You are on page 1of 47

Universidade Federal do Piauí

Centro de Tecnologia
Departamento de Engenharia Mecânica
Disciplina: Int. Curso de Engenharia Mecânica
Prof.: Firmo

MOTORES DE
COMBUSTÃO INTERNA

•Adailson Morais
•Adelmárcio André
•André Anderson
•Antonio Felipe
•Antonio Francisco
UMA BREVE HISTÓRIA
UMA BREVE HISTÓRIA

 1680: Primeiro motor de combustão interna,


inventado pelo físico Christiaan Huygens
.
UMA BREVE HISTÓRIA

1769: Primeiro veículo autônomo mecanicamente


acionado, pelo capitão francês N. J. Cugnot.
UMA BREVE HISTÓRIA

1860: Primeiro motor a pistão comercializado,


construído por Ètienne Lenoir.

-Sem compressão
-5.000 fabricados
-n= 5%
UMA BREVE HISTÓRIA

 1862: Alphonse Beau de Rochas, engenheiro francês,


patenteia a idéia de um motor de quatro tempos.
UMA BREVE HISTÓRIA

 1867: Os mecânicos alemães Nikolaus Otto e Eugen


Langen aperfeiçoaram o modelo de Lenoir.

Compressão ar + combustível(g)
10.000 exemplares fabricados
n= 11%
UMA BREVE HISTÓRIA

 1870: Em Vienna, Siegfried Marcus coloca o


primeiro motor a gasolina em um carrinho de mão
UMA BREVE HISTÓRIA

 1876: Nikolaus Otto coloca em prática a ideia do


motor de 4 tempos e começa a fabricá-lo e vendê-lo

Etapas:
-Admissão
-Compressão
-Explosão
-Exaustão
n= 14%
UMA BREVE HISTÓRIA

 1880: Sir Dugald Clerk desenvolve o motor de dois


tempos.
UMA BREVE HISTÓRIA

 1885: Karl Benz lança o primeiro carro “seguro” nas


estradas.

Inovou com:
-Ignição
-Radiador
-Engrenagens
diferenciais
UMA BREVE HISTÓRIA

 1892: Rudolf Diesel patenteia a idéia do motor de


ignição por compressão. Cinco anos mais tarde
desenvolve um protótipo comercial.
UMA BREVE HISTÓRIA

 Por fim, o impacto na sociedade foi e ainda é


enorme. Todo meio de transporte e viagem foi
incrementado com o motor a combustão interna.
 O motor a vapor foi gradativamente substituído
pelo motor a combustão interna
 Motores a combustão interna podem gerar uma
potência de 10 W a 20 x 10³ kW, dependendo
de sua potência. E a tendência é que esse
número aumente...
O trem de válvulas e
outros sistemas

01/04/2019
14
O Trem de válvulas
Sistema de arrefecimento
16

01/04/2019
Sistemas de lubrificação
17

 O sistema de lubrificação assegura que cada parte


móvel do motor seja suprida de óleo,
principalmente para diminuir o atrito.
 As duas partes que mais precisam de óleo são os
pistões (para deslizar facilmente em seus cilindros)
e todos os mancais.
 Na maioria dos carros, o óleo é sugado do
reservatório pela bomba, passando pelo filtro de
óleo para remover qualquer impureza antes de ser
esguichado sob pressão nos mancais e depois
atingir as paredes internas dos cilindros. O óleo
então escoa para o cárter, onde é coletado, e o ciclo
se repete.
01/04/2019
Sistemas de lubrificação
O Sistema de Alimentação
19

O sistema de alimentação bombeia


combustível do tanque e o mistura com o ar,
de modo que a mistura ar-combustível
correta seja admitida nos cilindros.
 Existem três maneiras comuns de enviar o
combustível: carburação, injeção de
combustível no coletor de admissão e
injeção direta de combustível na câmara de
combustão.
01/04/2019
O Sistema de Alimentação
20

 Na carburação, um dispositivo
chamado carburador mistura o
combustível com o ar conforme este flui para
dentro do motor.
 Em um motor com injeção a quantidade
correta de combustível é injetada
individualmente em cada cilindro - antes da
válvula de admissão (injeção de combustível
multiponto) ou diretamente dentro do
cilindro (injeção direta de combustível).
01/04/2019
Um Princípio a Considerar
COMO FUNCIONA A COMBUSTÃO INTERNA
Funcionamento Básico de um Motor 4
Tempos

 Os tempos em si
Visão do Funcionamento
Simultaneidade
Funcionamento Básico de um Motor de 2
Tempos
Visão do Funcionamento
Vantagens

 Motores 2-tempos não têm válvulas de admissão e


escapamento nem comando de válvulas, o que simplifica
sua construção e reduz seu peso;
 Motores 2-tempos têm uma explosão a cada giro do
virabrequim, enquanto nos motores 4-tempos há
combustão um giro sim, um giro não, e isso dá um ganho
significativo de potência aos motores 2-tempos;
 Motores 2-tempos podem funcionar em qualquer
posição. Já um motor 4-tempos normal pode ter
problemas com o fluxo de óleo a menos que esteja de pé,
e resolver essa deficiência pode deixar o motor mais
complexo.
Desvantagens

 Motores 2-tempos tem uma durabilidade reduzida.


A falta de um sistema de lubrificação dedicado faz
com que as partes se desgastem muito mais rápido;
 O óleo para motores 2 -tempos é caro, e é
necessário colocar cerca de 20 ml dele a cada litro
de gasolina (a proporção é 50:1);
 Os motores 2-tempos não usam o combustível de
maneira eficiente;
 Motores 2-tempos são muito poluentes.
Utilizações

 Por possuir uma ótima relação peso/potência, os


motores 2 tempos são utilizados em:
 Motosserras;

 Aparadores;

 Jet Skis;

 Pequenos motores de popa;

 Motos off-road;

 Aeromodelos de controle remoto.


OUTROS MOTORES
Turbina a Gás

Formada pelo conjunto:


 Compressor
Ocorre o aumento da temperatura do ar
 Câmara de combustão
Mistura de queima de ar + combustível
 Turbina
Saída dos gases e movimento das palhetas
da turbina
Turbina a Gás
Turbina a Gás

Vantagens:
 Ótima relação potência/peso;
 São menores comparadas com motores
a pistão de mesma potência
Desvantagens:
 Preço
 Gasto de combustível
Turbina a Gás

Além estar presente em aeronaves,


turbinas a gás também podem acionar
diversos outros tipos de máquina
movidas por eixo, tais como navios,
ônibus, helicópteros, locomotivas,
tanques de guerra, bombas e
compressores (externos ao próprio ciclo
da turbina).
Motor Wankel

Inventado por Felix Wankel, utiliza rotores com


formato semelhante à de um triângulo em vez dos
pistões dos motores alternativos convencionais.
É composto de uma câmara de combustão, em formato
parecido com um número 8. Dentro dela um pistão
com um formato quase triangular gira
excentricamente. Com este movimento as arestas do
triangulo normalmente vedam o ciclo, e o espaço entre
o rotor e a câmara aumenta e diminui, tornando assim
possível o processo de vácuo para a entrada de ar +
combustível, a compressão + combustão com o uso de
velas, e por fim a exaustão dos gases gerados
Motor Wankel
Motor Wankel

Vantagens
 Menores e menos pesados que os motores comuns
 São mais suaves, pois geram menos vibrações
 Geram mais potência que um motor de mesma
cilindrada
Desvantagens
 Alta temperatura durante o funcionamento
 Alta taxa de emissão de poluentes
Motor Wankel

A BMW e a Mazda utilizam motores Wankel em


vários de seus modelos
Motor Quasiturbine

Patenteado em 1996, é uma evolução do motor


Wankel.

Ainda não é utilizado comercialmente, estando em


fase de desenvolvimento de protótipos.
Motor Quasiturbine

 Seta vermelha:
ponto de admissão
 Compressão
 Combustão
 Escapamento
 Seta cinza:
ponto de saída dos gases
Motor Quasiturbine

Vantagens
 Menores níveis de vibrações e ruídos
 Nas baixas rotações proporciona maior torque
 Com menor número componentes móveis, reduz
a possibilidade de quebras ou desgastes
 Requer menor lubrificação
 A possibilidade de operar em qualquer posição.
Opera de cabeça para baixo e até submerso.
Motor Quasiturbine

 Versatilidade. Funciona com vários


tipos de combustíveis: vapor,
hidrogênio, diesel e até mesmo ar
comprimido. Pode ser usado como
compressor.
 Menor emissão de poluentes
 Menor consumo de combustível
 Maior potência
Motor Quasiturbine

Desvantagens
 Pode apresentar problemas devido a
dilatação térmica. O motor Quasiturbine
geralmente é construído em alumínio e ferro
fundido. Quando expostas ao calor suas
peças podem expandir-se e contrair-se de
formas diferentes, o que tende a provocar
algumas fugas
 Ainda está em fase de desenvolvimento
DIFERENÇAS ENTRE O MOTOR A GASOLINA E O MOTOR DIESEL

 As principais diferenças entre o motor


a gasolina e o motor diesel são as
seguintes:
 Enquanto o motor a gasolina funciona
com a taxa de compressão que varia de
8:1 a 12:1, no motor diesel esta varia de
15:1 a 25:1. Daí a robustez de um
relativamente a outro.
DIFERENÇAS ENTRE O MOTOR A GASOLINA E O MOTOR DIESEL

 Enquanto o motor a gasolina admite (admissão -


primeiro tempo do ciclo de quatro tempos de um
motor Ciclo Otto) a mistura ar/combustível para
o cilindro (injeção indireta, com o combustível sendo
diretamente despejado no coletor de admissão), o
motor Diesel aspira apenas ar, com o diesel sendo
despejado diretamente no topo do cilindro (todavia,
os motores a gasolina com injeção direta, mais
similares ao ciclo diesel, estão a se popularizar graças
aos ganhos em eficiência e economia que tal sistema
possibilita).
DIFERENÇAS ENTRE O MOTOR A GASOLINA E O MOTOR DIESEL

 A ignição dos motores a gasolina dá-se a partir de


uma faísca elétrica fornecida pela vela de
ignição antes da máxima compressão na câmara
de explosão (> a 400ºC). Já no motor Diesel
a combustão ocorre quando o combustível é injetado
e imediatamente inflamado pelas elevadas
temperaturas (> a 600 °C) devido ao ar fortemente
comprimido na câmara de combustão. O
Engenheiro Rudolf Diesel, chegou a esse método
quando aperfeiçoava máquinas a vapor.
DIFERENÇAS ENTRE O MOTOR A GASOLINA E O MOTOR DIESEL