Prof.

Alencah

Tanto o DNA como o RNA são formados pelo encadeamento de grande número de moléculas menores, os nucleotídeos, formados por três tipos de substâncias químicas:
Base nitrogenada, composto por uma cadeia fechada de carbonos que contêm nitrogênio.  Uma pentose  Um fosfato.

A união da base nitrogenada com o açúcar é chamada nucleosídeo.

Cinco tipos: Adenina, Guanina, Citosina, Timina e Uracila. Adenina e Guanina possuem um duplo anel de átomos de carbono e derivam da purina, sendo então chamadas bases púricas. Citosina, Timina e Uracila possuem apenas um anel de carbono e são derivados da pirimidina, sendo chamadas de bases pirimídicas. DNA: Adenina – Timina; Citosina – Guanina RNA: Adenina – Uracila. Citosina - Guanina

RNA: possui uma ribose.

Ácido ribonucléico Ácido desoxirribonucléico.

DNA: possui uma desoxirribose.

A ligação de um nucleotídeo com outro é enre o fosfato de uma unidade e a pentose da outra.

Francis Crick e James Watson ganharam o Nobel da Medicina por determinar cientificamente que o DNA é uma dupla hélice. A molécula de DNA possui dois filamentos de polinucleotídeos ligadas um ao outro pelas bases nitrogenadas. Eles são torcidos formando uma dupla hélice.

A ligação entre as bases nitrogenadas é feitapor pontes de hidrogênio. A base Timina (T) se liga sempre à Adenina (A) por duas pontes de hidrogênio. A base Citosina (C) se liga sempre à Guanina (G) por três pontes de hidrogênio.

Qual a ligação mais difícil de ser quebrada? Adenina – Timina ou Guanina – Citosina? R: Guanina – Citosina por estarem ligadas por 3 pontes de hidrogênio. Se uma sequencia de uma fita de polinucleotídeos fosse AATCCATGT, qual seria o filamento complementar? R: TTAGGTACA.

É controlada por várias enzimas que promovem o afastamento dos fios, unem os nucleotídeos novos e corrigem os erros de duplicação por um processo chamado sistema de reparo, substituindo o nucleotídeo “errado” pelo “certo”. Antes da duplicação enzimas chamadas helicases desenrolam a dupla hélice, quebrando as pontes de hidrogênio. No DNA dos procariontes, o processo inicia-se em um único ponto, chamado origem de replicação. Nos eucariontes, o processo se faz a partir de vários pontos.

Em cada filamento exposto, novos nucleotídeos desenvolvidos no nucleoplasma começam a se encaixar, obedecendo ao emparelhamento A-T, CG. A união entre nucleotídeos novos é feita pela DNA-polimerase. Cada fio orienta a formação de outro que lhe é complementar. Portanto, o filamento novo fica igual ao antigo que ocupava aquela posição. Consequentemente, as duas moléculas resultantes serão iguais. Como cada molécula de DNA filha é formada por um filamento de DNA mãe, a duplicação é um processo semi-conservativo.

Interpreta e executa a informação do DNA. É formada por um único filamento de polinucleotídeos. Pentose é sempre a ribose. Bases nitrogenadas: adenina, guanina, citosina e uracila. É fabricado no núcleo e migra para o citoplasma.

RNA-mensageiro (RNA-m)
Leva o código genético do DNA para o citoplasma  Lá, seguindo o código, determina a sequência de aminoácidos da proteína

RNA-transportador (RNA-t)

Transporta os aminoácidos até o local da síntese de proteínas Participa da estrutura dos ribossomos, onde ocorre a síntese de proteínas.

RNA-ribossomal (RNA-r)

Transcrição

Síntese do RNA-m pelo DNA Organização dos aminoácidos soltos no citoplasma pelo RNA de modo a formar uma proteína característica.

Tradução

Na transcrição, apenas um dos filamentos do DNA são utilizados para a síntese do RNA-m. No RNA-m atua a enzima RNA-polimerase, que se liga a uma sequência específica do DNA, chamada promotor. A enzima desenrola a dupla hélice, expondo as bases do DNA e começa a encaixar os ribonucleotídeos. O encaixe obedece à obrigatoriedade de ligação entre as bases: A-U, C-G. A transcrição termina em uma determinada sequência de bases. Nos eucariontes, o pré-RNA contém íntrons que serão excluidos, originando um RNA-funcional contendo apenas éxons. Esse mecanismo é chamado processamento.

Na tradução, a sequência de bases no RNA passa para uma sequência de aminoácidos. Cada grupo de 3 bases consecutivas – códon – corresponde a um aminoácido. Desse modo, são formados os aminoácidos. Os códons UAG, UAA e UGA são códons finalizadores. O aminoácido metionina é o sinalizador do início do aminoácido.

Os códons só realizam o trabalho de identificação dos aminoácidos com o auxílio do RNA-t, que é capaz de se ligar a unidades de aminoácidos dissolvidos no citoplasma e transportá-los até o RNA-m. Cada RNA-t tem um anticódon específico. O anticódon CGA vai se ligar exclusivamente ao códon do aminoácido alanina. Este processo é feito nos ribossomos. À medida que os ribossomos deslizam pelo RNA-m, os aminoácidos se unem, formando uma proteína.

Os mecanismos da tradução são controlados por enzimas e pelo RNA-r, também uma enzima. O RNA-r da subunidade ribossomal maior catalisa a formação das ligações peptídicas e o RNA da subunidade menor reconhece os pontos do RNA-m pelos quais a síntese deve começar ou terminar.

Qual proteína irá formar o DNA:

ACGGAACTA?

R: RNA-m: UGCCUUGAU  Anticódon do RNA-t: ACGGAACUA  Proteína: Cys-Leu-Val