You are on page 1of 15

Engrenagens cônicas

e sem-fim
INTRODUÇÃO

 Nesta Unidade 2, o nosso foco são as


engrenagens cônicas e as engrenagens sem-fim,
compreendendo sua aplicação,
dimensionamento e análise do projeto de
máquinas que possuem esses elementos,
seguindo os métodos definidos pela AGMA
(ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE FABRICANTES
DE ENGRENAGENS) e suas recomendações.
Engrenamento cônico
 A autoridade responsável pela
disseminação da metodologia de
projeto e análises de
engrenagens é o órgão
americano, AGMA. O método
proposto por ele requer a
utilização de diversos gráficos e
tabelas para que se encontrem os
fatores adequados a serem
utilizados nas equações de
tensões e resistências de
engrenagens cônicas; além disso,
são apresentados os critérios de
desgaste e resistência para esses Esboço das engrenagens cônicas
elementos.
Engrenagens cônicas de
dentes retos
 Se os dentes das engrenagens forem cortados
paralelamente ao eixo, elas serão denominadas
engrenagens cônicas de dentes retos.
 Na engrenagem cônica de dentes retos a transmissão
de movimentos permite a mudança de posição das
engrenagens, sendo o tipo mais comum e mais barato
de engrenagens. Por serem cônicas, os eixos se
cruzam e isso facilita os movimentos em equipamentos
que precisam mudar a rotação e a direção da força,
além de ser o modelo indicado para baixas rotações.
Esse tipo de engrenagem é utilizado para velocidades
na linha primitiva de até 1000 ft/min (Pé / min) = (5 m/s).
Engrenagem
cônica espiral
 Os dentes são cortados em um ângulo de espiral em
relação ao eixo do cone.
 São utilizadas em situações em que se faça
necessário a mudança de rotação e direção de um
eixo, a engrenagem cônica espiral presta a
importante função de maneira eficiente, suavizando
as interações e diminuindo o impacto das peças.
 Composta por rodas cônicas com dentes em ângulo
de hélice, a engrenagem cônica espiral é aplicada nas
mais variadas espécies de maquinário,
desempenhando sua atividade com ruído
praticamente inaudível e alta potência. Montado em
eixos que podem ou não ser perpendiculares, o
formato de engrenagem é usualmente produzido em
eixos separados por 90º.
 Esse tipo de engrenagem desenvolverem velocidades
de até 8000 ft/min = (40 m/s)
Engrenagem cônica Zerol®

 É uma engrenagem patenteada, possui


dentes curvos, mas o ângulo de espiral
nulo. Esse tipo de engrenagem se
assemelha em alguns aspectos de nível de
ruído e suavidade de funcionamento às
engrenagens cônicas espirais. Os esforços
axiais permissíveis, no entanto, são
menores do que os esforços axiais
permissíveis de engrenagens cônicas,
dessa forma, prefere-se a utilização da
engrenagem Zerol® no lugar das Coroa Zerol
engrenagens cônicas de dentes retos.
Engrenagem
cônica  Zerol®

 Em projetos de
diferenciais
automotivos (é um
dispositivo mecânico
que divide o torque
em dois semieixos,
possibilitando que
estes desenvolvam
diferentes rotações
entre si)
Engrenagens hiperbolóides (ou hipóides)

 O eixo do pinhão não


intersecta com o eixo da
coroa e as superfícies
primitivas são
hiperbolóides de
revolução, cujo
engrenamento consiste
em uma combinação do
rolamento com
deslizamento ao longo de
uma linha reta, muito
similar ao que ocorre no
caso de engrenagens
sem-fim.
Engrenagens hiperbolóides (ou hipóides)

 As características de seu
funcionamento são: maior contato
entre as engrenagens, maior relação
de transmissão, maior resistência e
menor ruído. Como desvantagem,
apresentam maior geração de calor
devido ao maior atrito e aos
rendimentos baixos.
Engrenagens
espiróides
 Para deslocamentos maiores, são
utilizadas engrenagens espiróides
cujo pinhão é similar a um parafuso
sem-fim em formato cônico.
Imagens comparativas
Principais formulas

 Tensões de flexão em engrenagens


cônicas:  
Principais formulas 

 Equação para tensão de flexão


permissível:
Principais
formulas
 Equação para valor permissível de
contato:
Tensões de superfície em engrenagens
cônicas: