área de Avaliação FI-AA

Chave de Depreciação Qual o tipo de depreciação?

Vida Útil Por quanto tempo?

Data para começar a


Qual o início da vida útil?
Depreciar

Quando ocorrerá a mudança de


Ano de Mudança Método deprecição decrescente para
linear?

Será preciso calcular anualmente


Índice valores de reposição crescentes?

Qual montante de depreciação deve


Montante de Deprec. Var. ser ponderado pelo fator de desloca-
mento quando são usadas alocações?

Será preciso encerrar a depreciação


Valor de Sucata se este valor de sucata for
alcançado?
MÓDULO
SD - Vendas
Elementos Organizacionais SD

ÁREA
DE ORGANIZ.
VENDAS DE VENDAS

CANAL DE SETOR DE
DISTRIB. ATIVIDADE

ESCRITÓRIO
DE VENDAS

GRUPO DE
VENDAS

PESSOAL
DE VENDAS
Elementos Organizacionais SD
 Organização de Vendas (Sales Organization): representa a unidade de venda que possibilita a
segmentação da Área Comercial, com o objetivo de identificar e controlar receitas de um determinado
negócio ou região.
 Escritório de Vendas (Sales Office): representa os aspectos físicos (escritório) das estruturas
organizacionais e são atribuídos à Área de Vendas.
 Grupo de Vendas (Sales Group): grupo de profissionais de vendas que atuam em um mesmo
escritório de vendas, e trabalham com atividades afins.
 Vendedores (Sales Person): unidade que representa os profissionais de vendas. Estão ligados a
um grupo de vendas.
 Área de Vendas (Sales Area) : é a combinação de uma organização de vendas, um canal de
distribuição e um setor de atividade.
 Sendo a área de vendas uma combinação de três elementos, podemos criar novas áreas de
vendas modificando apenas um dos elementos;
 As ordens de vendas são referenciadas a uma única área de vendas;
 Canal de Distribuição (Distribution Channel): representa a “forma” com que os produtos são
colocados no mercado.
 Setor de Atividade (Division): representa grupo ou família de produtos.
Princ. Processos - Ciclo de Vendas SD

Ordem de Entrega no Fornecimento


Venda Estoque

Usuário de Verificação de
Vendas Crédito
Faturamento

Pedido de
Compras

Contas a
Receber
Lançamento
Contábil
Cliente Livros Fiscais
Nota Fiscal