You are on page 1of 10

O Professor no Século XXI

DILEMAS
DESAFIOS
.O que é ser professor no século XXI?
. A que distância os professores estão
do professor do século XXI?
. Que novos arranjos educativos devem
surgir para favorecer a prática
docente no século XXI?
 A identidade não é uma essência; não é um dado
ou fato – seja de natureza, seja de cultura. A
identidade não é fixa, estável, coerente, unificada,
permanente. A identidade tampouco é homogênea,
definitiva, acabada, idêntica, transcendental.
 A identidade é uma construção, um efeito, um
processo de produção, uma relação, um ato
performático.
 A identidade é instável, contraditória, fragmentada,
inconsistente, inacabada.
 A identidade está ligada a estruturas discursivas e
narrativas.
Stuart, 1997
O que é ser professor no século XXI
É trabalhar com uma realidade ainda no
século XX e se encontrar num período de
transição. É ter um desafio de praticar o
ato de ensinar e acompanhar as
transformações sociais em meio as
dificuldades que a área de educação se
encontra. Prof. C.J.

É estar antenado com o É ser um profissional que luta pelo


seu entorno e com o que faz e busca meios para melhorar;
mundo, sem perder a recebe investimentos diretos e
afetividade e o respeito contribui com o seu trabalho para o
pelo outro. Prof. H. bem comum. Prof. A. B.
Que novos arranjos educativos devem surgir para
favorecer a prática docente no século XXI?
Acho importantíssimo a utilização dos recursos de mídia dentro de
uma unidade escolar. Hoje dispomos de uma série de ferramentas
que podem aproximar o aluno com a sala de aula. E são estas
mesmas ferramentas que, quando não utilizadas, podem levar o aluno
a buscá-las fora do ambiente escolar. Explorar ao máximo a
comunicação facilitada por estas ferramentas, amplia a capacidade de
diálogo na sala de aula e favorece a prática docente. Prof.C.G.

O acesso a equipamentos que encurtem as distâncias ( sejam elas de


ordem física ou intelectual).O incentivo à formação de coletivos, pois
já foi o tempo em que uma `andorinha sozinha fazia o seu verão!´
Diálogo e trocas são arranjos que sempre serão fundamentais a
qualquer tempo! Aliamo-nos aos que acreditam na força da prática
docente significa que o caminho se tornará menos árduo! Prof. H.
Domínio Características Pontos de
Acoplamento
Didático Estar aberto a ouvir; Postura
Estar em uma relação constante de aprendizagem; Abordagem
Desenvolver uma ecologia de saberes; Formação
Superar os resquícios de transmissor do saber; Dinamicidade
Ser pesquisador Interatividade
Acreditar na educação como instrumento de transformação; Complexidade
Ser facilitador do processo; Transitoriedade
Dar oportunidades aos alunos de aprenderem de diferentes Dialógico
maneiras; Convivencialidade
Trabalhar com realidade de Século XX e se encontrar num período Atualização
de transição.
Ser formado com base em pressupostos de séculos anteriores,
mas as demandas que se depara são de uma complexidade atroz.
Social Ser ético Afetividade
Estar antenado com seu entorno e com o mundo sem perder a Valores sociais
afetividade; Solidariedade
Midiático Dominar as novas tecnologias para educar em rede; Modelagem
Estar antenado às múltiplas possibilidades de expressão e Integração
comunicação; Domínio
Incluir as tecnologias atuais em nosso cotidiano e provocar novas Conhecimento
descobertas; Cooperação
Criar ambientes de aprendizagem;
Ter conhecimento das mídias
Político Estar disposto a gerenciar sua formação; Descentralização
Ser um professor que luta pelo que faz; Mobilização
Ser multiplicador Ambigüidade
Mobilizar seus saberes e poderes e conectar-se com este novo
mundo;
O que é ser professor no século XXI?
Matriz
temporária
Cada Matriz se constrói, se realiza e
assume uma posição singular na contínua
produção de si mesma.

Pontos de Apoio
Flutuantes
Característica

Alavanca
Movimentos Pontos de
Circulares Pontos de Acoplamento
de percepção- Apoio de (onde ocorrem
ação Organização entrecruzamento)
Temporária
Uma proposta
Não arrisco previsões, mas acredito que o Professor do
Século XXI enraíza-se no presente dinâmico e no
processo de constituição de conhecimentos e valores
éticos, estéticos e políticos que emergem na realização
da práxis educativa – presencial ou à distância, a
partir de recorrentes interações com o meio. Talvez,
neste instante, imperceptíveis matrizes podem estar se
configurando no mundo, num desconhecido devir-
metodológico, num ir e vir infinito que desliza entre
percepções-ações.
Ser Professor no Século XXI?
“Devir é jamais imitar, nem fazer como, nem
ajustar-se a um modelo(...). Não há um termo de
onde se parte, nem ao qual se chega ou se deve
chegar. (...) Pois à medida que alguém se torna, o
que ele se torna muda tanto quanto ele próprio. Os
devires não são fenômenos de imitação, nem de
assimilação, mas de dupla captura, de evolução
não paralela, núpcias entre dois reinos.
(DELEUZE, 1998).