You are on page 1of 11

FACULDADE ESTÁCIO DE MACAPÁ

CURSO DE BACHARELADO EM BIOMEDICINA

Estudo epidemiológico do câncer do colo do útero


em mulheres do Estado do Amapá entre 2014 e 2017
Discentes:
 Maria Lúcia Brazão Cardoso
 Maria Ruthilene Marques Barreto

Orientador: Prof. Esp. André de Lima Brito

Macapá, 28 de Junho de 2018


1. INTRODUÇÃO
O Câncer do colo do útero caracteriza-se como um crescimento desordenado do tecido, causando
lesões pré-invasivas. ( Souza, 2017)

A mesma atinge mais de 530 mil mulheres no mundo, envolvendo países desenvolvidos e
subdesenvolvidos, que infelizmente resulta em 275 mil casos que vão a óbito. (Ministério da
Saúde, 2016)

Segundo INCA ( 2016) na análise regional, o Câncer do colo do útero se destaca como o primeiro
mais incidente na região Norte do Brasil, com 23,97 casos por 100.000 mil mulheres.

A nível estadual para 2018 a estimativa de novos casos do câncer uterino é de 110 para cada 100
mil mulheres e na capital é de 80 casos. (INCA, 2018)
2-OBJETIVO

 A presente pesquisa teve como objetivo descrever as características sócio-


epidemiológicas da população diagnosticada com câncer do colo do útero no
Estado do Amapá no período de 2014 e 2017.
3-METODOLOGIA

Esta pesquisa foi de caráter descritivo, retrospectivo com base em dados secundários
obtidos no departamento de unidade de alta complexidade em oncologia (UNACON) no
Hospital das Clínicas Alberto Lima.

O embasamento científico foi obtido através de livros, artigos publicados em revistas


científicas, teses e textos publicados na internet e outras fontes que ajudaram a sustentar
e esclarecer os aspectos teóricos, além de publicações de livros relacionados a este tema
4. RESULTADOS
Tabela 01: Características Demográficas dos pacientes com o câncer do colo do útero
no Estado do Amapá no período de 2014 a 2017.
FAIXA ETARIA NÚMEROS DE CASOS %
22 – 43 74 38.8%
44 – 64 87 45,5%
65 - + 30 15,7%
ANO DO DIAGNÓSTICO NÚMERO DE CASOS %
2014 – 2015 90 47,2%
2016 – 2017 101 52,8%
ESCOLARIDADE NÚMERO DE CASOS %
NÍVEL FUNDAMENTAL 73 38,3%
NÍVEL MÉDIO 40 20,9%
NÍVEL SUPERIOR 43 22,5%
OUTROS NÍVEIS 35 18,3%
ESTADO CIVÍL NÚMERO DE CASOS %
SOLTEIRA 75 39,3%
CASADA 34 17,8%
UNIÃO ESTÁVEL 59 30,9%
VIÚVA 16 8,4%
DIVORCIADA 7 3,6%
Total 191 100%

Fonte: Próprio autor


4. RESULTADOS
Tabela 02: Fatores de Risco e Histórico Familiar de pacientes diagnosticadas no
Estado do Amapá no período de 2014 a 2017.
FATORES DE RISCOS NÚMERO DE CASOS %
TABAGISMO
SIM 41 21,4%
NÃO 150 78,5%
BEBIDAS ALCÓOLICAS
SIM 73 38,3%
ALCOOLICAS
NÃO 118 61,7%
HISTÓRICO FAMILIAR
SIM 109 57,1%
FAMILIAR
NÃO 76 39,8%
NÃO INFORMADO 06 3.1%
Total 191 100%
Fonte: Próprio autor
5. DISCUSSÃO

O estudo indicou uma predominância na faixa etária de 44 a 64 anos (45,5%), comparando ao


estudo de Fonseca et al (2010), que obteve a faixa etária de 23 a 79 anos.

O nível de escolaridade predominante foi o fundamental completo com 38,3% de casos, toda via
na pesquisa de Silva el al (2014) no Estado do Maranhão obteve o ensino fundamental (41,8%)
de casos.

Com relação ao estado civil, as mulheres solteiras representaram 39,9% contrapondo os estudos
de Thuler, Bergmann e Casado (2012) em São Paulo que indicaram (51,5%) de mulheres com
câncer uterino foram casadas.
5. DISCUSSÃO
 Diante dos fatores de riscos, observou-se que 78,5% afirmaram não ser fumantes. No estudo de Fernandes e Kimura
(2010) elaborado no Estado de São Paulo onde a maioria das mulheres afirmaram não ser fumantes.

 Segundo Anjos et al (2010), o alcoolismo é um fator de risco que contribui com o desenvolvimento do câncer do colo do
útero.

 Há outros fatores envolvidos na etiologia do câncer do colo do útero, mas as infecções pelo HPV é o principal deles.
Segundo Stewart (2014), entre os 13 tipos oncogênicos, o HPV16 e HPV18 são os mais comumente relacionados com o
aparecimento da doença.

 Segundo Stewart (2014), o início de atividade sexual, multiparidade, o tabagismo, a imunossupressão, e o uso
prolongado de contraceptivos orais são fatores apontados no desenvolvimento do câncer cervical.
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Ao analisar os dados dessa pesquisa, podemos inferir que os índices descritos são
importantes contribuidores para o desenvolvimento de ações, programas e campanhas de
combate ao câncer do colo do útero no estado do Amapá. Apesar de sua alta incidência
epidemiológica, o câncer do colo do útero possui uma alta probabilidade de cura quando
diagnosticado em estagio inicial, o que enfatiza a necessidade de investimentos em
exames preventivos.
7. Referências
 SOUZA, A. F. Caracterização das Alterações Citopatológicas e Fatores de Riscos Associados ao Desenvolvimento do Câncer de Colo do Útero. Revista
UNINGÁ Review, vol. 30, n. 1, 2017, p. 1 - 6.
 INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER (INCA); BRASIL, Ministério da Saúde. Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero.
Biblioteca Virtual em Saúde Prevenção e Controle de Câncer. Rio de Janeiro. ed. 2, 2016, p. 1-118. Disponível em:< http://controlecancer.bvs.br/>.
Acessado em: 04 de Maio de 2018.
 FONSECA, Fernanda; TOMASICH, Flávio Daniel S; JUNG, Juliana Elizabeth NEOPLASIA INTRAEPITELIAL CERVICAL: da Etiopatogenia ao Desempenho
da Tecnologia no Rastreio e no Seguimento. Jornal Brasileiro de Doenças Sexualmente Transmissíveis, v. 24, n. 1, 2012, p.53-61.
 SILVA, Júlia Ruth Toledo da; ZOCCHE, Denise Antunes Azambuza; HAHN, Eliana; RIBEIRO, Karine Pereira; BARBISAN, Lenir. Perfil das Mulheres
Diagnosticadas com Câncer de Colo de Útero no Período de 2014, no Município de Chapecó- SC. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research –
BJSCR Vol.15, n.4, 2016, p.13-14.
 THULER, Luiz Claudio Santos; BERGMANN, Anke; CASADO, Letícia. Perfil das pacientes com o câncer do colo do útero no Brasil, 2000-2009: Estudo de
base secundário. Revista Brasileira de Cancerologia, vol. 58, n 3, 2012, p. 1 - 7.
 FERNANDES, Wanessa Cassemiro; KIMURA, Miako Qualidade de vida relacionada à saúde de mulheres com câncer de colo uterino. Revista Latino-
Americana de Enfermagem, vol. 18, n. 3, 2010, p. 65- 72.
 ANJOS, Saiwori de Jesus Silva Bezerra dos; VASCONCELOS, Camila Teixeira Moreira; ALMEIDA, Eugênio Santana Franco3, Paulo César de; PINHEIRO,
Ana Karina Bezerra. Fatores de risco para câncer de colo do útero segundo resultados de IVA, citologia e cervicografia. Revista da Escola de
Enfermagem da USP, São Paulo, vol. 44, n. 4, 2010, p. 119.
 STEWART, B. W.; WILD, C. P. (Ed.). World Cancer Report: 2014. Lyon: IARC, 2014.
OBRIGADA !