You are on page 1of 63

INTRODUÇÃO

O homem espiritual é a pessoa com o Espírito


Santo e que, por isso, tem melhores condições
para entender cada situação. Isso é diferente
daquele que não conhece a Deus. Mas o relato
da libertação da adivinhadora de Filipos, por
ocasião da segunda viagem missionária do
apóstolo Paulo, revela que o discernimento
espiritual vai além, pois diz respeito ao “dom
de discernir os espíritos (1 Co 12.10).
I – DISCERNIR E DISCERNIMENTO
No seu uso geral, discernimento é,
na vida cotidiana, a capacidade de
compreender e avaliar as coisas
com bom senso e clareza, de
separar o certo do errado com
sensatez. O termo aparece nessa
acepção na Bíblia
(II Samuel 19:35
35 - Da idade de oitenta anos sou eu
hoje; poderia eu discernir entre o bom e
o mau? Poderia o teu servo ter gosto no
que comer e beber? Poderia eu mais
ouvir a voz dos cantores e cantoras? E
por que será o teu servo ainda pesado ao
rei meu senhor?
Jonas 4:11
11 - E não hei de eu ter compaixão da
grande cidade de Nínive em que estão
mais de cento e vinte mil homens que
não sabem discernir entre a sua mão
direita e a sua mão esquerda, e também
muitos animais?). Mas, no contexto
teológico, o seu uso é muito mais amplo,
como veremos a seguir.
1. O verbo “discernir”.
O Novo Testamento grego apresenta dois
verbos traduzidos em nossas versões bíblicas
por “discernir”, anakrino e diakrino. O
significado do primeiro é amplo, como
“perguntar, interrogar, investigar, examinar”
(Lucas 23:14
14 - Disse-lhes: Haveis-me apresentado este
homem como pervertedor do povo; e eis que,
examinando-o na vossa presença, nenhuma
culpa, das de que o acusais, acho neste
homem.
Atos 17:11
11 - Ora, estes foram mais nobres do que
os que estavam em Tessalônica, porque
de bom grado receberam a palavra,
examinando cada dia nas Escrituras se
estas coisas eram assim.), e aparece
também com o sentido de
“discernimento”
(I Corintios 2:14-15
14 - Ora, o homem natural não
compreende as coisas do Espírito de
Deus, porque lhe parecem loucura; e não
pode entendê-las, porque elas se
discernem espiritualmente.
15 - Mas o que é espiritual discerne bem
tudo, e ele de ninguém é discernido.). O
segundo verbo apresenta grande
variedade semântica e
2. O substantivo “discernimento”.
O termo grego é diákrisis, que só aparece
três vezes no Novo Testamento e, em cada
uma delas, o significado é diferente: uma
vez com o sentido de “briga” ou
“julgamento” (Romanos 14:1
1 - ORA, quanto ao que está enfermo na
fé, recebei-o, não em contendas sobre
dúvidas
outra, como “distinção” em que se julgam
pelas evidências se os espíritos são
malignos ou se provém de Deus (I
Corintios 12:10 - E a outro a operação de
maravilhas; e a outro a profecia; e a outro
o dom de discernir os espíritos; e a outro
a variedade de línguas; e a outro a
interpretação das línguas.);
e, finalmente, para discernir entre o bem
e o mal (Hebreus 5:14 - Mas o
mantimento sólido é para os perfeitos, os
quais, em razão do costume, têm os
sentidos exercitados para discernir tanto
o bem como o mal.).
3. Atualidade.
Há manifestações sobrenaturais por meio de falsos
profetas (Deuteronômio 13:1-3
1 - QUANDO profeta ou sonhador de sonhos se
levantar no meio de ti, e te der um sinal ou prodígio,
2 - E suceder o tal sinal ou prodígio, de que te houver
falado, dizendo: Vamos após outros deuses, que não
conheceste, e sirvamo-los;
3 - Não ouvirás as palavras daquele profeta ou
sonhador de sonhos; porquanto o SENHOR vosso
Deus vos prova, para saber se amais o SENHOR vosso
Deus com todo o vosso coração, e com toda a vossa
alma.).
Jesus disse que o Anticristo aparecerá
fazendo sinais, prodígios e maravilhas de
tal maneira que, se possível fora,
enganaria até os escolhidos (Mateus 24:24
24 - Porque surgirão falsos cristos e falsos
profetas, e farão tão grandes sinais e
prodígios que, se possível fora,
enganariam até os escolhidos.).
Os agentes de Satanás transformam-se em
anjos de luz, e seus mensageiros, em
ministros de justiça (II Corintios 11:13-15
13 - Porque tais falsos apóstolos são
obreiros fraudulentos, transfigurando-se
em apóstolos de Cristo.
14 - E não é maravilha, porque o próprio
Satanás se transfigura em anjo de luz.
15 - Não é muito, pois, que os seus
ministros se transfigurem em ministros da
justiça; o fim dos quais será conforme as
suas obras.). Em todos os lugares e em
todas as épocas, sempre existiram falsas
imitações, e só com o discernimento do
Espírito Santo é possível identificar a fonte
de tais manifestações. Isso mostra a
importância e a atualidade do dom de
discernir os espíritos (1 Co 12.10).
15 - Não é muito, pois, que os seus
ministros se transfigurem em ministros da
justiça; o fim dos quais será conforme as
suas obras.). Em todos os lugares e em
todas as épocas, sempre existiram falsas
imitações, e só com o discernimento do
Espírito Santo é possível identificar a fonte
de tais manifestações. Isso mostra a
importância e a atualidade do dom de
discernir os espíritos (1 Co 12.10).
I Corintios 12:10
10 - E a outro a operação de maravilhas; e
a outro a profecia; e a outro o dom de
discernir os espíritos; e a outro a variedade
de línguas; e a outro a interpretação das
línguas.
II – A ADIVINHADORA DE FILIPOS
Quem realmente já experimentou o
poder de Deus na vida não pode ser
levado por impostores. Deus permite, às
vezes, o sobrenatural vindo de fontes
estranhas para provar a fé do crente e
sua experiência espiritual.
1. Uma avaliação sensata.
A jovem adivinha estava possessa, tomada
pelo espírito das trevas; logo, a mensagem
dela não vinha de si mesma, mas do espírito
que a oprimia. Satanás é o pai da mentira
(João 8:44 - Vós tendes por pai ao diabo, e
quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele
foi homicida desde o princípio, e não se
firmou na verdade, porque não há verdade
nele. Quando ele profere mentira, fala do
que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai
da mentira.Jo 8.44)
e o principal opositor da obra de Deus
(Atos 13:10 - Disse: Ó filho do diabo,
cheio de todo o engano e de toda a
malícia, inimigo de toda a justiça, não
cessarás de perturbar os retos caminhos
do Senhor?). Por que, então, o espírito
adivinho elogiaria os dois mensageiros
de Deus, Paulo e Silas, ao confirmá-los
como anunciadores do caminho da
salvação? É óbvio que havia algo de
errado nisso.
2. O espírito de adivinhação.
A jovem pitonisa “tinha espírito de
adivinhação” (v. 16). O termo grego
usado aqui épython, “Píton, espírito de
adivinhação”, de onde vem o termo
“pitonisa”, associado à feitiçaria. Píton
era a serpente que guardava o oráculo
em Delfos, na antiga Grécia, a qual,
segundo a mitologia, Apolo matou.
Com o tempo, python passou a ser usado
para designar adivinhação ou
ventríloquo, que em grego é
engastrimythos, de gaster, “ventre”, e
mythos, “palavra, discurso”, cuja ideia é
dar oráculos ou predições desde o ventre,
pois se imaginava alguém ter tal espírito
em seu ventre
O vocábulo engastrimythos não aparece no
Novo Testamento, mas está presente na
Septuaginta (Levítico 19:31
31 - Não vos virareis para os adivinhadores e
encantadores; não os busqueis,
contaminando-vos com eles. Eu sou o SENHOR
vosso Deus.; Levítico 20:6 - Quando alguém
se virar para os adivinhadores e encantadores,
para se prostituir com eles, eu porei a minha
face contra ele, e o extirparei do meio do seu
povo.) e é aplicado à feiticeira de En-Dor (1
Sm 28.7,8).
I Samuel 28:7-8
7 - Então disse Saul aos seus criados: Buscai-
me uma mulher que tenha o espírito de
feiticeira, para que vá a ela, e consulte por ela.
E os seus criados lhe disseram: Eis que em En-
Dor há uma mulher que tem o espírito de
adivinhar.
8 - E Saul se disfarçou, e vestiu outras roupas,
e foi ele com dois homens, e de noite
chegaram à mulher; e disse: Peço-te que me
adivinhes pelo espírito de feiticeira, e me
faças subir a quem eu te disser.
3. Adivinhações ontem e hoje.
Moisés enumerou algumas práticas
divinatórias comuns entre os cananeus
(Deuteronômio 18:14 - Porque estas nações,
que hás de possuir, ouvem os prognosticadores
e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR teu
Deus não permitiu tal coisa.) e os egípcios
(Isaías 19:3- E o espírito do Egito se esvaecerá
no seu interior, e destruirei o seu conselho; e
eles consultarão aos seus ídolos, e
encantadores, e aqueles que têm espíritos
familiares e feiticeiros.Is 19.3
as quais Israel deveria rejeitar. Isso vale
também para os cristãos, pois essas
práticas estão presentes ainda hoje na
sociedade. Parece que essas coisas
encantam o povo, como aconteceu em
Samaria com Simão, o mágico (At 8.9-11).
Atos 8:9-11 - E estava ali um certo homem,
chamado Simão, que anteriormente
exercera naquela cidade a arte mágica, e
tinha iludido o povo de Samaria, dizendo
que era uma grande personagem;
10 - Ao qual todos atendiam, desde o
menor até ao maior, dizendo: Este é a
grande virtude de Deus.
11 - E atendiam-no, porque já desde muito
tempo os havia iludido com artes mágicas.
Tais práticas envolvem, direta ou
indiretamente, magia, astrologia, alquimia,
clarividência, tarô, búzios, quiromancia,
necromancia, numerologia etc. São práticas
repulsivas aos olhos de Deus porque trata-se
de uma forma de idolatria (Apocalipse 21:8
8 - Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e
aos abomináveis, e aos homicidas, e aos
fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e
a todos os mentirosos, a sua parte será no lago
que arde com fogo e enxofre; o que é a
segunda morte.;
Apocalipse 22:15
15 - Ficarão de fora os cães e os
feiticeiros, e os que se prostituem, e os
homicidas, e os idólatras, e qualquer
que ama e comete a mentira.). Como
parte da magia, a adivinhação é uma
antiga arte de predizer o futuro por
meios diversificados: intuição,
explicação de sonhos, cartas, leitura
de mão etc.
III – DESMASCARANDO OS ARDIS DE
SATANÁS
O Senhor Jesus colocou à disposição de cada
crente as condições necessárias para
discernir entre o falso e o verdadeiro,
habilitando-o a fazer a obra de Deus. Ele
disse: “Eis que vos envio como ovelhas ao
meio de lobos” (Mt 10.16) e para isso nos
equipou com armas espirituais de defesa e de
ataque ao reino das trevas (2 Co 10.1-5). 0
discernimento espiritual é importante arma
do arsenal do Espírito Santo.
II Corintios 10:1-5
1 - ALÉM disto, eu, Paulo, vos rogo, pela mansidão e
benignidade de Cristo, eu que, na verdade, quando presente
entre vós, sou humilde, mas ausente, ousado para convosco;
2 - Rogo-vos, pois, que, quando estiver presente, não me veja
obrigado a usar com confiança da ousadia que espero ter com
alguns, que nos julgam, como se andássemos segundo a
carne.
3 - Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne.
4 - Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim
poderosas em Deus para destruição das fortalezas;
5 - Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta
contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o
entendimento à obediência de Cristo;
1. O dom do Espírito Santo.
O dom de discernir os espíritos aparece
logo após o dom de profecia (I Corintios
12:10 - E a outro a operação de
maravilhas; e a outro a profecia; e a
outro o dom de discernir os espíritos; e a
outro a variedade de línguas; e a outro a
interpretação das línguas.)
por essa razão, muitos associam o
referido dom como meio de “julgar” as
profecias (I Corintios 14:29
29 - E falem dois ou três profetas, e os
outros julguem.). Mas o contexto do
Novo Testamento mostra que essa não é
a sua única função. Serve também para
distinguir a manifestação do Espírito
Santo das manifestações de profecias,
línguas, visões, curas provenientes de
fontes demoníacas, e para proteger-nos
dos ataques satânicos. Manifesta-se em
situações nas quais não é possível, com
recursos humanos, identificar a origem
da manifestação sobrenatural.
2. Uma estratégia demoníaca para
confundir o povo.
É muito estranho que o espírito maligno
que atuava na vida da jovem viesse
gritando publicamente por muitos dias e
elogiando Paulo e Silas com as palavras:
“Estes homens, que nos anunciam o
caminho da salvação, são servos do Deus
Altíssimo” (v.17).
Essa não foi a única vez em que Satanás procedeu
dessa maneira (Marcos 5:7
7 - E, clamando com grande voz, disse: Que tenho eu
contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? conjuro-te
por Deus que não me atormentes.). Adam Clarke
comenta que o “testemunho sobre os apóstolos, em
essência, era verdadeiro, com o fim de destruir sua
reputação e arruinar a sua utilidade”. O propósito
diabólico aqui era transmitir ao povo a falsa
ideia de que a mensagem que Paulo e Silas
pregavam seria a mesma da jovem
adivinhadora.
3. A libertação da jovem adivinhadora.
A moça era uma escrava que dava muito
lucro aos seus senhores com essa prática
ocultista (v. 16). Ao ser liberta pelo poder
do nome de Jesus, os seus proprietários
viram nisso um prejuízo econômico e
foram denunciar os missionários às
autoridades locais.
A população não viu a maravilha da
grande libertação da moça, e Paulo e Silas
não foram denunciados por causa da
expulsão do espírito maligno da jovem.
Eles foram acusados de perturbar a ordem
pública e nem sequer foram ouvidos, ou
seja, não tiveram o direito de resposta.
Foram açoitados e colocados na prisão
(vv.19-22).
Jesus tornou-se também persona non grata em
Gadara por causa do prejuízo dos porqueiros
(Marcos 5:16-18
16 - E os que aquilo tinham visto contaram-
lhes o que acontecera ao endemoninhado, e
acerca dos porcos.
17 - E começaram a rogar-lhe que saísse dos
seus termos.
18 - E, entrando ele no barco, rogava-lhe o que
fora endemoninhado que o deixasse estar com
ele.). Infelizmente, o lucro fala mais alto ainda
hoje.
A necessidade do dom de discernir.
O discernimento do Espírito nos permite
conhecer tudo aquilo que é impossível saber
por meio de recursos humanos. O caso de
Paulo e da adivinha de Filipos é
emblemático, um exemplo clássico do uso
desse dom na vida real. Reconhecer a origem
maligna de uma manifestação contra a Igreja
não é tão difícil, mas, no contexto de Paulo,
diante dos elogios da adivinhadora, isso era
praticamente impossível sem a atuação do
Espírito Santo.
CONCLUSÃO
Satanás é perito no engano e no disfarce, na
mentira e na aparência: “porque o próprio
Satanás se transfigura em anjo de luz” (2 Co
11.14). Ele é um ser habilidoso e acima de
qualquer ser humano na arte do engano e da
mentira; os seus disfarces só são discerníveis
pelo Espírito Santo: “porque não ignoramos
os seus ardis” (2 Co 2.11). Às vezes, até
mesmo os crentes, por falta de vigilância,
terminam caindo no laço do Diabo.
Acesse o site

www.escola-dominical.com

Produção dos slides


Pr. Ismael Oliveira