You are on page 1of 43

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ-CAMPUS PETRÔNIO PORTELLA

CENTRO DE TECNOLOGIA–CT
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA
CURSO ENGENHARIA MECÂNICA
PROFESSOR: ANTÔNIO BRUNO DE VASCONCELOS LEITÃO
DISCIPLINA: SISTEMAS FRIGORIFICOS

PROJETO
PROJETO DE CLIMATIZAÇÃO DO BLOCO 10 - CT

PROJETISTAS:
ANA KAROLYNA SILVA LEAL- 2013911050
ANA PAULA SILVA COSTA- 2013915273
LINO WAGNER CASTELO -2013938868
PAULO VITOR RIBEIRO PLÁCIDO- 201266003
VICTOR CAMPOS RODRIGUES- 2013901652

2016
Sumário
•INTRODUÇÃO

• Fundamentos do Projeto

•CÁLCULO DA CARGA TÉRMICA

•MEMORIAL DE CÀLCULO

•DIMENSIONAMENTO DOS DUTOS

•SELEÇÃO DE EQUIPAMENTOS

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.7 Laboratório de Informática

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.7 Laboratório de Informática

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.7 Laboratório de Informática

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.7 Laboratório de Informática

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.8 Laboratório de Metalografia

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.8 Laboratório de Metalografia

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.8 Laboratório de Metalografia

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.8 Laboratório de Metalografia

•Dados gerais do laboratório de metalografia

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.9 Laboratório de Pneumática

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.9 Laboratório de Pneumática

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.9 Laboratório de Pneumática

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.9 Laboratório de Pneumática

•Dados gerais do laboratório de Pneumática

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.10 Laboratório de Mecânica Computacional -
LaMec

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.10 Laboratório de Mecânica Computacional -
LaMec

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.10 Laboratório de Mecânica Computacional -
LaMec

•Dados gerais do LaMec

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.11 Laboratório de energias renováveis

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.11 Laboratório de energias renováveis

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.11 Laboratório de energias renováveis

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.11 Laboratório de energias renováveis

•Dados gerais do laboratório de energias renováveis

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.12 Oficina

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.12 Oficina

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.12 Oficina

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.12 Oficina

•Dados gerais da oficina

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.13 Levantamento de carga térmica da Sala 520

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.13 Levantamento de carga térmica da Sala 520

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.13 Levantamento de carga térmica da Sala 520

•Dados gerais da sala 520

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.14 Levantamento de carga térmica da Sala 521

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.14 Levantamento de carga térmica da Sala 521

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.14 Levantamento de carga térmica da Sala 521

•Dados gerais da sala 521

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.15 Levantamento de carga térmica da Sala 522

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.15 Levantamento de carga térmica da Sala 522

2016
2. Cálculo da carga Térmica
2.2.15 Levantamento de carga térmica da Sala 522

•Dados gerais da sala 522

2016
4. Seleção de equipamentos
4.1 Distribuidor de ar

•Para a distribuição de ar nos recintos foi selecionado um


difusor de teto;
•A velocidade máxima atingida é de 6 𝑚/𝑠 para colégios e
edifícios conforme a norma 6401 ABNT (1980);
•Foi adotado o mesmo tipo de difusores de topo para
todas as saídas de ar do tipo quadrado.

2016
4. Seleção de equipamentos
4.1 Distribuidor de ar

•Pelo catálogo da TROPICALRIO (2015), foi selecionado


o difusor quadrado de modelo ADLQ tamanho 2 em perfil
de alumínio extrudado e anodizado.
•Ele possui 𝐷 = 300𝑚𝑚, possuindo uma conexão com o
duto de 𝐷 − 107 = 193𝑚𝑚.
•Fornece uma vazão de 2.234, 94 𝑚³/ℎ,
•Totalizando 60 difusores desse modelo em uso.

2016
4. Seleção de equipamentos
4.1 Distribuidor de ar
Figura : Difusor ADQ-Quadrado

Fonte: TROPICALRIO(2015)
2016
4. Seleção de equipamentos
4.2 Self contained
Sistema 1:
•σ 𝑇𝑅 = 40,77671
•σ 𝑉 = 23660,8929 𝑚3 /ℎ
•σ 𝐶𝑎𝑝. 𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 = 123906,1199 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ
•σ 𝐶𝑎𝑝. 𝑆𝑒𝑛𝑠 = 55809,1581𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ
Sistema 2:
•σ 𝑇𝑅 = 35,4
•σ 𝑉 = 15200,88 𝑚3 /ℎ
•σ 𝐶𝑎𝑝. 𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 = 107747,1597 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ
•σ 𝐶𝑎𝑝. 𝑆𝑒𝑛𝑠 = 61121,73 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ

2016
4. Seleção de equipamentos
4.2 Self contained
Sistema 3
•σ 𝑇𝑅 = 34,254
•σ 𝑉 = 36950,90 𝑚3 /ℎ
•σ 𝐶𝑎𝑝. 𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 = 104437,9194 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ
•σ 𝐶𝑎𝑝. 𝑆𝑒𝑛𝑠 = 83696,62638 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ
Sistema 4
•σ 𝑇𝑅 = 31,78
•σ 𝑉 = 18663,93 𝑚3 /ℎ
•σ 𝐶𝑎𝑝. 𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 = 90101,60802 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ
•σ 𝐶𝑎𝑝. 𝑆𝑒𝑛𝑠 = 60652,6977 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ

2016
4. Seleção de equipamentos
4.2 Self contained
Sistema 1:
•2 selfs contained do tipo SIVE 250 (20TR) c/ 2x CRCB 125 da marca
TRANE, possuindo uma V= 17000 m³/h, Cap. Total igual a 55800
kcal/h, Cap. Sensível igual a 55800 kcal/h, o fluido refrigerante
padrão é o R22, opcionalmente usa-se o R407C e apresenta
compressor scroll, cada self contained.
Sistema 2:
•2 selfs contained do tipo SIVE 200 (20TR) c/ 2x CRCB 100 da marca
TRANE, possuindo uma V=17000 m³/h, Cap. Total igual a 55800
kcal/h, Cap. Sensível igual a 55800 kcal/h, o fluido refrigerante
padrão é o R22, opcionalmente usa-se o R407C e apresenta
compressor scroll, cada self contained.

2016
4. Seleção de equipamentos
4.2 Self contained
Sistema 3:
•2 selfs contained do tipo SIVE 200 (20TR) c/ 2x CRCB 100 da marca
TRANE, possuindo uma V=17000 m³/h, Cap. Total igual a 53300
kcal/h, Cap. Sensível igual a 53300 kcal/h, o fluido refrigerante
padrão é o R22, opcionalmente usa-se o R407C e apresenta
compressor scroll, cada self contained.
Sistema 4:
•2 selfs contained do tipo SIVE 200 (20TR) c/ 2x CRCB 100 da marca
TRANE, possuindo uma V=17000 m³/h, Cap. Total igual a 48600
kcal/h, Cap. Sensível igual a 45900 kcal/h, o fluido refrigerante
padrão é o R22, opcionalmente usa-se o R407C e apresenta
compressor scroll, cada self contained.

2016
4. Seleção de equipamentos
A potência dos ventiladores dos dutos é de 1471 w.

Convertido para kcal/h é igual a 1087, 755 kcal/h.


Essa carga térmica é muito pequena e rapidamente
suprida pela margem de segurança de 10\% já acrescida
no cálculo de carga térmica de cada recinto do projeto.

Portanto, conforme CREDER(2004) não é


necessário uma segunda interação no cálculo das cargas
térmicas devido à acréscimos de carga dos dutos e de
ventilação do self contained.

2016
Referências
•ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR
6401: Instalações centrais de ar condicionado para conforto -
parâmetros básicos de projeto. Rio de Janeiro, 1980. 17 p.
•CREDER, H. Instalações de Ar-Condicionado. 6a ed.. ed. Rio
de Janeiro: LTC, 2004.
•FROTA, A. B.; SCHIFFER, S. R. Manual de conforto térmico.
[S.l.]: Studio Nobel, 2006.
•TRANE. DIAMOND Self Contained: Condicionador de Ar
Central Self Contained 20 a 40 TR - Ar ou Água Condensador
Remoto CRCE/CRCB 60 Hz. [S.l.], 2004.
•TROPICALRIO. Difusores de Ar: Redondos, Quadrados e
Retangulares. [S.l.], 2015.

2016