You are on page 1of 12

Contextualização

literária
Unidade 2

Contos
Contextualização literária
Contos

Definição e características do conto


Género do modo narrativo que convive com outras categorias históricas como o
romance, a novela ou a epopeia.

AÇÃO
Características

PERSONAGENS

TEMPO

ESPAÇO

DISCURSO: MODOS DE
EXPRESSÃO
Contextualização literária
Contos

• Brevidade da ação.
• Concentração dos acontecimentos, sem inserção
AÇÃO
de intrigas secundárias.
• Unidade da ação ou sequência de microações.

«Mas o velho Rata matara-se. Na aldeia, ninguém ainda atina ao certo com a
razão que levou o mendigo a suicidar-se. Nos últimos tempos, o reumatismo
tolhera-lhe as pernas, amarrando-o à porta do casebre. De quando em quando, o
Batola matava-lhe a fome; mas nem trocavam uma palavra. Que
sabia agora o Rata? Nada. Encostado à parede de pernas estendidas, errava o olhar
enevoado pelos longes. Veio o Verão com os dias enormes, a miséria cresceu.»

Manuel da Fonseca, «Sempre é uma companhia», in O Fogo e as Cinzas, Alfragide, Caminho, 2011, p. 152.
Contextualização literária
Contos

• Número reduzido de personagens, por vezes,


próximas da categoria-tipo.
PERSONAGENS
• Centralidade de uma das personagens, que dá
unidade ao conto.
«António Barrasquinho, o Batola, é um tipo bem
achado. Não faz nada, levanta-se quando calha, e
ainda vem dormindo lá dos fundos da casa.
É a mulher quem abre a venda e avia aquela meia
dúzia de fregueses de todas as manhãzinhas. Feito
isto, volta à lida da casa. Muito alta, grave, um rosto
ossudo e um sossego de maneiras que se vê logo que é
ela quem ali põe e dispõe.»
Manuel da Fonseca, «Sempre é uma companhia», in O Fogo e as Cinzas,
Alfragide, Caminho, 2011, p. 149.
Contextualização literária
Contos

• Brevidade temporal: recurso ao sumário e à elipse.


TEMPO
• Desvalorização da pausa descritiva.

«Aos poucos o tempo apagou a lembrança do Rata, o


mendigo. Só o Batola o recorda lá de vez em quando.
Mas, agora, abandonou a recordação e o vinho, e vai
até ao almoço. Nunca bebe durante as refeições.»
Manuel da Fonseca, «Sempre é uma companhia», in O Fogo e as Cinzas,
Alfragide, Caminho, 2011, pp. 152.
Contextualização literária
Contos

• Limitação espacial (raramente as personagens se


ESPAÇO
deslocam para outro espaço).

«Depois, o sol desanda para trás da casa. Começa a acercar-se a tardinha. Batola,
que acaba de dormir a sesta, já pode vir sentar-se, cá fora, no banco que corre ao longo
da parede. A seus pés, passa o velho caminho que vem de Ourique e continua para o sul.
Por cima, cruzam os fios da eletricidade que vão para Valmurado, uma tomada de
corrente cai dos fios e entra, junto das telhas, para dentro da venda.»
Manuel da Fonseca, «Sempre é uma companhia», in O Fogo e as Cinzas,
Alfragide, Caminho, 2011, p. 152.
Contextualização literária
Contos

DISCURSO: • Predomínio da narração e do diálogo em


MODOS DE detrimento dos restantes modos de expressão
EXPRESSÃO (descrição, dissertação,..).

«De facto, na tarde seguinte apareceu


uma nuvenzinha de poeira para as bandas
do sul: ouvia-se ronronar um motor. Pouco Narração
depois, o carro parou à porta da venda. (…)
Pelas portas, apareceram mulheres e
crianças.»

«Às vezes, um rapazito entra na venda:


– Tio Batola, cinco tostões de café.
O chapeirão redondo volta-se, vagaroso: Diálogo
– Hã?...
– Cinco tostões de café!»
Contextualização literária
Contos

Tendências modernas do conto

Revelam características comuns ao romance

• a análise psicológica;

• a ambiguidade;

• a anedota humorística ao serviço de um certo ceticismo;

• a tendência para o experimentalismo;

• a acusação do ruído do mundo contemporâneo;

• as problemáticas de cunho existencialista;

• a interpenetração lírica.
Contextualização literária
Contos

• Introdução Situação/peripécia inicial

Estrutura do
conto • Desenvolvimento Complicação; reação; resolução

• Conclusão Situação/peripécia final


Contextualização literária
Contos

Introdução Situação/peripécia inicial

• Exposição do conjunto de circunstâncias com base nas quais se vai desenrolar a


intriga: enquadramento geral, apresentando o(s) protagonista(s), o tempo e o espaço
(físico, social, cultural...) em que decorre a ação.
Contextualização literária
Contos

Desenvolvimento

• Acontecimento(s) que altera(m) o equilíbrio e a imobilidade próprios da


Complicação

situação inicial.
• Constitui a resposta à pergunta «nessa altura, o que é que aconteceu?».
• Acontecimento(s) causador(es) de outro(s) que se insere(m) na reação.
Reação

• Acontecimento que constitui o nó da ação e que se


desenrola até à fase de resolução.
Resolução

• Representa a resposta à questão «qual foi o


acontecimento decisivo desta história?».

• Inclui o verdadeiro clímax da intriga.


Contextualização literária
Contos

Conclusão Situação/peripécia final

• Assinala o fim da narrativa propriamente dita (ou seja, do(s)


acontecimento(s) que nela está/estão incluído(s)).

• Enquadra o(s) protagonista(s) num novo contexto, revelando,


explícita ou implicitamente, de que maneira foi/foram afetado(s) ou modificado(s).

Related Interests