You are on page 1of 68

SANEAMENTO BÁSICO

Prof. Silvana Ferreira Bicalho


silfbicalho@Hotmail.com
EMENTA

 Saneamento Básico e Saúde


 Saneamento Básico no Brasil
 Legislação Federal 11.445
 Resíduos Sólidos
 Drenagem Pluvial
 Esgotamento Sanitário
Competências e Habilidades

(Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia )

 Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e


instrumentais à engenharia;
 Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;
 Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de
engenharia;
 Identificar, formular e resolver problemas de engenharia;
 Compreender e aplicar a ética e responsabilidade profissionais;
 Avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia;
 Assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.
AULAS EXPOSITIVAS

• Exposição e discussão de conteúdos;


• Aplicação de seminários em equipe.
AVALIAÇÕES

CÁLCULO DA MÉDIA CURRICULAR (MC) DO SEMESTRE


Sendo:
U1 = 1ª unidade – 40 pontos (uma única avaliação)
T1 = Trabalho(s) - 10 pontos
U2 = 2ª unidade – 40 pontos (uma única avaliação)
T2 = Trabalho(s) - 10 pontos

TOTAL DE PONTOS NO SEMESTRE: 100 PONTOS

MC = U1 + T + U2

MC ≥ 70 (APROVADO)
40 ≤ MC ≤ 70 (REPROVADO, com direito à Avaliação Final)
MC < 40 (REPROVADO, sem direito à Avaliação Final)
CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

I unidade:
Uma única avaliação: 40 pontos (individual e sem consulta)
Datas das avaliações:
8º semestre noturno e matutino: 10 de outubro (quarta-feira)

Trabalhos: 10 pontos (Apresentação de seminários).

II unidade:
Uma única avaliação: 40 pontos (individual e sem consulta)
Datas das avaliações:
8º semestre noturno e matutino: 05 de dezembro (quarta-feira)

Trabalhos: 10 pontos (Apresentação de seminários).

Total: 100 pontos


Normas adotadas durante a execução da
Avaliação Individual:

Fica proibido:

 Aluno não matriculado fazer avaliação (prova sem etiqueta);


 Uso de aparelhos eletrônicos que possuam acesso à Internet (o
aparelho deverá ser desligado e guardado dentro da mochila ou em
cima da mesa do professor);
 Desgrampear a avaliação;
 Esquecer de assinar o nome completo na avaliação;
 A avaliação deverá ser realizada com caneta de tinta azul ou preta.
 Entrar em sala para realizar a avaliação , após 20 minutos de sua
aplicação;
 Consultar o professor para sanar dúvidas durante a avaliação, pois
interpretação é parte da avaliação.
Critérios para correção da Avaliação
Individual

Serão cobrados:
 Clareza e organização
 Letra legível (pode ser de LETRA DE FORMA – se a grafia
for complicada para leitura e correção);
 As questões da prova serão divididas em objetivas e
discursivas.
Seminários
• O prazo de entrega dos trabalhos deverão ser cumpridos, com o objetivo de
treinar o futuro engenheiro a cumprir prazos. Sendo assim, trabalhos fora do
prazo não serão aceitos, apenas com atestados médicos por meio de
requerimento à coordenação;
• Não serão aceitos trabalhos encaminhados ao professor por e-mail;
• Os trabalhos de pesquisa deverão seguir o padrão das normas ABNT;
• Os trabalhos em equipe deverão conter o nome completo dos participantes, sem
abreviações, com espaço para assinatura;
• Durante a apresentação dos seminários compõem a
nota: a participação e presença em todas as
apresentações;
• O aluno que não apresentar juntamente com a equipe
ficará sem a nota correspondente ao trabalho;
• Em hipótese alguma a data de apresentação será alterada.
• Todos os slides e avisos serão encaminhados:

• E-mail: saneamentoengcivilftc@gmail.com
• Senha: saneamento2018

• Assim como os slides dos seminários apresentados e


estudo de caso.

• Obs.: Só serão avaliados os seminários que atenderem a


solicitação acima.
O QUE É SANEAMENTO
BÁSICO?
Noções preliminares
• Saúde - é o estado de completo bem-estar físico, mental
e social, e não apenas a ausência de doenças ou de
enfermidades. (Conforme a Organização Mundial de
Saúde).

• Saúde Pública - formas de preservar, melhorar ou


recuperar a saúde, através de medidas coletivas e com a
participação da população, de forma motivada.

• Saneamento - instrumento da saúde pública que


consiste em intervenções sobre o meio físico do homem,
de forma a eliminar as condições deletérias à saúde.
Saneamento e Saúde
• O saneamento tem como objetivo:

Controlar e prevenir Melhorar a qualidade de


doenças. vida da população.

Melhorar a produtividade do indivíduo.

Facilitar a atividade econômica.


Porque o Saneamento é Básico??
Saneamento e Saúde

• A oferta do saneamento associa sistemas constituídos


por uma infraestrutura física e estruturas educacional,
legal e institucional.

• O saneamento básico se restringe aos serviços de


infraestruturas e instalações operacionais que são:

• abastecimento de água às populações, com a qualidade


compatível com a proteção de sua saúde e em quantidade
suficiente para a garantia de condições básicas de
conforto;
Saneamento e Saúde

• coleta, tratamento e disposição ambientalmente adequada e


sanitariamente segura de águas residuárias (esgotos
sanitários, resíduos líquidos industriais e agrícola);

• acondicionamento, coleta, transporte e/ou destino final dos


resíduos sólidos (incluindo os rejeitos provenientes das
atividades doméstica, comercial e de serviços, industrial e
pública);

• coleta de águas pluviais e controle de empoçamentos e


inundações.
Definição
• Saneamento é o conjunto de medidas que visa preservar ou
modificar as condições do meio ambiente com a finalidade de
prevenir doenças e promover a saúde, melhorar a
qualidade de vida da população e à produtividade do
indivíduo e facilitar a atividade econômica.

• No Brasil, o saneamento básico é um direito assegurado pela


Constituição e definido pela Lei nº. 11.445/2007 como o
conjunto dos serviços, infraestrutura e instalações
operacionais de abastecimento de água, esgotamento
sanitário, limpeza urbana, drenagem urbana, manejos de
resíduos sólidos e de águas pluviais
Saneamento e Saúde
• Investir em saneamento é a única forma de se reverter o
quadro existente. Dados divulgados pelo Ministério da Saúde
afirmam:

INVESTIDO SANEAMENTO

MEDICINA
ECONOMIA
CURATIVA
Saneamento e Saúde

• Efeitos Positivos do Saneamento Básico:

• Melhoria da Saúde da População e redução dos recursos


aplicados no tratamento de doenças, uma vez que grande
parte delas está relacionada com a falta de uma solução
adequada de esgoto sanitário.
• Diminuição dos custos de tratamento da água para
abastecimento que seriam ocasionados pela poluição dos
mananciais.
• Melhoria do potencial produtivo das pessoas
• Dinamização da economia e geração de empregos
Saneamento e Saúde

• Efeitos Positivos do Saneamento Básico:

• Eliminação da poluição estética/visual e desenvolvimento


do turismo.
• Eliminação de barreiras não-tarifárias para os produtos
exportáveis das empresas locais.
• Conservação ambiental.
• Melhoria da imagem institucional.
Saneamento e Saúde

• O saneamento básico é um fator fundamental, mas


não único, para a melhoria das condições de vida da
população, devendo ser incorporado a um modelo de
desenvolvimento que contemple também as questões
sociais.

• O saneamento básico é uma das questões de


expressão social.
Noções preliminares
• O conceito de Promoção de Saúde proposto pela
Organização Mundial de Saúde (OMS), é visto como o
princípio orientador das ações de saúde em todo o
mundo. Assim sendo, parte-se do pressuposto de que um
dos mais importantes fatores determinantes da saúde são
as condições ambientais.

•A utilização do saneamento como instrumento de


promoção da saúde pressupõe a superação dos entraves
tecnológicos políticos e gerenciais que têm dificultado a
extensão dos benefícios aos residentes em áreas rurais,
municípios e localidades de pequeno porte.
OBJETIVOS DO SANEAMENTO

a) abastecimento de água;
b) coleta, remoção, tratamento e disposição final dos esgotos;
c) coleta, remoção, tratamento e disposição final dos resíduos
sólidos - lixos;
d) drenagem das águas pluviais;
e) higiene dos locais de trabalho e de lazer, escolas e hospitais;
f) higiene e saneamento dos alimentos;
g) controle de artrópodes e de roedores (vetores de doenças);
h) controle da poluição do solo, do ar e da água, poluição
sonora e visual;
i) saneamento em épocas de emergências (quando ocorrem
calamidades, como: enchentes, terremotos, maremotos, tufões,
tornados, ciclones etc., ou quando ocorrem epidemias de
determinadas doenças).
Histórico
• A importância do saneamento e sua associação à saúde
humana remonta às mais antigas culturas.

•O saneamento desenvolveu-se de acordo com a


evolução das diversas civilizações, ora retrocedendo com
a queda das mesmas, ora renascendo com o
aparecimento de outras.

• Por exemplo, foram encontradas ruínas de uma


civilização na Índia que se desenvolveu a cerca de 4.000
anos, onde foram encontrados banheiros, redes de
esgoto nas construções e drenagem nas ruas.
Histórico
• O antigo testamento da Bíblia apresenta diversas abordagens
vinculadas às práticas sanitárias do povo judeu como, por
exemplo, o uso da água para limpeza de roupas sujas que
favoreciam o aparecimento de doenças (escabiose).

• Desta forma os poços para abastecimento eram mantidos


tampados, limpos e longe de possíveis fontes de poluição.

• Existem relatos do ano 2000 a.C., de tradições médicas, na


Índia, recomendando que a água impura devia ser purificada
pela fervura sobre um fogo, pelo aquecimento no sol,
mergulhando um ferro em brasa dentro dela ou podia ainda ser
purificada por filtração em areia ou cascalho, e então resfriada.
Histórico
• Das práticas sanitárias coletivas mais marcantes na
antiguidade destacam-se a construção de aquedutos,
banhos públicos, termas e esgotos romanos, tendo como
símbolo histórico a conhecida Cloaca Máxima de Roma.
Histórico
• Entretanto, a falta de difusão dos conhecimentos de
saneamento levou os povos a um retrocesso, originando
o pouco uso da água durante a Idade Média, quando o
consumo per capita de certas cidades europeias chegou
a 1 L por habitante por dia.

• Nessa época, houve uma queda nas conquistas


sanitárias e consequentemente sucessivas epidemias.

• O quadro característico desse período é o lançamento de


dejetos na rua.
Histórico
• Somente no século passado é que se começou a dispensar
maior atenção à proteção da qualidade de água, desde sua
captação até sua entrega ao consumidor.

• Essa preocupação se baseou nas descobertas que foram


realizadas a partir de então, quando diversos cientistas
mostraram que havia uma relação entre a água e a
transmissão de muitas doenças causadas por agentes físicos,
químicos e biológicos.

• Ainda nos dias de hoje, mesmo com os diversos meios de


comunicação existentes, verifica-se a falta de divulgação
desses conhecimentos.
Histórico
• Em 1991, o Brasil possuía uma população de 152,3
milhões de habitantes, sendo que 77% destes viviam em
áreas urbanas e apenas 23% em áreas rurais.

• Do total da população brasileira, menos de 70% dos


habitantes eram atendidos por sistemas coletivos de
abastecimento de água.

• Em 2004, 90% da população urbana brasileira já era


atendida com água potável.
Histórico
• Problemas recorrentes nos sistemas são devidos ao não
cumprimento dos padrões de potabilidade pela água
distribuída e a ocorrência de intermitência no
abastecimento, comprometendo a quantidade e a
qualidade da água distribuída à população.

• Além disso, o índice de perda é muito elevado


principalmente em função de vazamentos e desperdícios.
Histórico
• Em geral no Brasil, carências graves podem ser
verificadas na área de drenagem urbana, submetendo
diversos municípios a periódicas enchentes e
inundações, além de problemas na área de controle de
vetores, os quais vem provocando a ocorrências
frequentes de endemias como o dengue, a leptospirose e
a leishmaniose.
Importância de um sistema de
abastecimento de água

Importância Sanitária
• Repercute imediatamente sobre a saúde da população:
• ocorre a erradicação de doenças de veiculação ou de origem
hídrica;

• ocorre a diminuição dos índices de mortalidade geral e em


especial da mortalidade infantil;

• as melhores condições de higiene pessoal e do ambiente implica


na diminuição de uma série de doenças não relacionadas
diretamente à água. (Efeito Mills-Reincke).
Efeito Mills-Reincke
• No início de 1893, após estudarem numerosas
comunidades urbanas, os pesquisadores de saúde
pública, Mills e Reincke, na América do Norte e na
Alemanha, respectivamente, descobriram que, quando a
fonte de abastecimento de água contaminada era trocada
ou a água era purificada, a saúde da comunidade
aumentava de maneira significativa, muito acima da
expectativa decorrente da redução devido à eliminação
de doenças transmissíveis pela água, sobretudo da febre
tifóide.

• Esta descoberta foi denominada de fenômeno Mills-


Reincke.
SANEAMENTO BÁSICO
NO BRASIL

• Observa-se que o Brasil possuiu, até recentemente,


uma trajetória de abandono com relação ao
saneamento.
RESPOSTA À AUSÊNCIA DA REGULAÇÃO
• “A resposta para a ausência da regulação teve início
em 2005, quando a União ocupou-se da edição de
um projeto de lei que resultou na promulgação da Lei
Federal 11.445, de 5 de janeiro de 2007.” (MATULJA,
2009, p.10).
LINHA DE TEMPO

Lei nº 6938 Constituição Lei nº 9433 Lei nº 10257


31/08/81 Federal 1988 08/01/97 10/07/01
Política Art. nº 21 – Política Estatuto das
Nacional do inciso XX Nacional de Cidades
Meio Recursos
Ambiente Hídricos
LINHA DE TEMPO
Lei nº Decreto 7.217 Lei nº 12305 Lei
11.445 21/06/10 02/08/10 nº 12.608
05/01/07 Regulamentaçã Plano 10/04/12
Plano o da Lei 11.445 Nacional de Plano
Nacional de Resíduos Nacional de
Saneament Sólidos Proteção e
o Básico Defesa Civil
A LEI 6938/81
 Marco legal para todas as políticas públicas de meio ambiente
Objetivo geral: preservar, melhorar e recuperar a qualidade do meio ambiente.
Objetivos específicos:
Art. 4º – A Política Nacional do Meio Ambiente visará:

I – à compatibilização do desenvolvimento econômico-social com a preservação da qualidade


do meio ambiente e do equilíbrio ecológico
II – à definição de áreas prioritárias de ação governamental relativa à qualidade e ao equilíbrio
ecológico, atendendo aos interesses da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios e
dos Municípios;
III – ao estabelecimento de critérios e padrões de qualidade ambiental e de normas relativas
ao uso e manejo de recursos ambientais;
IV – ao desenvolvimento de pesquisas e de tecnológicas nacionais orientadas para o uso
racional de recursos ambientais;
V – à difusão de tecnologias de manejo do meio ambiente, à divulgação de dados e
informações ambientais e à formação de uma consciência publica sobre a necessidade de
preservação da qualidade ambiental e do equilíbrio ecológico;
VII – à imposição, ao poluidor e ao predador, da obrigação de recuperar e/ou indenizar os danos causados,
e ao usuário da contribuição pela utilização de recursos ambientais com fins econômicos.
Princípios da Política Nacional do Meio Ambiente
Art. 225 da CF/98
Art. 225- Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum
do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o
dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

1º Princípio da sustentabilidade: o poder público e a coletividade devem defender e


preservar o ambiente para a presente e futuras gerações. Ex: Associado ao
conceito de desenvolvimento sustentável;

2º Princípio do poluidor-pagador: impõe o ônus da recuperação dos impactos e


danos ambientais ao agente causador dos impactos ou danos ambientais; Ex: Lei
de crimes ambientais (9605/98);

3º Princípio da prevenção/precaução: Evitar os riscos potenciais e os já conhecidos.


Ex: licenciamento ambiental, plano de prevenção de acidentes.

4º Princípio da participação: Aquele diz respeito ao direito que qualquer cidadão


tem de conhecer os atos praticados pelos seus agentes públicos. EX: Audiências
públicas previstas na elaboração do RIMA.
INSTRUMENTOS DA PNMA
• Art. 9º – São instrumentos da Política Nacional do Meio Ambiente:

I – o estabelecimento de padrões de qualidade ambiental;


II – o zoneamento ambiental;
III – a avaliação de impactos ambientais; (CONAMA 01/86)
IV – o licenciamento e a revisão de atividades efetiva ou potencialmente
poluidoras;
V – os incentivos à produção e instalação de equipamentos e a criação ou absorção
de tecnologia, voltados para a melhoria da qualidade ambiental;
VI – a criação de espaços territoriais especialmente protegidos pelo Poder Público
federal, estadual e municipal, tais como áreas de proteção ambiental, de relevante
interesse ecológico e reservas extrativistas;
VII – o sistema nacional de informações sobre o meio ambiente;
IX – as penalidades disciplinares ou compensatórias não cumprimento das medidas
necessárias à preservação ou correção da degradação ambiental.
XII – o Cadastro Técnico Federal de atividades potencialmente poluidoras e/ou
utilizadoras dos recursos ambientais.

 Os instrumentos são mecanismos para atingir os objetivos da PNMA


SISTEMA NACIONAL DE MEIO AMBIENTE

O que é o SISNAMA?
• É um conjunto articulado de órgãos, entidades, regras e
práticas responsáveis pela proteção e pela melhoria da
qualidade ambiental, instituído pela Lei 6938 de 31/08/81.
Composição do Sisnama
Órgão superior: Conselho de Governo, que reúne a Casa Civil da Presidência da República e
todos os ministros. Tem a função de assessorar o presidente da República na formulação da
política nacional e das diretrizes nacionais para o meio ambiente e os recursos naturais;

Órgão central: MMA. Tem a função de planejar, coordenar, supervisionar e controlar as


ações relativas à política do meio ambiente;

 Órgão consultivo e deliberativo: CONAMA. Reúne os diferentes setores da sociedade e tem


caráter normatizador dos instrumentos da política ambiental;

Órgão executor:IBAMA. Está encarregado de executar e fazer executar as políticas e diretrizes


governamentais definidas para o meio ambiente;

Órgãos seccionais:De caráter executivo, essa instância do SISNAMA é composta por órgãos
estaduais responsáveis pela execução de programas e projetos, assim como pelo controle e
fiscalização de atividades degradadoras do meio ambiente. EX: Secretarias Estaduais;

Órgãos locais: órgãos municipais responsáveis pelo controle e fiscalização dessas atividades em
suas respectivas jurisdições. EX: Secretarias Municipais de Meio Ambiente.
Política Nacional do Meio Ambiente
Sistema Nacional do Meio Ambiente
SISNAMA
Órgão Superior
Conselho de Governo

Órgão Central

Órgão Consultivo /
Deliberativo

Órgãos Executores

Órgãos Seccionais
(estaduais)

Órgãos Locais
(municipais)
Situação do Saneamento no Brasil
• Setores afetados pela falta de saneamento
Água
Água
Consumo X Perdas
Coleta de esgotos
Tratamento dos esgotos
Universalização
Principais dados do saneamento por
estado
Ranking do Saneamento 2015
• O novo Ranking do Saneamento Básico avalia os
serviços de água e esgoto dos 100 maiores municípios
do país e os resultados mostram que os avanços
continuam tímidos se pensarmos em atingir a
universalização dos serviços de água tratada, coleta e
tratamento dos esgotos em 20 anos (prazo do Plano
Nacional de Saneamento Básico – 2014 a 2033).
Avanços médios no atendimento a
saneamento – Brasil - 2009 a 2013
• Quadro 1 - Avanços médios no atendimento a saneamento – 2009-13

Fonte: Ministério das Cidades - SNIS


• Quadro 2 – MELHORES E PIORES EM ATENDIMENTO DE ÁGUA
TRATADA
• Quadro 2 – MELHORES E PIORES EM ATENDIMENTO DE ÁGUA
TRATADA
2. Índice de população com coleta de
esgoto
• Quadro 3 - DEZ melhores e dez piores EM POPULAÇÃO COM coleta DE
ESGOTOS
2. Índice de população com coleta de
esgoto
• Quadro 3 - DEZ melhores e dez piores EM POPULAÇÃO COM coleta DE
ESGOTOS
Casos de Sucesso
Casos de Sucesso
Uberlândia mantém bons índices de
Saneamento Básico
Importância de um sistema de
abastecimento de água

Importância Econômica

• A implantação do abastecimento público de água se


traduz num aumento de vida média útil da população e na
redução de número de horas perdidas com diversas
doenças, refletindo num aumento sensível de número de
horas trabalhadas dos membros da comunidade
beneficiada e com isto, aumento de produção.

• A água constitui matéria-prima de muitas indústrias ou auxiliar de


processos em atividades industriais, como água para caldeira e
outras.
Tratamento de esgoto
• Características principais:

• altos teores de sólidos totais,

• altos teores de nutrientes e matéria orgânica

• altos números de bactérias do grupo coliformes

• elevada DBO.
CONSEQÜÊNCIAS DA POLUIÇÃO EM AMBIENTES AQUÁTICOS
COM ESGOTO

1. Elevação da temperatura

2. Sólidos dissolvidos totais

3. Matéria orgânica

4. Microrganismos patogênicos

5. Nutrientes

6. Mudanças de pH

7. Compostos tóxicos
Processos de tratamento de efluentes
domésticos e industriais
ESTAÇÃO DE
TRATAMENTO
DE ÁGUA

ESTAÇÃO
DE
TRATAMEN
TO DE
ESGOTO
Saneamento Básico no Brasil
• Reportagem Saneamento Básico