You are on page 1of 38

| 

 




   

   
Fevereiro de 2007.

r.

    | .

    !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!"#  $% !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!&   |  '  ().

.

.

 *  + #.

.

.!!!!!!!!!!!!!!!-$  | .

  .#    )# *   .

#  !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!--.  .

.

.

 .

!$--0% 1  . #/!.

 .

#  .

   2/ 2.

3-42/!!. .

  + #.

.

 --42/!!.

  .

#  5 6 3-- /!7%--42.

3-!---%2.8.

  9#::::::29#: .

9 .

#.

# 77 < /.    .

 # =  .

 =.

1999. . ONU.  >. # Fonte: World Resources Institute.

 .

.

.

|  ? "# .

@ A#B.

 )#   .

      s      .

                s          .

1  1"4? CD"r @|&? @ .

.

'# .

).

   + .

 .

       E.

#.

F .

) +  G.

+  + .

 ) ! r    ) .

    )#  '   9 .

#  r  G..

 |   |  .  9#  )# *#/.

1#  .

#  sara banha Gordura Envoltório p/ salchicharia Resíduos p/ salchicharia Buchos e Conteúdo estomacal p/ fertilização intestinos Gordura p/ banha Salchicharia. fígado fábrica de farinha e pulmão Ossos p/ farinha Cabeças sartes comestíveis p/ salchicharia Tanque de Depilação Lavagem Evisceração Esquartejamento sicação Animal Sangria escaldagem Águas de Lavagem Efluente . açougue Coração .

.

 Dentro do setor industrial.  O processo gera efluentes altamente contaminados.  Grande consumidora de água.  SC: pólo têxtil (Vale do Itajaí) ± 10% do faturamento total nacional (FIESC. coloridos. de composição complexa difícil tratamento. corantes e produtos químicos ao longo de toda a produção. é responsável por 15% do consumo de água. .HI(  Um dos maiores setores industriais do mundo: produção e n° de empregados. 1998).

9) .

   +JI#.

 .

   1 GE # /2 # .

.

 .

 !  1 GE.

 *.

!   .   #  # .

 .

 # E.

 .

+ .

.

!  9 .

#.

 .

  ) .

K       !    .

#  .

  .

 .

.

) .

  .

.

L !  r  E.

 .

.

 !  1 GE (   +#.

 +  # 6 #!  1 )  (# .

  .

 +## # +JI# !  r .

.

 !  # + .

.

.

.

.

 ! .

#     .

A partir de 2003 (?) ISO 14000 Lei ambiental (Resolução CONAMA n°357/2005) Problemas ecológicos .   Cobrança do Uso da Água (Lei 9433/97)  Implementação da Cobrança na Bacia do saraíba do Sul (Ss)  Implementação da cobrança do Alto Iguaçu (saraná/Ss).

r .

 .

.

K MN  3    .

     R  R       .

?.

|  r .

 .

 .

K N       3            .

     .

    .

    .

  ×  .

            2   2   R.

.

? 4r r9r @|&? @ sarâmetros físico-químicos sarâmetros microbiológicos Legislação .

.

na água. Mn. de substâncias em solução: Fe. matéria orgânica. | . algas. r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  1' 5#   resulta da existência.

     Os organismos têm limites de tolerância térmica afeta a fauna  á taxa de reações químicas e biológicas  ± oxigênio dissolvido  á taxa de transferência de gases (mau cheiro) . provocando incrustações.  )# cor Ĺ |  ' cor Ļ A presença de cor na água é indesejável:  Fábricas de papel e têxtil: irá tingir as fibras  Alimentação de caldeiras: irá carbonizar.

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  1' 5#  .

 Reduz a incidência de luz e a fotossíntese. afetando a cadeia alimentar do sistema e a capacidade de auto-depuração. srejudica a aparência. E indica a presença de material em suspensão.  Matéria suspensa que precipita rapidamente: sedimento  Matéria suspensa que precipita vagarosamente (colóides): provoca a TURBIDEZ | .

 )# turbidez Ĺ |  ' turbidez Ļ  ".

 : resultam de causas naturais (algas. compostos orgânicos. fungos. vegetação em decomposição. H2S. bactérias. . etc) e artificiais (esgotos domésticos e industriais).

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  1'  #  1 # /.

provoca a precipitação de elementos químicos (interfere na solubilidade). r   . O#*B. toxicidade de algumas substâncias. valores extremos afetam a eficácia dos coagulantes. afeta a fisiologia das espécies (adaptadas à neutralidade). agressividade da água (corrosão).

P--!  # .

.

provoca incrustações nas tubulações de caldeiras. hidróxidos). ou de outros metais bivalentes. Mede a capacidade de neutralizar os ácidos. Causa sabor desagradável e efeitos laxativos.  causada por sais alcalinos (carbonatos e bicarbonatos. reduz a formação de espuma do sabão. principalmente de Na e Ca.  Os bicarbonatos podem liberar CO2 quando submetidos ao calor nas caldeiras.  r E resulta da presença de sais alcalino terrosos (Ca e Mg). .

coloração e incrustações. nitrito. . r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  1'  #    conferem sabor salgado e propriedades laxativas à água. Causa a eutrofização da água. conferem sabor amargo e propiciam o desenvolvimento de ferrobactérias causadoras de mau cheiro. nitrato.  5  Q Icausam coloração avermelhada ou marrom. Compreende nitrogênio orgânico.(ortofosfatos). manchando roupas. amônio.   Icausa a eutrofização da água. Acelera os processos de corrosão.  56)HsO3.

turvando o meio e sedimentando (depósito amarelo-marrom avermelhado): 4 Fe(HCO3)2 + O2 + 2 H2O 4 Fe(OH)3 + 8 CO2 4 Fe(OH)3 2 Fe2O3 + 6 H2O ") .Fe(HCO3)2 ± águas subterrâneas.. r r"9@r9 ? 4r r9r  |&? @  1'  #*)#K+#.  5 Ferro solúvel é encontrado nos corpos d´água na forma de bicarbonato ferroso . Oxida em contato com o ar.

 G   .

.

   Aparecimento de depósitos e crostas de Fe2O3  Coloração de produtos que entram em contato com a água  Interferência em processos industriais .

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  1'  #  5   em concentrações adequadas. mas podem causar fluorese dentária (mancha escura nos dentes) quando estão em alta concentração. são benéficos no combate às cáries.  &  .

 .

metano! CO2 (corrosivo!) e H2S: decomposição de materiais orgânicos na água.  "( I. oxigênio. O2: contato do ar com a água CH4: decomposição de material biológico. dióxido de carbono. sulfeto de hidrogênio.

 .

indispensável aos organismos aeróbios.  . É preciso haver uma provisão de OD para a manutenção dos processos de auto- depuração.

 "rR- 24! .

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  1'  #*)#K+#.  "( I .

 .

  1  S (#. *"r.

.

: (#.

.

:  1  1 : demanda de OD para a biodegradação do efluente. reduzindo o O2 disponível para os organismos presentes. Uma adequada provisão de oxigênio dissolvido é essencial para a manutenção de processos de K.

 em sistemas aquáticos naturais e estações de tratamento de esgotos. . Os níveis de OD indicam a capacidade de um corpo d¶água em manter a vida aquática.

 K. r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  1'  #*)#K+#.

Substâncias orgânicas Substâncias inertes. .  Restabelecimento do equilíbrio do meio aquático. por mecanismos naturais. após as alterações induzidas pelos despejos afluentes.

.

Determinados por extração com clorofórmio (muito tóxico) ou. São removidos por processos físico-químicos.  "# '#  '#vários são tóxicos aos organismos vivos. r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  1'  #  T  ( provocam obstrução em redes coletoras e inibição em processos biológicos (camada ³isolante´). . interferindo nas etapas aeróbias de tratamento biológico em Estações de Tratamento de Efluentes (ETEs). preferencialmente.  @ #presente em todas águas naturais. hexano (utilizando-se aparelho Sohxlet).

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  @6 .

K sólidos totais (ST) ~ concentração celular  Classificados de acordo com: r99Q CD"  /  .

  4U   Em suspensão (SS) FILTRAÇÃO  Dissolvidos ou solúveis (SSsol)  # #+#  Fixos (SSF) CALCINAÇÃO  Voláteis (SSV)  r # .

.

*# .

/)K 424.  Em suspensão sedimentáveis SEDIMENTAÇÃO  Em suspensão não sedimentáveis .

001 a 1 m)* Fixos 400mg/L Dissolvidos( SD) 650 mg/L Voláteis 250 mg/L Evaporação 105°C/2horas Filtração 1.scad. não podem ser removidas por sedimentação.) SD= ST .2m +estufa Calcinação 550°C/2h ST=scad+amostra. necessitam de coagulação química ** SSV = utilizado para expressar a quantidade de célula no líquido .+amostra) ±s(Filapós calc. SST= s (fil.  Determinação de sólidos Fixos 50mg/L Em suspensão(SS) 350mg/L Voláteis** Massa Totais 300mg/L celular 1000mg/L Coloidais (0.SS SSV= SST ± cinzas *Coloidais = no tratamento da água.+amostra) -sfil SSF(cinzas)= s(fil.

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?   +JI#.

 *.

.

 '# #.  .

  ± oxigênio dissolvido: devido à estabilização da matéria orgânica pelos microrganismos heterotróficos.  sroblemas de cor.  ± diversidade das espécies no corpo receptor.F . . odor e sabor.  á patogênicos.  á nutrientes.

 '#  1   #      . r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  Q.

 Macromoléculas ± Hidrólise Moléculas simples (Biodegradáveis) ± regradação aeróbia CO2 e H2O .

solissacarídeo DBO e DQO m Gordura DBO e DQO m sroteína: principal fonte = esgotos sanitários e industriais DQO e N m .

 r .r r"9@r9 ? 4r r9r  |&? @  1'  #*)#K+#.

 # .

 é a concentração de oxigênio necessária para oxidar a matéria orgânica por ação de um agente químico . "( I *r ".

E.

.  Despejos de origem predominantemente orgânica são responsáveis pelo aumento da DQO e DBO. Teste rápido. "$ B$". provocando a morte de peixes e outras formas de vida nos corpos d¶água. A presença de um alto teor de matéria orgânica pode induzir à completa extinção de oxigênio da água.

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  1'  #*)#K+#.  r .

 A+# .

"( I *rA". por . é a concentração de oxigênio necessária para oxidar a matéria orgânica * .

sulfatos.  Concentração de oxigênio consumido durante certo tempo. freqüentemente 5 dias a 20°C (notação: DBO5 ou DBO5. fosfatos. # #  6 para uma forma inorgânica estável (CO2.20). a uma temperatura de incubação estabelecida.  Há # . água. amônia).

utilizada para   #  . "$ e liberação de energia.   .

  .

.

   # # : substâncias incapazes de serem biodegradadas. .

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&? r .

 A+# .

@ )#. tenho o O2 consumido para a oxidação da matéria orgânica. 20 °C OD OD 8mgO2 3mgO2 t1 t5 Cálculo: ODt1 ± ODt5 = 5 * fator de diluição (100) = 500mgO2/L  Em 5 dias a 20°C. "( I 5dias.

 .

 r   .

  A. r " rA" *  r "2rA".

.

 .

.

4 fácil degradação < 0.   0.4 difícil degradação! .

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&? 4  .

   # .

F   )  .

 K.

 Zona de Zona de Zona de degradação decomposição ativa recuperação Zona de águas limpas .

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  4 .

   K.

 ) O + #  #.

E  V.

.

.

DBO atinge o valor máximo no ponto de lançamento do esgoto.  V. amônia é produzida. água com aspecto escuro e sujo. sólidos sedimentam. porém começa a cair com a atividade dos microrganismos heterotróficos aeróbios.

.

. # o teor de oxigênio atinge o mínimo. podendo atingir condições anaeróbias. DBO continua decrescendo com a atividade de microrganismos aeróbios e anaeróbios. oxigênio é reintroduzido no sistema pela aeração e pela diminuição da atividade dos microrganismos.

r r"9@r9 ? 4r r9r  |&?  4 .

   K.

 ) O + #  #.

E  V.

 # a atividade microbiana é muito baixa devido a grande parte da matéria orgânica ter sido degradada.  V. nitrogênio predomina na forma de nitritos e nitratos. proliferação de algas. a reaeração excede a desoxigenação. peixes e outros organismos retornam ao sistema.

sais dissolvidos que antes não estavam presentes. fosfatos. não exatamente às características iniciais. verificadas pela presença de nitratos. .   retorno às condições de origem. porém.

 )#  *  E. indicadores de contaminação fecal transmissão de doenças. toxidez.o. m. turbidez. redução do OD e corrosão. odor.  Microcistinas hepatotoxinas  Cilindrospermopsina  saxitoxinas neurotoxinas  9 . acúmulo de matéria orgânica. N e s: resistentes a condições severas de poluição. responsáveis pelo fenômeno da eutrofização. causando cor.   responsáveis por grande parte do OD na água. sabor.r r"9@r9 ? 4r r9r  |&? @  1' Q# 6 #   )   ) # *Q1.

(#.

.

. avaliação dos efeitos crônicos e/ou agudos de uma amostra sobre alguma propriedade de bioindicadores. *  .

? 4r r9r @|&? @   .

.

.

  (   função do uso e da ocupação do solo da bacia hidrográfica   .

.

.

2-%2$--3.  1.  G   função do uso previsto para a água (pode ser usos múltiplos)  1 rW9@r9 ? 4r r9r |&? *  " Q X %3 .

L .

# )#.

#.

   1.

L .

 .

 )   # #   1 rW9@r91" A4r r9*13. .

$3.

$--.

 Q..

@H.

sendo mais restritivos quanto mais nobre for o uso pretendido. São definidas 9 classes (5 p/ águas doces). sara cada uma das classes. a resolução CONAMA estabelece limites e/ou condições de qualidade a serem respeitados. . . As concentrações máximas permitidas na água são estabelecidas em função dos seus usos. segundo os usos preponderantes a que as águas se destinam.

 )#.

#.

 c) à preservação dos ambientes aquáticos em unidades de conservação de proteção integral. cerealíferas e forrageiras¬  c) à pesca amadora.F   r| r#   K #    #   a) ao abastecimento para consumo humano.  b) à irrigação de culturas arbóreas.  K #  . conforme  d) à irrigação de hortaliças. esqui aquático e mergulho.  NK #  %  a) ao abastecimento para consumo humano. e  b) à harmonia paisagística . campos de esporte e  lazer.  c) à recreação de contato primário.:  a) ao abastecimento para consumo humano. tais como natação.  K #  $:  a) ao abastecimento para consumo humano. após tratamento convencional ou avançado. esqui aquático e mergulho. plantas frutíferas e de parques.  d) à recreação de contato secundário.  c) à recreação de contato primário.  b) à proteção das comunidades aquáticas.  b) à proteção das comunidades aquáticas. e  e) à dessedentação de animais.  b) à preservação do equilíbrio natural das comunidades aquáticas¬ e. após tratamento convencional. tais como natação. e  e) à aqüicultura e à atividade de pesca. jardins. com os quais o público possa vir a ter contato direto. com desinfecção. após tratamento simplificado.  d) à irrigação de hortaliças que são consumidas cruas e de frutas que se desenvolvam rentes  ao solo e que sejam ingeridas cruas sem remoção de película. e  e) à proteção das comunidades aquáticas em Terras Indígenas.  NK #    a) à navegação.

1.

L .

  .

 )    *    .

..  ausência de materiais flutuantes...  temperatura: inferior a 40ºC... 15 mg/L  DBO..........................  materiais sedimentáveis: até 1 mL/L em teste de 1 hora em cone Imhoff.........  sadrões de emissão de efluentes líquidos  pH entre 5 a 9.......  Fósforo total...3. @...... 60 mg/L OU 80 % de eficiência do sistema de tratamento !!!!! Favorece efluentes industriais concentrados! ........ 1. 10 mg/L  Ferro total.0 mg/L  Nitrogênio total...