O Renascimento e a formação da mentalidade moderna

O Renascimento
‡ Movimento cultural dos séculos XV e XVI, que se iniciou em Itália, inspirado na cultura greco-romana que pretendia valorizar o Homem e as suas capacidades. ‡ Desenvolveu-se uma nova visão do Homem e do mundo ANTROPOCENTRISMO: o Homem no centro das preocupações humanas (do grego anthropos = homem + centro). ‡ Este novo Homem opunha-se ao Homem medieval que vivia muito dependente de Deus TEOCENTRISMO: Deus como centro do estudo e do pensamento do Homem (do grego theos = Deus + centro).

Porquê Itália?
Já desde finais da Idade Média que alguns escritores, como Dante, Petrarca e Bocaccio, valorizavam os clássicos; Riqueza das cidades italianas e o mecenato praticado por alguns burgueses e príncipes; Presença de muitos sábios gregos e bizantinos, portadores da cultura clássica; Existência de importantes escolas artísticas e universidades; Existência de muitos vestígios e monumentos romanos que inspiraram os artistas.

Mentalidade Renascentista - características

Características

Espírito Crítico Antropocentrismo Nova concepção que coloca o Homem no centro das suas preocupações Humanismo Valorização do Homem e das suas capacidades, a partir da inspiração nos modelos da cultura greco-romana Classicismo Regresso aos valores da Antiguidade Clássica Individualismo Procura de viver intensamente a vida terrena, com um grande desejo de fama e de glória e afirmação do indivíduo Recusa do saber livresco e do dogmatismo, atribuindo um grande valor à razão. Tudo aquilo que a razão não pudesse entender não deveria ser aceite

Nicolau Copérnico e a teoria heliocêntrica
Copérnico defendeu, em 1543, que a Terra e os restantes planetas giravam em volta do Sol.

Sistema heliocêntrico

O HELIOCENTRISMO pôs em causa o GEOCENTRISMO (teoria que defendia a ideia de que a Terra era o centro do Universo). Sistema geocêntrico

O ³homem ideal´
‡Nesta época desenvolveu-se um ideal de homem que deveria ser simultaneamente um poeta, um erudito e um guerreiro. ‡O homem ideal devia ser completo e perfeito, com uma boa formação cívica, intelectual e física. ‡Leonardo da Vinci e Batista Alberti são dois exemplos desse ideal de Homem do Renascimento.

Leonardo da Vinci

O Humanismo e a renovação literária
Humanistas: intelectuais que, a partir do século XV, se dedicaram ao estudo de obras clássicas para obterem um melhor conhecimento do Homem e realçarem as suas capacidades. Eram, geralmente, oriundos da burguesia, com um elevado grau de cultura. Dominavam o grego e o latim, estudavam as obras dos autores clássicos: Platão, Aristóteles e Virgílio, entre outros.

O humanismo e a Antiguidade greco-romana

Principais humanistas da Europa

A invenção da imprensa na Alemanha, por Gutenberg, em 1455, possibilitou a rápida impressão de livros e em maior quantidade, tornando-os mais baratos, facilitando a difusão das ideias humanistas. As tipografias tornaram-se importantes locais de cultura, onde humanistas e homens de letras se encontravam e conviviam
Atelier tipográfico do século XVI Johannes Gutenberg

A Bíblia, primeiro livro impresso por Gutenberg em um período de quase cinco anos, que iniciou a 23 de Fevereiro de 1455

O movimento humanista italiano estendeu-se a várias cidades europeias: Paris (França), Roterdão (Países Baixos), Oxford e Cambridge (Inglaterra), Lovaina (Flandres), Vitemberga (Alemanha).

Atingiu o seu ponto mais alto no século XVI

Luís de Camões (poesia)

Damião de Góis (História)

Pedro Nunes (matemática)

Sá de Miranda (poesia)

Duarte Pacheco Pereira (geografia)

Garcia de Orta (medicina e botânica)

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful