You are on page 1of 87

Prof.

MSc Ariadne Ribeiro


Psiquiatria e Psicologia Médica.
UNIFESP

TRANSTORNOS DA
SEXUALIDADE: PARAFILIAS
F65 – Disorders of Sexual Preference
(Paraphilias)
PARAFILIAS
DEFINIÇÃO

Parafilia: para= desvio/alterado ; filia = atração/amor

O desvio da sexualidade está no objeto ou na finalidade da atração sexual

Não são parafilias as atividades sexuais variantes, vivenciadas sem a


característica da inevitabilidade e da repetitividade estereotipada.

Abdo CHN & Saadeh A. IN: Transtornos da Sexualidade.


Louzã Neto MR & Elkis H. Psiquiatria Básica. 2ª edição. Editora ARTMED, Porto Alegre, 2007. pp. 400-417.
PARAFILIAS

PARAFILIA par(a)- + -filia


Prefixo grego para- : ao lado de
Elemento de composição de origem grega -filia: atração ou afinidade
patológica por

Termo que representa qualquer interesse sexual intenso e persistente que não
aquele voltado para a estimulação genital ou para carícias preliminares com
parceiros humanos que consentem e apresentam fenótipo* normal e maturidade
física.
* Conjunto de características particulares ao indivíduo que podem ser visíveis
ou detectáveis. Ex.: cor dos olhos.
PARAFILIAS

O DSM-5 incluiu um capítulo para tratar especificamente dos Transtornos


Parafílicos, distinguindo-os conceitualmente das Parafilias que eram
apresentadas entre os Transtornos Sexuais e da Identidade de Gênero no
DSM-IV-TR.
•A atual versão do manual reconhece as parafilias como interesses eróticos
atípicos, mas evita rotular os comportamentos sexuais não-normativos
como necessariamente patológicos.
•Para esse fim o DSM-5 utiliza o termo transtorno antes de cada uma das
parafilias apresentadas nesse capítulo.
PARAFILIAS

Uma parafilia é uma condição necessária, mas não suficiente, para que se
tenha um transtorno parafílico.
•Uma parafilia por si só não necessariamente justifica ou requer intervenção
clínica.
•Ex.: Adeptos das práticas BDSM
•Um transtorno parafílico é uma parafilia que causa sofrimento ou
prejuízo ao indivíduo cuja satisfação implica dano ou risco de dano
pessoal a outros.
PARAFILIAS

Primeiro grupo Baseado em preferência por atividades anormais.

Transtornos do namoro → Assemelham-se a componentes distorcidos do


componente de namoro. • Transtorno Voyeursta; • Transtorno
Exibicionista; • Transtorno Frotteurista.

Transtornos algolagnia* → Envolvem dor e sofrimento • Transtorno do


masoquismo sexual; • Transtorno do sadismo sexual.
* Perversão daquele que só tem prazer sexual associado a uma dor
experimentada por ele mesmo ou infligida a outrem.
PARAFILIAS

Segundo grupo Baseado em preferência por alvo anômalo.

Alvo humano → Transtorno Pedofílico.

Outros alvos → Transtorno Fetichista → Transtorno Transvéstico.


ASSUNTO SEMPRE DIFÍCIL!

Este é um tema que costuma gerar sentimentos de repulsa, de


contratransferência negativa, o qual entra em choque com aquilo
que acreditamos ser “o normal” e o esperado, entra em cena
muitas crenças pessoais, morais e convicções religiosas.

Quem tem capacidade de escuta para estas pessoas?


Quem cuidará delas?
Como lidar com este sentimento sem afastar o
Paciente da busca de tratamento e/ou do estigma?

Oswaldo Rodrigues M Jr. IN: Parafilias. Das perversões ás variações sexuais. Editora Zagodoni, São Paulo, 2012
CONCEITO DE "NORMAL“ OU
"NORMALIDADE”

Em medicina, o termo normal


tem uma conotação estatística
de predominantemente, ou
seja, normal é o mais
freqüente, o mais usual, o mais
encontradiço e, neste caso,
não-normal nem sempre
significa, obrigatoriamente,
doença.

Kaplan & Sadock, 2007


O QUE MAIS É IMPORTANTE CONSIDERAR
DENTRO DESTE CONCEITO DE “
NORMALIDADE”?

“ Anormal cultural”: No Brasil, o sexo com menores de


18 anos continua proscrito por lei, reconfirmado pelo
ECA. Já culturas mulçumanas/ islâmicas as meninas se
casam aos..... 6, 8, 11 ou 12 anos de idade

Oswaldo Rodrigues M Jr. IN: Parafilias. Das perversões ás variações sexuais. Editora Zagodoni, São Paulo, 2012
NA FOTO, GHULAM HAIDER, 11 ANOS DE IDADE, CASADA COM FAIZ
MOHAMMED, DE 40 ANOS
A CADA ANO, MIL GAROTAS MENORES DE IDADE SÃO FORÇADAS A SE
CASAR NO PAQUISTÃO
“ Etologia da normalidade”: entende que os humanos sendo por principio
animais, também tem comportamentos sexuais que se assemelham de outros
animais.
EX: mordidas, dor infligida durante o coito.
KAMA SUTRA

As preliminares ao intercurso sexual propriamente dito


são extremamente valorizadas na obra Kama Sutra, ou
seja, o sexo é retratado muito mais que a mera
penetração. A dinâmica sexual passa a ter uma
importância real, com descrições e classificações de tipos
de tapas, tipos de abraços, pressões, marcas, tipos de
beijos, como infundir confiança na donzela, sobre
arranhões com unhas, mordidas, expressar sentimentos
através de ações e sinais externos, tipos de ruídos,
gemidos e outros tipos de sons.
Vatsyayana. Kama Sutra/Vatsyana; tradução Marcos Santarrita. - 2.ed.- São Paulo: Martin Claret, 2012. - (Coleção a obra-prima de cada autor;167). ISBN: 978-85-7232-861-6
“ Sociologicamente normal”: o comportamento sexual desviante ofende a
grupos de indivíduos em uma sociedade, o desvio não existe em si, mas nas
relações sexuais, naquilo que foi compartilhado como desejável por aquela
sociedade. Aquilo que é contra a lei. EX: sexo com cadáveres já não foi crime
em algumas sociedades

Oswaldo Rodrigues M Jr. IN: Parafilias. Das perversões ás variações sexuais. Editora Zagodoni, São Paulo, 2012
KAJUHARO – ÍNDIA- TEMPLOS
KAMA SUTRA
POSIÇÃO “MISSÃO
IMPOSSÍVEL”
HISTÓRICO

1843: Heinrich Kaan publica o livro Psychopathia sexualis no qual


os “pecados da carne” eram interpretados como doença da
mente. Inicia-se a medicalização do pecado.

Foi a primeira vez que o termo “sexualmente desviante” surgia na


história.

Outros termos se seguiram como: desvio,


aberração, perversão, degeneração.

Oswaldo Rodrigues M Jr. IN: Parafilias. Das perversões ás variações sexuais.


Editora Zagodoni, São Paulo, 2012
QUADRO CLÍNICO SEGUNDO A
CID 10

Essa patologia é caracterizada por anseios, fantasias ou


comportamentos sexuais recorrentes, intensos e sexualmente excitantes
que envolvem objetos não humanos, atividades ou situações incomuns e
sofrimento ou humilhação própria ou da parceria, crianças ou outras
pessoas sem o consentimento destas, causando sofrimento clinicamente
significativo ou prejuízo no funcionamento social, ocupacional ou em outras
áreas importantes da vida do indivíduo.

Kafka MP, Prentky RA. Preliminary observations of DSM III R axis I comorbidity in men with
paraphilias and paraphilias related disorders. J Clin Psychiatry. 1994 Nov;55(11):481-7.
COMPORTAMENTO PARAFÍLICO
VERSUS TRANSTORNO PARAFÍLICOS

Parafilias (doenças não inerente) são caracterizados por um padrão persistente


e intenso de excitação sexual atípica que se manifesta por pensamentos
sexuais, fantasias, neecssidades, e / ou comportamentos.
TRANSTORNO PARAFÍLICO

Nos termos da proposta para a CID-11, para se qualificar como


um Transtorno parafílico, o foco do padrão de excitação deve
envolver outros cuja idade ou de status torna relutantes ou
incapazes de consentir (por exemplo, crianças pré-púberes, um
indivíduo que não desconfia que está sendo visualizada através de
uma janela, um animal) e
a) a pessoa deve ter agido sobre o padrão de excitação;
ou b) a pessoa deve ser marcadamente angustiado pela natureza
do padrão de excitação.
No caso de b), a aflição não deve simplesmente referem à rejeição
ou antecipado rejeição do padrão de excitação por outros
BDSM= BONDAGE DISCIPLINE
SUBMISSION MASOQUISMO

Is it only a life style?


Por que livros como “Cinquenta
tons de cinzas” fazem tanto
sucesso nos dias atuais
Mais de 3 milhões de cópias vendidas no Brasil
O SUCESSO SE DEVE, EM SUA MAIORIA, PELA FANTASIA QUE É A
NARRATIVA, APRESENTANDO UMA MULHER INDEFESA, DELICADA,
VIRGEM, QUE ENCONTRA UM HOMEM PODEROSO, DECIDIDO,
ACOSTUMADO A TER TUDO O QUE QUER E DISPOSTO A ENSINAR
TUDO O QUE A JOVENZINHA AINDA NÃO APRENDEU SOBRE O
MUNDO E SOBRE SEXO. O PROTAGONISTA TEM UM PASSADO COM
PROBLEMAS E TRAUMAS E A PERSONAGEM DECIDIU QUE SUA MISSÃO
É “CONCERTAR” TODOS OS PROBLEMAS DELE. É UMA FANTASIA
COMPARTILHADA PELA MAIOR PARTE DAS MULHERES, TER UM
HOMEM AO SEU LADO QUE SABE O QUE QUER E O QUE MAIS DESEJA
É FAZÊ-LA TER PRAZER, ATRAVÉS DA DOR, POIS TAMBÉM É UMA
GRANDE FANTASIA DAS MULHERES ESTE CHOQUE DE MUNDOS
DISTINTOS, DO DESCONHECIDO DO QUE TRAZ ADRENALINA, MEDO,
EXPECTATIVAS
BDSM
SERÁ QUE NÓS TEMOS EVIDENCIA
CIENTÍFICA SUFICIENTE SOBRE ESTE
TEMA?

Importante diferenciar de estupro e violência.


BDSM necessita ser seguro e consensual para ser considerado uma prática
sexual “variante”.
Alguns acreditam que seja atividade sexista.
Outros relacionam os praticantes como pessoas “perigosas e agressivas”.

Curr Psychiatry Rep. 2013 Sep;15(9):392. doi: 10.1007/s11920-013-0392-1.


Consensual sadomasochistic sex (BDSM): the roots, the risks, and the distinctions between BDSM and violence.
Jozifkova E
J SexMed. 2008 Jul;5(7):1660-8. doi: 10.1111/j.1743-6109.2008.00795.x.
Demographic and psychosocial features of participants in bondage and discipline,
"sadomasochism" or dominance and submission (BDSM): data from a national survey.
Richters J1, de Visser RO, Rissel CE, Grulich AE, Smith AM

N=19307 autralianos com 16-59 years.


Mais comum entre gay/lesbicas e bissexuais.
Particantes de BDSM eram mais propensos a ter experimentado sexo oral e / ou anal,
+ de um parceiro no ano passado,
+ chances de ter tido relações sexuais com alguém que não seja seu parceiro regular,
+ chances de ter: participado em sexo por telefone, visitou um site de sexo na Internet,
visto um (pornográfico) filme X-rated ou vídeo, usou um brinquedo sexual,
+ chances de ter tido sexo em grupo,
+ chances de estimulação manual do ânus, fisting ou anilingus.
Os BDSM não foram coagidos a atividade sexual.
Não se mostraram mais infelizes ou ansiosos de fato do os homens que não
haviam se envolvido em BDSM .
BDSM não se relacionou com dificuldades sexuais.
POR QUE DESTAS MUDANÇAS NO
DSM V?

O espírito das mudanças foi garantir que os comportamentos sexuais não foram
rotulados como desordenada simplesmente por causa de seu desvio das normas
sociais ou culturais
QUADRO CLÍNICO SEGUNDO A
CID 11

O transtorno se apresenta por um período igual ou


superior a 6 meses, com impulsos sexuais recorrentes e
intensos e fantasias sexualmente excitantes.
O indivíduo deve agir por influência desses
impulsos ou estar intensamente perturbado por eles.
Deve haver “distress” e/ou risco de vida para si e
terceiros.
Não consentimento.
O QUE É CONSENTIMENTO NO CONTEXTO SEXUAL ?
CONSENTIMENTO NÃO É A AUSÊNCIA DO “NÃO” MAS A
PRESENÇA DO “SIM” !
BY NADIA LAPA

Sexo sem consentimento é estupro.


EXEMPLOS DE PARAFILIAS
Acrotomofilia
Refere-se ao interesse sexual em amputados (do grego Akron
[extremidade], tomein [de redução] e philein [de amor]).
VORAREFILIA (CANIBALISMO)

Pessoas fantasias e sonham em serem comidas ou comerem


alguém em sentido literal. A maioria sacia seus desejos assistindo
vídeos que simulam pessoas sendo assadas e depois devoradas.
ANACLITISMO

É a forma de obter excitação sexual, no contexto do adulto,


através de atividades ou objetos do universo da criança. Pode
haver a mesma situação apenas na esfera da fantasia, do espaço
mental sem que se imponha na realidade externa.

Oswaldo Rodrigues M Jr. IN: Parafilias. Das perversões ás variações sexuais. Editora Zagodoni, São Paulo, 2012
COPROFILIA= ATRAÇÃO ÀS
FEZES OU À IMUNDÍCIE
PARCIALISMO

EL PARCIALISMO ES EL INTERÉS SEXUAL POR UNA PARTE DEL


CUERPO ESPECÍFICA QUE DESPIERTA TANTO INTERÉS ERÓTICO
COMO LOS GENITALES O AÚN MÁS. SI ACASO LOS PIES, LAS MANOS O
LAS AXILAS DESPIERTAN LO MÁS SALVAJE DE TÍ, QUIZÁS SE TE PUEDA
CONSIDERAR COMO UN PARCIALISTA.
Zoofilia
Zoofilia
Zoofilia
Zoofilia
FISTING, FISTING FUCKING OU
HANDBALL

Forma muito intensa de sexo que envolve a inserção progressiva da mão, e ,


as vezes, do antebraço no reto até a parte mais baixa do intestino
EPROCTOFILIA

GOSTAM DE SENTIR O CHEIRO DO “PEIDO”,


“PUM” OU FLATULÊNCIA HUMANA.
FROTTEURISMO=
TOQUE E FRICÇÃO
NA PARCERIA, SEM
SEU
CONSENTIMENTO
OBESOFILIA

Prazer sexual ou excitação sexual somente com homens ou mulheres muito


obesas.
UROFILIA

Consiste no uso da urina como forma de buscar excitação e prazer sexual..


Urinar no corpo, na boca, excitação quando recebe e quando urina no outro.
TELEFONONICOFILIA

Desejo ou excitação obtida através de telefonemas obscenos.


NECROFILIA:

CARACTERIZADA PELA
EXCITAÇÃO SEXUAL
DECORRENTE DA VISÃO OU
DO CONTATO COM UM
CADAVER.
MENOFILIA:

ATRAÇÃO OU EXCITAÇÃO POR


MULHERES MENSTRUADAS..
CLISMAFILIA:
É
A EXCITAÇÃO SEXUAL CAUSADA
DE PREFERÊNCIA OU
EXCLUSIVAMENTE POR ENEMAS.
BUKKAKE:
MODALIDADE DE SEXO GRUPAL
PRATICADO COM UMA PESSOA QUE
"RECEBE" NO ROSTO A EJACULAÇÃO DE
DIVERSOS HOMENS.
BAREBACKING

Derivado da palavra barebackers, usada em rodeios para designar os caubóis


que montam a cavalo sem sela ou a pêlo.
TRAVESTISMO FETICHISTA
CROSSDRESSING
CID 10 ( 1993) DSM V ( 2014) CID 11 ( 2017)
Transtorno Transvestismo A subcategoria sairá da classificação
Travestismo Fetichista (F65.1) (302.3) como um transtorno parafílico (TP)

Excitação sexual com uma ou mais peças CRITERIO A: descrição do fenômeno TP serão limitados a padrões de
do acessório d outro sexo de Cross dressing. Sempre ou excitação sexual envolvendo indivíduos
frequentemente acompanhado por que não consentem (incluindo cadáveres
excitação ao vestir-se com roupas do e animais e pessoas incapazes de dar o
sexo oposto seu consentimento), que se manifesta em
pensamentos, fantasias ou
comportamentos

Não especifica tempo CRITERIO B: deve haver sofrimento presentes por mais de 6 meses
ou prejuízo, dano ou risco de dano
pessoal

Conceito amplo, vago e pouco Os sintomas devem estar presentes por Os padrões de excitação sexual e
caracterizado mais de 6 meses na vida do indivíduo comportamento estigmatizado pode
gerar angústia ou disfunção. Estas
situações podem ser classificadas no
Código Z para aconselhamento sobre
comportamento sexual, mas não serão
explicitamente considerados distúrbios
mentais
CROSS DRESSING X DRAQ QUEENS
CROSS DRESSING VERSUS
DISFORIA DE GÊNERO
PERSPECTIVAS CID 11

Por que comportamentos sexuais


consensuais e solitários devem ser
vistos como doença?
Será que o que você faz sexualmente
entre quatro paredes de forma solitária
ou consensual com pessoas maiores de
idade e capazes de consentir tem
relevância/importância para a saúde
pública?
PERSPECTIVAS CID 11

Não trazem repercussões para a saúde pública.


Muitos deles podem não trazer sofrimento ou prejuízos para o indivíduo.
Despatologização de comportamentos sexuais “ variantes”.
TRANSTORNO TRANSVESTISMO

Raro em homens e extremamente raro em mulheres.


No homem é chamado de autogenifilia.
É definido como a propensão do homem em ser sexualmente excitado pelo
pensamento ou imagem de si mesmo como mulher.
Outros autores argumentam que se trata de apenas um fenômeno erótico, e
poderia ser uma orientação sexual ou uma variação do amor.
20 homens para 1 mulher.
Menos de 3% da população.
Pode ser episódica ou evoluir para Disforia de Gênero.
TRANSTORNO TRANSVESTISMO NA
VISÃO PSICANALÍTICA

É a fantasia posta em ato.


Negação da castração.
Trata-se de uma perversão.
É o triunfo sobre a ameaça da castração.
Representa o triunfo, o gozo ou a vitória de um trauma infantil.
EPIDEMIOLOGIA

Predominantemente em homens.

Início dos sintomas antes dos 18 anos.

Auge dos sintomas entre 15 e 25 anos.

Diminuem de freqüência até se tornar mais rara depois dos 50 anos.

Um mesmo indivíduo pode ter 3 a 5 parafilias diferentes,


concomitantemente ou subseqüentemente ao longo da vida.

Abdo CHN & Saadeh A. IN: Transtornos da Sexualidade.


Louzã Neto MR & Elkis H. Psiquiatria Básica. 2ª edição. Editora ARTMED, Porto Alegre, 2007. pp. 400-417.
ETIOLOGIA

Segue desconhecida.

Algumas teorias tentam explicar esta condição.

Abdo CHN & Saadeh A. IN: Transtornos da Sexualidade.


Louzã Neto MR & Elkis H. Psiquiatria Básica. 2ª edição. Editora ARTMED, Porto Alegre, 2007. pp. 400-417.
TEORIA PSICANALÍTICA

O pervertido sexual não teria completado seu desenvolvimento


sexual sendo que a conflitiva edípica não teria sido resolvida.

Para escapar da ansiedade do temor da castração e da separação


da mãe ele recorreria a impulsos sexuais e agressivos.
O parafílico tem imagem corporal
pouco definida e instável, além de
dúvidas quanto ao tamanho, posição
e ao funcionamento do pênis e
outros componentes da sua genitália.

As perversões masculinas são


extravagantes e representam vitória
sobre a ameaça da castração.
As perversões femininas são discretas e simbolizam revolta contra o
sentimento de inferioridade genital.
TEORIA ORGÂNICA

Alguns achados em amostras de parafílicos:

74% níveis hormonais alterados;

27% anomalias cromossômicas;

9% convulsões;

9% dislexia;

4% retardo mental,

4% com transtorno psiquiátrico maior.

Abdo CHN & Saadeh A. IN: Transtornos da Sexualidade.


Louzã Neto MR & Elkis H. Psiquiatria Básica. 2ª edição. Editora ARTMED, Porto Alegre, 2007. pp. 400-417.
TEORIA DO
CONDICIONAMENTO

A primeira experiência com parceria sexual se reveste de


importância.

Criança molestada pode se tornar adulto abusador ou


receptor de abuso.

Assim como, a convivência com parafílicos e a influência


dos meios de comunicação e a lembrança
emocionalmente pesados são significativos.
EXIBICIONISMO

É a exposição repetitiva dos genitais à pessoa


estranha e em local pública.

Não há tentativa de atividade sexual com as


vítimas.

A excitação sexual deriva do impulso à


exposição dos genitais e se completa diante
da reação de surpresa, medo ou aversão da
parceria escolhida.

O orgasmo é atingido por meio da


masturbação e frente a fantasia de que a
vítima perturbou-se com o que viu.

O exibicionista em geral é heterossexual.


MASOQUISMO SEXUAL

Consiste na obtenção do prazer sexual por meio da dor, humilhação ou


subserviência.
O masoquista pode se masturbar enquanto se autoflagela.
outras formas:

Hipoxifilia ( excitação por privação de oxigênio);

Flagelação;

Estrangulamento;

Beliscões,

Recepção de fezes ou urina sobre o corpo.


SADISMO SEXUAL

Excitação sexual obtida por meio de dor


e sofrimento (físico e /ou psicológico)
imposto à parceria sexual.

As práticas sádicas são: insultar, beliscar,


morder, queimar, chicotear, perfurar,
torturar, mutilar.

Transtorno que pode estar associado a


um transtorno de personalidade anti-
social.

Acomete tanto mulheres quanto homens.


VOYEUURISMO

Prazer sexual advindo do ato de observar


repetitivamente pessoas desavisadas, em
geral estranhas, que estão nuas,
despindo-se ou em atividade sexual.

Enquanto olha o voyeur ( geralmente do


sexo masculino) se masturba.

Homens e mulheres que se interessam


por cenas eróticas de forma episódica ,
não constitui transtorno, pois não é de
forma exclusiva e repetitiva para obter
prazer.
PEDOFILIA

Transtorno caracterizado por fantasia sexual com crianças e


/ou atividade sexual de um adulto com uma criança ou pré-púbere
(com 13 anos ou menos), a diferença de idade entre eles deve ser
maior que cinco anos.

A pedofilia começa na adolescência e tem evolução crônica.


PEDOFILIA

Os pedófilos podem se transformar em exploradores sexuais da infância e


converterem suas fantasias em atos reais, porém nem todos necessariamente
realizam esse passo para o ato. E, por outro lado, nem todos aqueles que
exploraram sexualmente as crianças são necessariamente pedófilos no sentido
clínico.
PEDOFILIA

Muitos pedófilos foram vítimas de


abuso sexuais na infância por parte
de empregados, professores,
familiares, vizinhos ou pelos
próprios pais.

Atos isolados praticados por


doentes (com retardo mental,
esquizofrenia, quadros demenciais)
não configuram tal diagnóstico.
CARACTERÍSTICAS DOS
PEDÓFILOS

Atração exclusiva por crianças;

Atração por crianças e por adultos também (mais raramente);

Atração por crianças de faixa etária específica;

Atração por meninas é 2 x mais comum que meninos;

A atividade sexual realizada com criança varia de caso para caso (


desde só despir até penetração, seguida ou não de violência);

Aproximação da criança por sedução ou com violência;


CARACTERÍSTICAS DOS
PEDÓFILOS

Frequentemente têm baixa auto estima;


Maior impulsividade sexual;
Dificuldade para conseguir parcerias adultas;
Pouco sociáveis;
Em geral, são consumidores de pornografia,
Tendem a escolher profissões que lhe garantam
proximidade com crianças (educadores, instrutores) com
quem são simpáticos e atenciosos.
TRANSTORNOS MÚLTIPLOS DA
PREFERÊNCIA SEXUAL/ MÚLTIPLAS
PARAFILIAS

É a presença de mais de um tipo , sem o predomínio de um deles.


TRATAMENTO

Sem motivação para tratamento os resultados são muito baixos

Medicamentos (APENAS PARA CONHECIMENTO):

-Antidepressivos (IRRS) em doses altas ( diminuir libido).

-Antipsicóticos : conter impulsos sexuais.

- Substâncias antiandrogênicas: acetato de ciproterona e acetato de


medroxiprogesterona: necessita de aprovação no Brasil para uso.
TRATAMENTO

Psicoterapias:

- Diferentes abordagens e linhas terapêuticas,

- Grupoterapia.
TRATAMENTO

Cirurgias:

Orquidectomia
Hipotalamotomia

Questionável eticamente
PROGNÓSTICO

Pior o prognóstico quando:

Mais precoce forem os sintomas.


Não há culpa.
Alta freqüência dos atos.
Falta de atração não parafílica.
Uso associado de substâncias psicoativas.
Múltiplas parafilias associadas.