You are on page 1of 53

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS

Combustão de Líquidos

joao.a.carvalho.jr@pq.cnpq.br 12-97177983
2010

1

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS

Conteúdo

Combustão de uma Gota Individual

Combustão de Grupo

Atomizadores

Projeto de um Atomizador

2010

2

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS

Combustão de uma Gota Individual

2010

3

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS

Modos de Combustão com Líquidos

Líquido vaporizado antes da combustão. Mistura e reação química: ocorrem na fase gasosa.

2010

4

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS

Queima de uma Gota de Combustível em um Ambiente Estacionário
Na queima de uma gota individual em uma atmosfera oxidante: combustível evaporado difunde para a chama; oxigênio difunde do ambiente também para a chama.

Forma da chama: pode ser esférica ou não. Chamas não esféricas: ocorrem devido ao movimento relativo entre a gota e os gases circundantes. Gotas muito pequenas: facilmente arrastadas pelos gases; velocidade relativa quase nula; chama de difusão esférica.

Gota singular de combustível queimando em atmosfera estacionária.

2010

5

são queimados os gases residuais de sua vaporização. Queima residual. a gota é consumida de acordo com a lei D2.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Períodos Distintos durante a Queima de uma Gota de Combustível Retardo de ignição. A gota já não existe mais. 2010 6 . Neste período. Não há ainda combustão. Queima da gota propriamente dita. gota vaporizada pelos gases quentes em seu redor até atingir mistura capaz de sustentar combustão.

6x10-3 cm2. P = (10 s 2) cm2.s-1. P é a constante de queima (3.s-1). Na combustão.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Lei D2 de Evaporação 2 D2 ! D0  Pt D: diâmetro instantâneo da gota. para D = 0: 2 D0 tq ! P 2010 7 . a lei D2 também vale.s-1 ± 35.6x10-3 cm2. Neste caso. Para hidrocarbonetos queimando em ar. Tempo de Queima Desconsiderando o retardo de ignição e a queima residual. P: constante de evaporação. D0: diâmetro inicial da gota. t: tempo.

0001 2010 8 .01 0.1 0.01 tq (s) 100 1 0. Ordem de grandeza de tq (hidrocarbonetos em ar) D0 (mm) 10 1 0. tq = D02 (para D0 inserido em mm).COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Hidrocarbonetos em ar: tq = 100 D02 (para D0 inserido em cm).

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Constante de Evaporação (em termos mais precisos) 8V gE g Vl P! ln.

 1 B .

Eg = k/Vgcg) B! (H f YOg  c g .

Tg  TB L  c l .

TB  TR f é um coeficiente estequiométrico tal que: f gramas de F (combustível) + 1 grama de O (oxidante) p produtos 2010 9 .

276 Re1/ 2 Sc1/ 2 P ! P 0 1 0.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Correções à Fórmula da Razão de Queima Alguns fenômenos podem modificar a razão de queima.276 Re1/ 2 Pr1/ 2 Re ! VgvD Qg 2010   . O mais importante é o movimento da gota com relação ao gás. Para tal efeito: P ! P 0 1 0.

  .

(para evaporação simples) (para evaporação com combustão) Sc ! Qg VgD12 Pr ! Q gc g k 10 .

P depende do projeto do injetor e da distribuição inicial das gotas. Na combustão de um spray. Se a taxa de vaporização das gotas for muito maior que a taxa de difusão do oxigênio. 2010 11 .COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Tamanho de Partículas em Sprays Combustão de um spray: gotas não estão mais em uma atmosfera totalmente oxidante. O comprimento de chama controlado pelo: a) processo de vaporização das gotas ou b) processo de difusão do oxigênio. a combustão será governada por leis de chamas de difusão do gás.

Diâmetro médio de Sauter. VMD: diâmetro para o qual 50% do volume total do líquido nebulizado é composto de gotas menores que o próprio VMD.: na prática. Diâmetro mediano de volume. com um erro de 5%.20. MMD: definição similar à do VMD. SMD: também chamado de D32. 2010 12 .COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Tamanho de Partículas em Sprays Há diferentes maneiras de descrever o tamanho característico das gotas em um spray. diâmetro de uma gota do spray com a mesma razão volume/área superficial do spray global: § niDi3 SMD ! D32 ! i § niDi2 i Obs. MMD/SMD = 1. Diâmetro mediano de massa.

D.Sc.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Combustão de Grupo Edgar Paz Pérez. (UNESP) 2010 13 .

formando chamas coletivas ao redor de uma nuvem de gotas. as gotas não queimam individualmente. 2010 14 . elas entram em combustão como grupos. Gotas interiores vaporizam e o vapor total produzido é transportado para o exterior do spray. onde é misturado com o oxidante para queimar de uma maneira similar a uma chama de difusão gasosa.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Combustão de Grupo Em sprays densos. No centro de um spray denso: oxidante insuficiente para que as gotas queimem individualmente.

2010 15 . Tempo de extinção de uma nuvem pode ser bem maior que o uma gota simples.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Combustão de Grupo Características da queima dependem do comportamento coletivo das gotas. Taxas de queima da nuvem podem ser baixas comparadas com as de uma gota simples.

cg: calor específico do gás.S1/3 e C V. r: coordenada radial. definido como: Taxa de vaporização da gota Taxa de transporte por difusão de oxidante G = 2 4. Rc: raio da nuvem.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Número de Combustão de Grupo (Número de Chiu) Chiu (1971) obteve um parâmetro adimensional para caracterizar a combustão de nuvens de gotas. Re: número de Reynolds. L: coordenada adimensional definida por r/Rc.T.c g P: condutividade térmica.P.R1/2 . Sc: número de Schmidt.L. V: massa específica do líquido. D: difusividade.D. r0: raio das gotas líquidas em um estado de referência.Rb G! 1 0. 2010 ¡ . Esse parâmetro é chamado número de combustão de grupo.r0 . G.276.

16 .

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Modos de Combustão de Grupo 2010 17 .

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Modos de Combustão de Grupo d: espaçamento médio entre gotas. rl: raio médio da gota. 2010 18 . Nota: queimadores industriais de óleo operam na faixa G u 1.

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Equações da Combustão de Grupo Equações de conservação.os perfis de concentrações e de temperatura. considerações de estado permanente. Equações obtidas para modelar a evaporação pura (sem combustão) e a evaporaçãocombustão de uma nuvem são similares às suas correspondentes para gotas simples. 2010 19 .a taxa de queima. . atmosfera estagnada e chama esférica utilizadas para desenvolver um modelo que permitisse calcular: . .o tempo de extinção da nuvem.

P. ln.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Teoria de gota simples Teoria de grupo ri2.c g Xd ! 2. l.

c g Xc ! 2. ln.P .  g 1 Evaporação pura Ug ! Ri2. f .

 g 1 c g .

c g Xdb ! 2.P. l. ln.Tg  TB  c l (TB  TR ) B! 2010 ¢ Evaporação ± combustão ri2.

c g Xcb ! 2.P. ln.  B 1 Ri2. f .

 B 1 f Y g  c g .

Tg  TB  c l .

TB  TR 20 .

Gota simples Nuvem de gotas 2010 21 .COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Perfis de Concentração e Temperatura Os perfis de concentração e de temperatura da nuvem e de uma gota simples são idênticos.

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Chama de Combustível Líquido 2010 22 .

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Atomizadores 2010 23 .

formando a mistura inflamável. É considerada eficiente uma atomização que pulverize 1cm3 de combustível em cerca de 10.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Estágios Sucessivos da Queima de Combustíveis Líquidos 1) atomização: combustível desagregado. em gotículas.000 gotículas (diâmetro médio de 60Qm). por processos mecânicos. através do calor conduzido da chama para as gotas. 3) mistura: combustível vaporizado é misturado com o oxidante. aumentando a superfície específica em mais de 200 vezes. 2010 24 . 4) combustão: mistura queima produzindo reações exotérmicas.000. 2) vaporização: combustível atomizado passa para a fase gasosa. O mais crítico e importante estágio é a atomização.

47ml0.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Atomizador do Tipo Turbilhão por Pressão .07 ¨ Ap ¸ © ¹ ©D D ¹ ª o sº 0.22 © o ¹ ©D ¹ ª oº 2010 0.47Ql0.03 ¨ Ls ¸ © ©D ¹ ¹ ª sº 0.21 25 .315P  0.³Pressure Swirl Atomizer´ ¨L ¸   MMD ! 2.16Q g 0.04 W 0.13 ¨ Ds ¸ © ©D ¹ ¹ ª oº 0.25Vl 0.

Atomizador tipo turbilhão por pressão. 2010 26 .COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Estágios do desenvolvimento de um spray com o aumento da pressão. ³pressure swirl atomizer´.

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Atomizador Tipo Y 2010 27 .

1©1  c © MMD ! 1 ¸ ¹ ratm ¹ ª º V0.(u ar 0.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Atomizador Tipo Y ¨ 200 .5 dm0.2 2010 28 .1W 0.3 .5m0.Ql0.

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Atomizador Tipo Y 2010 29 .

h-1.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Atomizador Tipo Câmara Turbulenta Atomizador tipo câmara turbulenta para aplicações com óleo combustível e resíduo asfáltico. em vazões mássicas variando de 500 a 2000 kg. 2010 30 .

2010 31 .COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Atomizador Tipo Câmara Turbulenta Comportamento geral da vazão de combustível e do diâmetro médio de Sauter para atomizadores tipo câmara turbulenta.

2010 32 . quando em operação em baixas vazões.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Atomizador Tipo Mistura Externa Projetado para utilizar plenamente a pressão do líquido. quando em operação em altas vazões. e a pressão do vapor.

2010 33 .COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Queimador de fornos de pelotização.

4 2010 34 . A capacidade varia entre 3 a 5000 kg.6 Q ¨ W ¸ © ¹ SMD ! © V r2 ¹ n ª l º 0.h-1.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Atomizador Tipo Copo Rotativo Copo rotativo: movido em alta velocidade (cerca de 5000 RPM). 15. Diâmetro de saída do copo rotativo: pode variar entre 25 e 450 mm.

 1 415 x10 6 0.585 ¨ W ¸ © ¹ SMD ! (u © Vl ¹ ª º 2010 0.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Atomizador Tipo Nukiyama e Tanasawa 0.225 © Q ¹ .5 ¨ Ql ¸ ¹ © .

WVl ª aº Q l0.5 35 .45 1.

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Projeto de um Atomizador Tipo Y Prof. Pedro T. Lacava (ITA) 2010 36 .

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Esquema de um injetor tipo Y e suas principais dimensões 2010 37 .

Comprimento total da câmara (Lc): Lc = Lm + L. Diâmetro da câmara de mistura (dm): dm = 1.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Recomendações para projeto de atomizadores tipo Y (Mullinger e Chigier) ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Diâmetro de saída do ar (da) igual ao diâmetro de saída do combustível (df). Comprimento do canal de alimentação do ar (La): La > 2da.4 a 1.8 da. 2010 38 . Comprimento de pré-mistura (L): L = 0. Comprimento do canal de alimentação do combustível (Lf): Lf > 2df. Inclinação do canal de alimentação do combustível (U): U = 52o.75 da. Comprimento de mistura (Lm): Lm = 4 a 5 dm.

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Recomendações para projeto Além da geometria ideal.1 mf 2010 39 . Mullinger e Chigier também recomendaram que a vazão de fluido auxiliar seja no mínimo 1/10 da vazão do fluido a ser atomizado. ratm ! mar / atm / f u 0.

2010 40 . respectivamente.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Outras hipóteses Escoamento do ar de atomização pelo orifício de injeção: reversível adiabático unidimensional em regime permanente para gás perfeito. Mach = 1 na passagem do escoamento de ar pelo orifício de injeção.75. com coeficiente de descarga igual a 0. Escoamento de líquido adotado como incompressível em regime permanente. Pressão e temperatura de estagnação adotadas como 3 atm e 27 rC.

5 g/s. para o ar: Var/atm/f = Mach . Mach = 1. R = 287 m2/s2K. Vazão mássica de ar de atomização do combustível: igual a 0. a = 1 a . 2010 41 . T = temperatura do ar no orifício de injeção. Var/atm/f = a = (KRT)1/2 . K = cp/cv.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Cálculo do atomizador Projeto do injetor de diesel: feito admitindo uma vazão de 5 g/s.

833 T0 ! 0.833 x300 ! 250 K .4: T ! 0. 2010 42 . Para Mach = 1 e K = 1.Mach ¼ ­ ½ T0 = temperatura de estagnação (admitida = 300 K). Velocidade do ar de atomização Substituindo o resultado encontrado: v ar / atm / f ! 1 4 x 287 x 250 ! 317 m/s. .COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Temperatura do ar no orifício de saída A temperatura do ar no orifício de injeção: T! T0 « K 1 2» ¬1  2 .

528 . Substituindo: P ! 0.528 .250 2010 43 .24 kg/m 3 R.3 ! 1. admitida como sendo 3 atm.T 287 .P0 ! 0.58 atm P ! 160500 Pa. Massa específica do ar de atomização do combustível V! P 160500 ! ! 2.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Pressão do ar na saída de injeção K 1 T0 ¨ P0 ¸ K ! T © ¹ ªP º sendo P0 a pressão de estagnação do ar.

93 da ! da } 10mm .A 4.V.316.2.0.24.0009447 m T.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Diâmetro do canal de injeção 2 T.0005 ! 0.V.mar / atm / f ! T.da A! 4 mar / atm / f ! v ar / atm / f . 2010 44 .v ar / atm / f 4.

0.0.58 m/s 2010 45 .C d ! © ¹ 840 ª º 1/ 2 . T .COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Pressão de injeção do combustível ¸ ¨ ¨ mf ¸ 1 0.429 atm Velocidade de injeção do combustível na câmara de mistura ¨ 2.Pif v if ! © © V ª f ¸ ¹ ¹ º 1/ 2 ¨ 2.V ¹ © 0.27 ¸ . Pif ! © .75. !© © C .84 f ª d fº 4 º ª 2 2 Pif ! 42887 Pa ! 0.42887.0012 ¹ 2.75 v if ! 7.A ¹ 2.0.005 1 ¹ © ¹ .

75 mm 9.2 mm 52o 1 mm 1 mm 1.5 mm 11.5 mm 52o 46 .7mm 4.0 mm 12.8 mm 1.8 mm 0.2 mm 12.75 mm 2.0 mm 9.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Dimensões dos atomizadores Atomizador Diesel da df dm L Lm Lc La Lf U 2010 Resíduo 2 mm 2 mm 2.0 mm 8.

2010 47 .COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Esquema dos injetores construídos com atomizador acoplado na extremidade (dimensões: mm).

2010 48 . Por essa razão e pelo fato de durante os experimentos ter sido observada uma forte influência das condições de atomização na emissão de NOx. No entanto. as vazões de operação foram estabelecidas somente na realização dos experimentos e não necessariamente são as condições de projeto.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Notas As vazões de combustível e resíduo utilizadas para os projetos dos atomizadores foram escolhidas através de uma perspectiva do uso desses fluidos. foi realizada a determinação experimental do tamanho médio das gotas formadas pelos sprays.

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Tamanho médio das gotas A caracterização dos sprays obtidos pelos atomizadores foi feita através de um sistema não intrusivo a laser Malvern Mastersizer X. A detecção do espalhamento de luz no sistema ótico. 633nm) ao ser atravessado pelas gotas de um spray. que é constituído de uma placa circular de detetores de fotodiodos. 2010 49 . onde cada detetor coleta a luz espalhada em setores angulares particulares. Esse sistema mede o espalhamento da luz de um feixe de laser (Hélio ± Neônio.

2010 50 .COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Fotografia do spray de diesel atravessando o feixe de laser de 18mm de diâmetro do sistema Mastersizer X.

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Bancada para o sistema laser. Laboratório Prof. 2010 51 . Feng da Divisão de Engenharia Aeronáutica do ITA.

11 g/s m f = 2.50 g/s de diesel.12 0.COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Variação do SMD em função da razão de atomização para as vazões de 3.11 e 2.06 0.10 0.16 0.08 0.18 0. 100 90 80 70 m f = 3.20 r atm 2010 52 .04 0.14 0.50 g/s ] 60 SMD [ 50 40 30 20 10 0.

COMBUSTÃO DE LÍQUIDOS Fim de Combustão de Líquidos 2010 53 .