UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA

Entropia Energia livre

Termodinâmica

Entalpia Disciplina: Fisiologia da Produção Professor: Tomás de Aquino Discentes: Alex Tosta Aurélio Neto Joseanny Pereira Carolina Wisintainer Ricardo Neves

Termodinâmica
‡ Ciência das trocas de energia; ‡ Desenvolvimento de máquinas a vapor no final do século XVIII mudou o pensamento científico quanto à natureza da energia; ‡ Energia associada a trabalho; ‡ Calor e movimento: passaram a ser vistos como forma de energia;

Tipos de sistemas
Sistema isolado Sistema fechado Sistema aberto

Variação de energia em sistemas
Energia interna (U) de um sistema químico depende de: - Número de partículas - Tipo de partículas (ligações químicas) - Temperatura (energia cinética)
Ganho de calor (endotérmico) (+q) Perda de calor (exotérmico) (-q)

SISTEMA

U=q-w
Isto pode mudar com uma reação química

1ª Lei da Termodinâmica
‡ Energia pode ser transformada de uma forma em outra, mas não pode ser destruída;
O animal não come todo o capim e não converte toda a energia química do capim em carne Funções vitais do animal

Energia solar incide sobre a planta

Armazenada na forma de energia química (1% da energia solar que incide) O homem só utiliza 0,02% da energia solar

Fezes e urina

O bovino armazena no máximo 4% da energia contida no capim; 0,04% da energia solar que incidiu sobre o capim

Entalpia

Conteúdo de energia de cada substância participante de uma reação
Oxidação da glicose ¨H = -673 kcal/mol

¨Hreação = ¨Hprodutos - ¨Hreagentes C6H12O6 + 6O2

6CO2 + 6H2O + 673 kcal

Em muitos casos, uma reação química exergônica é também uma reação exotérmica, isto é, ela libera calor e assim tem um ¨H negativo.

Estado padrão de 2entalpia:2temperatura2O (l) e pressão 1 atm H (l)+ 1/2 O (g) H 25ºC Nesse estado, o elemento químico tem entalpia igual a zero
¨H = 7,3 KJ/mol ¨H = 44 KJ/mol

¨H = ¨U + P . ¨V

Tipos de reações
‡ Exergônico: ´energia para foraµ, processo que produz energia; ‡ Endergônico: ´energia para dentroµ, processo que gasta energia;

2ª Lei da Termodinâmica
‡ Em todas as trocas e conversões de energia, se nenhuma energia entra ou sai do sistema em estudo, a energia do estado final será sempre menor do que a energia do estado inicial;

2ª lei da termodinâmica

Entropia

Introduzida em 1865 por Clausius Grandeza termodinâmica que mede a organização de um sistema

Gelo

Processos endotérmicos: uma considerável quantidade de calor é absorvida do ambiente onde eles ocorrem.

Energia livre de Gibbs
‡ Não é possível medir a energia livre em valores absolutos em um sistema, mas é possível quantificar as suas variações; ‡ É uma medida termodinâmica que nos permite imaginar a energia disponível para realizar trabalho entre um sistema e sua circunvizinhança; ‡ É a máxima energia disponível calculada por meio da combinação de entalpia, entropia e temperatura (ºK);

‡ ¨G > 0 = não espontâneo (entrada de energia) ‡ ¨G < 0 = espontâneo (saída de energia) ‡ ¨G = 0 = equilíbrio

Energia livre de Gibbs

Potencial Químico ( )
‡ Refere-se à atividade ou à capacidade de realizar trabalho, do ponto de vista termodinâmico, de uma substância; ‡ É expresso em unidades de energia (J/Kg ou J/mol); ‡ O de uma substância i, quando se leva em consideração apenas o fator soluto, é: ‡ i = RTlnCi ‡ : está diretamente envolvido no transporte de água e de solutos através das membranas sofre interferência de quatro fatores.

Fatores que alteram o potencial Químico ( )
‡ Concentração do soluto: partículas de soluto decrescem o potencial químico das moléculas do solvente. ‡ Temperatura: interfere positivamente; ‡ Pressão: quando se aplica pressão externa sobre as substâncias a energia livre aumenta e consequentemente o potencial químico; ‡ Ex: A solução do xilema pode estar sobre tensão (pressão negativa), pois a pressão que as folhas exercem sobre a água é de sucção. ‡ Matriz (materiais com superfície que se ligam à água)

Obrigado!

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful